Friday, December 31, 2010

O Festival do Vermelho e Branco - Kouhaku Utagassen - Parte 6

”A Unica Flor em Todo o Mundo", encerrando a noite do Kouhaku Utagassen em 2003 com o quinteto Smap (da esquerda pra direita: Goro Inagaki, Takuya Kimura, Tsuyoshi Kusanagi, Shingo Katori e Masahiro Nakai).


A Ordem dos Fatores Altera o Produto...


Espero que esta seja a última parte... (Mas no ano que vem vai ter o resultado final, opinião daquela que vos posta)

Muitos espectadores e admiradores do festival, querem saber quem vai abrir e quem vai encerrar. Especialmente quem vai encerrar, pois seria o final do evento. E tem que ser com grande estilo. Principalmente o Shirogumi (ou Equipe Branca).

Até 1979, geralmente quem encerrava a noite eram cantores de enka. No ano de 1980 foi surpresa para muita gente quando anunciaram que, quem encerraria o evento (o chamado ootori) seriam cantores da j-pop, o que deixou os mais conservadores com o cabelo (se é que tivesse) em pé, pois se já era meio ousadia incluir grupos de j-pop no evento tradicional, imagine deixar encerrar!

Naquele ano, quem encerrou para a Equipe Vermelha, foi Momoe Yamaguchi. O motivo - naquele ano seria o último de sua carreira, que no ano seguinte parou com tudo para casar-se com o ator Tomokazu Miura (que já tinha feito vários filmes juntos antes) e levar uma vida de dona de casa e ser mãe. Até hoje ela reluta em voltar a vida artística. Houve quem culpasse Miura pela sua reclusão, mas foi escolha dela mesma. Muitos atribuem o fato de Momoe não ter tido companhia paterna e também ter começado a carreira artística muito cedo demais. Mesmo não aparecendo para a mídia, ela vai continuar sendo referência pra muita cantora (e cantor). Na apresentação, interpretou um de seus últimos sucessos - "Playback Part 2".
Momoe Yamaguchi, a eterna diva do j-pop dos anos 70, em apresentação final no Kouhaku Utagassen de 1980, com "Playback Part 2" (relembre sua apresentação aqui, se não retirarem antes...)

Para a Equipe Branca, o susto foi maior ainda. Foi Kenji Sawada (a.k.a. em alguns albuns, Julie). Nos anos 60, fez parte do grupo The Tigers, um dos principais pela onda de "Group Sounds", nome dado a grupos de música japonesa inspirado pelos Beatles. E também foi um dos grupos que foi banido pela NHK alegando que eles seriam uma "má influência para os jovens", talvez devido a um incidente ocorrido em pleno show deles em Nara, onde a arquibancada caiu e ferindo alguns espectadores (o grupo estava para ser escalado para apresentar-se no Kouhaku, mas o comitê substituiu pelo quinteto Jackie Yoshikawa and the Blue Comets. The Tigers levou vinte e dois anos para se apresentarem, foi em 1989). Quando Sawada apresentou-se com a balada "Love Dakishimetai", era uma das poucas apresentações dele que fugia do padrão meio andrógino (como em "Katte ni shiagare").
Kenji Sawada (ou Julie), encerrando o evento de 1980 com "Love Dakishimetai", apresentando-se um pouco mais contido do que no ano anterior com "Katte ni shiagare", em que ele apareceu de calça de couro, camiseta esfarrapada com strass, e de cartola e bengala. Relembre a música aqui, antes que retirem...


Só que pra outro cantor ou grupo de j-pop encerrar a noite para o Shirogumi levou muito mais tempo do que para a Equipe Vermelha (em 1997, com Namie Amuro, quando anunciou sua licença maternidade, já faziam 17 anos que nenhuma cantora de j-pop encerrava pelo Akagumi). Na verdade era para ser em 1992, quando o Checkers já tinham anunciado o término de suas atividades e o Kouhaku seria a última apresentação. Mas sabe quando apelo até dos participantes não resolve? O grupo apresentou na segunda metade do programa, mas bem no começo, antes do Kome Kome Club, porque depois só foi festival de enka.
Nosso passado nos condena, mas nosso som nunca: The Checkers, no início de carreira com os trajes que deram origem ao nome do grupo, mas suas músicas diferiam dos j-pop dos anos 80 - uso de saxfones e guitarras e letras bem divertidas, como "Giza Giza Heart Komori Uta", "Julia no Heartbreak", "Song for USA", "Namida no Request", entre muitas. Sacanagem a comissão (des)organizadora não terem posto eles pra encerrar. Sabe quando eles vão se reunir novamente? Agora nunca mesmo (pois o baterista Yoshiya Tokunaga faleceu em 2004). Do grupo, quem faz mais sucesso comercialmente é Fumiya Fujii (na foto, que está de boina vermelha).


Vinte e três anos depois da apresentação de Kenji Sawada, finalmente o Shirogumi conseguiu ter um grupo de j-pop para encerrar a noite do evento. Em 2003, depois de doze participações quase ininterruptas (exceto em 2001), o quinteto Smap foi o escolhido. Motivo maior - a música "Sekai ni Hitotsu Dake no Hana" foi muito tocada o ano todo, considerada por muitos como uma canção de paz (existe um episódio do programa semanal do quinteto que, em 2002, para cumprir uma prova - fazer uma esquete de preaquecimento em programa de TV ou teatro... nos Estados Unidos -, no final Goro Inagaki e Shingo Katori usaram o dinheiro ganho da esquete para fazer um mural com pacotinhos de sementes de flores para qualquer transeunte pegar e levar para casa e plantar. Foi na época em que o mundo estava em alerta devido aos atentados as torres Gemeas). Isso porque, a versão original somente fazia parte do 15゚álbum do grupo, só ficou bem mais conhecida na turnê nacional. E pensaram que eles iriam fazer uma superprodução? Eles apresentaram-se de branco com o fundo do palco original.

