Monday, January 11, 2010

Frases da Nossa Infância

Ou: mesmo depois de adultos, ainda elas são válidas...

Quando eu era criança, meus pais lançavam mão de frases que, se bobear, ainda a gente acaba ouvindo mesmo depois de adulto. Sim, mesmo quase chegando na casa dos "enta", já com relacionamento mais do que firme mais de uma década, ainda ouço frases, seja da cara-metade que me aguenta, seja de terceiros, como...

Estão pensando que dinheiro dá em árvore? Era frase típica do meu pai até quando ainda morava com eles. Mesmo eu trabalhando, ganhando meu suado salário em dupla jornada que fazia, às vezes tinha que recorrer ao auxílio-paterno para pagar algumas contas, geralmente envolvendo meu velho mas forte Gol milho, ops, mil: conserto, imposto e duas multas que levei por excesso. Mas antes pedir este auxílio do que ficar devendo.

Eu não sou sócia da CPFL!!! Ou a companhia de energia elétrica de sua época. Na minha, não era a Light, mas eu ouvi de muitos amigos cujos pais falavam pra generalizar. Sabe como criança (jovem, adulto...) é: liga todas as luzes, deixa o televisor, qualquer coisa que envolva eletricidade ligado e esquece de desligar quando sai do recinto. E como energia elétrica tem que pagar... Pelo menos até hoje a frase é utilizado em casa quando esquecem a luz acesa na hora de dormir. Eu, por exemplo...

Mas eu não falei que era pra trazer o troco? Aqui, não funciona exceto se tiver filho em fase de crescimento que, ao invés de trazer o troco, acaba comprando um petisco aqui ou ali ou aqueles cards de RPG que os meninos gostam. Mas no tempo em que eu estava no ginasial, os vendedores nunca hesitaram em dar troco para mim em balas. Pior que eu caía em todas. Mesmo na faculdade, eles insistiam em dar troco da média (tradução: café com leite e pão com manteiga) em balas. Se fosse a 7Belo, tudo bem, mas eram aquelas bem ordinárias, com vestígios de sabor artificial de hortelã.

Não me envergonhe diante das visitas... Quando as visitas vinham em casa, o ambiente parecia como se estivesse recebendo uma autoridade importante, ou um artista megafamoso: a melhor louça, as melhores guloseimas, até refrigerante (eu falei que refrigerante em casa era só aos domingos ou quando viessem visitas?). Eram pras visitas. A casa tinha que ficar impecável. Pras visitas. E usar a melhor roupa também. E ficar muda até as visitas irem embora. Sim, ficar caladinha, quietinha na cadeira e responder "sim" ou "não" balançando com a cabeça.

... E quando eu voltar, quero tudo no lugar! A casa onde morei até meus quase trinta anos não era muito grande, imagine morar com os pais e mais dois irmãos. Por falta de espaço e muita coisa guardada (leia-se gibis, brinquedos e tudo o mais), meus pais - principalmente minha mãe - tinham o seguinte lema em casa: tirou, usou, coloca de volta no lugar se não for usar, ler ou brincar mais. Porque depois vinha de minha mãe a famosa frase...

Eu não sou sua escrava! Que desarmava qualquer argumento vindo de nós. Como sou filha única mulher na família, cabia a mim ter que ajudar minha mãe nos afazeres domésticos. Na minha adolescência retruquei dizendo que meus irmãos também deveriam aprender a lavar, passar e cozinhar. Eis que depois que saímos da faculdade e conseguimos trabalho fora da cidade natal, meus irmãos até hoje vivem perguntando pra minha mãe qual o tempo certo de cozinhar feijão na panela de pressão ou se pode juntar as roupas de côr com as brancas na máquina de lavar...

Não mexe aí senão quebra! Criança sabe como é: gosta de "ver com a mão" como diziam As Garotas que Dizem Ni. E como ainda estávamos na idade em que a coordenação motora ainda está em fase de adaptação, nem precisa dizer que o prejuízo depois era grande. Pai do namorido kinguio nem levava ele e os irmãos para uma loja de louças quando eram crianças pois já sabia do efeito catastrófico. Ainda mais que eram em quatro rapazes com diferença pouca de idade entre eles.

E engole o choro! Depois de levar essas e outras mais broncas, a vontade de chorar era inevitável, mas vinha minha mãe lançar mão desta frase e ficar com o choro reprimido, senão as consequências seriam piores. Quando era criança, não via a hora de ser adulta, casar e ter que passar as frases para as próximas gerações, mas pela situação atual que nos encontramos, pelo jeito vamos ter que passar pros sobrinhos, isso se é que obedecem aos tios...

Nota: as maioria das frases citadas, constam também no site "Garotas que Dizem Ni", no artigo "Vou Contar Até Três!". Afinal, quem nunca, na infância-adolescência já ouviu pelo menos uma destas frases mencionadas?

4 comments:

  1. Pior que a gente ouve ainda muitas dessas frases! E mais algumas:
    Tá pensando que aqui é casa da mãe joana? (nem sei quem é essa véia)
    Tá me achando com cara de quê? (nessas horas, dá vontade de responder né)etc e tal.

    Mas sabe quais frases que me irritam? Aquelas frases engraçadinhas que são totalmente sem graça e tem gente que ainda insiste em ficar repetindo na sua orelha:
    "É pavê ou pácumê"?
    "Recheio de boi ralado"
    "Revista "Óia" (Veja)"
    e por ai vai.

    Off topic: Assistiu Dalva e Herivelto? Achei super legal, cheio de coisa véia que nem a gente gosta rs. Mas foi muito bem feita, caprichadinha. Bjos

    ReplyDelete
  2. Cresci ouvindo a maioria... principalmente da cia de energia elétrica hahaha... culpa dos meus banhos!!!

    ReplyDelete
  3. Ahahhaha eu já ouvi todas, exceto pela CPFL, pq eu me lembro da Eletropaulo rsss.... eu lembro do lance da mãe Joana, achava q poderia fazer zona na casa de alguém chamado Joana rss ainda bem que não conheci nenhuma mãe que chamava Joana, imagina o barraco que faria na casa dela? rsss... Lembro de uma bem pior, minha mãe me perguntou uma coisa quando eu era pequena e não respondi ai ela ficou irritada comigo e falou: eu perguntei, vc não escutou? Eu respondi que sim e ela: pq não respondeu então? Eu disse: pq vc disse que não posso responder para os mais velhos... Ai ela caiu na risada... Me chamou de BAKA >< rsss

    KIsu!

    ReplyDelete
  4. Bah, a da "socia da Light" era do pessoal da minha época (como você sabe minha idade, então é explicável). Agora, a de "não devo responder aos mais velhos" nunca ouvi. ahahahah
    Mas a maioria das frases eu ouvi durante minha infância. O pior que até hoje ouço algumas...

    ReplyDelete