Tuesday, December 28, 2010

O Festival do Vermelho e Branco - Kouhaku Utagassen - Parte 4

Lista de chamada de 2008 - Primeira fila em pé, da esquerda pra direita - Yusaku Kiyama; Kurei e Iseki (Kimaguren); e Yoshiki Mizuno, Kiyoe Yoshioka e Hotaka Yamashita (Ikimono Gakari). Segunda fila, em pé, da esquerda pra direita - Junsu, Yoochun, Jejung, Changmin e Yuh-ho (Tohoshinki); Daisuke Suzuki, Chisa e Yuji Inoue (Girl Next Door) e Junko Akimoto. Terceira fila, sentados, da esquerda pra direita -  Yuka Kashino (Kashiyuka), Ayaka Nishiwaki (A-chan), Ayano Omoto (Nocchi) (Perfume); Thelma Aoyama; Nozomi Ohashi e Naoya Fujimaki. 


Quem sempre - ou quase - "bate cartão" no evento... (Ala Feminina)

Helloooou everybody! Depois de um final de semana de festas, vamos terminando logo essa saga que daqui a pouco vira um épico de Hollywood. Por que dedicando muito a esse evento? Porque aqui já virou patrimônio cultural e faz parte da cultura daqui, querendo ou não. Ponto.

Na parte anterior, mencionei os artistas que participarão este ano. Lembram que dentro dos parênteses informei que indica quantas vezes já participaram e o número (1) seria a primeira vez? Pois é... E tem artista que desde que começou a carreira, bateu ponto no evento todos os anos. Não, desde que começou o evento, aí o artista deveria ter pelo menos hoje uns 80 a 85 anos de idade... Mas também não vou explicar todos, porque sei que ninguém vai ter paciência de ler meus post-biblia (™  da Bah)...

- aiko (9 vezes): começou bem na virada do milênio, junto com outras artistas, como hitomi e Yaiko (Hitomi Yaida). Ela mais se destaca devido às suas composições geralmente fazendo muito pouco uso de eigo (o inglês pronunciado no estilo japonês), não tem visual apelativo (ela aparece bem simplesinha), não faz o gênero bakawaii (bonita, mas lesada como uma porta) e suas músicas vão do pop romântico às acústicas. Para quem não sabia, ela manteve um relacionamento de quase sete anos com o tecladista do TOKIO Taichi Kokubun. A música que ela interpretará - "Mukai Awase" (literalmente "Os opostos combinam") - foi tema do filme "Darling wa Gaikokujin" ("Meu Amado é Estrangeiro"). Detalhe: aiko tem 35 anos e não parece a idade que tem!

- Angela Aki (5 vezes): mestiça de pai japonês (o pai é co-fundador da rede de escolas de línguas Aeon Corporation) e mãe italo-americana, nascida em Tokushima (Shikoku, a tal da "ilha da vaquinha") ela ganha destaque pelo fato de: 1) apresentar-se com um piano de cauda; 2) não ser exemplo de beleza padrão aqui - Angela usa óculos, veste-se bem descolada (tênis, jeans e camiseta, segundo ela, é pra ficar mais à vontade quando toca) e seu cabelo é do estilo "bagunçado com estilo"; 3) seu estilo vocal transmite emoção devido às músicas que compõe, sobre juventude, vida e família. "Kagayaku Hito", do último álbum "Life", foi tema do programa da NHK "Kokoro no itenshi ~anata ga itakara" que passou no primeiro semestre do ano.