Depois disso, o quinteto novamente encerrou o evento em 2006, com "Triangle" (quem viu o promotion video é um dos mais tocantes que eu já vi do grupo).

No caso do Akagumi, a hoje dupla Dreams Come True foi encerrar o evento no ano passado. E a dupla formada por Miwa Yoshida e Masato Nakamura muitas vezes somente ficavam quase se apresentando no final, até que em 2009 ficou para encerrar pela equipe vermelha (muito embora muita gente quisesse que Ayaka encerrasse, pois ela estava se despedindo da carreira artística para poder cuidar da saúde, e não porque o Hiro Mizushima, seu esposo, queria que ela parasse por terem casado, como muita gente maldosa andou espalhando por aí). Ao contrário que muita gente imaginava, Nakamura e Yoshida não são marido e mulher. Yoshida foi casada com o diretor Takashi Sueda por quatro anos, quando ele faleceu em 2007 de leucemia ( o álbum de 2007, "And I Love You", Yoshida dedica a faixa título ao marido).
Masato Nakamura e Miwa Yoshida - a dupla que desde 1988 ainda mantem-se nas paradas de sucesso e também na mídia com suas músicas que agradam a muitas faixas etárias.

Este ano, eu sei que tinha muita gente (inclusive eu) que estava crente que, quem encerraria o evento pelo Akagumi e Shirogumi respectivamente seriam o AKB48 e o Arashi, motivos de que 1) Ficaram em evidência o ano todo; 2) dominaram todas as paradas de sucesso; 3) no caso do AKB48, o empresário Atsushi Akimoto iria "dar um jeitinho" de fazer o comitê incluir elas pra encerrarem (já que as membros principais foram sendo encaixadas em tudo o que é programa de TV por aí); 4) Já que o Arashi foi o representante do Shirogumi, seria meio que lógico que, já que tinham que ficar até o fim mesmo, então eles encerrariam o evento.

Os prognósticos de muita gente deram errado: logo que saiu a ordem dos participantes no dia 26, teve gente que deve ter se assustado mesmo. Quem vai encerrar pelo Akagumi, vai ser pela segunda vez consecutiva a dupla Dreams Come True (com "Ikiteiku no desu") e pela terceira vez (não consecutiva) o quinteto Smap (com "This Is Love '10 Medley Special"). Agora, os motivos, desta vez eu juro mesmo - não sei explicar, mas antes que falem que as duas vezes anteriores "o Smap somente encerrou o evento porque quem representava o Shirogumi naquelas vezes era o Masahiro Nakai (líder do quinteto)", por favor, vejam os eventos de 2003 e 2006 e vejam quem foi que representava o Shirogumi nos dois anos.

Além disso, quem lembra de uma postagem minha que, quem deveria participar do evento era o Keisuke Kuwata do Southern All Stars? Pois sim, no mesmo dia que confirmou quem iria encerrar o evento, Kuwata confirmou sua participação especial, sim. Será a primeira apresentação depois da cirurgia que sofreu para a retirada de um tumor no esôfago, em julho deste ano. Dizem que ele ainda continua com a mesma voz, mas estava dando um repouso porque ano que vem ele vai tirar o atraso: devido a cirurgia e tratamento, teve que cancelar a turnê nacional e sua presença no evento anual que faz na primeira semana de dezembro o Act Against Aids.
Mas eu falei que não era pra ficar espalhando pra todo mundo que eu vou participar especialmente no programa, pois eu queria fazer surpresa...


A autora lesada volta somente ano que vem.


Update em cima da hora: tive que editar um paragrafo pois errei feio no nome da música em que o Smap encerrou o Kouhaku de 2006 - não era "Arigatou" e sim, "Triangle". Já fiz a correção.

3 comments:

  1. Ahahah "o passado nos condena" é o melhor... tá louco... esse povo ai tá com uma roupa de festa junina rs...

    Queria que vc postasse um dia sobre o Ken Hirai... afinal ele é um dos poucos cantores que são gatinhos rs...

    Kisu!

    ReplyDelete
  2. Oi Bah, respondendo meio atrasada, mas vamos curando da ressaca rs

    hahaha Pior que o septeto Checkers levaram ao pé da letra - eles quase se apresentavam dessa forma - xadrez dos pés a cabeça! E pensar que nos anos 80 o pessoal usava roupa dessa forma (tirando a padronagem)...

    Quanto ao Ken Hirai, pode deixar que em breve, vai ter algo sobre ele, mas nada de fofoquinha (talvez ) rs

    Beijao!

    ReplyDelete
  3. Piggy, Parabéns pelo seu blog. Muito legal mesmo.

    Deixa eu te dizer que o KOUHAKU que terminou com a Momoe Yamaguchi e o Kenji Sawada NÃO FOI o de 1980, e, sim o de 1978 (que teve vitória dos homens).

    Beijos e bom ano.

    Saudações desde Nova Friburgo, região serrana do estado do Rio de Janeiro.

    ReplyDelete