Wednesday, June 30, 2010

[Discoteca Básica do Empório]: As 21 Músicas que o Namorido Kinguio Dela Ouve (e Repete)

Em onze anos que namorido me atura, fica óbvio que durante esse tempo um nunca vai esquecer as preferências de cada um. Ou quase nunca. Há quem ache estranho nosso way of life ainda mais agora que temporariamente estamos em cidades diferentes, mas nada impede que passemos de dois a cinco dias dormindo um na casa do outro. Tirando isso, quem acompanha este sítio sabe que estamos juntos há onze anos, o que é tempo pra chuchu.

A "Discoteca Básica" de hoje, é uma seleção das 21 músicas que namorido ouve, gosta e sempre quando pode, acaba repetindo a mesma música até cinco vezes quando a gente sai de carro pra passear, fazer compras, viajar, coisa assim, só pra me "torrar", mas fazer o quê...

Antes que me espanquem, eu aviso: namorido pra gosto musical é pior do que eu - ouve mais música japonesa do que estrangeira (brasileira até ele ouve, mas...), tudo pelo fato de 1) ser filho de japoneses influencia; 2) frequentava festas de kaikan direto; 3) pegou o boom da j-pop dos anos 80 e 90...

1 - Koi ni Ochite - Fall in Love (Akiko Kobayashi): Esse é o número um de repetições no CD-Player do nosso carro quando o CD que contém essa música toca. Se deixar, ele põe no modo repeat a viagem toda. Essa balada cheguei a comentar aqui. Confesso: eu também, se deixar, eu ouço mais do que uma vez quando estou dirigindo...

2 - Koibitoyo (Mayumi Itsuwa): Falei desta música no artigo sobre as músicas do karaokê, e outra que se deixar, namorido vive repetindo. A cantora e compositora infelizmente ficou mais conhecida com essa música, que apesar de tom melancólico, o refrão acaba tendo um impacto muito grande. Tem gente que até se assusta com o modo de Mayumi interpretar...

3 - Sol de Primavera (Beto Guedes): Pra ninguém ficar reclamando que namorido só ouve música japonesa, eis uma (de muitas) músicas deste cantor mineiro que ele ouve - em casa - quando está ao computador, respondendo e-mails, acessando ao noticiário e outras coisas mais (aham!). Quem tem maiomeno nossa faixa etária, vai lembrar das músicas de Beto Guedes, Lô Borges, Flavio Venturini... Bom para relaxar e esquecermos dos problemas do dia a dia...

4 - Kimi ga Iru dake de (Kome Kome Club): O clube do arroz, como namorido costuma dizer. Quem frequentava os kaikan de Sampa e interior (onde tivesse colônia nipônica) ou esteve ou está no Japão mais de quinze anos, vai lembrar desta música deste grupo mais do que eclético. Só que muita gente conhece esta música como "Tatoeba...", já que a música começa assim. Tem outra deste grupo que namorido adora, mas nunca conseguimos encontrar o single (mas temos o "Best of" )é "Roman Hikou" que foi música da campanha da Japan Air Lines, sobre Okinawa, em 1990 (nos tempos que a companhia era um dos orgulhos do país...)

5 - Donna Tokimo (Noriyuki Makihara): Uma das músicas "pra cima" de Noriyuki Makihara (Makki pros íntimos, eheheh), fica impossível não cantar junto, e também ai dele se não incluir no repertório de seus shows (e ai de mim se eu não coloco o CD que tem esta música no carro quando a gente viaja). Foi uma das músicas que marcou o auge de Makihara (1992 por aí), depois dos problemas com estimulantes, aos poucos voltou a mesma forma, muito embora não apareça tanto como nos anos 90 e do processo de plágio (que depois deu em nada) ao "usar" uma frase de uma fala de uma história do artista Leiji Matsumoto. Tirando esta música, outras favoritas do namorido é "Mou koinante shinai" e "Kita Kaze".

