Friday, January 04, 2008

Comilança Informatizada

Quem trabalha em um escritório ou tem um computador em casa, sabe muito bem do que se trata. Assim como eu, você e a vizinha do andar térreo, temos a dita mania de ficar beliscando algum petisco enquanto consegue teclar, não exatamente ao mesmo tempo, mas tem gente que sei que consegue.
Até agora não sei de onde veio a (péssima) mania de ficar comendo enquanto se tecla. Ou bebendo. Ou as duas coisas. No meu serviço, bem que tento, mas quando um chocolate aterrissa na minha mesa, para alegria do meu estômago e tristeza do meu teclado, fica impossível resistir aquele petisco empacotado num papel celofanado. Em menos de segundos, só se vêem papéis amarrotados na cesta do lixo. Além da embalagem, uma ou duas folha de lencinho de papel que todo dia ganho da mocinha que fica diante da estação para divulgar alguma loja ou game center, que seja...
Claro que na hora do "pega pra capar", quando o telefone toca sem parar, fica impossível comer algo. Ou ter uma bala na boca, ato não recomendável quando se pega algum cliente com o ânimo exaltado e na hora do nervosismo a bala escorrega garganta abaixo, provocando uma tragicômica situação de crise de tosse a fim de, ou expelir a dita ou engolir de vez. Resolvido ou não o assunto, toca ir para a cozinha e trazer para a mesa uma xícara, digo, uma caneca de café sem açúcar pra ver se acorda de vez.
Quando faço plantão aos sábados, geralmente não tenho pausa pra almoço, mas minha mesa vive com um pacote de biscoitos ou um pão recheado e uma garrafa de suco. Ou café de alguma cafeteria que fique perto do local do trabalho. Não aconselhamos batatas fritas ou pipoca, pois as pontas dos dedos ficam engordurados e o teclado fica uma meleca só! Argh!
Já teve casos que alguém deu banho de Coca-Cola, café, ou alguma iguaria líquida no coitado do teclado. E que vez por mês a gente vai limpar o teclado, pois quando a gente sente que está meio que travando, a gente resolve passar o ar comprimido e o que a gente vê é um monte de migalhas de biscoitos e pão. Se bobear até uma miçanga que descolou da unha decorada (difícil acontecer, imagine teclar com aquelas unhas decoradas a la Ayumi Hamasaki...). Não sei como nunca apareceram formigas naquele prédio, a não ser que nós somos aquelas formigas. Daquelas esganadas mesmo.
A coisa não muda em casa. Sempre quando estou teclando alguma coisa, geralmente tem um saco de batata frita ou um xícara de café. Ou as duas coisas juntas. Só tomo cuidado para não entornar a dita xícara no teclado, pois já ouvi cada história....
Agora, por que essa compulsão de comer e digitar ao mesmo tempo? Tem dias que consigo ver o noticiário e digitar ao mesmo tempo.
O negócio seria investir num PC com TV junta? Meu Deus, haja money pra tanta coisa!
Pensando melhor, estou pensando em estourar uma pipoquinha. De microondas, claro. Ah, sim. E um café com leite pra digerir isso...

Este texto é uma reedição. A autora está tentando se recuperar das guloseimas que andou comendo durante o curto feriado de final de ano. Mas ela retorna em plena forma a partir do dia sete de janeiro.

No comments:

Post a Comment