Friday, December 31, 2010

O Festival do Vermelho e Branco - Kouhaku Utagassen - Parte 6

”A Unica Flor em Todo o Mundo", encerrando a noite do Kouhaku Utagassen em 2003 com o quinteto Smap (da esquerda pra direita: Goro Inagaki, Takuya Kimura, Tsuyoshi Kusanagi, Shingo Katori e Masahiro Nakai).


A Ordem dos Fatores Altera o Produto...


Espero que esta seja a última parte... (Mas no ano que vem vai ter o resultado final, opinião daquela que vos posta)

Muitos espectadores e admiradores do festival, querem saber quem vai abrir e quem vai encerrar. Especialmente quem vai encerrar, pois seria o final do evento. E tem que ser com grande estilo. Principalmente o Shirogumi (ou Equipe Branca).

Até 1979, geralmente quem encerrava a noite eram cantores de enka. No ano de 1980 foi surpresa para muita gente quando anunciaram que, quem encerraria o evento (o chamado ootori) seriam cantores da j-pop, o que deixou os mais conservadores com o cabelo (se é que tivesse) em pé, pois se já era meio ousadia incluir grupos de j-pop no evento tradicional, imagine deixar encerrar!

Naquele ano, quem encerrou para a Equipe Vermelha, foi Momoe Yamaguchi. O motivo - naquele ano seria o último de sua carreira, que no ano seguinte parou com tudo para casar-se com o ator Tomokazu Miura (que já tinha feito vários filmes juntos antes) e levar uma vida de dona de casa e ser mãe. Até hoje ela reluta em voltar a vida artística. Houve quem culpasse Miura pela sua reclusão, mas foi escolha dela mesma. Muitos atribuem o fato de Momoe não ter tido companhia paterna e também ter começado a carreira artística muito cedo demais. Mesmo não aparecendo para a mídia, ela vai continuar sendo referência pra muita cantora (e cantor). Na apresentação, interpretou um de seus últimos sucessos - "Playback Part 2".
Momoe Yamaguchi, a eterna diva do j-pop dos anos 70, em apresentação final no Kouhaku Utagassen de 1980, com "Playback Part 2" (relembre sua apresentação aqui, se não retirarem antes...)

Para a Equipe Branca, o susto foi maior ainda. Foi Kenji Sawada (a.k.a. em alguns albuns, Julie). Nos anos 60, fez parte do grupo The Tigers, um dos principais pela onda de "Group Sounds", nome dado a grupos de música japonesa inspirado pelos Beatles. E também foi um dos grupos que foi banido pela NHK alegando que eles seriam uma "má influência para os jovens", talvez devido a um incidente ocorrido em pleno show deles em Nara, onde a arquibancada caiu e ferindo alguns espectadores (o grupo estava para ser escalado para apresentar-se no Kouhaku, mas o comitê substituiu pelo quinteto Jackie Yoshikawa and the Blue Comets. The Tigers levou vinte e dois anos para se apresentarem, foi em 1989). Quando Sawada apresentou-se com a balada "Love Dakishimetai", era uma das poucas apresentações dele que fugia do padrão meio andrógino (como em "Katte ni shiagare").
Kenji Sawada (ou Julie), encerrando o evento de 1980 com "Love Dakishimetai", apresentando-se um pouco mais contido do que no ano anterior com "Katte ni shiagare", em que ele apareceu de calça de couro, camiseta esfarrapada com strass, e de cartola e bengala. Relembre a música aqui, antes que retirem...


Só que pra outro cantor ou grupo de j-pop encerrar a noite para o Shirogumi levou muito mais tempo do que para a Equipe Vermelha (em 1997, com Namie Amuro, quando anunciou sua licença maternidade, já faziam 17 anos que nenhuma cantora de j-pop encerrava pelo Akagumi). Na verdade era para ser em 1992, quando o Checkers já tinham anunciado o término de suas atividades e o Kouhaku seria a última apresentação. Mas sabe quando apelo até dos participantes não resolve? O grupo apresentou na segunda metade do programa, mas bem no começo, antes do Kome Kome Club, porque depois só foi festival de enka.
Nosso passado nos condena, mas nosso som nunca: The Checkers, no início de carreira com os trajes que deram origem ao nome do grupo, mas suas músicas diferiam dos j-pop dos anos 80 - uso de saxfones e guitarras e letras bem divertidas, como "Giza Giza Heart Komori Uta", "Julia no Heartbreak", "Song for USA", "Namida no Request", entre muitas. Sacanagem a comissão (des)organizadora não terem posto eles pra encerrar. Sabe quando eles vão se reunir novamente? Agora nunca mesmo (pois o baterista Yoshiya Tokunaga faleceu em 2004). Do grupo, quem faz mais sucesso comercialmente é Fumiya Fujii (na foto, que está de boina vermelha).


Vinte e três anos depois da apresentação de Kenji Sawada, finalmente o Shirogumi conseguiu ter um grupo de j-pop para encerrar a noite do evento. Em 2003, depois de doze participações quase ininterruptas (exceto em 2001), o quinteto Smap foi o escolhido. Motivo maior - a música "Sekai ni Hitotsu Dake no Hana" foi muito tocada o ano todo, considerada por muitos como uma canção de paz (existe um episódio do programa semanal do quinteto que, em 2002, para cumprir uma prova - fazer uma esquete de preaquecimento em programa de TV ou teatro... nos Estados Unidos -, no final Goro Inagaki e Shingo Katori usaram o dinheiro ganho da esquete para fazer um mural com pacotinhos de sementes de flores para qualquer transeunte pegar e levar para casa e plantar. Foi na época em que o mundo estava em alerta devido aos atentados as torres Gemeas). Isso porque, a versão original somente fazia parte do 15゚álbum do grupo, só ficou bem mais conhecida na turnê nacional. E pensaram que eles iriam fazer uma superprodução? Eles apresentaram-se de branco com o fundo do palco original.

Depois disso, o quinteto novamente encerrou o evento em 2006, com "Triangle" (quem viu o promotion video é um dos mais tocantes que eu já vi do grupo).

No caso do Akagumi, a hoje dupla Dreams Come True foi encerrar o evento no ano passado. E a dupla formada por Miwa Yoshida e Masato Nakamura muitas vezes somente ficavam quase se apresentando no final, até que em 2009 ficou para encerrar pela equipe vermelha (muito embora muita gente quisesse que Ayaka encerrasse, pois ela estava se despedindo da carreira artística para poder cuidar da saúde, e não porque o Hiro Mizushima, seu esposo, queria que ela parasse por terem casado, como muita gente maldosa andou espalhando por aí). Ao contrário que muita gente imaginava, Nakamura e Yoshida não são marido e mulher. Yoshida foi casada com o diretor Takashi Sueda por quatro anos, quando ele faleceu em 2007 de leucemia ( o álbum de 2007, "And I Love You", Yoshida dedica a faixa título ao marido).
Masato Nakamura e Miwa Yoshida - a dupla que desde 1988 ainda mantem-se nas paradas de sucesso e também na mídia com suas músicas que agradam a muitas faixas etárias.

Este ano, eu sei que tinha muita gente (inclusive eu) que estava crente que, quem encerraria o evento pelo Akagumi e Shirogumi respectivamente seriam o AKB48 e o Arashi, motivos de que 1) Ficaram em evidência o ano todo; 2) dominaram todas as paradas de sucesso; 3) no caso do AKB48, o empresário Atsushi Akimoto iria "dar um jeitinho" de fazer o comitê incluir elas pra encerrarem (já que as membros principais foram sendo encaixadas em tudo o que é programa de TV por aí); 4) Já que o Arashi foi o representante do Shirogumi, seria meio que lógico que, já que tinham que ficar até o fim mesmo, então eles encerrariam o evento.

Os prognósticos de muita gente deram errado: logo que saiu a ordem dos participantes no dia 26, teve gente que deve ter se assustado mesmo. Quem vai encerrar pelo Akagumi, vai ser pela segunda vez consecutiva a dupla Dreams Come True (com "Ikiteiku no desu") e pela terceira vez (não consecutiva) o quinteto Smap (com "This Is Love '10 Medley Special"). Agora, os motivos, desta vez eu juro mesmo - não sei explicar, mas antes que falem que as duas vezes anteriores "o Smap somente encerrou o evento porque quem representava o Shirogumi naquelas vezes era o Masahiro Nakai (líder do quinteto)", por favor, vejam os eventos de 2003 e 2006 e vejam quem foi que representava o Shirogumi nos dois anos.

Além disso, quem lembra de uma postagem minha que, quem deveria participar do evento era o Keisuke Kuwata do Southern All Stars? Pois sim, no mesmo dia que confirmou quem iria encerrar o evento, Kuwata confirmou sua participação especial, sim. Será a primeira apresentação depois da cirurgia que sofreu para a retirada de um tumor no esôfago, em julho deste ano. Dizem que ele ainda continua com a mesma voz, mas estava dando um repouso porque ano que vem ele vai tirar o atraso: devido a cirurgia e tratamento, teve que cancelar a turnê nacional e sua presença no evento anual que faz na primeira semana de dezembro o Act Against Aids.
Mas eu falei que não era pra ficar espalhando pra todo mundo que eu vou participar especialmente no programa, pois eu queria fazer surpresa...


A autora lesada volta somente ano que vem.


Update em cima da hora: tive que editar um paragrafo pois errei feio no nome da música em que o Smap encerrou o Kouhaku de 2006 - não era "Arigatou" e sim, "Triangle". Já fiz a correção.