6 - Kanashimi wa Yuki no youni (Shogo Hamada): Embora não esteja tão high prolife como nos fins dos anos 80 e início de 90, Hamada chegou a compôr para Momoe Yamaguchi (antes de encerrar a carreira musical) e Akiko Wada. Ficou mais conhecido com esta música por ter sido utilizada em uma novela, em 1992 (e ano que namorido tinha voltado pela segunda vez aqui). A marca registrada de Hamada era o fato de sempre aparecer de óculos escuros, tal como Bob Dylan e John Lennon, seus ídolos.

7 - Rádio Pirata (RPM): Bem, aqui ninguém nunca negou a idade que temos... Pegamos o auge do rock brasileiro, na época pós-ditadura, onde surgiram muitos grupos e cantores que deram origem a nova roupagem na música brasileira, como Legião Urbana (favorito da autora aqui), Paralamas do Sucesso, Capital Inicial, Ira!, Titãs (favorito da Fabiana, eu conheci o grupo quando eles eram oito, tinha o Arnaldo Antunes e ainda se chamavam "Os Titãs do Iê-Iê-Iê")... Namorido também gostava destas bandas, mas uma das favoritas dele seria o quarteto RPM, cujo vocalista Paulo Ricardo era o sexy simbol naquela década (faz tempo, hein?). Dois melhores álbuns do quarteto a gente deveria ter, mas tá que a gente encontra: "Revoluções por Minuto" e "Rádio Pirata, o Show".

8 - Wine Red no Kokoro (Anzenchitai): Se MP Kouhaku, fiel frequentador na caixa de comentários estivesse aqui, com certeza iria a todos os shows deste quinteto que retornou recentemente. Liderado pelo evidente Koji Tamaki, o grupo nos anos 80 pros 90 emparelhou muitas músicas que caíram no gosto dos ouvintes. No início, foram banda de apoio para o cantor e compositor Yosui Inoue - que compôs junto com Tamaki a balada "Wine Red no Kokoro" (uma das mais famosas do grupo, inclusive tendo covers de artistas com Akira Fuse, Naoko Ken e Anri). Entre muitas idas e vindas, este ano o quinteto com sua formação original voltaram as paradas de sucesso com "Aoi Bara" (Rosa Azul). Esquecemos as confusões particulares que Tamaki teve (e tem) e voltemos a ouvir o bom rock japonês dos anos 80.

9 - Saboten no Hana (Kazuo Zaitsu): Namorido ouviu pela primeira vez em 1992 ou 93, nem ele lembra mais, em uma novela em que Yosuke Eguchi era o ator do momento, Masaharu Fukuyama era iniciante, Noriko Sakai nem pensava em se envolver com substâncias ilícitas - "Hitotsu Yane no Shita". Problema de namorido é que pra guardar nome de música e de quem canta, é um desastre, e pra encontrar o single da música, teve que arriscar: cantou um trecho pro balconista da loja de CDs... Quanto a música, era do antigo grupo de Zaitsu - Tulip - e que regravou para a novela.

10 - Shonan My Love (TUBE): Um dos grupos que namorido adora, ouve e se deixar, arrisca até a ir no show deles (mas me acompanhar nos shows do Masaharu que é bom...) e tem quase todos os singles que este quarteto de Sagamihara gravou nos anos 90, auge do grupo. Falei um pouco deste grupo no artigo sobre músicos de verão daqui, pois justamente que, namorido adora praia, adora se esturricar no sol e adora Enoshima. E as músicas deste grupo justamente falam de sol, praia e amores de verão... (nada contra, mas porque a maioria dos paulistanos resolvem descer pro litoral na noite de sexta-feira, dando um congestionamento dos infernos?)

11 - YA YA - Ano toki wo wasurenai (Southern All Stars): Namorido diz que começou a ouvir a música do Southern All Stars (mais conhecido como "Sazan", devido a pronúncia "a la japonesa" de Southern) com "Ya Ya". E olha que a música é 1982. Agora vão me perguntar: "como é que ele conseguia o acesso a música japonesa no Brasil naquela época???" Tentando responder: como disse, namorido frequentava kaikan direto até mesmo depois que se formou em Direito (ahn... eu cheguei a comentar que ele é formado em Direito Tributário?), tem parentes que iam e voltavam do Japão devido ao kenjinkai e daqui eles levavam o que tinha de novidade na j-pop... Voltando, o bom deste grupo, o Southern All Stars, é que suas músicas agradam a todas as faixas etárias, desde o jovem de dezoito aninhos até distintas senhoras septuagenárias...