- Ikimonogakari (3 vezes): trio formado pela vocalista Kiyoe Yoshioka, o guitarrista Hotaka Yamashita e o segundo guitarrista Yoshiki Mizuno, o nome significa "pessoa que cuida de plantas e animais" durante o curso primário no Japão. Yamashita e Mizuno estudaram juntos desde o primário e coincidentemente o irmão de Yoshioka estudou com a dupla no ginasial.  O estilo do trio lembra o My Little Lover, Brillant Green e Every Little Thing em início de carreira, mas fazem músicas agradáveis de ouvir. "Arigatou" foi tema do asadora da NHK "Gegege no Nyoubu", cuja audiência foi uma das maiores para uma novela matinal. Correram boatos de que o trio iria parar no ano que vem, fato desmentido pelo trio via twitter e programa de rádio.
O trio simpatia Ikimono gakari : da esquerda pra direita e é desta forma que sempre se apresentam nos palcos, nas entrevistas, nas fotos... Yoshiki Mizuno, Kiyoe Yoshioka e Hotaka Yamashita.


- Kana Uemura (primeira vez): Nascida em Hyogo, Uemura iniciou a carreira musical em 2005, como cantora de rua (assim como fizeram Yuzu e Ozaki Yutaka). Ficou conhecida este ano devido ao lançamento de um single promocional "Toilet no Kamisama", que seria uma balada acústica sobre a sua falecida avó. Detalhe: a música vai ser a segunda mais longa a ser apresentada no Kouhaku Utagassen (tem nove minutos e tanto), sem cortes. Apesar do título ser estranho, Uemura não fala a palavra "kamisama" e sim "megami" (deusa). E ela faz uso muito do dialeto de Kansai na música toda.

- Kumiko (primeira vez): Não era muito conhecida no mundo musical, fazia mais teatro. Sua música mais recente - Inori - foi composta pelo sobrinho de Sadako Sasaki. Daí o fato de Kumiko apresentar-se no evento devido a música ser sobre paz e esperança. ("inori" significa "rezar, orar").

- Kumi Koda (6 vezes): Se Ayumi Hamasaki é mais romântica, Koda é mais provocativa (tanto no visual como nas músicas), e mais realista também (suas músicas abordam sobre temas tabus de amor e sexo). Apesar de ter tido a fase "meu passado me condena" como ter tentado ser uma das Morning Musume e do infeliz comentário em 2008 sobre "quanto mais tarde pensar em ter filhos, o líquido amnioático apodrece", o que quase sua carreira vai por água abaixo. Mas depois de mais de uma hora e tanto se justificando numa entrevista (sim, Koda quer casar logo e ter filhos), ela voltou com a força total. Ainda bem que ela foi reprovada no audition pra ser Morning Musume, senão Koda jamais teria o sucesso que vem tendo hoje. Aliás, recentemente, ela fez uma sessão de fotos no Brasil (conheço um digníssimo rapaz que ama, adora, venera e se possível vende a alma pra ter tudo dela, e conseguiu o livro)... No evento, ela fará uma seleção especial. Foto ao lado, Kumi Koda em maio de 2010 ao receber - pela 5a. vez consecutiva - o prêmio de Best Jeanist  - personalidades que ficam bem em jeans, premiação feita pelos fabricantes de roupas do Japão. Se ganha o prêmio por 5 anos seguidos, no ano seguinte não poderá mais participar - quem já pertence aos pentacampeões seriam a própria Koda, Kazuya Kamenashi (KAT-TUN), Takuya Kimura e Tsuyoshi Kusanagi (ambos do Smap).

- Sachiko Kobayashi (32 vezes): Sem ela, o Kouhaku perde a graça. Mais do que suas músicas enka bem dramáticas, o forte dela nas apresentações do evento é o estilo que ela se apresenta. Todo ano muita gente quer saber o que ela vai aprontar. Digo assim, porque as fantasias que ela utiliza no Kouhaku são de invejar qualquer alegoria de Carnaval. Não sei dizer de onde saiu a lenda urbana do evento sobre a "guerra das fantasias" protagonizado por ela e Kenichi Mikawa, mas sem a presença do segundo, tenho uma leve impressão que a audiência vai cair... Só teve uma vez que ela deixou de apresentar-se com a alegoria - em 2004, devido ao terremoto de Niigata, sua terra natal, Kobayashi apresentou-se com um quimono preto, em respeito aos moradores da província.

