Thursday, September 02, 2010

Errando e Aprendendo

Morar em um local que é desconhecido é prato cheio para inúmeros foras, gafes, micos, enfim, tudo o que acharia normal e que acaba sendo constrangedor, estranho, e motivo de piadas internas por um bom tempo. Só que quando acontece quase - se não a mesma coisa - com seu amigo mais próximo, vizinho, parente, a piada interna continua, mas passando para outra pessoa.

Atire a primeira pedra quem nunca cometeu um fora em sua vida. Do mais bobinho até pro constrangedor.

Já fui protagonista e também presenciei muitos foras. Se bobear, acho que cometo os meus e não percebo.

Lembro-me até hoje sobre diferenças regionais. Já falei que até hoje, em uma conversa informal saem palavras como:

- Tem uma ramona pra prender o cabelo? (ramona = grampo para prender cabelo)
- Aquele farol da esquina de casa demora para abrir... (farol = semáforo)
- Tenho um arquinho que é uma fofura! (arquinho = tiara)

Uma das minhas lembranças enquanto estava no Brasil, foi a época que a esposa de um de meus primos, ao mudar para Rondônia, por pouco não foi desta pra melhor devido a uma mandioca. Calma, que eu explico.

Quem mora na região sudeste, aquele tubérculo de casca grossa e conteúdo branco, chamamos de mandioca. Assim como eu, minha prima também pensava que mandioca era igual em qualquer lugar do Brasil. Ledo engano.

Recém chegada numa cidade, onde pra chegar levava mais de três dias de carro (isso quando chegava), bateu a vontade de comer bolo de mandioca. Tanto que antes de ir para lá de mala e cuia, ela pediu um monte de receitas pra minha mãe, e uma das iguarias favoritas da minha prima era o bolo de mandioca. Eis que ela foi para a feira e pediu a vendedora da banquinha um quilo de mandioca.

A mulher fez uma cara de espanto. E minha prima repetiu: - Quero um quilo de mandioca.

A mulher: - Mas a senhora tem certeza mesmo?

Ela: - Tenho, qual o espanto? Um quilo é muito?! Pode ser meio quilo, então.

A mulher, meio contrariada, pesou meio quilo de mandioca e minha prima foi para casa fazer a iguaria. Já achou meio estranho porque a mandioca que comprou não era o que conhecia sempre. Deixou pra lá, pois achava que poderia ser a qualidade. Ficou mais estranho ainda quando o bolo não cresceu! Pra completar, foi experimentar um bocadinho - estava amargo pior que jiló!!

Teve que jogar tudo fora, pois ninguém iria comer aquilo.

Algumas semanas depois, conversando com outras moradoras que vieram também de São Paulo, eis que ela descobriu que a mandioca que os paulistas conhecem, em Rondônia tem que falar macaxeira porque a mandioca mandioca era a mandioca brava o que poderia ter dado em minha prima - e quem comesse o bolo - um belo dum desarranjo intestinal.

Se já mesmo no Brasil as diferenças culturais e até de significado variam e muito, imaginem quem vai morar no exterior. Cada país tem sua peculiaridade. Até mesmo um gesto simples pode ter "n" significados em muitos países.

Lembra da foto que postei do Kimura? O gesto de "OK" que ele faz no comercial do TeaO, aqui é igual aos Estados Unidos e o significado é o mesmo, mas o mesmo gesto no Brasil e alguns outros países, sabe o que significa né? Da mesma forma que eu não sabia que aqui, o sinal de positivo seria "estar comprometido com homem".

Lendo um artigo sobre diferenças culturais, o que muitos aconselham, apesar que muita gente vai dizer que seria "frescurite aguda" - se quer chegar ao ponto de morar no país, então melhor conhecer não somente a língua, mas também gestos e costumes do local.

Mesmo dentro do Brasil, se for para outra região, pode ter certeza: a diferença cultural é grande.

Até mesmo para pedir uma simples mandioca.

10 comments:

  1. hahaha...gostei demais do post de hj,principalmente pq ja senti as barreiras linguisticas regionais.Comos sou do nordeste,a gente sente uma diferenca gritante quando vai para outras regioes.Eu so conhecia como macaxeira,depois descobri que pode ser tambem aipim ou mandioca.
    tanto nome para a mesma coisa.
    :D
    e adoro aquele comercial do tea,beijaoo.

    ReplyDelete
  2. Hehe, ótima história! passei bastante aperto quando vim morar no Rio, menos por causa das diferenças culturais e mais por causa do sotaque. Uma vez, cheguei à padaria e pedi 3 paezinhos. O cara meu de 13!!! Sim, pois eu pedi TRÊSSSS e deveria ter pedido em carioquês TREICH, hehe. Várias vezes depois, passei a pedir 4 para ser mais eficiente, hahaha. JURO, é real e tenho testemunhas.

    beijo e bom dia

    ReplyDelete
  3. Além disso a gente ainda tem que aprender falar mandioca em japonês e inglês. Cassava. Reparou que a palavra existe mas poucos japoneses sabem do que se trata?
    Seu post hoje está muito interessante.