12 - I Love You, Sayonara (The Checkers): Quem conhece o septeto dos anos 80 (vide resenha do álbum deles aqui), muita gente pensará que "ah, ele deve ter ouvido falar do grupo devido ao 'Giza Giza Heart no Komori Uta' ou 'Julia no Heartbreak'", sim, é verdade, mas a música favorita do namorido é uma música romântica ao mesmo tempo com balanço que não soa tão datada. Outra favorita dele é "Song for U.S.A." (agora, as favoritas da autora são "Giza Giza..." e "NANA"...). Só pra constar, sim, a música favorita do namorido da carreira solo de Fumiya Fujii é a sempre "True Love" (aqui, com o galã Takuya Kimura, ao violão, devido ao sucesso da novela "Asunaro Hakushou").

13 - Lion Heart (Smap): Falando no Kimura... Fazia um ano e pouco que estávamos já fazendo a vida de recém juntados em Kanagawa, e naquela época, a gente trabalhava muito e ganhava o suficiente para comer e manter. Mas continuamos a pagar nossas contas em dia, claro. Como onde a gente se escondia... ops, morava quase não tínhamos o que fazer (horário de trem terminava cedo, nossos amigos trabalhavam em horário inverso do nosso, e quem me conhecia morria de medo do namorido, não sei porquê até hoje...), a gente vivia assistindo aos programas de TV japonesa mesmo. Foi assistindo ao dorama "Food Fight", cuja música de encerramento era justamente "Lion Heart", do quinteto Smap e namorido queria que queria que eu encontrasse o bendito do single. E olha que ele nem prestava atenção no programa semanal de segunda-feira... (Moral da história: até hoje ele tira uma da minha cara quando o Kimura aparece em algum comercial - e olha que, pra horror de muita gente, o Kimura não é o meu favorito entre os cinco, quem adivinhar, podem me assar pra alimentar metade de uma nação esfomeada. )

14 - Good Night (Masaharu Fukuyama): Namorido é quem teve o single dele primeiro, me fez ir até Toquio encontrar o "Best of...", assistiu "Hitotsu Yane no Shita" parte 1 e parte 2 e quem leva a fama de "Fã número um do Masaharu" sou eu?! Bem, como namorido sempre diz, "naquela época ele fazia sucesso". Melhor dizendo, "desde aquela época ele faz sucesso"... O single fez parte da trilha sonora da novela "Ai wo douda", protagonizada por ele mesmo. Só que nos três shows que eu fui, ele não canta essa música, o que é uma pena. Mas por favor, não confundam com "Good Night" que é uma canção meio desconhecida dos Beatles (que é a última faixa do "Album Branco").

15 - Kowarekake no Radio (Hideaki Tokunaga): Cantor conhecido mais pela sua voz quase de tenor, característica em suas músicas, que parecem trazer mais sentimento e emoção, Tokunaga recentemente está sendo mais aclamado por conseguir interpretar canções que as mulheres interpretaram na série "Vocalist" que já está no quarto volume, logo depois que recuperou-se de uma operação no cérebro. O pessoal que lembra do cantor no auge da carreira, vão se lembrar também de "Rainy Blue" e "Saigo no Iiwake", que teve versão em português. Quem puder ouvir também a série "Vocalist", vai valer a pena...

16 - Makenaide (Zard): Há quem vai espancar a gente, fazer espetinho de kinguio e assado de leitoa pro próximo final de ano, mas tanto eu como namorido gostamos desta cantora, grupo, ah, que seja. Namorido pegou a "boa fase" de Izumi Sakai, nos anos 90, onde ela apareceu um pouco mais no programa "Music Station". Foi num destes programas em que o namorido foi a convite de um colega de trabalho e sem saber começou a ouvir mais dela. Canções de amor, de coragem e de determinação - eram os temas das letras de Sakai. Quando falei que Sakai havia falecido, namorido não acreditou, até ver na TV o noticiário.

