Saturday, May 20, 2006

A Dolorida mas Compensadora Vaidade Feminina ( Para algumas...)

Não sei até hoje a que ponto posso dizer que sou vaidosa. Não sou de usar maquiagem, passar batom e ficar tirando sobrancelha toda semana, mas não saio de casa sem passar creme no rosto, passar perfume e olhar dez vezes para ver se a barriga teima em não saltar da calça, se o soutien não está aparecendo da camisa, se a camisa não está saindo do cós.
Sobre vaidades e vaidades, acho que pra mim varia o humor. Se estou com preguiça, daquelas matadoras mesmo, nem passar esmalte nas unhas tenho a paciência. Quem me conhece, sabe: não ligo pra ficar dez horas na frente do espelho pra ficar arrancando sobrancelha, não fico retocando maquiagem de minuto a minuto. Mas quando se trata de espinha que aparece antes "daqueles dias", nariz arrebentado de tanto assoá-lo depois de um resfriado que te pega de jeito...
E depilação? Perna, nem ligo, aliás, quase nem tenho pêlos mesmo. Debaixo do braço, tasca a gilete mesmo, como não uso camiseta cavada devido ao meu (tolo) complexo de ombro largo, então não preciso ficar me importando com depilação a cera, essas coisas, sabem? Mas que iria cair bem, acho que sim...
Agora, se tem uma coisa que não consigo ficar tanto tempo sem, é retocar a côr do meu cabelo. Quando a idade chega e os cabelos brancos aparecem de uma vez só, resta o consolo de passar a tarde toda no salão, retocando a pintura. Pra falar a verdade, já fazem sete anos que pinto o cabelo e já fazem sete anos que não lembro mais qual era a côr natural dele! Bom, agora está com as raízes pretas e as pontas castanho-médio com mechas [naturais] brancas...
Outra coisa também sobre meu cabelo: por eu ter muito cabelo ( meu kinguio morre de inveja por isso ), o dia que acordo com ele mais amarfanhado que nem mousse resolve, a única saída é se enfiar debaixo do chuveiro sete da matina. Não usava secador, mas depois que saí de casa com o cabelo molhado e cheguei no escritório com as pontas viradas... A alternativa é mandar ver nos arquinhos, elásticos e ramonas. Isso porque já faz um bom tempo que não sei o que é ter cabelo longo no meio das costas...
Cremes pro rosto - bom, quando trabalhava na cervejaria, levava meia hora pra lavar, tonificar e hidratar a pele, pois trabalhava em uma sala que o ar condicionado estava tinindo de gelado no verão e estafante no inverno. Aqui, ainda mantenho o mesmo hábito, mas acrescido de creme para a área dos olhos e creme para a noite. Afinal, prevenir é melhor do que entrar na faca, se é que vocês me entendem...
Mas depois que fui em uma esteticista, quase caí pra trás quando soube que teria que fazer trocentas sessões e pagar mais de vinte mil cada uma delas...
Agora, uma coisa que sempre prometo e nunca cumpro, e se consigo, é de curto prazo: academia. Não consigo passar de três meses se matando na esteira e puxando ferro. Quando estava na casa dos vinte, consegui ficar um ano direto, mas custou-me um corpo pra lá de dolorido e não perdi um grama sequer! E olha que, quando cheguei aqui, estava pesando pra lá de sessenta e seis quilos. Consegui perder dez quilos, mas depois que comecei a trabalhar no escritório, ganhei cinco. E agora a briga constante para voltar aos cinquenta e seis habituais...
Mas fico pensando: até que ponto valeria a pena investir na vaidade?
Depende da situação, do serviço, da profissão.
Obviamente nenhuma modelo ou atriz apareceria diante das câmeras com um matagal nas pernas ou um carpete debaixo do braço ( como a Julia Roberts, lembram?).



Cleópatra também usava mel e limão pra tirar o que não precisava...

No comments:

Post a Comment