Sunday, October 31, 2010

Esclarecimentos (ou respondendo alguns comentários passados)

Sim, eu prefiro acreditar na Grande Abóbora que vai trazer docinhos para a criança mais sincera da plantação de abóboras (resta saber onde vou encontrar uma aqui em Yokohama...)

Vamos lá que nem deu para responder nos comentários (alguém sabe como posso responder dentro do comentário de alguém?)...

Sobre "J-Dorama", as Novelas para todas as audiências (dia 23 de outubro): Apesar que respondi todo mundo, vou tentar esclarecer melhor. O fato de eu gostar de assistir aos "doramas" japoneses, é que eu também tenho meu lado tosco e até fútil para alguns. Quem me conhece, pensa que eu vivo lendo artigos científicos, economia e literatura mais profunda. Pode até ser, mas minha mente também precisa ter um lado de entretenimento o que seria assistir filmes leves, românticos, divertidos, e também daqueles de levar as cinco caixas de lenços de papel. Se no Brasil eu assistia as novelas da rede do plim plim? Posso dizer a verdade? Nunca consegui acompanhar uma novela de cabo a rabo nem no "Vale a pena ver de novo", pois dos meus 15 aos 27 anos eu levava jornada dupla: estudava à noite; mesmo depois de ter terminado a faculdade, eu lecionava. A noite. Trabalhava de dia numa empresa e a noite... lecionava. Workaholic?! Quase, mas pelo menos eu ainda conseguia assistir ao Jô Soares e Matéria Prima, Vitrine e Roda Viva no lugar de novelas... E quando vim parar aqui, descobri os "doramas" e como disseram-me que "final de tal estação ano acaba", era isso que eu queria. Sem enrolação, semanais e de vários tipos e canais. Tem um ou outro que você tem vontade de morder o braço e arrancar fora, mas muitos valem sim, a pena perder uma hora (contando comerciais) pra refrescar a mente.

Sobre "A Semana que Passou ou A Volta dos que Não Foram" (dia 24 de outubro): Eu sabia que ia ter muita gente se perguntando "mas será que ela vai dar uma guinada de 360 graus, surtar e virar outra pessoa?" algo assim. Na verdade, até era uma mudança que ia ser muito, mas muito radical mesmo. Depois, conversando muito com namorido kinguio (eis o lado bom de ter uma cara metade nessas horas, perdoem-me, tá?), achei por bem não fazermos as coisas precipitadamente. Depois, pra voltar atrás, nem pensar. Portanto, antes de dar o passo maior que a perna, melhor parar pra refletir e colocar os prós e os contras na balança e tirar as conclusões.

Respondendo quem não tinha respondido:

- Elisa, na verdade, até quinta-feira (28) estava ainda meio desnorteada, colocando os prós e os contras e tirar o balanço final. O que pensei que poderia ser um benefício, poderá mesmo acabar sendo um caminho sem volta, mesmo sem ter experimentado. Só de sentir as primeiras impressões, já senti foi o drama. O que concluí é que, a partir de agora, empenhar-me em melhorar o meu potencial outrora em estado de sonolência, o que significa acordar de vez e batalhar.

- Fabiana (do Sonho Doce, Sonho), existem certas mudanças que a gente acaba fazendo achando que será melhor e no final a gente sofre para melhorar. Mas existem compensações nisso tudo. Quando decidi largar o serviço de auxiliar contábil em um escritório e dedicar-me a lecionar os três turnos, foi pensando em ter mais liberdade de ajustar os horários e fazer outras coisas. Conclusão: em três anos que lecionei, fiz curso de inglês, escrevia artigos para jornal (em troca de assinatura gratuita do mesmo), traduzia textos e ainda tinha tempo para ir ao cinema, teatro e sair com os amigos. Mas a "virada de mesa" mesmo foi ter vindo ao Japão. Não me arrependo de ter vindo, apesar da saudade da família. Só preciso ajustar o tempo para aparar algumas arestas... E você tem tempo sim. Sinceramente? O curso de confeitaria seria uma ótima opção...

- Margarida (a.k.a. lolipop, do Banzai), existem mesmo horas que a rotina se torna tão cansativa que dá vontade de surtar. Só não fiz isso porque ainda estou consciente do que estou fazendo. Eu acho, né? Como eu disse, eu preciso conciliar o tempo para outras coisas. Será meio espinhoso, mas tenho fé.