O Festival do Vermelho e Branco - Kouhaku Utagassen - Parte 5

Lista de chamada dos novatos pro Kouhaku Utagassen de 2009: em cima, da esquerda pra direita - o quarteto flumpool e o trio FUNKY MONKEY BABYS; embaixo da esquerda pra direita: Yuusuke, Kaela Kimura e Nana Mizuki.


Quem sempre - ou quase - "bate cartão" no evento... (Ala Masculina)


Antes que a mulherada (maioria dos leitores do sítio) comecem a sentir falta "cadê os homens?", digo que dividi o tópico em dois antes que o post ficasse algo gigantesco e eu sei que ninguém vai ter paciência pra ler.

A equipe masculina ou grupos mistos onde o homem é o vocalista principal, formam o time "Shirogumi". Eles que estão em larga vantagem de vitórias, mas eles não têm culpa se eles capricham mais. Ou porque tem muita carne nova no pedaço... ops, porque a mulherada gosta. Ou não. Tanto faz. (E se nesta lista tem mais comentários de homens, eu não tenho culpa se os homens estão meio com a corda toda)

- ARASHI (2 vezes): serão os representantes do "Shirogumi". Demoraram dez anos para se apresentarem pela primeira vez no Kouhaku Utagassen devido eles serem "intimados" sempre a participarem do concerto do final de ano da agência que eles são. Têm outros grupos? Sim, mas até então preferiam os mais ou menos novatos. Agora, devido a serem supporters, eles têm que aguentar as 4 horas e 15 minutos no palco da NHK Hall para ver se o "Shirogumi" leva mais uma vitória. Será que pegaram as dicas com o Masahiro Nakai, já que ele 1) é o sempai do grupo e 2) já tem experiência? O ano de 2010 teve bons frutos pro quinteto formado por Satoshi Ohno (o líder), Sho Sakurai, Masaki Aiba, Kazunari Ninomiya e Jun Matsumoto - shows lotados, programas de TV, singles, novelas, comerciais... Na foto, da esquerda pra direita - Jun Matsumoto, Satoshi Ohno, Masaki Aiba, Kazunari Ninomiya e Sho Sakurai.

- HY (primeira vez): Quinteto vindo de Okinawa, o nome da banda vem das iniciais da cidade natal deles (Higashi Yakena). Começaram como banda de rua e ganharam notoriedade em 2003 ao ser eleita a melhor banda independente (indie) pela Oricon. O quinteto formado por Yuhei Miyazato (guitarra, backing vocal), Shun Naka (bateria, rap, backing vocal), Shinsuke Kyoda (baixo), Hideyuki Shinzato (Vocais, guitarra e rap) e Izumi Nakasone (Teclados, vocal e backing vocal) destaca-se por misturar vários ritmos com tempero de Okinawa, como na música a apresentar pro Kouhaku - "Toki wo Koe", em  que eles utilizam instrumentos típicos da ilha. Na foto, da esquerda pra direita, Yuhei Miyazato, Izumi Nakasone, Hideyuki Shinzato, Shinsuke Kyoda e Shun Naka.

- EXILE (6 vezes): O grupo formado por 14 rapazes, está prestes a ganhar o tricampeonato do Nippon Record Taisho este ano. Eles ainda conseguem manter a peteca no alto pois suas músicas dançantes não deixam ninguém parado, misturando pop com dance street. Tudo começou com o líder Hiro, que já tinha currículo no grupo ZOO (quem é mais ou menos da minha faixa etária, lembra da música "Choo Choo Train" na época do ZOO, pois o pessoal mais novo lembra do primeiro sucesso do EXILE) que montou um grupo com sete rapazes, como J Soul Brothers. Resolveram mudar para o nome que tem hoje mas o nome J Soul Brothers foi Hiro quem ressuscitou para ajudar um septeto quase nos mesmos moldes. Por pouco que o grupo não decaiu devido a agência deles ter caído na malha fina do imposto de renda (em português bem claro: a agência sonegou impostos por dois anos sem o Hiro saber). Baixado a poeira, eles ainda mantém o programa de TV e eles quem vão abrir o festival por parte da equipe branca. Na foto, o grupo de 14 rapazes EXILE. Só não me perguntem quem é quem porque o site onde encontrei a foto nem legenda tinha!


- Yuzo Kayama (17 vezes): O ídolo dos anos 60, quando ele fazia filmes da série "Wakadaisho" (O Jovem General), Kayama também cantava e tocava guitarra elétrica. Aliás, antes de ser ator, era cantor. Foi um dos pioneiros do "eleki" (corruptela japonesa para "electric guitar"), o modo de tocar impressionou até o quarteto americano The Ventures. Inclusive, a fabricante de guitarras Mosrite fez um modelo exclusivo para ele. Se foi o fato de ter nascido em Yokohama e criado em Chigasaki, não sei se tem algo a ver, mas a grande maioria de suas músicas fala muito de praia, sol e amor de verão (daí ele fazer parte da "Trindade de Shonan" - inclui também o Southern All Stars e TUBE). Foi um dos felizardos a conseguir uma foto junto com os Beatles na turnê japonesa de 1966. Embora esporadicamente Kayama esteja mais se dedicando a pintura, ele aparecerá  para um medley especial dos 50 anos de carreira (se ele não incluir a famosa "Kimi to Itsumademo", muita gente vai cair matando, pois foi com esta música que ele apareceu no Kouhaku Utagassen em 1965). Na foto, Yuzo Kayama em apresentação em maio deste ano, comemorando seus 50 anos de carreira com sua famosa guitarra exclusiva pela Mosrite.

- Saburo Kitajima (47 vezes): Desde que estreou na vida artística em 1963 com "Hakodate no Hito", Sabu-san (como ele é conhecido), ele já é "patrimônio do Kouhaku Utagassen". Tá, exagerei, mas sem ele, parece que o Kouhaku fica faltando alguma coisa. Quase sempre ele encerrava a noite com "Matsuri", em que todo mundo participa. E ficam exaltados também. Desta vez, ele não vai encerrar a noite, pois a música escolhida para interpretar - "Fusetsu Nagaretabi" - era do compositor Tatsuro Hoshino, que faleceu recentemente.

- Hiromi Go (23 vezes): O pessoal mais novo vai lembrar dele em 1999 ao fazer a versão nipônica do sucesso de Ricky Martin para "Livin' The Vida Loca" (que na versão aqui virou "Goldfinger '99", algo que nem eu entendi) e aparecer de surpresa na caçamba de um caminhão em pleno movimento de Shibuya, naquele cruzamento maluco que já cansei de falar aqui. Agora o pessoal que tem maiomeno a faixa etária dele (55 anos), lembra do Hiromi Go no início de carreira, com aquela voz de taquara rachada mas nos anos 70 fazia parte do chamado "Shin Go Sanke" (ou "O Novo Trio da Cidade"), entre o meio artístico era o nome extraoficial dos três rapazes mais bem cotados artisticamente - o próprio Go, Hideki Saijo e Goro Noguchi. Motivo porque Hiromi Go foi escalado este ano - o fato de ter feito 55 anos de idade? Foto mais recente de Hiromi Go, para o Dinner Show em Karuizawa (Nagano), durante a primavera.

- Kobukuro (6 vezes): A dupla formada por Kentarou Kobuchi (guitarra) e Shunsuke Kuroda (vocal), começaram no estilo do Chemestry - vocal e violão, músicas sentimentais - o que era na moda no início dos anos 2000. Estranho que o Chemestry meio que sumiu (não aparece tanto assim na mídia), mas o Kobukuro manteve mais ou menos o mesmo estilo e aparece bem mais na mídia, como na campanha da bebida Pepsi NEX com a versão nipônica de "Layla", de Eric Clapton e recentemente a música "Ryuusei" ("Estrela Cadente") foi tema da novela - que acabou - "Nagareboshi". O diferencial da dupla é o vocalista Kuroda - tem 1,93 metro, algo meio raro (nem tanto) para japoneses... Na foto, à esquerda Shunsuke Kuroda (vocal) e Kentarou Kobuchi (guitarra).


- Smap (18 vezes): Desde que eles começaram a "bater ponto" no Kouhaku a partir do ano em que eles foram criados (1991), o quinteto recusou o convite de participar do evento duas vezes - em 2001 quando tiveram que se virar como quarteto, eles enviaram uma carta dizendo que "Não tem sentido algum ir ao evento com um a menos. Somos em cinco e se falta um, ninguém vai". E em 2004, ano que não tiveram uma música inédita lançada (a desculpa: "Desculpe-nos, mas este ano não tivemos uma música nova, portanto fica pra próxima"). O líder Masahiro Nakai já representou a Equipe Branca 5 vezes (exceto em 2006 que como não teve uma representante mulher pra Equipe Vermelha, sobrou pra ele), e no ano passado teve ajuda dos outros quatro nos bastidores (Tsuyoshi estava na divulgação da mudança para TV digital); no acompanhamento (Kimura foi quem trouxe a Susan Boyle ao palco); no entretenimento (Shingo fez parte do bloco "Kodomo Kouhaku" como o personagem Ryuusan do "KochiKame") e na platéia (Inagaki estava entrevistando a platéia). Foi o primeiro grupo não-enka a encerrar o festival depois de 25 anos (em 2003), teve a dobradinha em 2006 (com "Arigatou") e este ano vai ser a terceira vez, com "This is Love" e um medley especial (sim, a sempre "Sekai ni Hitotsu Dake no Hana" não pode faltar!!).