    ReplyDelete
  4. Andréia, eu esqueci-me de que você vem do Nordeste. Só me diga: têm outras palavras que no Nordeste se diz uma coisa e quando veio parar na região sudeste aquela mesma coisa tem outro nome?
    A macaxeira que eu conheço como mandioca, onde era mesmo que falava aipim?
    Ah, aquele chá que ressuscitaram com o Kimura? Ficou muito legal! O comercial, pois o chá eu tomava nos primeiros anos que morava em Hyogo...
    Beijao!

    Fernanda, eu pensava que você fosse carioca mesmo. Realmente sotaque já fica meio ruim de entender, mas jurava que não sabia que falar três no Rio o pessoal entende como... TREZE! Na dúvida peça quatro mesmo, aí nem tinha como errar haha
    Eu acredito: eu tenho sotaque caipira do interior paulista, daquelas que fala arrrrrrquinho (a tiara, aquele acessório que usamos pra segurar a franja) e teve gente que pensava que eu estava pedindo arco mesmo.
    Beijao!
    PS: Adoro o seu blog, vou tentar fazer o iogurte que voce postou!

    Elisa, eu não sabia que mandioca em japones era cassava, mas realmente NUNCA ouvi falar. Aliás, adoro mandioca e pra encontrar, só se for em lojas de produtos brasileiros e congelados! Queria o original, colhido na hora...
    Obrigada, Elisa! Que bom que gostou tambem!
    Beijao!

    ReplyDelete
  5. Kkkkkkkk!

    Quem nunca cometeu uma gafe que atire a 1ª pedra!

    Relaxa, Kiyomi... isso é normal!

    Tb vivo dando bola fora, tem hrs que me pego rindo da minha estupidez!

    Me diverti com a história da mandioca! Td cuidado é pouco qdo estamos fora de casa!

    Bjinhos

    ReplyDelete
  6. kkk...ah, eu vivo pagando micos, já fiz várias coisas! Mas não sabia que lá mandioca tinha outro nome não!

    ReplyDelete
  7. Nasci no RJ, moro no CE há bastante tempo... Então já viu que até hoje sou confundido com paraense (sendo que eu nunca estive no PA).

    Aqui no CE a mandioca dos paulistas ou o aipim dos cariocas é a macaxeira. Boa pedida para comer frita.

    O Pão Francês, que no sul é chamado de "Cacetinho" aqui é o "carioquinha". E o arquinho de cabelo (ou tiara, dependendo do lugar) no Ceará é chamado de "Gigolete".

    Se você quer responder debochadamente a alguma colocação malfeita de alguém, simplesmente diga: "Aí dentro!". Se o cara mora longe, mora "na baixa da égua". Se quer arrumar confusão, é porque o sujeito quer "botar boneco". Dentadura é "chapa". Jogar fora é "rebolar".

    E para concluir, se você ouvir alguém citando uma expressão ou alguma coisa ou pessoa muito antiga ou fora de moda, não se acanhe em gritar: "É O NOVO!!"

    ReplyDelete
  8. Já vi nego sair na porrada por causa disso.
    A menina veio do Rio Grande do Sul. Era japa.
    Entrou na faculdade e um menino a chamou de China. Além da ofensa racial, China é poota no RS, ela diz.

    Ela, instintivamente tacou o caderno com tudo na cara do moleque. No fundo, bem feito, quem mandou chamar a menina de china?

    bjs

    ReplyDelete
  9. Denise, acredita que minha mãe lembra deste episódio da minha prima até hoje? Realmente, até pra ir para a cidade ao lado...

    Desabafando, eu também não sabia que mandioca tem outros nomes em outras regiões. Até quando minha prima passou por isso.

    MP Kouhaku, eu achava que voce fosse de SP. Pelo jeito, você já deve ter passado em cada situação devido as diferenças culturais... mas claro que depois a gente vira gato escaldado.
    Em tempo: arquinho aqui no Japao se chama... katiuscia!!!

    Alexandre, eu sei o quanto voce deve estar superhipermega atarefado... mas agradeço mesmo a visita, sim!!!
    Nao sabia que china no RS era... bem... "moça de fino trato"... mas se existe coisa pior de chamar de p... é confundir nacionalidade!

    Beijos e abraços a todos e todas!!

    ReplyDelete
  10. Aham me lembro como se fosse hoje que minha roommate comprou 5l de saquê achando que era água mineral e ainda achou que estava na vantagem por ter comprado na promoção rs...

    Kisu!

    ReplyDelete