- Fernanda, quando resolvi juntar as escovas de dente com namorido kinguio, tínhamos muito poucos recursos, mas fomos em frente e chegamos onde estamos. Apesar que atualmente a situação (financeira) não está aqueeeeeeeeelas coisas, pelo menos dando para comer, pagar as contas e uns trocados para o cinema de vez em nunca, já bastam. Já chegamos ao ponto de ter que passar o mês com o mínimo possível, mas nada é fácil neste mundo, não é verdade?

- Cacá, mudança sempre dá aquela impressão de "ai minha nossa, o que virá depois". Pode ser que no começo lhe dê aquela ansiedade, medo e tudo junto. Depois, pode ser que goste. Ou odeie de vez mesmo. O único porém do meu atual trabalho é o horário que às vezes é meio desregulado, mas a gente sempre acaba dando um jeito de controlar tudo. Eu acho... (Não esqueci do e-mail, não, mas se prepare rs)

- Gabriel, se bem que aqui também não está como nos anos 90, mas no quesito segurança, dependendo do terreno que se pisa, pode dormir tranquilo. Pelo menos ainda consigo pegar um trem com o celular na mão lendo as notícias do dia sem ninguém chegar junto e disser "gostei do seu celular, passa pra cá".

- Sobre "O Passado Te Condena. As Vezes" (26 de outubro): Era para ser uma postagem estilo "tosqueiras, toupeirices, diversão e ai minha nossa eu também me submeti a essa pagação de mico", mas sempre tem um que resolve achincalhar, o que eu diria que seria uma falta de humor. Felizmente meus leitores bem identificados sabem levar a postagem numa boa e até a gente compartilha os micos que pagamos.

- Fabiana Yoko, eu sei que você queria ver a barriguinha séquichi do Takuya Kimura, confessa, eu prometo que não "espaio" eheheh. Mas o vídeo de 1995, realmente, não há quem olhe hoje e morra de rir (nem tanto pela coreografia, mas pelas roupas, que, se bobear cabem dois Masahiro Nakai dentro).

- Fabiana (Sonho Doce, Sonho), eu só não usei a tida saia balonê porque eu era meio gordinha e sou baixinha pros padrões de quem poderia usá-la. Ainda bem, um mico a menos para se pagar, mas confesso que a calça santopeito era o pior de todos. E como disse: o lado bom de ter familiar cabelereiro - corte de cabelo na faixa ou a precinho módico pra não ficar chato. O ruim: ser cobaia e não poder dizer não por pura consideração familiar...

- Satie, que fase da Seiko Matsuda você chegou a ter o penteado? Eu tive por alguns meses aquele corte curto com direito a franja batida estilo Lady Diana. Felizmente cabelo cresce, mas a foto vergonhosa fica...

- Desabafando, das calças coloridas, acredita que eu já tive uma amarelo mostarda e laranja cenoura (detalhe: eram da Benetton, acho que explica quase tudo)? Um belo dia, fui dar aula vestida de camiseta branca e calça cenoura. Resultado: minhas colegas me chamaram de Dona Cenoura por uma semana (felizmente os alunos nada falaram... na minha frente, óbvio). Aqui, se eu andasse dessa forma, ninguém ia reparar, porque os jovens (e até distintas senhoras e senhores) fazem uma coordenação de cores que vou te falar...

- Pro anônimo que não se identifica: antes de postar, pense bem antes de receber represálias. Nem vou te responder porque seria perda de tempo.

- Denise (Tabeteimasu): o queêêêê? O santopeito voltou a ser moda??? Aquela cintura que te achata o peito quase no pescoço? Bem, ao menos os clogs não entrou na moda aqui, o que está sendo seriam as ankle boots com customização de polainas de pele falsa, as botas UGG (que a Kate Moss divulgou, lembra?).  Agora, quanto aos cortes de cabelo... Acho que só não passei máquina zero porque tinha a sã consciência. Atualmente, meu cabelo está liso, levemente repicado e com franja e... pintado de castanho, porque a idade avança e o contingente de cabelos brancos aumenta...

