Saturday, October 09, 2010

O Sonho Não Acabou


Se John Lennon não tivesse deixado este mundo, hoje ele faria setenta anos.

Sim, isso mesmo que leram: setenta anos. Muitas vezes penso como seria hoje se Lennon estivesse vivo. Será que ainda estaria fazendo as canções de conteúdo de crítica social mas de forma ácida e irônica como nos anos 70 ou estaria aposentado? Estaria fazendo concertos ou shows mais intimistas? Há quem diga que, os anos passam, os artistas que outrora no passado revolucionavam as gerações, escandalizavam os conservadores, hoje alguns servem de inspiração para as futuras gerações (será?), outros mudaram radicalmente de estilo e de vida, outros mantiveram o mesmo pique e até fizeram um upgrade.

Voltando a Lennon: desde que ele nos deixou de forma abrupta em 8 de dezembro de 1980, até hoje muitos e muitos prestam homenagens a ele, seja em forma de músicas, referências, quadrinhos, literatura, cinema... Podem achar exagero, mas volta e meia algum programa ou alguma reportagem, ou até mesmo no cenário artístico, sempre menciona ou o quarteto Beatles ou John Lennon.

Inclusive o site Google (ou o "Oráculo" como diz a Fabi ou "seo gúgol" como a Desabafando) prestou uma homenagem a Lennon pelo seu septuagésimo aniversário - os famosos Google Doodle (lembram do post que mencionei dos Cinquenta Anos dos Flintstones?), que tematiza o logotipo do site de forma subliminar, mas é um show de criatividade (no YouTube também). Se clicasse no botão vermelho, toca 30 segundos da canção "Imagine" com a animação do logotipo do Google. Ah, desculpem - é que eu acesso o Google Japan em casa (e no trabalho também uso para caso de pesquisas, traduções...)

Confesso um pouco que falar de Lennon dá assunto pra inúmeros posts e posts. Não tem como evitar. Há quem lembre muito de Lennon devido a "Imagine" ou a militância em "Working Class Hero", o pacifismo em "Give Peace a Chance", o amor em "Love" e "Woman", o rocker em "Stand By Me" (muito embora o original não seja de Lennon, foi com ele que a música ficou conhecida)... Têm muitas composições, desde a época dos Beatles até 1980. Sem falar do lado artístico dele - pouca gente sabe, mas antes de ele entrar de vez na carreira de músico, estudou artes no Liverpool Art College. E quando criança, fazia pequenos jornais com desenhos, colagens e contos.

Lennon publicou - em vida - dois livros: "Escrito por ele mesmo" ("In His Own Write", 1964) e "A Spaniard in the Work" (1965), que seriam contos beirando o non sense com ilustrações dele próprio. Os dois livros saíram no Brasil em um volume só, traduzido por Paulo Leminski, em 1985.

Sem falar que, para a data, a gravadora EMI (com o aval da segunda esposa Yoko Ono) lançou a obra completa de Lennon devidamente remasterizada, com material inédito, como demos de estúdio por exemplo.

Claro que a blogsfera vai estar postando artigos sobre Lennon, porque ele sempre será eterno. Um deles que chamou-me a atenção, é a da Margarida, do Banzai - vale a leitura com direito a ilustração do artista plástico japonês Tadanori Yokoo.

No site oficial do youtube, também estarão disponíveis os vídeos de mensagens de Yoko Ono, Ringo Starr, Brian Wilson entre muitos outros. E em dezembro de 2000, Takuya Kimura interpretou uma das músicas mais tocantes de Lennon ainda fase dos Beatles - "In My Life".

Fotos do artigo de hoje, via seogugol, salvador dos perdidos.

Antes que me perguntem, eu respondo: de outubro de 2000 a 30 de setembro de 2010, ao lado do estádio Saitama Super Arena, tinha o John Lennon Museum. Eram três andares contendo mais de 170 itens pessoais de John Lennon, que Yoko Ono disponibilizou para o público, além de ter um espaço para cerimônias matrimoniais. Devido a um acordo que o espólio e a mantedora do local, o museu fechou este ano - o acordo era de dez anos. Mas Yoko não descarta a possibilidade de um dia o museu poder ser aberto em outro lugar no Japão.

5 comments:

  1. OI!
    Obrigada pelo link para o Banzai, mas seu texto está bastante melhor e mais completo que o meu.
    Infelizmente não visitei esse museu...mas amo a banda! Sou capaz de ouvir vezes seguidas, e aho que apesar da popularidade, há temas lindos e muito pouco conhecidos. O Norwegian Wood é um deles.
    Sabe que comprei esse livro com a obra completa de Tanadori Yoko! Tive que carregar comigo no avião...rsrs.
    Esse poster scanei do livro e dia destes vou postar sobre ele...vc também gosta?
    BEIJOS
    E EXCELENTE FIM DE SEMANA MUSICAL!

    ReplyDelete
  2. Hmmm sabia que vc ia postar sobre Lennon, não na mesma magnitude que o sir Paul rs... mas ficou legal... Sabe, prefiro pensar que ele morreu na hora certa. Decerto sr. Lennon com 70 anos seria mais um Fabio Junior da vida rs... tentando sobreviver com seus sucessos rs... assim como não gosto de imaginar como estariam outros que admiro, como Janis Joplin, Jimi Hendrix, Bob Marley, James Dean, Jim Morrison... Vc consegue ver que isso não tem graça? Acaba todas as impressões que eles deixaram.

    Por outro lado, se David Gilmour do Pink Floyd (meu amor numa vida passada rs) tivesse morrido na época dos LSD hj não teríamos um material tão rico quanto o PULSE....

    Meant to be!

    Kisu!

    ReplyDelete
  3. Muito legal esse post! quando se fala dele logo lembro de "Imagine" ouvi tanto Beatles na minha infância graças a meu pai. Então ouvir qualquer coisa deles traz lembranças a minha memória!

    ReplyDelete
  4. Margarida (banzai), domo arigatou! Sobre o museu, infelizmente também não pude ir (pela terceira vez), mas espero que reabra nem que seja no mesmo lugar, pois era um lugar tranquilo, sem agitações (e olha que o Saitama Super Arena fica ao lado!).
    Imaginei que você tinha comprado o livro do Tanadori Yokoo. Uma vez, assistindo ao finado programa "Wasurebumi - Beautiful Season", conheci melhor sobre suas obras, pois Yokoo foi entrevistado por Inagaki na época.
    Beijao!

    Bah, posso até apanhar de muita gente, mas nunca consegui ouvir direito a carreira solo de Lennon, mesmo porque a discografia dele no Brasil, era muito dificil de encontrar. No maximo eram os dois "best of" e olha lá!
    O que você falou é verdade: pode soar frio, mas muitos dos artistas citados foram embora na hora certa no momento certo. Não conseguiria mesmo imaginar Lennon nos palcos aos 70 anos bem como a Janis, Jimi, Jim... Realmente, perderia mesmo a graça!!!
    Mas têm outros que valem a pena continuar (como David Gilmour).
    Beijao!

    Desabafando, acredite, mas uma das primeiras músicas de Lennon que ouvi ainda vivo foi "Stand By Me"...
    Beijao!

    ReplyDelete
  5. Eu tb tenho a impressão de que ele não morreu, ou que seja uma espécie de santo, Jesus, alguém que já se foi mas está presente porque muitas pessoas se lembram dele. Vc fez um belo post sobre ele. obrigada pelas felicitações no meu aniv. de 2 anos de blog. Saiba que vc tb está me ajudando a contrui-lo com seus comentários e dicas. obrigada,
    Elisa

    ReplyDelete