Sunday, January 21, 2007

Sobrevivendo na Arena no dia 30 de Novembro de 2006

Já tinha me esquecido de como era ir a um show de música. A última vez que fui, que eu me lembre, foi em 22 de abril de 1990, no Maracanã, assistir ao show do Paul McCartney. Além de ter sido a primeira vez que ele vinha ao Brasil, depois de muita especulação e boatos, o show que fui entrou no livro Guiness de Recordes - show com maior público pagante depois de Frank Sinatra: cerca de 195 mil pessoas. E eu lá no meio, sendo espremida, mas que valeu a pena ter gasto uma fortuna na época.
Depois nunca mais consegui ir a show algum. Os motivos eram variados: desde o medo de ir sozinha para algum show em Sampa devido meu medo de ir para lá (e olha que pra ir pra Sampa na casa de meu irmão até que ia) até falta de tempo nos dois sentidos da palavra. Daí me contentava em assistir filmes no cinema e ir ao teatro, inclusive nessas idas ao teatro renderam ver muitas peças boas, como "Cenas de um Casamento" e a versão cômica de "Os Três Mosqueteiros" em inglês com três nativos da língua.
Já aqui no Japão, fui saber que poderia ter acesso a ir em shows depois que mudamos para Kanagawa, em idos de 1999. Certo, antes morava a duas horas (de trem expresso) de Osaka, também centro de diversões, mas naquela época era meio bobinha, meio tapada e quase não entendia de japonês, então não tinha ido a um show sequer. Uma vez em Kanagawa, a pouquissimas horas de Tóquio, seria prato cheio para conhecer melhor a gastronomia, compras e espetáculos.
Mas qual... Devido ao meu antigo trabalho, o máximo que a gente conseguia era comprar CDs, assistir aos dramas japoneses, quem estava no ranking da Oricon... Ir a algum show que era bom, nada, pois aí já me criou a barreira de "como é que se compra".
Sim, confesso que perdi o show do Macca pela segunda vez (a primeira foi quando ele fez novamente show em Sampa, no Pacaembu em 1993 e não pude ir por falta de fundos mesmo ) e o show foi no Tokyo Dome. Perdi por dois motivos: fiquei sabendo em cima da hora e já não tinha mais ingressos. Agora, quando ele virá novamente, nem John Lennon sabe. Os Rolling Stones vieram duas vezes e no início do ano passado tinha a chance de ir e acabei por esquecer. Show de Bossa-Nova acabo esquecendo também. Nessa altura do campeonato vai ter gente dizendo que estou precisando tomar remédio pra memória, mas na verdade meu esquecimento se deve muito a correria que levo devido ao meu trabalho. Tudo bem que tem gente que daria até a mãe para trabalhar em escritório no horário do meio-dia as nove ou dez da noite, mas vai pegar trem lotado pra ir e voltar, ter seu horário de almoço desregulado e não saber o que é folgar sábado e domingo...
Bom, quando o grupo irlandês U2 tinha anunciado dois shows no Yokohama Arena, em abril, boa parte do pessoal que trabalha comigo comprou ingresso com dois meses adiantado, mas depois, por motivos pessoais, o grupo cancelou vários shows, inclusive o de Yokohama. O pessoal teve o dinheiro ressarcido mas com a esperança de que um dia eles voltassem.
Em agosto, uma colega minha comprou o ingresso para mim... do show do U2 em novembro, mas desta vez seria no Saitama Super Arena. Bom, ela tinha me convidado a ir e topei. Disse que eu estava meio cansada e precisava me distrair. Então, tá... Só que metade do escritório teve a mesma idéia e compraram o ingresso para o mesmo dia que eu ( foi numa quinta e eu folgo neste dia ). Se o departamento iria ficar às moscas naquele dia, eu estava pouco ligando, o importante era eu me distrair. Ora se eles podem porque eu não?
Saitama Super Arena, dia 30 de novembro de 2006. Quase não ia, porque justo no dia anterior tinha acontecido uma coisa muito ruim em minha vida e quase entrei em parafuso, mas uma amiga minha, veterana de trabalho e de vida me ajudou muito. E disse que era melhor eu ir, não por causa do dinheiro gasto, mas que poderia esquecer, nem que fosse em três horas de show. Acabei indo para tentar esquecer, naquelas horas, tudo o que tinha acontecido no dia anterior.
Dia 30 era o dia do segundo show. Dizem que segundo dia de show costuma ser o melhor que o anterior. Bom, isso não nego, pois o show que tinha ido do Macca, tinha sido o segundo dia. O duro era saber se no caso de ter o terceiro dia, este seria melhor ainda, não sei porque não perguntei pra ninguém depois. Bom, voltando, segundo dia de show e o Saitama Super Arena, os portões de entrada lotados. Eu e minhas colegas de trabalho num frio ameno de outono, e ainda por cima choveu antes, na fila esperando entrar na arena. Coisa que detesto é fila, mas tinha que ficar pra tentar garantir o melhor lugar.
Os portões se abrem e o povo procurando através do ingresso onde ficava tal lugar. Como nossos ingressos eram na arena, ficamos bem no meio. Em pé e sendo espremidas igual (se não pior) a uma laranja, limão, que seja. Nessas horas eu jurava nunca mais reclamar do Tokaido cheio no horário de pico, pois naquele dia estava bem pior. Oras, que esperavam de show a nível internacional? Tinha que dar nisso: muita gente de tudo o que era lugar do Japão com direito a caravana (brasileira) vindo de lugares que só de ônibus levava cerca de doze a treze horas.
Antes das oito, o show começa! E Bono e seu grupo emocionando a platéia por duas horas com direito a várias voltas a pedido do público. Sorte que tinha telões, senão não poderia ver o show direito. O lado ruim de ter menos de um metro e sessenta: em shows em que se fica em pé, não dá pra ver absolutamente NADA por causa de alguns varapaus que tampam a sua frente. Claro que teve um trocadilho meio infame no meio do show, em que alguém da platéia dá um presente ao Bono... um pacote de biscoitos Bono sabor morango, ainda por cima!!! E minha amiga, ao meu lado, depois perguntou pra mim o que deram ao Bono. Quando falei o que era, a coitada jurava que era uma rosa! E eu esqueci que ela estava com lentes de contato e no meio do show ela perdeu uma delas...
Duas horas e tanto de show, deu para descarregar o estresse que todos estavam. E o público satisfeito em ter visto o grupo ao vivo e a cores. Claro que sempre falta uma música ou outra, mas já imaginaram quantas horas iria durar o show se eles tocassem TODAS as músicas em quase trinta anos de estrada?!



Domo Arigatou Bono, pelas duas horas e tantas de diversão!

2 comments:

  1. Olá Miss Piggy.

    Obrigada pela visita.

    Ah, eu como due para perceber tbm sou muito fã de sorvete =)

    Kiss

    ReplyDelete
  2. Estou com uma invejinha (boa, não precisa se preocupar) depois de ler esse texto. Eu amo U2, ainda tenho que ir a um show deles.

    ReplyDelete