Sunday, September 27, 2009

"Silver Week" ou Respeito aos Idosos

A semana demorou pra passar, pelo menos foi a impressão que eu tive. Até pra chegar a hora do show de ontem, a hora não passava nem com ferro. Enfim, esta semana, como poucos sabem (inclusive a lesada autora deste sítio), ficou conhecida como "Silver Week". Que significa? Vamos lá...

Se aqui tem o "Golden Week" porque não o "Silver Week"?

Do dia 29 de abril a 5 de maio, dependendo do ano, todo mundo que mora no Japão está cansado de saber que esta semana se chama o "Golden Week" pois seria um dos feriados mais prolongados de todo o ano. Acho que cheguei a explicar como era...

Pra quem está com preguiça de procurar, ou não lembra, explicando novamente...

Do dia 29 de abril a 5 de maio, é chamado de "Golden Week" pois, dependendo do calendário e de cada empresa, acaba sendo um dos feriados mais longos que o Japão já teve. Cai durante a primavera, o pessoal aproveita esse feriado que acaba ficando prolongado e viaja pro interior, exterior...

Ah, sim. Os dias de cada feriado da semana....

Dia 29 de abril, era o aniversário do imperador Showa, Hiroito. Mesmo depois de sua morte, em 1989, o feriado manteve. Tido como o imperador que mais permaneceu no Trono do Crisântemo, mesmo na derrota durante a Segunda Guerra, Hiroito ainda continua sendo lembrado como o imperador que mudou a época. Mais conhecido também como "Dia do Verde", já que o imperador era amante da natureza.

Dia 3 de maio, dia da Constituição Japonesa, feriado desde 1947.

Dia 4 de maio, não tem comemoração específica, mas foi criado para que o Golden Week se tornasse uma semana de feriados contínuos ( kokumin no kyujitsu). O famoso "emendar feriado", pois...

...Dia 5 de maio é o dia das Crianças. Antes era conhecido como "Dia dos Meninos", devido as meninas terem o "Hina Matsuri" mas não é considerado feriado. Neste dia, os pais estendem nas varandas e quintais das casas os "Koinobori", pipas em forma de carpas, reprensentando a força e saúde.

Refrescado a memória, voltando a vaca congelada, como eu digo sempre.

O "Silver Week".

Pois bem, esta semana que passou, do dia 20 a 23 de setembro ficou conhecida como "Silver Week": dia 20, como caiu domingo, seria folga do mesmo jeito (pra alguns); dia 21 feriado do dia de Respeito aos Idosos; dia 23, o início do Outono (sim, é feriado nacional assim como no dia 20 de março que seria o início da Primavera). E dia 22? Como dois feriados nacionais ficou um intervalo, eis que resolveram emendar (vide explicação anterior). Estão pensando que é só no Japão que não fazem essas coisas?! E por que "Silver Week"?

Sei que, quem tem mais de sessenta anos vai me bater, mas "silver" vem de prata. Ou também um eufemismo japonês pra dizerem pessoas acima dos sessenta (devido a cor dos cabelos, que lembra algo prateado, mas como já vi várias senhoras e senhores com o cabelo devidamente tingido de lilás, azul, rosa e verde, bem, esse eufemismo pode perder o sentido)...

Como o feriado acabou iniciando dia 19 de setembro (sábado) e foi até dia 23 de setembro (quarta), imaginem o fluxo de pessoas e malas nas estações, aeroportos, estradas... Quem pensar que no feriado, os trens estariam menos cheio, ledo engano: mais lotado que em dia de semana qualquer, em horário de pico. Imaginem o Tokaido ou Yamanote lotado as oito da manhã num dia de semana qualquer. Agora imaginem o que falei incluindo malas e crianças.

Vira o caos generalizado.

E as estradas, ainda mais que o pedágio, depois dos 100 primeiros quilômetros, fica mil ienes (se tiver o famigerado cartão e aparelho ETC...), ficam congestionadas, trânsito parado e acidentes adoidados. Sério. Pra falar a verdade, eu e namorido kinguio preferimos nem chegar perto da estrada num feriado assim. Mesmo porque já faz muito tempo que eu nem sei direito o que é um feriado prolongado (final de ano eu nem conto). Como sábado e domingo são dias tido como feriado, aproveitamos estes dias.

Vou apanhar, eu sei que um dia chegarei lá, mas não tão lesada assim, mas gente idosa no volante, perigo constante. Sério. Quem dirige aqui, enfrenta trânsito todo dia, vai entender porquê. Graças a Deus, meu pai tem uma saúde de ferro pela idade que ele tem, dirige carro ladeira acima e morro abaixo na cidade, apesar de detestar guiar na cidade grande (leia-se: cidade como São Paulo), que ele se estressa. Mas nunca, nunca em cinquenta anos que ele possui carta, bateu o carro. Só bateram nele, mas nada aconteceu com ele, mas o que lhe causou uma bela duma dor de cabeça (de falar com a seguradora, com a concessionária, com a oficina, com a causadora do acidente)...