- TOKIO (18 vezes): Dizem que a agência Johnny's Jimusho só permitiria três artistas para participar do Kouhaku pois logo teriam outras coisas a fazer ou marcavam tudo no mesmo dia, especialmente o Countdown que é feito no Tokyo Dome. Este ano, têm quatro: Arashi, NYC Boys, Smap e TOKIO. Quem nunca teve a obrigação de ir pro Countdown foi o Smap (mesmo porque se o Masahiro Nakai era o representante do Shirogumi, nem pensar em largar o programa no meio, além da comissão quase sempre colocarem eles bem pro final mesmo). O quinteto formado por Shigeru Joshima (guitarra), Tatsuya Yamaguchi (baixo), Taichi Kokubun (teclados), Masahiro Matsuoka (bateria) e Tomoya Nagase (vocal e guitarra), é um dos poucos da agência que cantam e tocam. Se bem que ultimamente os cinco dedicam-se mais ao programa de variedades "The Tetsuwan DASH!", quase todo domingo pela Nippon TV, do que na música. Recentemente os cinco são garotos propaganda da maior empresa de entregas do Japão - o Yamato Takkyuubin (mais conhecido como "Kuroneko" devido ao símbolo da empresa).

- Hideaki Tokunaga (5 vezes): Muita gente já ouviu muito "Kowarekake no Radio" ou "Rainy Blue" nos anos 90. Mesmo passando os anos e ter-se recuperado de um aneurisma cerebral em 2001, ele mantem o mesmo estilo de cantar. Recentemente, sua quadrilogia "Vocalist" no qual interpreta músicas cantadas somente por mulheres, vendeu muito bem. No evento ele interpretará uma das músicas mais famosas da saudosa Teresa Teng - "Toki no Nagare ni mi wo Makase".

- AAA (primeira vez): Grupo formado por sete membros (cinco homens e duas mulheres), até algum tempo eles atuavam em comerciais e como back dancers da Ami Suzuki e Ayumi Hamasaki. Pertencem a gravadora Avex Trax, só ganhou mais sucesso este ano devido as duas músicas lançadas terem sido compostas e produzidas por Tetsuya Komuro (sim, ele mesmo, que teve problemas de ter vendido as músicas, embolsou a grana e não entregou as músicas), que parece que tomou tento e resolveu voltar a fazer coisa séria. Como compôr e produzir, por exemplo. O nome do grupo significa "Attack All Around", mas muita gente conhece como "Triple A".

- Kiyoshi Hikawa (11 vezes): Outro que desde que começou a carreira, já frequenta o evento todo ano. Chamado outrora de "Príncipe do Enka", pois numa fase em que o estilo ficou muito restrito para quem passou dos quarenta, eis que em 2000, com apenas 23 aninhos, aparece um rapaz de cabelo pintado de quase loiro, de brinco, parecendo cantor de visual-kei estilo Glay ou L'Arc en Ciel, algo assim e... cantando enka!! Depois de "Hakone Hatiri no Hanjirou", Hikawa virou figura carimbada nos programas de enka e no Record Taisho. Na verdade, sinto falta era do programa que ele fazia na emissora NHK as quintas de noite com a Becky e Guchi Yuzo - o "Kiyoshi tokonoyoru". Ele ainda mantém o mesmo estilo - ora se apresentando de quimono, bem estilo japonês mesmo (quando canta aqueles enka bem tradicionais mesmo) ou superproduzido, com direito a plumas e paetês (antes que perguntem, sim, ele é da irmandade, mas isso não quer dizer nada).

- Masaharu Fukuyama (3 vezes): Bem, quem conhece a autora aqui, sabe que falar de Masaharu é chover no  molhado... Ano passado, faziam dezesseis anos que Masaharu tinha aparecido pela primeira vez no evento. E embora tivesse um sucesso atrás do outro, ele nunca mais foi intimado convidado. Mesmo quando "Sakurazaka" foi million seller em singles, foi e continua sendo muito tocada. Um dos motivos era que seus shows de final de ano que ele costuma fazer no Pacifico Yokohama coincidia com o evento. Ano passado, devido ao fato de ter sido escalado para ser o protagonista do taiga dorama da emissora "Ryomaden", não teve nem como recusar. Só que ele apresentou-se em Nagasaki, cidade natal dele. Este ano, devido ao sucesso do taiga dorama que acabou em novembro e vinte anos de carreira, novamente foi chamado para participar. O problema foi que Masaharu já tinha marcado os cinco dias de shows no Pacifico Yokohama (de novo, e se perguntarem pra mim se eu vou, perguntem primeiro se eu consegui o ingresso) muito bem antes de sair a lista dos convocados pro Kouhaku. Problema solucionado: por volta das onze da noite, Masaharu apresentará a música no meio do show e transmitido ao vivo pela NHK...

- L'Arc~en~Ciel (4 vezes): Não tinha entendido porque o quarteto - por uns bons anos teve seu auge nos anos 1990~2000 como visual kei, concorrendo com Glay e Luna Sea e outros - este ano foi chamado. Explicado: a música "Bless" foi usada como tema musical pela emissora NHK para os Jogos de Inverno de Vancouver. O grupo teve um período de pausa por volta de 2001 a 2004, para projetos solo, mas voltaram logo depois. Acreditem, mas o grupo tem mais reconhecimento no exterior (principalmente na Europa) do que no Japão. E logo depois de se apresentarem no Kouhaku (eles serão a 22a. atração a se apresentar), eles farão o show que inicia as comemorações pelos 20 anos de carreira (começara no Makuhari Messe).

Sim, eu sei. O artigo demorou, a postagem ficou longa e o Kouhaku começara dentro de menos de dez horas. E falta a última parte, mas a gente faz o que pode...

Quem deveria ter chamado também...


- Yuzu. A dupla formada por Yujin Kitagawa e Koji Iwasawa, ainda continua na ativa, fez uma turnê muito boa - "Futatabi" - e suas músicas agradam a todos, mas três vezes é pouco, não?

- Mr. Children. Quarteto que já tem mais de duas décadas de carreira, ótimas músicas, tem carisma. Só apresentou-se uma vez (2008). Se chamaram antes disso, pode ter coincidido no mesmo dia que eles tinham que comparecer ao Record Taisho, que até então coincidiam as datas.

- Kanjani Eito. Poderiam aparecer, mesmo os organizadores do evento chiarem "mais outro grupo do Johnny's Jimusho???". Podem substituir o NYC Boys e colocar o septeto que ninguém vai achar ruim. Não mencionei o Kinki Kids porque este ano eles estão com show no Tokyo Dome...
Na verdade, o grupo era composto de oito membros mesmo. Devido a saída (forçada) de um deles, acabou ficando sete, mudaram de estilo musical (a intenção da agência era pra ser um grupo de enka vindo de Osaka, cidade natal da maioria deles) e participam em programas de variedades (o mais recente - o "Kanjani eito Map" - é de rir com as situações inesperadas na cidade que o grupo visita).

Tuesday, December 28, 2010

O Festival do Vermelho e Branco - Kouhaku Utagassen - Parte 4

Lista de chamada de 2008 - Primeira fila em pé, da esquerda pra direita - Yusaku Kiyama; Kurei e Iseki (Kimaguren); e Yoshiki Mizuno, Kiyoe Yoshioka e Hotaka Yamashita (Ikimono Gakari). Segunda fila, em pé, da esquerda pra direita - Junsu, Yoochun, Jejung, Changmin e Yuh-ho (Tohoshinki); Daisuke Suzuki, Chisa e Yuji Inoue (Girl Next Door) e Junko Akimoto. Terceira fila, sentados, da esquerda pra direita -  Yuka Kashino (Kashiyuka), Ayaka Nishiwaki (A-chan), Ayano Omoto (Nocchi) (Perfume); Thelma Aoyama; Nozomi Ohashi e Naoya Fujimaki. 


Quem sempre - ou quase - "bate cartão" no evento... (Ala Feminina)

Helloooou everybody! Depois de um final de semana de festas, vamos terminando logo essa saga que daqui a pouco vira um épico de Hollywood. Por que dedicando muito a esse evento? Porque aqui já virou patrimônio cultural e faz parte da cultura daqui, querendo ou não. Ponto.

Na parte anterior, mencionei os artistas que participarão este ano. Lembram que dentro dos parênteses informei que indica quantas vezes já participaram e o número (1) seria a primeira vez? Pois é... E tem artista que desde que começou a carreira, bateu ponto no evento todos os anos. Não, desde que começou o evento, aí o artista deveria ter pelo menos hoje uns 80 a 85 anos de idade... Mas também não vou explicar todos, porque sei que ninguém vai ter paciência de ler meus post-biblia (™  da Bah)...

- aiko (9 vezes): começou bem na virada do milênio, junto com outras artistas, como hitomi e Yaiko (Hitomi Yaida). Ela mais se destaca devido às suas composições geralmente fazendo muito pouco uso de eigo (o inglês pronunciado no estilo japonês), não tem visual apelativo (ela aparece bem simplesinha), não faz o gênero bakawaii (bonita, mas lesada como uma porta) e suas músicas vão do pop romântico às acústicas. Para quem não sabia, ela manteve um relacionamento de quase sete anos com o tecladista do TOKIO Taichi Kokubun. A música que ela interpretará - "Mukai Awase" (literalmente "Os opostos combinam") - foi tema do filme "Darling wa Gaikokujin" ("Meu Amado é Estrangeiro"). Detalhe: aiko tem 35 anos e não parece a idade que tem!