- MP Kouhaku, o dia que você montar um blog sobre os j-pop da era Showa e Heisei, pode crer que estarei sempre dando F5 para ver se tem atualização fresquinha, fresquinha!!! Tenho certeza que, se você estivesse no lugar do Atsushi Ito no comercial do café que eu postei nem lembro quando mas eu lembro sim, você levava uma das ex-Onyanko pra casa! O Go Hiromi fez 55 anos na semana passada, o sujeito continua inteiraço (tudo bem, pode ter um esticado ali e aqui ), está no comercial de achocolatados da Morinaga e fez um show de aniversário no Budokan. E pensa que tinha somente mulheres da faixa etária deles? Na-na-ni-na-nãão!!! O que está me deixando apreensiva é o estado de saúde de Nakamori Akina - desde setembro está internada e ninguém fala o que realmente a mulher tem! Coisas daqui mesmo (ou a pedido da própria, talvez para não assustar o pessoal). Agora, o Matchy, se vier pro Brasil, certamente ele vai estar em Interlagos pilotando um carro reserva pra sentir o gostinho do que fazer um show. E pensar que até meu cunhado chegou a ter um visual do Matchy no auge da carreira. Quanto ao trocadalho do Ukyo Katayama, eu sei: namorido tem o mesmo sobrenome, e sabe né?

- Bah, eu também tive a fase da calça pantalona fina nos tempos que trabalhava na cervejaria. Obviamente eu usava quando a gente tinha algum evento, ou alguma viagem a trabalho com direito a coquetel, coisas do trabalho... Mas acho que pior do que isso eu sempre insisto no maledeto item que felizmente desfiz do meu guarda roupa (daqui e no Brasil) que era a calça santopeito e semi baggy pra completar (e pensar que eram "de marca", como a Benetton e Levi's... e a mulherada da minha época adoravam os da Forum, M.Officer, Zoomp... lembra? Ops, melhor falar que não, ou vão denunciar nossa idade...)

- Sobre "Aguentando o Tranco desta semana" (29 de outubro): Meu ritmo de trabalho é bem corrido e  estou tentando aos poucos ajustar horário de trabalho, diversão e outras coisas mais. Chega próximo do dia de minha folga, parece que as energias vão se esgotando. Dá-lhe café, por mais que meus exames médicos (sim recebi os resultados, esqueci-me de avisar) indicam que eu preciso diminuir a quantidade, mas que posso fazer se o sono bate e nem dose cavalar de cafeína sem açucar resolve direito? Na foto da postagem, meu tumbler cabe o equivalente a 300 ml de líquido. Digo ecologicamente correto porque as cafeterias daqui, estimulam você a usar seu próprio copo para comprar bebidas, como no Starbucks, Tully's, Excelsior, Doutor Coffee e muitos outros. Além de ajudar a ecologia, evitando o uso excessivo de copos de papel, economiza - cheguei a ter 50 ienes de desconto na bebida. Pouco? Mas no inverno chego a bater cartão no Tully's e no Dean&Deluca três vezes por semana (ganho desconto e acumulo pontos, eita vício). A barra de cereal da Asahi Foods and Health Care já vendia-se em mercados há muito tempo, mas devido ao comercial feito ano passado com o maratonista Kanpei Hazama e recentemente com Tsuyoshi Kusanagi, nunca vi vender tanto cereal na vida. Ao menos no mercado do lado de casa acaba rapidinho (é que os demais seriam a base de biscoito e parece que estou comendo farinha).

- Jo*Chan (do Harajuku News), obrigada pela visita, venha sempre que tiver um tempinho, sim!

- Margarida, de todas as barras de suplementos alimentícios que experimentei, esse da Asahi eu acertei. Costumo comer depois das seis da tarde e olha que sustenta até eu chegar em casa! Só que acabo jantando salada ou frutas. Tá, eu sei que não seria certo, mas salada (seja de verduras ou de frutas ou ambas) faz um bem danado, não pesa e durmo tranquila, tranquila.