- Fuyumi Sakamoto (22 vezes): Muito embora ela seja conhecida mais no mundo enka com direito a algumas apresentações no Brasil, Sakamoto já foi vocalista de uma banda de rock com Haruomi Hosono (Yellow Magic Orchestra) e Kiyoshiro Imawano (RC Succession), fez uma paródia com o anime Sailor Moon, no papel da Sailor Saturno e destacou-se desde o ano passado com a cover do cantor folk Billy BanBan com "Mata Kimi ni Koi shiteru", cuja apresentação do 60゙ Kouhaku deixou o quimono de lado e apresentou-se de tailleur.

- Kana Nishino (primeira vez): Apesar do visual adotado pelas Shibuya gyaru, Nishino começou a cantar música folk japonesa e tradicional. Seu contrato com a gravadora Sony foi rápida - aos 16 anos, sua mãe mandou uma fita demo para um concurso sem ela saber e foi aprovada. Tem forte influência em R&B. Atualmente é uma das cantoras mais jovens a pertencer a uma gravadora major fora do círculo da avex, que possui artistas jovens.


- Ayumi Hamasaki (12 vezes): Será ela quem vai abrir o festival. Embora a concorrência seja forte (leia-se: Kumi Koda), Ayu ainda consegue manter público fiel (embora não esteja aparecendo na mídia como antes, fato que ela virou referência no modo de vestir e se maquiar, sua estratégia de marketing é bem-feita). Motivo que ela vai ser a primeirona a aparecer - logo depois tem o show dela que faz anualmente, no Kokuristu Yoyogi Kyogijo - o "ayumi hamasaki COUNTDOWN LIVE 2010-2011 A ~ do it again ~" - e explica-se porque toda vez que ela participa do Kouhaku, não fica até o final. Detalhe: o Ginásio Nacional de Yoyogi (tradução do local) fica a alguns metros do NHK Hall...

- Perfume (3 vezes): O trio de technopop de Hiroshima - Kashiyuka, Nocchi e A-chan - são as queridinhas dos programas "Music Station" e "CountDown TV". Embora seja um technopop estilo bem pop mesmo, elas afirmam que a influência veio do trio Yellow Magic Orchestra e do grupo alemão Kraftwerk. Com o hit "Polyrhythm", elas fizeram parte da campanha de ecologia promovida pela NHK. Com "Voice", foram "cangurus-propaganda" da campanha dos veículos da Nissan. O último single "Nee", é da campanha das lojas Natural Beauty Basic, em que elas participam. Confesso: no começo, eu achava o estilo das músicas delas muito estranho, mas sabe quando com o tempo vai ouvindo, vai conhecendo e vai acostumando? Sem falar que elas são fofíssimas, bonitinhas sem precisar apelar pra excessos. (Pior que toda vez que ouço "Polyrhythm", primeiro sucesso que estourou, lembro da paródia do "Music Stage presents Percume") Da esquerda pra direita, Kashiyuka, A-chan e Nocchi, quando foi a primeira vez no Kouhaku, em 2008.

- Akiko Wada (34 vezes): Akko-san, como ela é conhecida, é famosa pelo seu estilo eclético de cantar - ela começou como cantora de soul music, ao ponto de ter sido a primeira artista asiática a fazer uma apresentação no famoso Apollo Theater, meca dos godfathers and godmothers da soul music como James Brown, Aretha Franklin, Etta James, Sam Cooke, entre outros. Metade do mundo sabe que ela não possui 100% sangue japonês - ela é filha de japonês com coreana (zainichi kangoku) -, fumava pra caramba, gosta de jogar, tem uma língua afiada pra caramba,  mas não importa. O que importa é que a mulher tem um vocal potente a ponto de nem precisar de microfone para cantar.

Quem deveria ter sido chamada...


- Mika Nakashima. Ano passado ela fez uma apresentação bem feita, poderia ter sido chamada este ano também, já que ela estava bem cotada. Mas quando junta problema de saúde e repouso absoluto, torcer para que ano que vem ela volte com a carga toda (bem, ela já remarcou os shows que teve que cancelar).