- Angela Aki (5 vezes): mestiça de pai japonês (o pai é co-fundador da rede de escolas de línguas Aeon Corporation) e mãe italo-americana, nascida em Tokushima (Shikoku, a tal da "ilha da vaquinha") ela ganha destaque pelo fato de: 1) apresentar-se com um piano de cauda; 2) não ser exemplo de beleza padrão aqui - Angela usa óculos, veste-se bem descolada (tênis, jeans e camiseta, segundo ela, é pra ficar mais à vontade quando toca) e seu cabelo é do estilo "bagunçado com estilo"; 3) seu estilo vocal transmite emoção devido às músicas que compõe, sobre juventude, vida e família. "Kagayaku Hito", do último álbum "Life", foi tema do programa da NHK "Kokoro no itenshi ~anata ga itakara" que passou no primeiro semestre do ano.

- Ikimonogakari (3 vezes): trio formado pela vocalista Kiyoe Yoshioka, o guitarrista Hotaka Yamashita e o segundo guitarrista Yoshiki Mizuno, o nome significa "pessoa que cuida de plantas e animais" durante o curso primário no Japão. Yamashita e Mizuno estudaram juntos desde o primário e coincidentemente o irmão de Yoshioka estudou com a dupla no ginasial.  O estilo do trio lembra o My Little Lover, Brillant Green e Every Little Thing em início de carreira, mas fazem músicas agradáveis de ouvir. "Arigatou" foi tema do asadora da NHK "Gegege no Nyoubu", cuja audiência foi uma das maiores para uma novela matinal. Correram boatos de que o trio iria parar no ano que vem, fato desmentido pelo trio via twitter e programa de rádio.
O trio simpatia Ikimono gakari : da esquerda pra direita e é desta forma que sempre se apresentam nos palcos, nas entrevistas, nas fotos... Yoshiki Mizuno, Kiyoe Yoshioka e Hotaka Yamashita.


- Kana Uemura (primeira vez): Nascida em Hyogo, Uemura iniciou a carreira musical em 2005, como cantora de rua (assim como fizeram Yuzu e Ozaki Yutaka). Ficou conhecida este ano devido ao lançamento de um single promocional "Toilet no Kamisama", que seria uma balada acústica sobre a sua falecida avó. Detalhe: a música vai ser a segunda mais longa a ser apresentada no Kouhaku Utagassen (tem nove minutos e tanto), sem cortes. Apesar do título ser estranho, Uemura não fala a palavra "kamisama" e sim "megami" (deusa). E ela faz uso muito do dialeto de Kansai na música toda.

- Kumiko (primeira vez): Não era muito conhecida no mundo musical, fazia mais teatro. Sua música mais recente - Inori - foi composta pelo sobrinho de Sadako Sasaki. Daí o fato de Kumiko apresentar-se no evento devido a música ser sobre paz e esperança. ("inori" significa "rezar, orar").

- Kumi Koda (6 vezes): Se Ayumi Hamasaki é mais romântica, Koda é mais provocativa (tanto no visual como nas músicas), e mais realista também (suas músicas abordam sobre temas tabus de amor e sexo). Apesar de ter tido a fase "meu passado me condena" como ter tentado ser uma das Morning Musume e do infeliz comentário em 2008 sobre "quanto mais tarde pensar em ter filhos, o líquido amnioático apodrece", o que quase sua carreira vai por água abaixo. Mas depois de mais de uma hora e tanto se justificando numa entrevista (sim, Koda quer casar logo e ter filhos), ela voltou com a força total. Ainda bem que ela foi reprovada no audition pra ser Morning Musume, senão Koda jamais teria o sucesso que vem tendo hoje. Aliás, recentemente, ela fez uma sessão de fotos no Brasil (conheço um digníssimo rapaz que ama, adora, venera e se possível vende a alma pra ter tudo dela, e conseguiu o livro)... No evento, ela fará uma seleção especial. Foto ao lado, Kumi Koda em maio de 2010 ao receber - pela 5a. vez consecutiva - o prêmio de Best Jeanist  - personalidades que ficam bem em jeans, premiação feita pelos fabricantes de roupas do Japão. Se ganha o prêmio por 5 anos seguidos, no ano seguinte não poderá mais participar - quem já pertence aos pentacampeões seriam a própria Koda, Kazuya Kamenashi (KAT-TUN), Takuya Kimura e Tsuyoshi Kusanagi (ambos do Smap).

- Sachiko Kobayashi (32 vezes): Sem ela, o Kouhaku perde a graça. Mais do que suas músicas enka bem dramáticas, o forte dela nas apresentações do evento é o estilo que ela se apresenta. Todo ano muita gente quer saber o que ela vai aprontar. Digo assim, porque as fantasias que ela utiliza no Kouhaku são de invejar qualquer alegoria de Carnaval. Não sei dizer de onde saiu a lenda urbana do evento sobre a "guerra das fantasias" protagonizado por ela e Kenichi Mikawa, mas sem a presença do segundo, tenho uma leve impressão que a audiência vai cair... Só teve uma vez que ela deixou de apresentar-se com a alegoria - em 2004, devido ao terremoto de Niigata, sua terra natal, Kobayashi apresentou-se com um quimono preto, em respeito aos moradores da província.

- Fuyumi Sakamoto (22 vezes): Muito embora ela seja conhecida mais no mundo enka com direito a algumas apresentações no Brasil, Sakamoto já foi vocalista de uma banda de rock com Haruomi Hosono (Yellow Magic Orchestra) e Kiyoshiro Imawano (RC Succession), fez uma paródia com o anime Sailor Moon, no papel da Sailor Saturno e destacou-se desde o ano passado com a cover do cantor folk Billy BanBan com "Mata Kimi ni Koi shiteru", cuja apresentação do 60゙ Kouhaku deixou o quimono de lado e apresentou-se de tailleur.

- Kana Nishino (primeira vez): Apesar do visual adotado pelas Shibuya gyaru, Nishino começou a cantar música folk japonesa e tradicional. Seu contrato com a gravadora Sony foi rápida - aos 16 anos, sua mãe mandou uma fita demo para um concurso sem ela saber e foi aprovada. Tem forte influência em R&B. Atualmente é uma das cantoras mais jovens a pertencer a uma gravadora major fora do círculo da avex, que possui artistas jovens.


- Ayumi Hamasaki (12 vezes): Será ela quem vai abrir o festival. Embora a concorrência seja forte (leia-se: Kumi Koda), Ayu ainda consegue manter público fiel (embora não esteja aparecendo na mídia como antes, fato que ela virou referência no modo de vestir e se maquiar, sua estratégia de marketing é bem-feita). Motivo que ela vai ser a primeirona a aparecer - logo depois tem o show dela que faz anualmente, no Kokuristu Yoyogi Kyogijo - o "ayumi hamasaki COUNTDOWN LIVE 2010-2011 A ~ do it again ~" - e explica-se porque toda vez que ela participa do Kouhaku, não fica até o final. Detalhe: o Ginásio Nacional de Yoyogi (tradução do local) fica a alguns metros do NHK Hall...

- Perfume (3 vezes): O trio de technopop de Hiroshima - Kashiyuka, Nocchi e A-chan - são as queridinhas dos programas "Music Station" e "CountDown TV". Embora seja um technopop estilo bem pop mesmo, elas afirmam que a influência veio do trio Yellow Magic Orchestra e do grupo alemão Kraftwerk. Com o hit "Polyrhythm", elas fizeram parte da campanha de ecologia promovida pela NHK. Com "Voice", foram "cangurus-propaganda" da campanha dos veículos da Nissan. O último single "Nee", é da campanha das lojas Natural Beauty Basic, em que elas participam. Confesso: no começo, eu achava o estilo das músicas delas muito estranho, mas sabe quando com o tempo vai ouvindo, vai conhecendo e vai acostumando? Sem falar que elas são fofíssimas, bonitinhas sem precisar apelar pra excessos. (Pior que toda vez que ouço "Polyrhythm", primeiro sucesso que estourou, lembro da paródia do "Music Stage presents Percume") Da esquerda pra direita, Kashiyuka, A-chan e Nocchi, quando foi a primeira vez no Kouhaku, em 2008.

- Akiko Wada (34 vezes): Akko-san, como ela é conhecida, é famosa pelo seu estilo eclético de cantar - ela começou como cantora de soul music, ao ponto de ter sido a primeira artista asiática a fazer uma apresentação no famoso Apollo Theater, meca dos godfathers and godmothers da soul music como James Brown, Aretha Franklin, Etta James, Sam Cooke, entre outros. Metade do mundo sabe que ela não possui 100% sangue japonês - ela é filha de japonês com coreana (zainichi kangoku) -, fumava pra caramba, gosta de jogar, tem uma língua afiada pra caramba,  mas não importa. O que importa é que a mulher tem um vocal potente a ponto de nem precisar de microfone para cantar.

Quem deveria ter sido chamada...


- Mika Nakashima. Ano passado ela fez uma apresentação bem feita, poderia ter sido chamada este ano também, já que ela estava bem cotada. Mas quando junta problema de saúde e repouso absoluto, torcer para que ano que vem ela volte com a carga toda (bem, ela já remarcou os shows que teve que cancelar).

- Mai Kuraki. Também voltou a fazer sucesso, mas não entendo mesmo esse critério dos organizadores. Das duas, uma: ou ela recusou ou não lembraram dela.

- Kaela Kimura. Se não fosse a licença maternidade, ela poderia participar pela segunda vez.

