Monday, October 08, 2007

No Mundo das Marcas....

Quem me conhece, sabe que não sou de comprar TANTAS roupas nem bolsas de marcas famosas. Aliás, se tenho alguma peça de marca, pode contar que foi em liquidação ou foi porque a roupa me caiu bem mesmo. Na maioria, é a primeira opção mesmo, afinal, pra que servem point-cards ou cupons de descontos?

A maioria das peças que compõem meu pequeno guarda-roupa, foram compradas nas últimas liquidações que andei freqüentando. Ainda bem que tamanho 42 (ou médio) é um dos mais ou menos vendidos nas lojas que freqüento ( leia-se Benetton, Mary Quant e Uniqlo). Se estiver fora da liquidação, mas infelizmente acaba tendo um bom caimento, acabo comprando porque sei que depois não encontrarei mais (caso foram duas camisas de mesmo corte, mas de padronagens diferentes compradas na primeira loja citada).

Certo, certo. As lojas citadas podem ser mais ou menos acessíveis para muita gente, mas como sei da qualidade das peças, sei que se eu comprar, a peça dura por um bom tempo - não desbotam, não encolhem, não esticam. E posso lavar quantas vezes quiser que ainda sai como nova.

Sapatos, bom, como tenho pé parecido com pão recém-saído de um forno, eu procuro feito Indiana Jones nas lojas e liquidações da vida. Mesmo quando morava na terrinha, o sapato que eu achava que ficaria bem, no pé aperta... E quando a matemática modelo que eu gostei + número ideal + ficou bem no meu pé = está fora da liquidação, dói no minha carteira ter que pagar caro por isso. Porém, vide parágrafo anterior: sei da qualidade e que vai durar por um par de anos.

Não tenho tanto fetiche por sapatos. Se bem que dá vontade de ter um salto agulha só pra fazer pressão, mas ainda fico nos meus tradicionais sapatos preto pra trabalhar, o clássico baixinho pra sair... Acho que de côr meio extravagante seria um rosa... Isso porque vivo escutando do kinguio encantado: "tem dois pés e duzentos pares de sapatos? Tá pensando que é centopéia???"

Sem falar da nossa sapateira que tenho que dividir com o kinguio, claro.

Agora, nunca entendi mesmo porque tem gente que está disposta a pagar metade do salário (se não todo) por uma bolsa de marca. Quando digo "de marca" leia-se Chanel, Louis Vuitton, Christian Dior e por aí vai. Fico impressionada como aqui a facilidade de se comprar bolsas destas marcas é tão grande, que conheço gente que parcela em vinte meses. Ou mais. Sei lá eu se não pagaram à vista.

Quando comprei a minha (confesso: tenho duas bolsas da agnes b. cujo preço das duas nem chega a um quinto de uma Louis Vuitton), paguei quinze mil com dor na carteira, mas afinal, a outra que possuo já estava quase dando no que já tinha que dar, mas ainda continuo usando a mesma pra ir trabalhar, quase todo santo dia.

E quando perguntam pra mim porque não compro uma bolsa "de marca" já tenho a resposta: pra quê, se estou com um 525 (leia-se um carro BMW série 5) na garagem de minha casa?

4 comments:

  1. Muito interessante....um BMW na garagem e um MOVA na bolsa haushua!
    Só a Kikki mesmo....Mas eu se gostar compro mesmo independente da marca ! Afinal, trabalhamos pra quê??? Uma carteira da Prada hoje, um óculos de sol da D&G amanhã hauhsuah

    ReplyDelete
  2. Oieeee
    Grupos tb podem se encaixar em marca? Tipo Jpop e Kpop? Eu prefiro Kpop ! Aqui esta o álbum...mas quero ver encontrar esse na versão Korean....http://www.towerrecords.co.jp/sitemap/CSfCardMain.jsp?GOODS_NO=1621737&GOODS_SORT_CD=101

    Yoroshiku

    ReplyDelete
  3. ahh copie e cole no seu navegador..nw eh virus! XD

    ReplyDelete
  4. Prezado Leo:
    grupos não se encaixam em marcas, quanto mais famosos, bom, nem sempre são melhores, porém se forem de good quality a gente aceita ahahah
    Se meu pobre PC der pane...

    ReplyDelete