Sunday, January 24, 2010

[Discoteca Básica do Empório]: "Arquivo" (o melhor dos Paralamas do Sucesso)


Tinha postado sobre o rock brasileiro nos anos 80 e alguns grupos que ganharam destaque na época. Alguns continuam em plena atividade, mas não em plena forma. Outros acabaram por desfazerem por motivos variados (envolvendo até falecimento). Outros foram os chamados "one-hit wonder", do tipo, sucesso de uma música só. Um dos grupos que surgiram na chamada "novo rock brasileiro", que ainda está em plena atividade e exemplo de superação, seria o trio Paralamas do Sucesso.

Embora dois deles tivessem se conhecido em Brasília devido aos pais serem do governo, o trio carioca formado por Herbert Vianna, João Barone e Bi Ribeiro começaram em festas universitárias e clubes. O nome pode soar estranho (mas foi melhor do que pensaram inicialmente - "As Cadeirinhas da Vovó"), muito embora o cartaz que anunciava o primeiro show oficial da banda era: "Western Club vergonhosamente apresenta Os Paralamas do Sucesso. Rock".
O primeiro sucesso do grupo - "Vital e Sua Moto" - era uma historinha quase verídica. Vital realmente existiu, era o primeiro baterista, e no primeiro show universitário, faltou na apresentação e João Barone entrou em seu lugar. Aí ficou a formação que até hoje está, fazendo shows pelo Brasil afora e com novo album, mesmo depois do acidente que deixou Herbert paralítico, mas tamanha foi sua força de vontade em viver que ainda continua compondo e cantando (lembrando que por pouco não morreu, ficou em coma, e achavam que nunca mais seria o mesmo).

Devido ao estilo de música que faziam no início de carreira, alguns críticos de "revistas especializadas" rotularam o trio como "subprojeto do power trio inglês The Police". Não porque os Paralamas era um trio, mas por usarem ritmos caribenhos, como o ska, reggae junto com o rock, assim como trio inglês fazia. Não importa: o trio brasileiro chegou a ter repercurssão nacional - fazendo parte do "quarteto sagrado do rock brasileiro" (os outros três são Barão Vermelho, Titãs e Legião Urbana) e internacional (um dos poucos a irem no festival de jazz de Montreaux, na Suiça).

A coletânea "Arquvo", de 1990, compreende até a fase "Big Bang", mas o auge do sucesso do trio, incluindo as então inéditas "Caleidoscópio" (que muita gente conhecia na voz de Dulce Quental) e "Será que vai chover" (gravado ao vivo no festival de Montreaux), as românticas "Me Liga" e "Quase um Segundo", as quase verídicas "Vital e Sua Moto" (vide o segundo parágrafo), "Oculos" (no início de carreira, Herbert usava óculos, depois operou para corrigir a miopia e desde então meio que abandonou o acessório) e "Meu Erro" (na época que saiu com a vocalista do Kid Abelha, Paula Toller). Inclui também as "de protesto" como "O Beco", "Alagados" (o vídeoclipe mostra a realidade do nosso Brasil il il), "Selvagem".

Curiosidades:

- O trio acabou sendo "padrinhos" da banda Legião Urbana. Tudo porque o baixista Bi Ribeiro era aluno de Renato Russo nas aulas de inglês e acabou apresentando o quarteto para a mesma gravadora deles (a EMI-Odeon);

- No início de carreira, o trio ensaiava na casa da avó de Bi Ribeiro. Ela nem se importava com a barulheira que eles faziam mesmo a vizinhança reclamando a ponto de chamar a polícia. Ia escondida do neto assistir aos shows do trio no Circo Voador. Daí a música "Vovó Ondina é Gente Fina".