- Mai Kuraki. Também voltou a fazer sucesso, mas não entendo mesmo esse critério dos organizadores. Das duas, uma: ou ela recusou ou não lembraram dela.

- Kaela Kimura. Se não fosse a licença maternidade, ela poderia participar pela segunda vez.

- Seiko Matsuda. Ok. A mulher já está com trinta anos de carreira e quase com 50 anos. Também queria saber porque não chamaram a veterana da era Showa da j-pop. Por que Hiromi Go estará lá? Por que o dinner show que fará (ou já fez, não sei) era mais rentável financeiramente? (Ou porque aparecer como Princess Seiko como no filme "Yajima Beauty" junto com o trio formado pelo Tunnels e DJ Ozma seria "meu passado vai eternamente me condenar"?)
Imagine se a família Yajima, do Yajima Beauty Salon, encontra com a Princesa Seiko, idala delas no Kouhaku... bem, melhor nem pensar muito não... (nota: o filme "Yajima Beauty Salon The Movie" foi lançado este ano. O trio em sentido horário - formado pela matriarca Margareth (Noritake Kinashi), pela filha caçula Strawberry (Takaaki Ishibashi) e pela primogênita Naomi (DJ Ozma) - começou como brincadeira no finado "Utaban"...)


Esses seriam alguns exemplos. Eu sei que vai ter mais, eu sei...

Fotos: tudo tirado do seogugol mesmo. 

5 comments:

  1. Comentando a galeria de habitués do Kouhaku Utagassen, com meu já famoso "comentário-bíblia"

    aiko: Sempre se destacou por sua música, em vez do visual. E tem mais de uma dezena de sucessos: "Kabutomushi", "Hanabi", "Shiawase", "Star", "Boyfriend", "Kisshug". Música para ouvir direto.

    Ikimonogakari: Podem impedir o tricampeonato do Exile no Record Taisho. Tem grande chance.

    Koda Kumi: Abalou as estruturas no Rio de Janeiro, destaco algumas das fotos dela no RJ.
    http://s122.photobucket.com/albums/o242/raphavachelli/TOP%20JAPAN%20OUT/?action=view&current=p1010477.jpg
    A capa do photobook é no Centro do RJ. É o cruzamento da Avenida Passos com a Rua da Alfândega, na entrada para o SAARA, que é o equivalente carioca da 25 de Março. O prédio do lado esquerdo (lado direito da Koda) é uma agência da Caixa Econômica Federal, atrás da banca de jornal com a faixa "Compro Ouro".

    http://s122.photobucket.com/albums/o242/raphavachelli/TOP%20JAPAN%20OUT/?action=view&current=p1010479j.jpg
    Esse estacionamento fica na Avenida Passos, é onde os funcionários da sede administrativa do Detran-RJ e os lojistas do SAARA (tem alguns chineses e coreanos, mas a maioria dos lojistas continua sendo de origem sírio-libanesa) guardam seus carros. Esse muro desgastado com esssa grade enferrujada foi trocada alguns meses depois.

    http://s122.photobucket.com/albums/o242/raphavachelli/TOP%20JAPAN%20OUT/?action=view&current=p1010515v.jpg
    Em frente ao Bellini, na entrada do Maracanã, no meio da torcida do "mais querido". Só faltou mesmo uma foto da Koda vestindo a camisa do meu Flamengo.

    http://s122.photobucket.com/albums/o242/raphavachelli/TOP%20JAPAN%20OUT/?action=view&current=p1010480o.jpg
    Fazendo careta em um orelhão da Oi.

    Ideias para outro photobook no Rio de Janeiro não faltam. Se é a beleza natural das praias, a Região dos Lagos e a Barra da Tijuca são bons cenários. Se é a natureza verde misturado com o histórico, uma ida a Petrópolis/Teresópolis/Pati do Alferes/Miguel Pereira faz muito bem. Se a intenção é fazer algo mais exótico misturado com o popular, Madureira é o cenário perfeito.

