Thursday, March 18, 2010

O Lado Cultural de Um Café da Manhã


Desde que mudamos (eu e namorido kinguio) para a província de Kanagawa, há uma década atrás, quando resolvemos juntar as nossas escovas de dente e tentar uma nova vida (o que significa que, há uma década que ele me aguenta), comecei a frequentar mais eventos culturais da região. A começar pelo curso de língua japonesa, pois como eu já devo ter mencionado, cheguei aqui sabendo o básico do mais básico, mas hiragana e katakana ao menos eu tinha aprendido.

Fui descobrir o curso quando me escondia... ops, morava em Minamiashigara (*). Quem indiciou foi um grupo de meia dúzia de brasileiras que falaram de um curso para quem nada sabe ou tem noções básicas, mas era duas vezes por semana, às sextas-feiras à noite. Só que ficava numa cidade vizinha, o que não era problema: morávamos bem na divisa de duas cidades e o local das aulas era perto de casa. Frequentei o curso por três anos, conheci pessoas de outras nacionalidades (Peru, Coréia do Sul, Vietnan...), mas o mais engraçado é que as pessoas que me indicaram o curso resolveram não fazê-lo. Motivos, eu desconheço.

O curso foi bem proveitoso, muito embora fossemos em cinco pessoas mais a professora. O que pra mim já estava bom, pois dava para trocarmos idéias sobre o modo de vida de cada país. Ao término do ano de 2002, tive que mudar de cidade devido a mudança de trabalho. Acabamos por fixar residência permanente em Yokohama, o que nos animou muito. No quesito de diversidade cultural e de passeios. Muito embora estar sete anos aqui, eu conhecer mais o centro de Yokohama do que onde moro, acostumei-me com o way of life daqui.

Costumo ocasionalmente frequentar a Associação Feminina de Yokohama (ou Dansho Kyodo Sanga Center) e o YOKE - Associação de Yokohama para Intercâmbio e Comunicação Internacional. Numa destas minhas idas para o YOKE (que fica ao lado do Hotel Intercontinental, no Pacifico Yokohama) para encontrar um curso de língua japonesa pra quem está em nível intermediário, acabei por conhecer o evento "Morning Coffee".

O "Morning Coffee" seria literalmente um café da manhã como outros, com chá, café, sucos e aperitivos. O diferencial seria que nesta reunião, além de conhecerem outras pessoas de diferentes nacionalidades, tem eventos culturais. No que fui da semana passada, teve uma apresentação de música clássica de uma família de três pessoas (pai, mãe e filho) que estudaram na Universidade de Berlim (Alemanha). E essa família costuma fazer apresentações mensais em um local que fica na estação de Naruse.

Muito embora a maioria dos frequentadores sejam japoneses, eles têm convivência com estrangeiros, portanto, eles conversam em inglês também. Tento ao máximo comunicar-me em japonês mesmo, mas meu sotaque denuncia e como. Só que muita gente nunca imaginou que eu sou... brasileira! Bem, se partindo do que mostram nas TVs, eu não tiro a razão, mas não 100%.

Imaginem a cena: uma nikkei, made in interior de São Paulo, mais branca que boneco de neve em Hokkaido (quem manda a família ser de lá?), usando roupas discretas, já me confundiram com coreana, chinesa, até japonesa. Mas quando falo que sou brasileira, todo mundo sabe quais são as primeiras coisas que eles lembram né? (Sim, futebol, carnaval e Amazônia...) E acham estranho, pois o estereótipo dos brasileiros que estão acostumados a ver na TV, sabem como é...

Tirando esse fato, a ida ao evento foi proveitosa: após o desjejum, teve uma reunião com outros estrangeiros para discussão de temas variados. Tudo falado em inglês, para melhor compreensão entre todos, pois a maioria são de países da Asia do Oriente Médio. Principalmente mulheres. Daí imagina-se sobre o assunto em pauta: a vida no Japão.