- Bah, eu lembro de você quando assisto ao Kisarazu Cats Eye por causa que você falava muito da cidade. E o dorama mostra a cidade inteira, o que atiçou minha vontade de ir pra lá um dia, nem que seja pegar o carro e encarar o Aqualine, ainda mais que no findi o pedágio pra quem tem o ETC paga 1000 ienes!! E teve gente que falava que "ah, Kisarazu é fim de mundo, não tem nada..." Sei... Fico aguardando as fotos de lá, viu? Ah: no dorama, uma das primeiras cenas seria a estação da JR de Kisarazu e o dorama foi inteiramente filmado lá!
Os cinco principais membros do time de beisebol Kisarazu Cats (da esquerda pra direita): Ani (Takeshi Tsukamoto), Bussan (Junichi Okada), Ucchi (Yoshinori Okada), Bambi (Sho Sakurai) e Master (Ryota Sato). De dia, rapazes comuns que trabalham com a família, porque a noite... eles são os Kisarazu Cats Eye, defensores dos fracos e oprimidos... a sua moda, claro. 


- MP Kouhaku, se comer uma barra destas no final do dia, sacia, eu garanto. A não ser que sua fome seja tanta a ponto de precisar de meio quilo!!!


- Satie, na verdade nem é pra emagrecer que como essas barras, é porque eu almoço as duas da tarde e quando chega seis da tarde, o estômago ronca de uma forma que assusta quem tiver o azar de estiver perto na hora. Uni o útil ao agradável: adoro chocolate, adoro cereais e o ippon manzoku bar veio em boa hora!!!

- Cacá, na verdade, é que em matéria de barras de cereais e suplementos alimentícios, muita gente que eu conheço, lembra primeiro da Calorie Mate, da Otsuka. Os da Glico e esse da Asahi pouca gente sabia, a não ser que na hora de comprar prestasse bem atenção na embalagem. No meu caso, eu como por causa que eu adoro chocolate e cereais. O Calorie Mate por exemplo, parece que estou comendo biscoito de farinha, acho que nem sustenta, sei lá. E olha que comi muito disso alguns anos atrás. Agora viciei neste da Asahi...

Nossa, que postagem longa! Espero que não deixei ninguém na mão...

Fotos do post: via seogugol. Da Grande Abóbora porque lembrei que hoje seria dia das Bruxas e até hoje lembro do desenho animado do Snoopy com Linus e a esperança de que a Grande Abóbora aparecesse para ele trazendo doces e presentes. Também tem a famosa parte em que a fala de Charlie Brown ficou marcada para muitos "...e eu, uma pedra". E da cena de "Kisarazu Cat's Eye", um dos doramas que valeu a pena eu ter visto com um certo atraso, pois era um dos poucos doramas que se ambienta totalmente na cidade de mesmo nome (e de tanto que a Romina "Bah" vivia falando da cidade, que agora bateu a vontade de ir conhecer mesmo!).

5 comments:

  1. Obrigada por responder com tanto cuidado e carinho...
    HAPPY HALLOWEEN!
    MATA NE

    ReplyDelete
  2. Feliz Halloween! adorei a imagem do Snoopy...rsrsrs...adoro eles! E calça mostarda nunca tive..rsrsrs...mas ainda me pergunto como eu conseguia usar uma amarela..rsrsrs

    ReplyDelete
  3. Margarida, foi uma das formas pra responder e agradecer aos comentaristas e visitantes rs
    Happy Halloween tambem!!!

    Desabafando, ainda bem que você não teve uma calça cor mostarda, pois uma vez que usei, chamaram-me de Mostarda Cica por alguns dias. Pois é... como é que a gente consegue usar roupas com cores nada convencionais? Até mesmo aqui uso blusas cor de uva (o que me chamaram de Fanta Uva hahaha, menos mal).

    ReplyDelete
  4. O que eu mais amei nesse post, sinceramente, foi o Linus rs... Eu sou apaixonada por ele. Tão louca e obcecada que qdo fui na USJ eu tirei tanta foto dele rs... A louca! rs... então.. eu preciso fazer um post Kisarazu pra vc ver e olhei o vídeo do utube q vc mandou... SAUDADES demais!

    Kisu!

    ReplyDelete
  5. Bah, eu sei que você gostou da primeira parte do dorama que te passei porque aparecem a estação, a vista da cidade e a ponte. Sem falar se realmente o campo de beisebol ainda existe e o shotengai onde Bussan e Ani correm pra ir pro boteco do Master ("biru, biru" hahaha) e a casa suspeita da Kisarazu Rose.
    Waaaaaaa! Quero ir pra Universal, mas agora a $$$ tá curta. Imagino você ter corrido atrás do Linus (eu acho ele fofo demais!)
    Beijao!

    ReplyDelete