17 - Pride (Miki Imai): Uma das músicas mais famosas da ex-modelo e atriz. Embora hoje ela esteje mais fazendo programas de rádio (ela possui um programa na Tokyo FM), nos anos 90 Miki Imai fez sucesso com esta balada escrita pelo seu esposo, o guitarrista e ex-líder de banda de punk-rock Boowy, o Tomoyasu Hotei (apesar da cara de mau, visual e músicas rocker, Hotei tem mão pra lindas baladas, como esta e "Piece of my Wish"). A música fez parte da novela de 1996 - "Doku", sobre o romance de uma ex-office lady com um estudante vietnamita (interpretado por nada mais nada menos que Shingo Katori, que três anos depois contracenou com Miki Imai em outra novela, em que durante o dia é um salaryman normal, mas a noite, vira assassino de aluguel para vingar-se do irmão. A novela? Yomigaeru Kinro ou "Caçada do Lobo Jovem").

18 - Love is All (Megumi Shiina): Quem ouvir a música, quem for mais ou menos da nossa faixa etária (eu confesso, estou na casa dos quarenta! Pronto, falei.), vai falar "ei, mas esta música é o one hit wonder da Charlene!" Pois é verdade: a original desta música de Megumi Shiina é a versão em japonês de "I've Never Been To Me", de 1980. Coincidentemente, tanto a versão original como a japonesa acabaram virando one hit wonder de ambas... (só que pra achar o single, não encontrei, pois como é dos anos 80, relançamento em CD só foi o do Southern All Stars que viraram maxi-singles. Tive que comprar o "best of..." que pelo menos tem as melhores mesmo, ao invés de comprar o CD original)

19 - Empty Garden (Elton John): Pra ninguém também ficarem falando "mas caramba, sua cara metade não gosta de música do estrangeiro também?". Eu bem que tentei convertê-lo pra gostar dos Beatles, mas tá difícil... A verdade é que o gosto musical do namorido é variado, diferente da doninha aqui. Um dos cantores que ele gostava era o inglês Elton John (muito antes de ter saído do armário, da época dos óculos extravagantes), circa 1970, mas uma das favoritas dele e minha é justamente esta que homenageia John Lennon, que foi composta em 1982. Sim, namorido conhece a famosa "Goodbye Yellow Brick Road" (mas ele não suporta a "Candle of the Wind").
20 - Nagoriyuki (Iruka): Cantora folk japonesa, Iruka (que significa golfinho) surgiu no auge do folk em 1975. Embora hoje esteja low prolife, uma de suas músicas mais conhecidas (e regravadas) é essa que namorido gosta, tanto que custamos a encontrar o "Best of..." que tenha essa música, pois single nem existe mais. Veja aqui a apresentação de Iruka no programa Smap X Smap em 2005 (versão acústica, e até Masahiro Nakai - conhecido pela voz terrivelmente desafinada - não faz feio) e a cover em 2000 no "Marrontic Night in Yokohama" com Masaharu Fukuyama.
21 - Como Nossos Pais (Elis Regina): Na verdade, qualquer música da Elis, namorido gosta, mas não temos um álbum no nosso apertamento (que vergonha!), justamente porque, se encontrarmos em alguma loja de CDs vai ser raridade. Na Tower, HMV e Tsutaya já encontrei mas da época em que ela fez um show em Londres, o que a gente quer é daquela coleção da capa branca (quem lembrar, por favor, comentários). Dentre muitas que ele ouviu no tempo do colegial, segundo namorido, ele lembra mais desta composição de Belchior (só que engraçado que namorido não gosta muito das músicas dele, não. Pra ter uma idéia, certa vez estava cantarolando um trecho de "Medo de Avião" e namorido me veio que estava desenterrando coisa do baú. Oras...)