- Seiko Matsuda. Ok. A mulher já está com trinta anos de carreira e quase com 50 anos. Também queria saber porque não chamaram a veterana da era Showa da j-pop. Por que Hiromi Go estará lá? Por que o dinner show que fará (ou já fez, não sei) era mais rentável financeiramente? (Ou porque aparecer como Princess Seiko como no filme "Yajima Beauty" junto com o trio formado pelo Tunnels e DJ Ozma seria "meu passado vai eternamente me condenar"?)
Imagine se a família Yajima, do Yajima Beauty Salon, encontra com a Princesa Seiko, idala delas no Kouhaku... bem, melhor nem pensar muito não... (nota: o filme "Yajima Beauty Salon The Movie" foi lançado este ano. O trio em sentido horário - formado pela matriarca Margareth (Noritake Kinashi), pela filha caçula Strawberry (Takaaki Ishibashi) e pela primogênita Naomi (DJ Ozma) - começou como brincadeira no finado "Utaban"...)


Esses seriam alguns exemplos. Eu sei que vai ter mais, eu sei...

Fotos: tudo tirado do seogugol mesmo. 

Sunday, December 26, 2010

O Festival do Vermelho e Branco - Kouhaku Utagassen - Parte 3

Os Eleitos, quem ficou de fora e quem deveria ir




Atrasada com tudo, mas espero que antes do evento eu consiga terminar a saga.

O que muita gente que acompanha o evento anual transmitido pela rede estatal NHK espera, é a lista de quem vai participar. Desde os novatos até os veteranos. Como eu havia mencionado em algum artigo sobre o evento, talvez o ano passado, participar no Kouhaku Utagassen pode ser sinônimo para um impulso (ou estímulo, interpretem como quiserem) em sua carreira. Ou também pretexto para encerrar a carreira em grande estilo.

Quando sai a lista dos novatos, pode ser surpresa, pois nem todo novato seria iniciante na carreira artística. O que eu quero dizer é que, pode ter artista que iniciou a carreira no ano e fez sucesso como pode ter artista que está anos na estrada e somente agora foi chamado. Este ano foram somente cinco artistas a serem chamados pela primeira vez como HY, o grupo AAA, Kana Uemura, Nana Nishino e Kumiko. Os demais participantes, muita gente (que mora aqui e quem no exterior chega a acompanhar) conhece.

A lista de chamada este ano e as respectivas músicas. Entre parênteses ( ) o número de vezes que o artista participou nos últimos 60 anos. Se tiver  (1) é a primeira vez que participa. Tradução dos nomes dos artistas e as músicas feita por Cacá, do The Doramas (porque eu mesma fiquei com preguiça de ficar traduzindo):

TIME VERMELHO ou AKAGUMI (紅組): Equipe formado por mulheres ou grupos onde a mulher seria a vocalista principal (caso do Ikimono gakari e Dreams Come True):

- aiko - "Mukai Awase" - (9)
- Angela Aki -"Kagayaku Hito" - (5)
- Ikomono gakari - "Arigatou" - (3)
- Ishikawa Sayuri - "Amagigoe" - (33)
- Uemura Kana - "Toilet no Kami-sama" - (1)
- AKB48 - Kouhaku 2010 AKB48 Kamikyoku SP - (3)
- Kawanaka Miyuki - "Ninrinsou" - (23)
- Kumiko - INORI - (1)
- Koda Kumi - KODAKUMI 2010 Special Medley - (6)
- Godai Natsuko - Hitorikaze - (17)
- Kobayashi Sachiko - "Kaa-chan no hitorikoto" - (32)
- Sakamoto Fuyumi - "Mata kimi ni koishiteru" - (22)
- Tendo Yoshimi - Jinsei Michizure - (15)
- DREAMS COME TRUE - Ikite yuku no desu - feat. The Kouhaku Special Brass Band - (14)
- Nakamura Mitsuko - Kawachi otokobushi - (15)
- Nishino Kana - Best Friend - (1)
- Hamasaki Ayumi - "Virgin Road" - (12)
- Perfume - "Nee" - (3)
- Hirahara Ayaka - "Voyagers" - (7)
- Mizuki Nana - PHANTOM MINDS - (2)
- Mizumori Kaori - Matsushima kiko - (8)
- Wada Akiko - AKKO ii!!! Kouhaku 2010 Special - (34)

TIME BRANCO ou SHIROGUMI(白組): Equipe formado por homens ou grupos onde o homem seria o vocalista principal (caso do grupo AAA):

- ARASHI - 2010 Kouhaku Original Medley - (2)
- Itsuki Hiroshi - Oshiroi Hana - (40)
- HY - Toki wo koe - (1)
- EXILE - I Wish For You - (6)
- NYC -Yoku Asobi Yoku Manabe 100% NYC - (2)
- Kayama Yuzo - Wakadaisho 50-nen Special Medley - (17)
- Kitajima Saburo - Fusetsu Nagaretabi - (47)
- Go Hiromi - GO! GO! Iya ~Kouhaku Special Medley - (23)
- Kobukuro - Ryusei - (6)
- SMAP - This Is Love '10 Special Medley - (18)
- TOKIO - Advance - (18)
- Tokunaga Hideaki - Toki no Nagare ni mi wo makase - (5)
- AAA - Aitai Riyu - (1)
- Hikawa Kiyoshi - Niji iro no Bayon - (11)
- FUNKY MONKEY BABYS - Ato Hitotsu - (2)
- Fukuyama Masaharu - Michishirube - (3)
- flumpool - Kimi no todoke - (2)
- Hosokawa Takashi - Naniwabushi da yo jinsei wa - (34)
- Porno Graffitti - Kimi wa 100% - (9)
- Mori Shinichi - Erimomisaki - (43)
- Yusuke - Hito - (2)
- L'Arc~en~ciel - BLESS - (4)

Como tinha explicado em alguns artigos sobre o evento, quem decide quem vai é a comissão organizadora do evento baseado em dados durante o ano, se o artista teve ou não destaque ou sei lá eu que critérios adicionais eles adotam, pois tem artista que não lança nadica de nada o ano todo e bate ponto no evento (antes que me batam, Saburo Kitajima, Akiko Wada, Sachiko Kobayashi e Hiroshi Itsuki por exemplo, são indispensáveis, Kouhaku sem eles, não tem graça).

Existiram casos em que o artista não foi convocado, mesmo tendo tido destaque, tendo participado muitas vezes e tudo o mais; e também casos que o artista é chamado, mas recusou o convite por motivos diversos.

- Kenichi Mikawa: famoso pelas suas apresentações em alto estilo (leia-se "alegoria de carnaval no Copacabana Palace"), este ano ficou de fora, para espanto de muita gente e também de Sachiko Kobayashi, amiga do cantor e protagonista da "lenda urbana da guerra de fantasias" que protagonizavam em todo Kouhaku. Apesar que quase toda vez ele costumava cantar a mesma música - "Sasoriza no Onna" -, as apresentações era de dar inveja ao finado Clóvis Bornay. Dizem que este ano ele não vai participar sob alegação do comitê organizador que "não teve expressão alguma este ano que justificaria sua presença".

- Masahiko Kondo (a.k.a. "Matchy") : um dos veteranos da agência Johnny's Jimusho, respeitado por todos os kouhais (que vieram depois dele). Comemorou 30 anos de carreira - apesar da perda prematura da mãe no auge da carreira, foi o quase responsável pela tentativa de suicídio da então namorada Akina Nakamori, deu uma pausa na carreira para dedicar-se ao automobilismo, esporte que até hoje participa e é comentarista nas transmissões da F-1 no Japão pela FujiTV - e ganhou o Record Taisho deste ano na categoria de "Melhor Cantor". Deveria ter sido chamado, mas ele costuma também fazer apresentações no final do ano (os "dinner shows" cujos precinhos são módicos - de 20 a 50 mil ienes, por aí...).

- Keisuke Kuwata (ou junto com o Southern All Stars): apesar do grupo ter participado pouquíssimas vezes, em uma de suas apresentações, devido a um mal entendido (ou falta de senso de humor por parte dos organizadores), o grupo nunca mais foi chamado. Mesmo quando "Tsunami" vendeu milhões de cópias em 2000, o então sexteto compareceu no Record Taisho, mas sequer foram chamados ao Kouhaku Utagassen. Este ano correram boatos que ele seria a atração surpresa no festival, mas se divulgariam o nome de quem vai, então deixa de ser surpresa, certo? Mas duvido muito, pois Kuwata está se recuperando de uma cirurgia e tratamento para retirada de um tumor no esôfago, em julho deste ano.

- Momoe Yamaguchi: a eterna diva dos anos 70, referência pra muita cantora atual, encerrou a carreira em 1980 para casar-se com o ator Tomokazu Miura e ser mãe de dois filhos (que também acabaram por seguirem carreira artística, mas sem maiores alardes e destaque na imprensa). Cogita-se muito o grande retorno de Momoe, já que ela parou bem no auge da carreira, mas recusou todos os convites para participar mesmo sendo um revival de sua carreira.

- Hikaru Utada: também foi convidada várias vezes para participar, mas sempre recusou alegando "receio de não poder dar conta do recado" ou "o evento é muito para mim". Apesar que o show de despedida que fez nos dias 8 e 9 de dezembro no Yokohama Arena foi um dos melhores que ela fez, a verdade é que Utada mais preferia apresentar-se em programas como "Music Station", "CD TV" e no finado "Pop Jam".

