Thursday, June 24, 2010

Limpeza

http://geekcats.com



Chega o dia da minha folga, o que seria o dia pra dormir até mais tarde, bater perna por aí, pegar um cinema, alugar um filme, ler um livro, no fim acabo acordando mais cedo do que o de costume, faço o que tenho que fazer e, se ninguém marca compromisso comigo, acabo saindo quase a tardinha. Aí o dia acabou e no dia seguinte começa tudo de novo.

Na verdade, como a novela da mudança de casa por enquanto só está nas pesquisas frustradas, o que eu estou fazendo de antemão - conselho de uma amiga minha que felizmente conseguirá mudar de casa no próximo mês - é uma limpeza geral no apertamento aqui em Yokohama. Sério.

Já bastou que namorido levou quase todas as roupas dele, os pertences pessoais e algumas coisas pro dia a dia (não, já falei que ninguém separou, terminou, deu ponto final no relacionamento), o que o guarda roupa ficou meio vazio. Na verdade, o problema vem de minha parte. Podem acreditar, mas é verdade: quase tudo o que temos no apertamento pertence a mim.

Desde abril, estou fazendo aos poucos uma limpeza geral em casa: desfazendo de objetos que não têm mais serventia, doando revistas, vendendo outras, repassando roupas para quem precisa... Não li o livro que fala de cinquenta coisas para serem jogadas fora, mas bem que eu preciso, pois seria uma orientação para organizar melhor aqui.

Revistas: Dependendo do estado em que elas estavam, algumas doei para o Forum Feminino que fica em Totsuka, onde me escondo. Outras, acabei levando na rede da "Book Off", onde eles pagam não lá aqueeeeeeeeela fortuna, mas convenhamos: já compramos muitos CDs e singles perdidos nesta rede. O problema é que, revista que tem artigo que me interessa, está guardada nas caixas de arquivos... Agora, revistas gratuitas que às vezes a lesada aqui costumava pegar nas lojas de conveniência e afins, acabam indo para reciclagem de quinta-feira aqui onde moro.

Jornais e panfletos: Desde o ano passado não assinamos mais jornais (assinamos por três meses o Yomiuri Shimbun, na verdade, foi obra do também lesado namorido kinguio), mas quando recebia o Yomiuri, no final do mês deixava para eles recolherem, através da embalagem que eles enviavam no dia marcado por eles (Elisa, você que assina o Asahi Shimbun, confirma pra mim se eles fazem desta forma também.) Quanto aos panfletos que vivem deixando na caixa do correio, se for de pizza, só troco quando chega o novo. Muito difícil a gente pedir uma pizza via delivery, mas nunca se sabe. Agora, o resto (geralmente de compra de apartamentos, politica e mudanças), eu junto e jogo no dia de reciclagem de papéis... Quando não muito, uso para faxina geral de casa. Jornal é ótimo para limpar espelhos e janelas.

Roupas: Não serviu mais? Virou demodé? Manchou e não sai mais? Usou uma vez e encostou? Pra não ficar ocupando espaço no armário ou gaveta ou ambos, no meu caso, minhas roupas acabaram tendo as seguintes finalidades...

- Quando engordei, algumas delas acabei doando quando teve a campanha do Banco, alguns pares de anos atrás. O que achei que daria para engordar um pouco o meu piggy bank, acabei vendendo para um recicle shop. Não dá muito, mas ao menos alguém pode comprar ou dependendo doando mesmo.

- Uma determinada marca, faz a campanha de "traga sua roupa da marca x que não quer mais para doação" três vezes ao ano. Os recicle shops preferem roupas "de marca" mesmo, o que a marca determinada não é aceita lá. O que eu e namorido doamos de roupa dessa marca, não está escrito: ele, porque algumas camisas encolheram (nota: namorido usa camisa de mangas compridas) e eu, porque, bem, engordei.

- O que rasgou e não serviu mesmo para nenhum dos itens acima, acabaram virando pano pra limpeza doméstica e até pro namorido lavar e secar o carro. Ué, nada se cria, tudo se recicla...

Aceito também sugestões de como faço pra me livrar de uma impressora que enguiçou de vez, não tem mais conserto, já saiu de fabricação, ninguém quer nem de graça; um sofá-cama que está meio desbotado pelo uso; louças que uma lesada acaba ganhando de brinde quando faz compra acima de tal valor em determinados estabelecimentos; três estantes daqueles que nem custam mil ienes que um casal lesado ganhou de colegas que estavam de mudança definitiva para o outro lado do mundo, algumas dezenas de bichos de pelúcia ganhos via game catchers que um amigo lesado do lesado namorido acabou entupindo o porta malas do carro e no final entopem o meu nariz se eu fico uma semana sem passar o aspirador neles...

Na pior das hipóteses, onde encontro o livro (pode ser o original em inglês mesmo) chamado "Jogue Fora 50 coisas", de Gail Blanke? Esse livro, quem me indicou foi a (sempre) Elisa. Fui procurar e não encontro. Aviso: não é livro de auto ajuda, viu? Livro de utilidades domésticas, como otimizar seu lar, eu aceito.