- O show de 1985, na edição do Rock in Rio, foi um dos melhores do trio, que no início ninguém acreditava ter escalado um grupo que nem estava vendendo tão bem assim...
Para relembrar :
"Novidade", do álbum "Selvagem?", tem co-autoria de Gilberto Gil.
"Oculos", do álbum "O Passo do Lui", é uma auto-ironia de Herbert Vianna, que realmente usava o acessório. Depois fez cirurgia pra corrigir a miopia.
"Melô do Marinheiro", video feito para o programa "Fantástico" nos tempos que o programa era bom e ninguém sabia.
"Você", roupagem nova para uma música antiga, do Tim Maia.
Na Rede Cultura, no programa "Arquivo - Trama/Radiola", uma apresentação dos Paralamas do Sucesso no extinto programa "A Fábrica do Som", gravado no SESC Pompéia, de onde também os grupos Titãs, Ultraje a Rigor e muitos outros. No show, apresentaram as músicas "Vital e Sua Moto" e "Química" (que também foi regravada pelo Legião Urbana).
Falha minha: o Festival de Jazz de Montreaux fica na Suiça e não na França. Já fiz a devida correção....

9 comments:

  1. o paralamas do sucesso é uma das melhores do brasil,com certeza,gostei das curiosidades,nao sabia delas.
    beijaoo.

    ReplyDelete
  2. E mesmo depois do acidente, Herbert se superou. Ouvi as ultimas musicas deles e nao perderam o pique!
    Beijos!

    ReplyDelete
  3. Ontem mesmo procurei no video google e encontrei o filme "Soylent Green". Putz, muito sinistro! Nao tem como assistir e depois nao questionar a procedencia de tudo o que a gnt come. Pior que acabei de comer uma barrinha de cereal sabor chocolate parecida com o Soylent... vlw pela dica!

    ReplyDelete
  4. Nossa e pensar que nem foi tão longe tudo isso rs... Eu fui a um show dos paralamas quando eu tinha uns 16 anos. Foi no Ginásio do Ibira, tava no auge. Adorei aquele dia... Mas poxa, na hora que eu penso q eu tinha 16 anos e agora eu com 30 foi há mtooooo tempo rs... E o show que eu nunca pude ir e lamento é da Legião...

    Kisu!

    ReplyDelete
  5. Deu saudade ao ler esse post...
    Vi um show dos Paralamas em SP, foi tão legal.
    Era moleque ainda... os discos gastavam de tanto ouvir.
    Era uma época boa né? Bom pop que o Brasil fez...

    ReplyDelete
  6. E vi o vídeo da Fábrica do Som... eu fui no programa algumas vezes (mas não vi os Paralamas e sim os Titãs ainda no começo...) Muito legal.

    Adorava os programas...ia com amigos assistir alguns, principalmente o Enigma. rs

    Saudades boas...

    ReplyDelete
  7. Esse post está o máximo, cheio de informações. Não sei onde vc consegue!
    O Ale e a Bah foram a shows do Paralamas!
    Que incrível, eu nunca fui.
    beijo
    Elisa

    ReplyDelete
  8. MaiK, eu avisei pra ter estomago pra isso...

    Bah, sortuda é você morar em Sampa, pois quando Paralamas, Titãs, Legião & Cia. estavam no auge, dificilmente iam pro interior... Eu tinha que me contentar em ver na finada revista Bizz o que vinha de novo... E o ultimo show que a Legião fez (O Descobrimento do Brasil) foi um dos melhores que já fizeram... Parecia ser a despedida, né?

    Alexandre, você é outro que conseguiu até lembrar da Fabrica do Som!!! E o programa era bom e ninguém sabia, ô tempo bão aqueles, sô... Do tempo que falar que a gente empenava a agulha do disco de tanto tocar ahahahahah

    Elisa, pra ver como a gente perdeu muita coisa boa ao vivo... E quando eu estava na UNESP, era dificil vir pra Bauru grupos daquele tempo...

    Eu contei pra vocês que cheguei a escrever matéria de música no jornal da minha cidade quase vinte anos atrás? Naquele tempo internet era algo impensável e tinha que ser por livros, jornais, revistas, TV...

    Beijos a todos !!!

    ReplyDelete
  9. Paralamas é muuuuuito legal. Quando o Police veio aqui, não pude ir, pq na época eu era estagiária e duranga kid. Era a realização do meu sonho: Paralamas abrindo pro Police...meu consolo foi ver pela TV mesmo...
    Beijocas

    ReplyDelete