Estes são os exemplos mais conhecidos, sei que tem muito mais, pois o show business nipônico é amplo (e põe amplo nisso tudo). Muitos que poderiam comparacer ao Kouhaku, acabam comparecendo em outros eventos, como o Nippon Record Taisho, o Music Station Super Live, FNS Music Festival e o Countdown TV Special. Mas Kouhaku virou uma espécie de patrimônio cultural japonês, fazendo parte da história.

Saturday, December 25, 2010

Vinte e Cinco de Dezembro


Sim, pessoal, é o mesmo bolo de alguns anos atrás quando fiz curso relâmpago de duas horas de "Christmas Cake". Como ultimamente a criatividade está uma maravilha, resolvi postar este bolo mesmo. A receita um dia eu passo....

Apesar da vida corrida e ter que trabalhar em plena semana de Natal (se eu trabalhasse em restaurante, hospital, bombeiros ou qualquer lugar de prestação de serviços, também passaria a véspera e dia de Natal trabalhando, oras!), ainda a gente mantém a mensagem de prosperidade e felicidade em todos os 365 dias do ano (366 se for ano bissexto).

O kinguio que me atura e a autora deste sítio no Queen's East, Yokohama, em algum dia de dezembro deste ano.


Mesmo assim, desejo a todos os leitores e leitoras um grande voto de Boas Festas e que a mensagem de paz e harmonia, luz e sabedoria perdurem o ano todo!

Thursday, December 23, 2010

Gengibre, Limões, Leite, Mel e... Um dia de hibernação!

Semana passada, devido a um resfriado que contraí com essa mudança de tempo - lembrando que aqui logo já entra o inverno, mas estou pra conhecer outono mais frio que este -, não teve jeito: fiquei um dia de cama, dor de cabeça, sem um fio de voz e tossindo muito. Apesar de ter tomado alguns remédios pelo menos para aliviar minha dor de cabeça (e apagar de vez, pois qualquer remédio, por mais fraco que seja, eu durmo e acordo só no dia seguinte), o que me fez melhorar foram chás de gengibre, de limão (ou os dois juntos); leite fervente adoçado com mel (digo fervente, no fogão mesmo, não em microondas). E um dia hibernando.

Tudo porque passar final de ano e a festa da empresa com resfriado, definitivamente não dáááááá!

Bom, como algumas postagens eu nem respondi todas direito (porque geralmente respondo aos fiéis leitores, perdão se esqueci de alguém, mas bem que eu preciso descobrir se aqui tem uma função que eu responda logo abaixo do comentário da pessoa. Isso no que dá deixar de exercer a profissão doze anos!), vamos lá que o ano está acabando...

O Mundo Maluco, Divertido e (Nem tanto assim) Surpreso da "Show Business" (14 de Dezembro): Era um resumo dos fatos de entretenimento, como o (esperado) show do Paul McCartney no Brasil, depois de dezessete anos de espera; a história mal contada do kabukiza Ebizou Ichikawa; os badalados filmes "Norwegian Wood" e "Space Battleship Yamato" e a despedida da cantora Hikaru Utada. Até que o pessoal comentou bem, mas aguardo pacientemente o relato de quem foi ao show do Sir Macca, contando em detalhes desde a aquisição do ingresso até a saída. Será que pedi muito o relato de quem ficou na pista ou no gramado?

Respondendo a quem acabei deixando pro final...

Romina "Bah" (Bah Blog), se eu ganhasse um de camarote, ia sem pensar hahaha, mas o musical "Wicked" vem mesmo para São Paulo??? Esse valerá a pena, a peça ficou anos em cartaz no teatro em Tóquio, com sucesso de público, mas perdi a oportunidade de ir. Compra de ingressos on line é bem mais cômodo, confesso - dois dos três shows do Masaharu Fukuyama comprei desta forma - mas quero ver se em show em estádio o pessoal respeita... Embora musicais sejam em lugares fechados e reservados! Mas conta como é o processo de compra e encarar fila!

Fabiana (Sonho Doce, Sonho): ainda bem que melhorei também. O problema de eu ficar resfriada é o efeito posterior: meu nariz fica escorrendo e acaba ficando "ralado" de tanto assoar. E olha que uso lenço de papel daqueles mais macios e com hidratante, acho que você sabe quais marcas, já que você morou bom tempo aqui (e se teve problemas com kafunshoo também). Quanto a ir em shows... dos sete que fui, somente dois tive que ficar em pé e quase morri espremida. Isso no que dá ter 1,57 metro de altura. Não tenho culpa também se as pessoas que vão ao show são mais altas do que eu...

Quinze Dias (19 de Dezembro): Era um artigo devaneio com direito a foto do famoso cruzamento que fica em Shibuya (Tóquio), durante a noite. Somente mencionei que o ano passou depressa, sim. Frase que a gente costuma dizer quando chega final do ano, o mesmo passou rápido e a gente ou fica com o tempo corrido ou a gente fica com tanta coisa pra fazer que nem percebemos o tempo passar. Agora, pra disserem que meu sítio é depressivo...

Respondendo a quem deixei pra depois:

Denise (Tabeteimasu): Este ano conheci muita gente virtualmente e alguns pessoalmente. Espero que futuramente as pessoas que conheci via blog eu conheça ao vivo e a cores. Ah, sim: 2011 será o ano do Coelho, espero que ele dê muita sorte, muita saúde e prosperidade. Assim como os demais anos que virão. Quanto ao remédio, o Paburon, tirando baixar a febre, efeito colateral nunca deu em nós. O único porém de qualquer remédio que eu tome, é efeito anestésico imediato - sim, eu caio em sono profundo e só acordo no dia seguinte. E na marra. Mas também me recupero muito bem!

Romina "Bah" (Bah Blog): Pode deixar que dia 1 estaremos já no templo perto de casa pro hatsumode. Se bem que até dia 3 pra ir e agradecer, está valendo! E que as 108 badaladas do sino tragam muita sorte e saúde pra todos nós!

MP Kouhaku, passar em concurso público talvez não seja difícil. O mais difícil é ser chamado. Meus irmãos são funcionários públicos, sendo que o mais velho esperou dois anos para ser chamado e o mais novo logo que saiu a lista, na semana seguinte foi chamado pra trabalhar! Mas vai investindo no seu objetivo, para que você possa vir para cá ou qualquer lugar que esteja traçando as metas com maior segurança.

Carlos (esposo da Denise do Tabeteimasu): Quando eu tirar minhas merecidas férias de um mês, pode deixar que eu aviso pra estarem preparados! A última vez que voltei, tive menos de um mês para encontrar o pessoal, resolver minhas coisas e ainda de quebra fui na formatura do meu irmão mais novo. Na época, eu estava com o blog em andamento, quase ninguém frequentava o quanto está hoje!

Alexandre (Lost in Japan), em janeiro vou sim, finalmente encontrar a maioria do pessoal que conheço virtualmente. Ainda mais que estou de folga e em Tóquio, não tenho desculpa. Se eu não aparecer, é que devo ter virado boneco de neve no meio do caminho ahahahah Mas dando pra levar está de bom tamanho, o importante mesmo é ter saúde pra podermos seguir adiante. Felizmente meu resfriado está sendo curado aos poucos. Agora mesmo estou com o nariz em plena recuperação...

Fabiana (Sonho Doce, Sonho): a frase "tempo a gente não tem, a gente arranja" eu ouvi de uma professora nos tempos que eu estava no primeiro semestre da faculdade. Calouro nos fins dos anos 80 era tudo inocente, porque agora sinceramente não faço idéia ahah Eu também sou assim: quando sobra um tempinho livre, acabo fazendo outra coisa que não tem nada a ver com que as vezes planejo. Portanto, nem planejo mais nada, porque chega no dia acaba sendo outra coisa... O importante é fazermos o que gostamos, e aprendermos com os erros e não ter medo do desconhecido.

Cada situação que a gente passa (Ou: O Direito de Ser Eu Mesma) (20 de dezembro): Ok, ok. Eu sei que estou atrasada com as postagens de final de ano, mas também final de ano pra muita gente significa correria. A postagem foi uma "quase resposta" a um(a) anônimo(a) que resolveu dar uma opinião infeliz - como disse, críticas são aceitas desde que sejam construtivas. Ou que saiba criticar. Provavelmente, a pessoa não leu os quase 700 artigos que publiquei aqui. Queria saber: que artigo foi deprimente que nem eu que sou a autora eu sei?!

Arwin, seja bem-vinda aqui !Pra falar a verdade, nem tinha respondido a resposta do anônimo, afinal, gente que não se identifica nem por pseudônimo, nem resposta tem. Só tive casos conflitosos três vezes. Mas passei batido. Um foi devido a gripe suína ou do frango, nem lembro mais. E veio dizendo que aqui o povo não se cuida. Eu sei que a nível de diagnóstico médico, de cinco, um acerta. Mas todos os lugares, sempre tem um frasco de álcool para desinfetar as mãos, o pessoal anda de máscara mesmo a uma simples crise de tosse... A segunda vez, foi quando sofremos atentado em nossa própria casa. Exagerei, mas do nada tivemos os três pneus do nosso carro furados. Aí o tal anônimo veio dizendo que nosso carro chama a atenção de quem passa. Oras, se era pra acontecer isso, esperou mais de três anos?!

A verdade é uma só: nunca estamos satisfeitos. Mas existem pessoas que extrapolam!