Ilustração do artigo de hoje: tem um outro blog de quadrinhos que comecei a acompanhar chamado "Geek Cats". Pra quem adora felinos e quadrinhos, como a autora lesada aqui, é um prato cheio. Os três gatinhos que protagonizam o blog, existem de verdade sim!

9 comments:

  1. Ah, eu vivo fazendo arrumação aqui e doando várias coisas, nunca vendi nada mas sempre tiro muita coisa. É impressionante como vamos acumulando não? Confesso que fiquei interessada no tal livro! rsrsrs...

    ReplyDelete
  2. Arrumar a casa é uma arte. E o aproveitamentode espaços é outra arte. Uma vez minha sensei de nihongo fez uma viagem de volta ao Japão e resolveu arrumar a casa... Paguei o frete das coisas que ela não queria mais.

    ReplyDelete
  3. sempre faço essas limpezas. E toda vez que vou fazer novamente, acabo encontrando mais coisas para jogar fora...
    rsrsrs

    ReplyDelete
  4. Sabe que é bom a gente abrir espaço mesmo em casa, doar, reciclar.
    Tb faço isso de vez em quando senão...

    A impressora, essas coisas q vc não quer mais...aqui a gente leva para o recycle center do governo. Acho que ai deve ser do mesmo jeito... aqueles recycle center q tem área de lazer, piscina, etc. Aqui eles aceitam eletrônicos velhos, utensílios diversos, etc. E tem também umas carretas que passam e recolhem esses aparelhos antigos. São de particulares, não sei o que fazem com as tranqueiras.

    Q legalzinho o blog dos gatinhos.
    E o livro eu vou procurar pra ler tb
    bjs bom dia!

    ReplyDelete
  5. seu blog eh sensacional. seus posts otimos. adorei seu jeito de escrever, fluente e criativo.
    mas fiquei curiosa pra ver fotos suas.
    suuuper bacana voce estar tao adaptada aa vida no japao. muito legal voce gostar de atores, da musica e tal e tal.
    abraco,
    Kalina

    ReplyDelete
  6. Desabafando, o livro que mencionei, quem indicou foi a Elisa. Uma das vezes que nos encontramos, ela falou sobre o assunto de arrumação. Eu estou procurando nem que seja na versão original (pois as livrarias voltadas a brasileiros...)
    Só pra constar: no sábado, doei algumas roupas na campanha que uma loja faz... elas reformam e mandam para os países carentes.

    MP Kouhaku, aqui no Japão, nada se perde, tudo se aproveita mesmo. Inclusive espaço...

    Fabiana, é verdade: depois a gente se pergunta "meldeus! Cuméquié que fui juntar tanta coisa???" Teve um dia que encontrei a revista TV Guide com o Masaharu na capa e nem lembrava que eu tinha comprado?!

    Alexandre, o caso da impressora, aqui também passa o tal caminhaozinho, mas quando ele passa, sempre é o dia que NUNCA estou de folga :( Mas se eu for chamar o centro de reciclagem daqui de Yokohama, eu tenho que comprar o selo (até aí, tudo bem), mas o chato é ter que ficar marcando hora e local pra eles virem buscar ...
    Realmente, eu tenho que reciclar muita coisa em casa. As revistas "an-an" que tem assunto que me interessa, penso em destacar esses assuntos e encadernar.

    Kalina, fico feliz em me acompanhar. Mas não repare a bagunça não. Quanto ao fato de acostumar a vida aqui, depois de doze anos, ainda existem fatos que ainda cometo cada fora...

    Abraços e beijos e vamo que vamo!

    ReplyDelete
  7. Ui tá virando uma novela essa sua futura mudança hein? rsss eu aqui na expectativa capaz até de me aposentar e vc ainda não ter se mudado e ao invés disso eu tô vendo é vcs dois se separando, o kinguio levando as coisas embora... não pode deixar levar nada não... recolhe tudo de volta rs...

    Kisu!

    ReplyDelete
  8. Nossa...Me cansei só em ler,essas faxinas cansam né!
    A gente começa fazendo uma arrumaçãozinha em uma gaveta e quando vê o apato ta todo revirado,tira uma coisa aqui,coloca ali,dali põe outra lá...e assim vai!!!!
    Será q esse livro ajuda? Se for bom vc me diz,pq aqui em casa eu vivo em conflito com minhas arrumações, costumo guardar as coisas e depois sair a "CAÇA"delas...

    Espero que consiga terminar seu soji com sucesso!

    Bjs e otima semana p/ vc!!!!

    ReplyDelete
  9. Bah, não se preocupe que aqui ninguem pediu separação não, mesmo porque o carro está comigo rs
    Realmente, essa novela do apartamento vai dar no que falar, se fosse virar novela no Japao, pode ter certeza que nao seria o Kimura como protagonista hahaha
    Mas aos poucos a gente chega lá, eu espero!
    Beijao!

    Lilian, estou desfazendo aos poucos. Experiência propria: quando mudamos pra Yokohama, tivemos que brincar de quebra-cabeça, pois não foi fácil colocar os moveis que pertenciam a um apartamento 2ldk para 1LDK!!!
    Se eu encontrar o livro eu aviso!
    Beijao!

    ReplyDelete