Pra entender o trânsito aqui, tem que ter habilitação (dããããã...) e dirigir. Quem está acostumado com o trânsito estressante de São Paulo, acaba tendo o dobro do estresse aqui. Isso eu explico oportunamente, podem me cobrar. Imagine se é gente idosa, acima de 75 anos guiando. Sai de perto, se não quiser ter dor de cabeça em chamar a seguradora depois. Certo que gente nova ou mais ou menos da minha faixa etária, costuma fazer (muitas) barbeiragens, mas quando já vejo um carro com um adesivo laranja e amarelo, eu passo longe.

Motivos de sobra eu tenho. Tudo bem que eu não sou aquela às no volante, mas noção do perigo eu tenho. Sabido que uma parcela de cerca de 10% das pessoas acima de 70 anos que dirigem, sofrem de demência, já tomo meus cuidados. Mas talvez pelo excesso de zelo que temos ao dirigir, podemos causar um acidente sem saber. Estou falando sério...

Assisto diariamente aos noticiários, e quando acontece acidentes automobilísticos, uma boa parte envolvem pessoas acima de 70 anos. Um pouco falta de noção, outro pouco falta de reflexos devido à idade. Ou as duas coisas juntas. Meu pai falta pouco pros 70 anos, mas segundo ele próprio, ainda pega estrada para ir ao Hospital para seu check-up trimestral... e vai sozinho, pro desespero contido de minha mãe, e preocupação à distância dos três filhos (dois rapazes perdidos em Sampa e uma mulher em Yokohama).

Ah, falei no título que seria Respeito aos Idosos, né?

Todo mundo sabe e está cansado de saber que o Japão, a cada dia que passa, o contingente de idosos aumenta. Motivos não faltam: a população jovem escasseia pois não querem ter filhos. Principalmente as mulheres, na situação atual, elas estão enfrentando o mercado de trabalho. E a taxa de natalidade cresce em sentido inverso ao de taxa de velhice, se é que me entenderam. Aí começa: aumento de pessoas solicitando aposentadoria, aumento no valor de seguro saúde, seguro de vida...

Daí ao dia dedicado a eles.

Pra falar a verdade: pra mim, todo dia é dia pra todo mundo. Seja jovem, criança, homem, mulher, idoso ou idosa... E respeito, não precisa uma data pra isso. Digo que é uma virtude adquirida de acordo com a educação de cada um.

Ou de bom senso mesmo. Vide situações no nosso dia a dia. Como ceder seu lugar a uma pessoa idosa, dizer bom dia...

Mesmo sabendo que muitas vezes a recíproca nunca é a mesma. Sinceramente? Tem gente idosa que abusa. E como.

... já vi furarem a fila do ônibus sem pedir licença...
... chegam a dar cada bolsada na gente em liquidação de alguma coisa...
... atropelam - sentido literalmente falando - com o carrinho do supermercado pra pegar o caixa que tem menos fila. Lembrando que o carrinho só tem um item.

... nem agradecem a gente por ceder o lugar pra eles...

... e quando a gente cede, é recebido na pancada. E isso não estou exagerando: um belo dia de semana, indo pro trabalho, oito da manhã e o Tokaido (trem cuja linha pego todo santo dia e noite) lotado feito lata de sardinha. Um rapaz, que estava sentado no assento "preferencial", foi ceder o lugar a uma idosa. Naquele aperto todo. Não sei se foi erro de interpretação, pois a senhora (devia ter uns 80 anos, acho) tinha acabado de entrar e o rapaz estava justamente na posição parecendo sentar, sendo que ele estava era se levantando. Resultado: a senhora que pensei que fosse aquelas bem velhinhas desceu a bengala no rapaz que estava tentando ser gentil e o pobre coitado saiu do trem chorando de dor, nem vendo se a estação era onde ia realmente descer.

Quando falaram a ela que o rapaz estava era cedendo o lugar e não tomando, fez uma cara de "nem tô nem aí".

Depois ficam falando que a juventude de hoje cresce revoltada...


(Post de hoje sob cortesia do selo oferecido por Elisa - do "Elisa no Blog, Uma Brasileira no Japão" - falando sobre... sinceridade, o que muitas vezes, minha sinceridade em excesso pode me causar dores de cabeça...)

1 comment:

  1. coitadinho do rapaz,acho q ele teve vontade de pegar a bengala e meter nessa velhinha que alem de mal educada eh maligna,ahhahah!!!
    tem velhinhos q sao um doce,mais quando a gente encontra com os que sao pior q fel sai da frente!
    beijaoo.

    ReplyDelete