Ronaldo, espero que goste deste pobre mas limpinho sítio. O pessoal que frequenta é tutti buona gente, pode frequentar os outros blogs sem medo, que ninguém morde! Encontramos de tudo - desde receita de bolo até novelas da vida real sem tragédias. Fique a vontade! Só não repare a bagunça, eheheh

Pri Kiguti, janeiro é nozes em Tóquio! Prometo não furar. Era pra ter ido em agosto, mas não deu certo, pois trabalhei em pleno obon. Quando eu lembro eu ouço seu programa de rádio, porque o horário muitas vezes não coincide, gostei muito mesmo! Além do mais, a maledeta TPM... Agora, quanto aos nossos guilty pleasures de qualquer coisa, o que pra outros seria "que horror" pra nós seria "indispensável". E vice versa. E o filme da Amelie Poulain é indispensável pra mim. Ah sim... as novelas da TBS, a de domingo não perca! E prepara a caixa de lenços, pois li mais ou menos a resenha e vai ser de chorar...

Satie, realmente esses anônimos são o fim da picada. Tudo bem que a gente use avatar diferente, mas a gente tem identificação. Mesmo sendo pseudônimo. O problema é quando a gente vai comentar nos outros blogs e dependendo em que plataforma foi feito, nossa foto vira um desenho geomético, tal como no Wordpress. Enfim: esse pessoal que não se identifica, acha que pode dormir com a consciência tranquila. Sei...

Denise (Tabeteimasu): Ebaaaa! Finalmente 2010 está no fim e que 2011, ano do Coelho, traga muitas coisas boas! O importante é saúde (tendo saúde, o resto a gente consegue). Ahahah essa do botão "f**a-se" quem falava isso pra mim direto era minha amiga do Brasil que veio passar uns meses aqui (isso porque ela morou dois anos aqui). Ela era bem desencanada, nem esquentava com nadica de nada. TPM, comigo, é de época. Mas quando ataca... sai de perto!!! Dizem que soja ajuda, mas não sei, não...

Alexandre (Lost in Japan): E-mail quase nem recebo, mas entendo que você deve receber todo dia, pelo fato de você possuir um blog muito bem frequentado e bem requisitado. Felizmente existe a lixeira né... Agora, você receber fotos das consequências da bomba, e outros e-mails depreciativos... é o fim da picada! O que eu gosto daqui é a liberdade de poder usar o que quiser sem ser tachado de doido ou boiola, desde que tenha bom senso, claro. E meu gosto musical, você viu minha salada. Quem ouvir meu iPod, o menos avisado  vai querer me internar hahaha Mas você tem uma salada musical mais refinada, por favor, né?

Agora, esses anônimos pra criticar e pisar em cima, aparecem, mas pra elogiar pra pelo menos se redimir necas de pitibiriba, ne? Mas deixa estar: esses trollers no ano que vem não vão ter nem chances, vão arder no mármore gelado do inferno.

Ah sim: melhorei bem. O que a gente não faz pra ir num bonnenkai hahaha

Fernando, pode deixar que não vou deixar os fiéis leitores desamparados. Esses trollers anônimos sabem onde um dia vão parar.

Desabafando, se no tempo de faculdade eu nem ligava pra fashionismo nem estilo musical, aqui muito menos. Felizmente temos a liberdade de poder ter o lado fashionista sem o pessoal achar que a gente pirou. Bem como gosto musical, cada um tem o seu né...

MP Kouhaku, de baldeações, Tokyo você se perde mais, especialmente pra pegar o Keiyo Line pra Tokyo Disney - tem que andar mais de vinte a trinta minutos, por via subterrânea. Mas minha salada musical, principalmente é o que pegam no meu pé, você viu o estrago hahaha Pelo menos tem um pessoal conhecido meu felizmente me respeita.

Abraços e beijos a todos e todas!

Foto meramente ilustrativa de um mel com gengibre.

Monday, December 20, 2010

Cada situação que a gente passa (Ou: O Direito de Ser Eu Mesma)

Ultimamente a gente ouve, vê, enfim, presencia cada situação do nosso cotidiano que não tem como passar batido. Muitas vezes seriam os absurdos de cada dia. Embora para uns possa ser "a coisa mais normal do mundo", para outros vira "mas que barbaridade!!" Oras, mas também, um ser igual a outro perde a graça. E se a pessoa sente-se bem assim, que podemos fazer? Desde que não faça mal a terceiros, então deixa disso.

Direito de se vestir como quiser (desde que prevaleça o bom senso): Um dos lados bons de morar aqui no Japão, especialmente onde eu moro (Yokohama), é que da mesma forma que durante a semana vou trabalhar de roupa social e salto alto (e não tenho problema na coluna), nos dias livres ora posso estar de cara lavada (nem tanto), de calça jeans e camiseta ou de saia rodada com legging e sapato baixo sem que muita gente olhe pra mim achando que pirei - se for em Shibuya, andar de calça colorida não significa que o cara seja boiola. E num frio de rachar pedra já vi muita moçoila de shorts com meia calça preta e desenhada. Ao menos elas têm envergadura pra usar tal peça (sendo magra, sem coxa grossa e sem tanajura). O pessoal com quem eu trabalho já acostumou comigo de me verem usando roupa social de trabalho num dia e no outro aparecer de blusa côr de uva, o que já ganhei a alcunha de "fanta uva tamanho litro" e no dia de folga me verem meio disaster fashion (é: saia rodada com legging e blusas coloridas)...

Direito de ter um "guilty pleasure": Quem me conhece sabe do meu gosto totalmente duvidoso em matéria de música. Eu tenho que falar dessa forma, pois gosto é que nem traseiro: cada um tem o seu, então entende-se que, em um momento estou ouvindo Beatles, de repente estou ouvindo Legião Urbana, pulo pro Masaharu Fukuyama, passo pela Cyndi Lauper, Amy Winehouse, Carpenters, termino ouvindo Smap e passo pros Beatles de novo. Isso em casa quando ouço pelo PC (tenho o iTunes instalado), ou quando viajo de carro ou no iPod mesmo. E em modo shuffle, isto é, vira uma salada só. Nessas horas que agradeço em partes por existirem os fones de ouvido... Da mesma forma que existem pessoas em todo o mundo que dizem que ouve tal artista, mas entre quatro paredes e cortinas cerradas, ouve o seu guilty pleasure ou seja: por vergonha de admitir que ouve tal artista, acaba ouvindo em casa mesmo. (No meu caso, tudo acaba virando guilty pleasure pra qualquer pessoa que me conhece, mas e daí?)

Direito de se divertir (afinal, ninguém é de ferro): Enquanto muitos acham que a gente - pelo menos aqui - vive de trabalho, trabalho, trabalho (daí vem gente mal informada achando que viver aqui é uma droga), outros acham que a gente está esbanjando e "se achando" quando a gente tira alguns dias de folga e acaba viajando nem que seja no jardim que fica na esquina de casa. Como agradar gregos e troianos sempre foi difícil, querem saber? Nem ligo mais se passo a semana toda trabalhando ou se passo dois dias (ou mais) de folga. E pagar minhas contas essa gente que reclama, não quer, né?

Direito de ter surtos ocasionais e pôr a culpa na TPM: Vai ter mulher reclamando, mas pensemos em um lado bom - na hora que estamos na crise da choradeira, na depressão, e os nervos a flor da pele, podemos dizer "maldita TPM que me afeta!" ou algo parecido. E ai daquele que vier cutucar a gente nesse estado! Sim, TPM também virou sinônimo de "tou pronta pra matar", "tou pronto pra morrer", e outros significados que nessas horas os homens têm criatividade, pois para não correrem risco de vida, eles têm que tomar cuidado. Pior que existem os masoquistas (ou doidos de pedra mesmo) que ficam provocando a gente na época em que estamos sensíveis e quanto mais sozinha melhor. Depois acabam levando uma pedrada e ficam espalhando pra todo mundo que "fulana é violenta". Mas também, quem mandou cutucar a fera com vara curta? Conselho aos homens: gostaríamos mesmo que, se pudessem, virassem mulheres por uma semana. Principalmente na semana do TPM e sofrerem de cólicas. Das violentas.

Agora, o(a) primeiro(a) que vier comentando que meu sítio só tem algo depressivo, melhor procurar:

1) Fórum de pessoas depressivas que querem fazer um pacto;
2) Blogs que contenham o título "depressão" ou conteúdo como "estou triste e quero morrer";
3) Livros de autobiografias de gente suicida.

Nota: o artigo de hoje seria uma quase resposta a um comentário infeliz do artigo anterior. Se a pessoa se identificasse, talvez nem teria gerado esse artigo.

Não, não estou de TPM, não pertenço a um grupo suicida, nem sofro de depressão.

Thursday, December 16, 2010

Quinze Dias

Shibuya, visão da saída da estação onde fica o famoso "Scramble Crossroad", indo bem em frente, o famoso Center Kai com ruas estreitas e lojas para todos os gostos; pra esquerda, voltando pra Yokohama pela rodovia 246; bem à direita, o famoso prédio onde fica a loja Tsutaya com o Starbucks mais lotado do Japão (segundo me disseram)...


Sempre assim: chega final do ano, muita coisa a gente acaba fazendo na correria para não deixar nada ou quase nada pendente pro ano que vem. Aí o ano novo chega e começa tudo de novo. E não adianta nada também a gente fazer as resoluções de ano Novo porque nem sempre a gente cumpre o que escreve. Por isso que não faço mais por experiência própria. Lembram que eu falei que vim pra cá com a intenção de ficar "apenas dois anos" só pra conhecer? Então, agora multiplica esses dois anos por seis e depois me contem...