A autora lesada pede desculpas pelo atraso no cronograma, mas desta vez a culpa seria de noites mal dormidas com esse calor de derreter miolos a ponto de fritar ovo no asfalto, o que dá na autora uma moleza que dá vontade de ficar com o ar condicionado ligado e tomando água com muito gelo...

E também pelo fato de sabermos que muita gente vai desconhecer os cantores e cantoras mencionadas, mas já expliquei no começo o motivo do namorido ouvir 90% de música japonesa e restante variado...

9 comments:

  1. Precisava comentar. "Kimi ga Iru dake de" eu ouvi algumas vezes. Lembro-me que meu pai emprestou uma fita de um Kaikan por meio de um garoto brasileiríssimo que jogava beisebol e era filho de um amigo dele.

    Nessa VHS tinha essa música (se não me engano era um Kouhaku. Por uma semana eu voltava sempre na música para ouvir. Eu tinha uns 12 anos...

    Esse refrão: "Tatoeba..." nunca saiu da minha cabeça e nunca soube que música era ou quem cantava. Observação: nessa época eu não sabia NADA de nihongo.

    Semana passada eu assisti um SMAPXSMAP que falava de alguns Dramas e dentre as músicas estava ela.

    Sabe quando você acha que nunca mais ouviria a música? E ela surge assim, inesperadamente?

    Não sei o motivo, mas fico tão feliz ao ouvi-la... Acho que é porque remete à minha adolescência.

    E graças a você, estou baixando o vídeo do Youtube e entrará o MP3 no meu player logo logo...

    Prometo-lhe comentar sobre as outras músicas, logo. Estou em fechamento de edição. Mas nem teve como não abrir uma exceção depois de ouvir "Tatoeba..."

    Beijos

    ReplyDelete
  2. Amiga, quantas músicas deliciosas de ouvir,algumas dessa sua lista tbm fazem parte da minha...rs!

    Outras que não conheço vou pesquisar, pois adoro conhecer novas músicas,sou viciada em karaoke e estou sempre em busca de novo repertório.

    Tem uma que eu adoro e gostaria de indicar p/ vc! Gosto do arranjo e da letra, que é de Osaka e usa a gíria osakaben....

    Escuta ai: http://www.youtube.com/watch?v=o60654s7gjw&feature=related

    Bjs e obrigado por sempre me visitar em meu blog, muito bom o seu carinho!!!!

    ReplyDelete
  3. Não sei se eu copiei a lista do Kinguio ou ele copiou a minha lista. Acho que o plagiador de listas sou eu... Até porque eu tive meu primeiro contato com "música japonesa de verdade" logo depois que comprei meu primeiro computador, em 1998. Naquela época eu ainda assistia anime. Depois que vi o longametragem do anime "Macross" passei a me interessar profundamente por música japonesa. Pesquisa dali, cutuca daqui, ainda na base da internet discada, ICQ, Napster e Audiogalaxy. Baixei muito Jpop ligando o modem meia-noite e programando para desligar 5 e meia da manhã, e antes de sair para estudar desligava o computador, tudo na base do pulso único. Para quem, como eu, não mora em SP e no PR e não é descendente de japonês, música japonesa eram as músicas do Jaspion e o que passava no "Imagens do Japão", depois de colocar dois quilos de bombril na antena da televisão CCE ou Telefunken para ver se pegava melhor. Agora, com muito MP3, BitTorrent e Youtube, ficou muito mais fácil. E depois consegui ir para São Paulo e logicamente comprei alguns CDs e DVDs na ponte da Rua Galvão Bueno.

    Mas vamos comentar essa listinha:
    1. Koi ni Ochite já é tão clássico que a música nem precisa mais ser comentada. Até Richard Carpenter ouviu e gostou. Além da versão original da Kobayashi Akiko, eu tenho outras cinco versões diferentes. A mais recente é um dueto do cantor e baterista Inagaki Junichi (aquele mesmo do "Dramatic Rain" e "Merry Christmas ga ienai") com a cantora e compositora-hitmaker Ozaki Ami.

