Saturday, April 18, 2009

Compacto em tudo (menos o preço)

Que aqui no Japão as ruas são estreitas, existem postes no meio da rua, o espaço pra ter que estacionar é disputado e garagem custa uma nota, eu já sabia muito antes de eu vir para cá. Digo a verdade: quando tirei a (não tão) sonhada CNH quando tornei-me maior de idade (só isso, porque de altura, deixa pra lá...), só tive carro de tamanho o suficiente para não me enrolar em baliza de estacionamento. Acho que o maior carro que eu já tive até enquanto estava no Brasil, foi uma Parati.

E olha que esse carro não é tido tããããão comprido como se imagina. Mas eu sofria muito para estacioná-lo....


Depois de um ano e pouco que cheguei aqui, por insistência do então futuro marido kinguio, transferi minha CHN azul-com-validade-quando-entrar-na-casa-dos-enta para o famigerado "menkyo torokosho" com foto-que-nunca-fica-bem-em-documento-algum-nem-com-photoshop. Por meio ano ficamos no revezamento de guiar (leia-se: mais o kinguio que eu) o primeiro carrinho que tivemos no primeiro ano de juntamento: um Honda Ascot ano 1989.


Não é a foto da autora, mesmo porque eu não tenho um pra contar a história.

Não parecia ser "carro de velho", mas depois de ter a ventoinha do motor quebrado (o que nos rendeu vexames homéricos no centro de Odawara) e o vidro traseiro estilhaçado de forma misteriosa, que até hoje a gente não sabe porque, passamos para um outro, digamos, menor mas que três vezes por mês - ou mais - tinhamos que bater ponto no posto de gasolina perto de casa.

Sim, tivemos um carro que muito boyzinho de nossa época queria ter, mas na versão GTR e turbinado: um Nissan Skyline GT 2.0. Só que nosso carro - que aguentou a gente por longos oito anos - era a versão mais "comportada": preto, não-turbo, mas impecavelmente parecendo zero-quilometro.


Quando, há dois anos atrás resolvemos trocar o carro (já contei neste sítio como foi), juro que eu pensei num carro menor, que fosse mais fácil de estacionar, de manobrar nessas ruas estreitas e com postes no meio. Mas não...

Bom, não posso reclamar, pois carro é bom, facilita em tudo e a gente pode sair sem se preocupar "ai, perdi meu último trem pra casa", mas se fosse depender de mim, eu compraria um VW Golf (meu sonho de consumo), ou um Smart, ou um Mini... mas o carro que foi lançado recentemente, o Tata Nano, bom...

Uma coisa eu digo: carro por mais compacto que seja, barato nunca foi. O Mini, por exemplo, ninguém dava um centavo, até que Paul McCartney apareceu com um. Daí pro pessoal querer ter um foi um pulo. E o preço...

E o Smart, aquele carrinho da Mercedes-Benz que, toda vez que vejo um na concessionária perto de minha casa, acho que vai desmontar todo quando anda a 50 km/hora? No Brasil, o carro seria ideal se não fosse o preço.

Como eu diria: carro compacto, preço expandido...


Tata Nano, Smart ForTwo, Toyota Ractis e Mini (só que o motorista infelizmente não vem incluido).

No comments:

Post a Comment