Saturday, October 14, 2006

O Dilema de quem tem apelido


O apelido sempre existiu e vai continuar perdurando até o final dos tempos (isso se o doido daquele porco-espinho norte-coreano não resolver pirar de vez e acabar com o mundo antes). Por mais que o apelido seja carinhoso ou pejorativo, a dita pessoa sempre vai acabar sendo mais conhecida mais pelo apelido do que pelo nome que seus pais batizaram. E dependendo da maioria dos casos que eu já presenciei (eu mesma até hoje não consigo ser atendida pelo meu nome mesmo, sempre me chamaram por apelido - até hoje, quem me conhece - ou pelo sobrenome), a pessoa acaba se apresentando é pelo apelido mesmo.
Já começa quando nascemos. Se temos um irmão ou irmã acima da gente, mas tem pouca diferença de idade, é inevitável que acabamos tendo um apelido não porque quis, mas porque ele (ou ela) não consegue pronunciar direito o nome. Pra depois virar apelido carinhoso ou não é um pulo só. Isso se não tivermos algum tio ou tia daqueles bem melindrados mesmo pelo fato de ter um sobrinho mais novo, aí a coisa entorna de vez e acabamos sendo conhecidos pela família toda, desde a primeira geração até a última mais pelo apelido do que pelo nome.
Se a gente passa incólume pela família, o mesmo não ocorre quando entramos na escola.
Criança nessa idade escolar é um poço de criatividade que depois não sei porque seca. Se fulano parece ter cara de batata, vira Batatão. Se fulana tem dentes iguais aos da Mônica, vira Dentucinha ou Coelhinha e por aí vai. Isso se não tiverem outros apelidos mais cruéis, típicos de infância, e acabam por fim traumatizar o infeliz até o final da vida. Isso se na mesma classe cinco ou seis crianças possuem o mesmo nome. A falta de criatividade dos pais na hora de batizar a criança já é suprida na hora da chamada dos alunos. Por isso que sou contra nomes do momento. No tempo que eu lecionava, o que tinha de criança da mesma idade com o mesmo nome, na hora da chamada, perdia o tempo só pra dizer o nome completo, pois de falasse somente o primeiro nome, já vinha: "Qual deles (as)?" Sei disso porque quando estava no Magistério, tinham mais três meninas com o mesmo nome que eu. Mas só que nenhuma delas gostava de ser atendida pelo nome.
Falando em nomes do momento: dependendo da novela que fizer mais sucesso de audiência, o nome do(a) protagonista acaba virando nome comum para todas as crianças que nasceram na época da novela. Pra falar a verdade, nem sei mais que novela está passando, nem sei os nomes dos mocinhos ou vilões. Mas sei que ano que vem vai pipocar um monte de crianças com o mesmo nome, podem crer! Sem falar daqueles pais que dependendo da maldita hora que a criatividade chega, acaba batizando a pobre criança de cada nome que até eu mudaria se tivesse um desses. Quando faço análise das fichas de pedido de clientes, vejo cada nome dos filhos que fico me perguntando "que o pai ou a mãe devia ter na cabeça ao batizar o filho com esse nome???" Ainda se fosse Ana, Maria, João, Pedro, tudo bem, é nome comum, mas é ... normal! Agora, uma mistura de nomes, ah por favor, me poupem, tá pior que nome de personagem de novela! Se bem que devem ter pego o nome nisso mesmo. Nesse ponto, dou razão à pessoa que resolver ser atendida pelo apelido.
Quando o apelido acaba virando nome artístico, daí por diante a pessoa só consegue ser chamada assim, por apelido mesmo. Por acaso você ouviria música do João Rubinato, do Ronaldo Nogueira, Sidney Magalhães, de bandas com músicos chamados Renato Manfredini Junior, Felipe da Nóbrega Ribeiro? Ou deixaria de assistir peças e ou novelas com atores de nomes Arlete Pinheiro Monteiro Torres, Abigail Isquierdo Ferreira ou Aryclenes Venâncio Duarte? Iria a um show do Reginald Dwight, do Gordon Summer, do Robert Allen Zimmerman ou de David Robert Jones? Ou de bandas cujos componentes se chamam Paul Hewson ou Fredderick Bulsara? E de quebra ainda seria fã de um grupo cujo baterista se chama Richard Starkey? Caso disse não, eis a prova que muita gente conhece essas pessoas por apelido! No caso de artistas, nome artístico.
Tem artista que muda o nome por numerologia, por videntes ou astrologia, mas seja como for, esse pessoal mais é conhecido pelo nome artístico que pelo nome real.
Resta saber na hora em que sai de cena, se eles preferem ser chamados pelo nome real ou pelo artístico...
* Os nomes mencionados, pra quem não sabe, seriam - em ordem - Adoniran Barbosa, Ronnie Von, Sidney Magal, Renato Russo (Legião Urbana), Bi Ribeiro (Paralamas do Sucesso), Fernanda Montenegro, Bibi Ferreira, Lima Duarte, Elton John, Sting, Bob Dylan, David Bowie, Bono Vox (U2), Freddie Mercury (Queen) e Ringo Starr (Beatles).

No comments:

Post a Comment