    2. Koibito yo é outro clássico de karaokê, até minha sensei de nihongo já cantou essa música num karaokê aqui onde moro. Também já foi regravada várias vezes e eu tenho cinco versões diferentes, sendo que a mais diferente é a da ex-Morning Musume Nakazawa Yuko. Mas tenho também uma versão com a eterna Misora Hibari.

    4. E o Clube do Arroz também resolveu cancelar a aposentadoria. Ishii Tatsuya, James Onoda e companhia voltaram há alguns anos e já até participaram de um Kouhaku depois do retorno. Dessa música eu só tenho uma regravação, pelas meninas do Pucchimoni, uma subdivisão do Hello Project/Morning Musume. "Roman Hikou" já teve versão solo do Ishii Tatsuya.

    (Continua)

    ReplyDelete
  4. 5. Makihara Noriyuki se destacou com o "Donna toki mo" mas não se pode esquecer que ele é o autor do arrasa-quarteirão "Sekai ni hitotsu dake no hana".

    6. "Kanashimi wa yuki no you ni" também foi regravada nos dois CDs de duetos do Inagaki Junichi, só que dessa vez ele divide os vocais com Nakamura Ayumi (do hit "Tsubasa no oreta angel"). Mas a minha favorita do Hamada Shougo é uma música meio desconhecida, que ele compôs e gravou nos anos 70 e que em 1983 foi regravada pela idol Osawa Itsumi: "Dancing Lady".

    7. Só para constar que "Rádio Pirata" já foi regravada pelo Engenheiros do Hawaii (banda favorita do meu irmão mais novo) com participação do Paulo Ricardo, dois grandes vocalistas do rock brasileiro juntos, embora muita gente não goste das letras e do estilo do Humberto Gessinger. E muitos fãs do RPM devem estar fervendo de raiva com a regravação da bandinha teen-emo Hevo84 para a "Rádio Pirata".

    8. "Se MP Kouhaku, fiel frequentador na caixa de comentários estivesse aqui, com certeza iria a todos os shows deste quinteto que retornou recentemente". Com absoluta certeza. Minha banda favorita, soltei rojão quando soube do retorno do Anzen Chitai. E já consegui os dois CDs mais recentes: O de inéditas (com "Aoi Bara" e "Orange") e o de regravações atualizadas dos grandes hits da banda (a melhor regravação, pra mim, foi a de "Mayonaka sugi no koi", que está pedindo para ganhar um remix de 10 minutos por um DJ badalado). E o "Wine Red no Kokoro", já regravada várias vezes (além dos já citados, Takahashi Mariko e os "monstros sagrados da Enka" Itsuki Hiroshi e Mori Shinichi) continua sendo uma das melhores músicas românticas japonesas em todos os tempos.

    9. "Saboten no hana" também tem uma regravação bem alternativa: O veteraníssimo cantor enka Funaki Kazuo também já gravou essa.

    10. O Tube tá nas paradas há exatos 25 verões. E lançaram CD novo e retornaram ao Music Station. A banda liderada pelo afinadíssimo Maeda Nobuteru nesse quarto-de-século não foi apenas banda de músicas animadas como "Beach Time", "Summer Dream", "Season in the sun" e "Ah natsuyasumi" mas também tem umas baladas românticas excelentes além do "Shonan my love": "Remember me", "Kimi to nara", "Melodies and Memories" e "Jyunen saki no lovestory". No Youtube tem vídeo deles se apresentando no Hawaii. Espero o dia em que eles se apresentarão em Santos, Rio de Janeiro, Salvador, Recife, Natal, Fortaleza...

    (continua)

    ReplyDelete
  5. 11. Eu nasci em 1982, ou "Showa 57", ano dessa música e da estreia de algumas dezenas de idols. E essa é uma das boas baladas românticas da banda do Kuwata Keisuke, com hits em quatro décadas diferentes: 70, 80, 90 e 00. E se o Southern All Stars fizesse um show com todos os sucessos, seria um show de pelo menos 6 horas. E conheci o Sazan com "Itoshii no Ellie"

    12. The Checkers, a irreverente banda dos irmãos Fujii. Fumiya era um excelente band-leader, mas a "impressão digital" da sonoridade da banda era o sax do Naoyuki. Tinham um pé no nonsense, mas eram uma fábrica de hits até hoje lembrados.