    ReplyDelete
  2. Voltando ao assunto original:
    Kobayashi Sachiko: É outra que também deve buscar inspiração no Rio de Janeiro, mas não na Rua da Alfândega e sim na rua paralela, a Rua Senhor dos Passos, onde está instalada a tradicional Casa Turuna, especialista em artigos carnavalescos, lá tem tudo o que a Kobayashi Sachiko precisa para fazer seu espetáculo.

    Sakamoto Fuyumi: Esteve no Brasil, pelo o que foi documentado, em 2000, com uma apresentação no Via Funchal, em São Paulo. Recentemente quem veio foi a Harada Yuri, com uma apresentação no Bunkyo, na Liberdade. Mas já vieram vários cantores de Enka para o Brasil, só que de uns tempos pra cá o que vem vindo são apenas cantores de animesong. E essa vez que a Sakamoto Fuyumi cantou "Moonlight Densetsu" foi no Kouhaku de 1993, que eu assisti pela primeira vez em 2002, foi meu primeiro Kouhaku e eu já entendia alguma coisa de música japonesa. Passaram o VHS e eu fiquei comentando algumas músicas. Quem viu só entendeu mesmo o "Moonlight Densetsu" com Sakamoto Fuyumi, Moriguchi Hiroko e Nishida Hikaru. Mas quem viu gostou do X-Japan, J-Walk e Dreams Come True. E ficaram boiando no Mikawa Kenichi e alguns deram risada do estilo do Hikaru Genji. Dureza foi explicar as músicas enka para quem só conhecia Pegasus Fantasy e Haruka Kanata.

    Hamasaki Ayumi: A abertura já está virando tradição.

    Wada Akiko: Meta-se a besta com a Akko-san e vai desejar nunca ter nascido. E além de sua voz que é medida na Escala Richter, é sua língua pra lá de afiada e seu jeitão de "oyabun" que fazem a diferença, e ainda tem uma capacidade tremenda de inovar na música.

    E comentando sobre a não-convocação da Matsuda Seiko: Tem coisas que nem Freud explica sobre a NHK. 30 anos de carreira é quase uma chamada obrigatória para o Kouhaku. Eu aos 16 anos tive meu primeiro contato com a música da Seiko, e foi logo com "Garasu no Ringo". De lá pra cá basta dizer que o saldo para mim começa com um disco de vinil importado, e por aí vai. E esse filme da Yajima family (composta pelos amalucados Tunnels com o mais pirado ainda DJ Ozma, que não pode mais nem passar pela porta do NHK Hall) não será queima-filme da Seiko. 30 anos aprontando tudo e mais um pouco, um filme a mais, outro a menos não vai fazer tanta diferença.

    Faltam 3 dias para o Taisho e 4 para o Kouhaku. E contando.

    ReplyDelete
  3. Eu acompanhei alguns clipes dessa Angela Aki e ela toca muito bem... aliás, ela também canta muito bem... koda kumi não curto muito, ela tem uma pinta de Madonna com Lady Gaga japa que sei lá, não me desce, principalmente por causa da voz, que acho uma gralha distorcida rss (tá, exagerei um pouco rs), Pra mim Mika Nakashima sempre será cotada rs... sou suspeitíssima pra falar porque adoro ela de todas as formas rs... mas fiquei chateada com o "esquecimento" (será?) da Mai Kuraki... ela canta tão bem.. Tenho o DVD dela aqui em casa....

    Aproveito e desejo um feliz ano novo pra sra. e o sr. Kinguio rs.... que 2011 traga muita paz nesse ano branquinho, peludinho do Coelho rs...

    Kisu!
    Kisu!

    ReplyDelete
  4. ola queridona,
    li o post e confesso que nao conheco a maioria dos que vc comentou.
    :D
    tenho que corrigir urgentemente ne?hahha...
    aproveitando,quero te desejar um ano novo maravilhoso para vc e o namorido,
    um beijao.

    ReplyDelete
  5. é! mas quero respeito com Seiko Matsuda.

    ReplyDelete