Friday, January 08, 2010

Lembranças de um passado que nunca mais voltará

Lendo um post recente da (sempre presente nos comentários) Bah, sobre lembranças do nosso passado. Existem fatos que vivemos que por mais que tentamos reviver nunca mais será a mesma coisa. Perde-se aquele encanto que só quem viveu sabe dizer, pois cada um tem um tipo de lembrança a ser rememoriada. Lembrar sim, mas reviver, na minha opinião é difícil (não digo impossível, pois senão vai ter muita gente reclamando).

Nas minhas férias escolares de verão, o mais inesquecível foi aos nove anos que amarguei janeiro inteirinho de cama devido a uma hepatite que contraí. Por um lado bom, foi a época que mais pedi pro meu irmão trazer livros da biblioteca. Acho que li quase toda a série do "Sítio do Pica Pau Amarelo". Li muito gibi e assisti muito desenho animado, quando não tinha o pessoal do policitamente correto e me matava de rir com os desenhos do Pica Pau. O lado ruim era que passei trinta dias tomando sopa sem sal, chá com bolacha e neca de chocolate.


Sabe aquela conhecida frase "éramos felizes e não sabíamos"? Minha infância foi a mais normal possível. Certo que muitas décadas atrás internet só em sonho, brincar na rua era seguro, os programas infantis educavam, brincar de casinha (no meu caso) era normal. Comparado com a das atuais crianças que ouço falar, confesso que a minha poderia chamar não de normal, mas de ingenuamente normal.

Domingo, depois da missa, era normal eu e meus colegas irem na matinê e depois tomar sorvete na pracinha. Matinê eu quero dizer, cinema. Pra assistir aos desenhos da Disney. A gente só podia fazer isso se nos comportamos durante a semana toda, tiramos notas boas na escola...

Lembrando também das viagens que fazíamos mensalmente para a casa de meus avós, que moravam a duas horas de casa. Reuníamos os primos e passava o final de semana lá, já que a maioria dos meus primos moravam na mesma cidade que meus avós. Com direito a comida feita em fogão a lenha. Ah, é: meus avós moravam em um sítio...

O passado não volta e revival nunca é e será a mesma coisa.

3 comments:

  1. Eu tive uma infância bacana, tenho saudade. Era ainda como a sua, de ler gibi, brincar na rua, fazer arte, se divertir. E fugir para o sítio da Batian e morrer de brincar na terra, com os bichos, comer fruta no pé...
    Na tv era só um pouco de desenho e campeonatos de Atari. A Xuxa ainda não era a Xuxa, era meio "Xoxa"... com seu programa na Manchete.
    Hoje fico um pouco triste de ver as crianças no Brasil. Vejo pelos meus familiares. As crianças sempre presas em casa, por causa da violência. Erotizadas muito cedo. O mundo eletrônico como forma de diversão e única forma para muitas.

    Saudades da infância boa...

    ReplyDelete
  2. Alexandre, realmente nossa geração foi bem saudável e ingenua. Do tempo mesmo em que brincar na rua era seguro. Só faltava a gente falar da lembrança dos nossos pais que costumavam falar quando a gente largava a tv ou a luz acesa: "Tão pensando que sou sócio da Light???"

    Realmente, saudades mesmo da infância boa que tivemos...

    ReplyDelete
  3. LEGAL SEU BLOG !
    VENHA REVIRAR MEU BÁÚ UM ABRAÇO

    ReplyDelete