    15. Tokunaga Hideaki se reinventou com a série "Vocalist", e também reinventou a carreira de muitas cantoras. Mas não é de hoje que o Tokunaga é aclamado. Lançado na segunda metade dos anos 80 mesmo após não ter sido aprovado no famoso programa "Star Tanjou" virou um dos melhores cantores de baladas românticas do Japão. E além das músicas citadas, também destaco "Love Is All", "Mou ichido ano hi no you ni", "Birds" e "Kaze no Eoria", além da famosa versão em português do Joe Hirata (o qual já tive a oportunidade de encontrar duas vezes. Conversamos bastante sobre música japonesa e tenho dois CDs dele autografados).

    16. Imagino como deve ter sido o trauma ao saber da morte da Sakai Izumi. Eu mesmo fiquei muito mal quando soube, que dirá o Kinguio. Não duvido nada que resolvam, um dia, fazer um dorama sobre a vida dela. E "Makenaide" foi regravada pelo Oda Tetsuro, um dos amigos e colaboradores mais próximos da Sakai Izumi e também compositor da música.

    17. "Pride" teve três regravações: Tokunaga Hideaki (Vocalist 3), Inagaki Junichi em dueto com Ohashi Junko (a cantora de "Shiruetto Romance") e a veterana e ainda afinadíssima Iwasaki Hiromi. E o casal Hotei Tomoyasu/Imai Miki se apresentou num Kouhaku com essa música, clássico das baladas românticas e que se fosse em português, tocaria na extinta Antena 1.

    18. "Love is all" (não é a mesma música do Tokunaga Hideaki) é um daqueles casos raros onde uma versão fica tão boa (ou até melhor) que o original.

    20. "Nagori Yuki" deve ter sido regravada na casa da dezena, mas eu tenho "apenas" 7 versões diferentes: Indo de uma versão intimista e fiel ao original feita pela Nakamori Akina até uma versão mais "porrada" feita pelo grupo Mucc, passando por uma versão da idol Matsuura Aya. E, obviamente, Tokunaga Hideaki. Mas a versão mais bonita das regravações é da Hirahara Ayaka.

    Acho que dessa vez eu quebrei o recorde de post mais longo.

    ReplyDelete
  6. Fabiana, todo mundo que conhece a música do Kome Kome Club, lembra da primeira frase "Tatoeba..." e como ninguem guarda o nome da música, a gente fala "aquela música do Kome Kome Club, do 'Tatoeba'..." Sério. Até pra encontrar o bendito single que namorido queria, foi dificil, pois ele também conhecia só pelo início...

    Fico contente em saber que você está bem, fazendo matérias... nao tenha pressa, esteja a vontade rs
    Beijosecuida!
    PS: eu tambem leio os textos do Tony Belotto pela Veja...

    Lilian, não entrega nossa idade ahahahah Da mesma forma que ninguém acredita "uma muié na idade que está botar no mesmo repertório de seu MP3 pra ouvir: Beatles-Masaharu-Sazan-Smap só pode botar é pra internar", eu tenho minhas horas entre o "tosco" e o classico rs
    Gostei da música que voce indicou, conhecia na voz da Yoshimi Tendo (que é de Kansai tambem). Mas é dificil o pessoal cantar algo com dialeto da região, salvo se for música da região ...
    Eba! Uma que também gosta de karaokês! Se eu morasse perto, podiamos ir um dia... Mas não ficar 24 horas trancafiadas como Inagaki fez (veja meu post sobre "Quem Canta Seus Males Espanta (Inclusive quem estiver junto)")