Seria interessante ir nesses locais de Intercâmbio Internacional da cidade ou proximidades de onde moramos. Só pra constar, em Yokohama, onde moro, possui sete, tirando a sede do YOKE: em Kounan, em Kanazawa, em Aoba , Kohoku, Naka, Tsuzuki e em Hodogaya. Existem eventos e cursos para os interessados. No meu caso, o que peca é o tempo. Eu sei que vão dizer que "tempo a gente não tem, a gente arranja", mas pra quem trabalha direto e raramente está folgando aos finais de semana, eu teria que ser duas...

Antes que me esqueça: o evento "Morning Coffee" em Yokohama, é realizado no primeiro domingo do mês no Aoba International Lounge, ao lado da estação de Tana, linha Den-en Toshi, das 10:30 ao meio-dia.
(*) A cidade de Minamiashigara, ao sul da província de Kanagawa, é conhecida pelo fato de ser a cidade de Kintarou, que ganhou de um urso lutando sumô (tanto que o símbolo da prefeitura é o Kintarou estilizado), do templo Daiyuzan, uma das sedes do grupo FujiFilm e Fuji Xerox (trabalhei três na última), das montanhas... Apesar que a foto não tem NADA a ver com o post de hoje né...

5 comments:

  1. Que interessante essa ideia do café. Deve ser possível conhecer pessoas muito diferentes e interessantes não?

    ReplyDelete
  2. Pois sim, Desabafando. Uma pena que eles fazem uma vez por mês. Conheci pessoas do Vietnan, Coreia e Indonésia.
    Este final de semana vai ter um evento em Hodogaya, fica perto de casa. Como estarei de folga, irei rs
    Beijos!

    ReplyDelete
  3. Eu gosto de eventos assim. Encontros culturais, a gente aprende muita coisa. Uma vez estava na frente de um templo olhando umas árvores. E uma senhora me chamou para entrar. Ia começar uma reunião de várias pessoas. Fiquei sem coragem de dizer não, entrei.

    E foi lindo. Tinham várias senhoras contando suas experiências de vida. E todo mês elas se reunem... como era agosto, muitas contaram histórias da guerra, o sofrimento do pós guerra. Emocionante.

    O povo q te confunde com outra nacionalidade...qdo vc fala q eh brasileira, eles não te pedem pra sambar um pouco? ahahaha isso faziam direto com uma prima minha.

    Queria mto frequentar um Morning Coffee desses. Ai em Yokohama é legal pq tem muitas etnias diferentes, culturas variadas convivendo. Aqui onde moro é mais bras, peruano e um monte de asiáticos (a maioria ilegal, então não se misturam a sociedade por medo).
    Mto legal esse post. Bjos

    ReplyDelete
  4. Por que será que eu só fico sabendo das coisas legais depois que eu fui embora? rs Adorei esse lugar rs. Mas tipo assim, vc tá com o namorido 10 anos MELDELS rsss e não pensam em ter filhos?

    Kisu!

    ReplyDelete
  5. Alexandre, ainda bem que ninguém em sã consciência pediu pra eu sambar. O vexame seria maior para ambos os lados...
    O bom destes lados é que já conheci pessoas de diversas nacionalidades, mas só em eventos mesmo.
    Beijao!

    Bah, eu fiquei sabendo só depois de muuuuuuuuuuuito tempo esses eventos. Antes disso, ia nas aulas e só. Onde moro, não fazem esses eventos, mas onde fui, ainda bem que nao fica tao longe assim...
    Sim, vou fazer onze anos de convivência com o namorido mas filhos agora que não vamos ter condições (em todos os sentidos) de ter mesmo. Alem fator eu chegando nos enta e namorido já passou disso, temos a questao saude e socioeconomicamente falando, pois não basta ter um, tem que ter muita coisa alem disso...
    Beijos!

    ReplyDelete