Thursday, December 03, 2009

O Cara por trás das câmeras

Ou: as tardes de domingo jamais serão as mesmas.

Ok, ok. Eu confesso mais uma: quando ainda estava no Brasil, nos domingos chuvosos ou de extrema preguiça quando acordava quase com o sol se pondo (devido a saideira no dia anterior com a galera do trabalho), eu assistia os programas da tarde. Morar no interior tem o lado meio ruim pois não tinha o que fazer nas tardes de domingo. Hoje, sinceramente, não sei, e nem adianta perguntar pros meus irmãos, pois eles estão felizes (?) morando na "cidade grande" (ou em Sampa City, melhor dizendo).

Alugar filmes no final de semana era e continua sendo a pior opção, pois o pessoal na sexta-feira já passava na locadora e encomendava todos os filmes recém lançados e sobravam aqueles que nem de graça e pagando pro expectador assistir, assistia.

Desde criança, o programa do Seu Sílvio (o homem do baú, do microfone chumbado, o mito) alegrava nossas tardes modorrentas de domingo de interiorzão de primeira (porque se engatasse a segunda, já estava saindo da cidade). Desde o Qual é a Música até o Show do Calouros eu acompanhava. Bons tempos aqueles. E claro, a voz inconfundível do locutor Lombardi, que ninguém tinha visto seu rosto. O que gerava aquela aura de mistério.

Eu achava que alguma revista de fofoca tivesse já entrevistado e tirado alguma foto enquanto estivesse distraído, mas senhoras do salão de cabelereiro que eu frequentava, inclusive a dona do mesmo juravam de pés juntos que ninguém, mas ninguém mesmo tinha visto a cara do Lombardi. Se é que era o nome verdadeiro mesmo dele, pois o do seu Silvio não era.

A verdade é que o misterioso Lombardi, por contrato, não podia de jeito algum mostrar sua verdadeira identidade. Pra garantir o ibope de domingo. Teve um programa ou revista, não lembro, que mostraram a identidade do misterioso Lombardi, que seria um rosto na multidão, mas ele costumava dizer que melhor o anonimato que a fama. Certo ele estava.

Digo isso no passado, pois hoje, quando cheguei em casa, eis que leio na primeira página dos jornais on line que acesso diariamente e descubro que, além de Lombardi deixar sua marca registrada na memória de quem assistia ao programa Silvio Santos, as tardes de domingo jamais serão as mesmas...

3 comments:

  1. Não sou muito de tv brasileira hoje em dia... mas claro que a voz do Lombardi marcou uma geração!!!

    Afff... nem me fale das locadoras, nunca conseguia pegar o que queria rsss...

    beijos

    ReplyDelete
  2. Lombardi. Era uma figura mitológica. Quando eu trabalhava na Manchete foram gravar uma entrevista com ele. Foi a única vez que o vi, de relance. Um cara bonachão, com um sorriso enorme, uma simpatia.
    Ninguem tirou foto (até porque naquele tempo não existia nem celular, máquina digital rs). Mas a curiosidade foi geral. E o carinho por ele, tamanha a simpatia com a qual ele tratou a todo mundo. Acho que por isso as emissoras concorrentes respeitaram a ocultação da imagem do Lombardi. Para não quebrar o mistério e prejudicar aquela pessoa tão simpática e de tão bom coração.

    Tapes gravados, chegou a hora da edição. E nenhuma imagem do Lombardi registrada, apenas a voz.
    Mas pelo menos de longe eu o vi.
    Vai deixar saudades e é mais um que não deixa herdeiros.

    ReplyDelete
  3. Gesiane, realmente, a voz do Lombardi vai ficar na memória de quem viveu os bons tempos da tv.

    Alexandre, sorte teve você de ter visto o Lombardi ao vivo, mesmo sendo de relance. Eu imaginava mesmo o Lombardi sendo aquele italianão tutti buona gente, sabe?
    E realmente, vai deixar saudades mesmo.

    Beijos a todos e todas!

    ReplyDelete