    MP Kouhaku, bateu o recorde mesmo. Mas só pra constar: namorido kinguio ouve j-pop desde os anos 70, quando ele começou a frequentar os kaikans em Sampa, no início da adolescencia. Na época em que Hideki Saijo era o "sex-simbol" com "Lola". Ainda ele teve tempo de pegar a Momoe no auge e o início do Southern All Stars.
    A ídala preferida - nos anos 80 - era a Nahoko Kawai, tanto que ele pergunta até hoje onde ela foi parar. Seiko e Akina ele gosta, mas não é taaaaanto assim (acho que ele gosta mais da Akina). Ele conseguia os lançamentos fresquinhos devido aos parentes japoneses que mandavam pra ele via correio, acredite se quiser.
    Na verdade, ele tem uma lista enorme de músicas e cantores(as) preferidos, mas coloquei 21 senão ia ficar longo o post também. E percebe-se que ele ouve mais j-pop do que outro tipo de música, diferente da doninha aqui, que, se em uma hora está ouvindo Masaharu, dentro de cinco minutos já ouve a Cyndi Lauper. E por aí vai.
    Voce falou do show de 6 horas do Southern All Stars, se eles voltassem das ferias: quando eles fizeram em 2008 no Nissan Stadium, fizeram QUATRO shows e ainda teve muita gente que ficou de fora, de tanto que lotou. Tentamos ingresso, mas ja tinha esgotado :(
    Meu consolo sera tentar ver o Keisuke Kuwata solo que sera em outubro ou no evento anual Act Against Aids que ele faz.
    Sobre a quadrilogia "Vocalist" do Hideaki Tokunaga, espere eu receber a cebolona e depois eu falo (pois na minha lista de compra de CDs pra julho estão esses quatro volumes, mais alguns itens basicos...)
    Abraços!

    ReplyDelete
  7. Então com certeza o Kinguio deve ter tido alguns (ou seriam muitos) discos de vinil de música japonesa. Hoje eu tenho 26 LPs de música japonesa: 5 importados de Jpop (Matsuda Seiko, Go Hiromi, Nakamori Akina, Matsumoto Iyo e Morio Yumi) e 21 de Enka, fabricados no Brasil, sendo que 19 eu comprei no Mercado Livre. Aqui em casa o toca-discos ainda funciona, e pretendo comprar em breve um toca-discos moderno, com USB. E mais alguns LPs importados ou nacionais para aumentar essa coleção que comecei há 2 anos.

    Segundo a Wikipedia, Kawai Naoko casou com um cabeleireiro em 1996 e o primeiro filho nasceu no ano seguinte. Em 2006 lançou no iTunes um CD instrumental. Diz a comunidade da Kawai Naoko no Orkut (cmm=1606145) que ela está morando aí em Yokohama, com o marido e os dois filhos (o mais velho tem 13 anos). Talvez a Kawai Naoko esteja mais perto do que imaginam...

    ReplyDelete
  8. Lembrei de vc outro dia quando vi uma notinha num site falando que talvez o Paul estaria aqui no Brasil esses dias... anyway... eu escutei Mayumi a primeira vez quando eu era pequena no carro do meu pai quando íamos para o sítio dos meus avós. Eu tinha medo da música por causa da ta nan do piano... é super melancólica a letra mesmo é meio deprimente e a voz dela tb assusta mesmo... grossa, não irritante como os irashaimasses da vida rsss

    Kisu!

    ReplyDelete
  9. Bah, era pro Sir Macca ter vindo ao Brasil em abril mesmo, dividindo a atenção com o Rei Roberto Carlos, em Brasilia, mas sabe no que deu né? Eu espero que ele venha pelo menos fazer um show no Japao... (uma amiga minha de SC juntou uma grana violenta desde ano passado e foi ver o Sir Macca no Hyde Park em LONDRES!!!)
    Pensava que muita gente nem iria conhecer a musica de Mayumi Itsuwa, pois não é todo mundo que gosta. Surpreendeu-me ao saber que voce tambem conhece, quando falei no post das músicas que Inagaki tentou no karaoke - ate queria ouvir ele tentando interpretar essa musica, que realmente é dificil e confesso tambem que a primeira vez que ouvi, me deu um medo danado. Bem, pra quem ouve Miyuki Nakajima, como eu...
    Beijao!

    ReplyDelete