Nada contra as pessoas que fazem resoluções de ano Novo, mas pra mim, não adianta que não funciona mesmo. Não consigo cumprir nem um terço do que anoto na minha agenda nova, logo na primeira página da primeira semana de janeiro. Também, acontece cada imprevisto que vou falar...

Parece brincadeira, mas também chega dezembro, acabo pegando resfriado. Daqueles fortes e não foi falta de me previnir. Teve ano que cheguei a ficar sem voz, com febre e dois dias de cama. Ainda bem que este ano estou me recuperando mais rápido, mas haja gengibre e limão...

Pra falar a verdade: este ano passou rápido. Se eu fazer um balanço geral, pelo menos as coisas boas vieram este ano. E calma que vou fazer uma retrospectiva ( a modo da autora aqui ). E as coisas ruins conseguimos superar. Ano que vem, estaremos preparados. Oremos.

Faltando quinze dias para acabar o ano, aproveitemos esses dias para arrumar a casa, resolver pendências, enviar cartões (que vergonha, algo que não faço há alguns anos...) Porque como disse um professor meu: "tempo a gente não tem, a gente arranja". Sei. Se o dia fosse de 48 horas será que mesmo assim daríamos conta?

Foto: da autora, tirada pelo celular mesmo, e nada tem a ver com o post do dia.

Tuesday, December 14, 2010

O Mundo Maluco, Divertido e (Nem tanto assim) Surpreso da "Show Business"

Bom dia, leitores em geral. Estou eu me recuperando daquele dito resfriado, ontem piorei. Para alegria de meus colegas de trabalho (#silviosantosfacts) fiquei rouca a ponto de ficar com um fio de voz e tossindo demais. Então, acabei por voltar mais cedo pra casa, tomar remédios e chá fervente com limão (e com as rodelas idem), chá de gengibre e outras bebidas ferventes, para melhorar pro final do ano, pois promete.

Se ultimamente só postei sobre a loucura mundial (e ainda continua, pensam que acabaram), vamos nos divertir um pouquinho...

Leitores do Brasil, peloamordemataracuriosidadedestaautoraaqui quem foi no show do Paul McCartney em Porto Alegre ou em São Paulo, ou nos dois que teve em novembro? Gostaria que me relatassem como foi o passo a passo de comprar o ingresso, encarar fila, e tudo o mais. Sim, fui uma vez na vida, mas quase morri espremida no gramado. Detalhe, se comprou o ingresso do gramado, melhor ainda para contar a história. Pode ser nos comentários ou via e-mail, está no "contato". Não é que quero comparar com os daqui, mas quem leu meus artigos de como ir em um show aqui no Japão, vai entender. Obrigada.
E fazer pelo menos dois shows no Japão, nem pensar, hein, Sir Paul?

**************************************************************
Lembram que eu falei do kabukiza Ebizo Ichikawa, que apanhou em uma bodega no meio de Azabu (Tóquio, mais especificamente em Roppongi) e falaram que ele estaria em estado tão grave que teria que fazer trocentas cirurgias plásticas, só voltaria ano que vem e no final, ele apareceu na coletiva com o olho esquerdo bem vermelho (quando o sangue coagula na parte branca, sabem?) pedindo mil desculpas pelo ocorrido, etc.? Encontraram o agressor e era um ex-jogador da J-League. Agora falarem o motivo de ter agredido e apanhado isso até agora ninguém fala nada? Vai dar um belo de uma novela... melhor, acho que vai ser um dramalhão daqueles que você não sabe se morre de rir ou morre de chorar... de raiva.


**************************************************************
Sessão pipoca: o filme "Norwegian Wood", baseado no livro de Haruki Murakami entrou em cartaz no sábado que passou. Antes disso, várias empresas estavam se inspirando no filme para lançar os produtos e inclusive reeditar o livro (o original são dois volumes). Não fui assistir ainda, mas as críticas são bem favoráveis. Mas engana-se que eu assisto o filme porque a crítica altamente recomenda, mas porque quero saber o enredo. Agora se vai ser bom ou não, vai de cada um.
Duas versões do cartaz do mesmo filme que está a três dias em cartaz em todo o Japão.

Sessão pipoca 2 (dados que obtive no blog The Doramas ): O filme do (sempre) galã, carismático e pai dedicado de duas meninas mesmo interpretando a esquete "Petto no P-Chan", aquele poodle tarado cor de rosa Takuya Kimura - "Space Battleship Yamato", logo na primeira semana da estréia já arrecadou quase um bilhão de ienes nas bilheterias nacionais. Em números, digamos que...

- 791 mil pessoas foram assistir ao filme em 440 salas de cinema em todo o Japão;
- Das pessoas que assistiram ao filme:
a) 52% eram do sexo masculino e 48% do sexo feminino;
b) 44% tinham por volta dos 40 anos de idade;
c) 54,5% eram funcionários de uma empresa e 16,3% donas de casa;
d) 31,9% queriam ver a versão live action do anime Yamato; 21,7% eram fãs do anime; 15,8% queriam ver a performance do Takuya Kimura. Quanto aos efeitos especiais, apenas 5,3% lembraram que eles existiam.

Se em menos de uma semana o filme já arrecadou tudo isso, imaginemos que entramos na segunda semana da estréia...

**************************************************************
Os j-doramas de outono já estão no fim, ano que vem, como sempre, novas atrações! Novas tramas! Amores não correspondidos; dramas familiares; suspense! Emoção! Preparem lencinhos. Sei que toda temporada é a mesma coisa, mas em breve estarei falando a respeito. 

**************************************************************
Dia 9 de dezembro, foi a última aparição de Hikaru Utada ao vivo, antes de se retirar da vida artística "por tempo indeterminado", no Yokohama Arena. Diz ela que "volta mas não sei quando". Esperemos que seja logo (se bem que teve uma época em que ela ficou afastada por motivos de saúde e depois investindo no mercado americano)...
Ela volta, não sabemos quando, mas ela voltará a carreira artística...
**************************************************************
Pelo jeito desta vez as curtinhas estão fraquinhas aqui. Quem sabe semana que vem, né...

Monday, December 13, 2010

O Festival do Vermelho e Branco - Kouhaku Utagassen - Parte 2


Apresentadores Oficiais, Auxiliares e Supporters das Duas Equipes

Até o 59a. edição, eu achava que o festival estava com a audiência despencando, pois justo no último dia do ano as outras emissoras colocavam outras atrações no ar, como o Record Taisho (divulgando os melhores do ano) e luta livre. Mas no ano passado, capricharam e foram com tudo. Pelo fato de ter sido os sessenta anos do evento? Também, mas foi um evento que não houveram incidentes e, segundo um amigo meu que esteve cobrindo o evento para a rádio, nunca se viu tanta gente querendo ir ao evento naquele ano. Devido a novas atrações que vieram participar...

Todo programa tem os apresentadores da emissora, os auxiliares (comentaristas) e, no caso do Kouhaku Utagassen, os supporters que representam as duas equipes. O que muita gente espera - além dos cantores e cantoras, tópico que logo vou fazer sobre isso - seriam os representantes das duas equipes - uma mulher representando a equipe vermelha e um homem representando a equipe branca. Bem, não obrigatoriamente.

Os apresentadores (ou mediadores) são da própria emissora. Dificilmente eles ficam mais do que dois ou três eventos seguidos (exceção feita por Shozaburo Ishii, Shizuo Yamakawa e Ryuji Miyamoto, que ficaram mais de seis a dez eventos seguidos). Mas já teve apresentador que acabou sendo representante de equipe, como o apresentador Teru Miyata, que no começo foi representante do Shirogumi, depois foi duas vezes o mediador e logo depois novamente representante. O apresentador auxilia as duas equipes na apresentação das atrações, comentários, e outros detalhes. Este ano, pela segunda vez consecutiva, será Wataru Abe.

Os auxiliares, que aparecem nas chamadas pré-Kouhaku e no site oficial do evento, eles também ficam dentro e fora dos bastidores, acompanhando o que acontece. O ano passado foram os tarento Terry Ito e Mari Sekine. Este ano, eles contarão com a presença de Nana Mizuki, que no ano passado foi o primeiro Kouhaku que participou.

Agora, o que muita gente espera mesmo são os supporters ou representantes das duas equipes. Geralmente são atores e atrizes, cantores e cantoras, raramente apresentadores de TV, enfim, o que for voltado pro entretenimento. Já tiveram esse privilégio cantores e atores como :

- Kyu Sakamoto (ídolo dos anos 60 famoso pela "Ue wo muite arukou" (que no resto do mundo ficou conhecido pelo nome infame de "Sukiyaki");
- Yuzo Kayama (ídolo dos anos 60 também, famoso pelos filmes que também cantava, este ano participará pela 17a. vez, sem contar como supporter);
- Masaaki Sakai (ex-vocalista do grupo The Spiders, fez a primeira versão de "Saiyuuki" e hoje apresentador de programas de variedades);
- Tetsuya Takeda (ator, sempre lembrado pela série famosa "Kinpachi Sensei Sannen B", foi um dos vocalistas do trio Kaientai);
- Chiemi Eri (cantora, era uma das "Sannin Musume", formado com ela, Hibari Misora e Izumi Yukimura, faleceu prematuramente em 1982);
- Hibari Misora (a diva da era Showa, dez entre dez cantoras dizem terem grande influência através dela);
- Naomi Sagara (cantora, nos anos 80 sua carreira declinou devido ao fato de sua ex-parceira ter revelado que ela era lésbica);
- Tetsuko Kuroyanagi (apresentadora, mantém até hoje o programa "Tetsuko no Heya", famosa pelas suas ações humanitárias no exterior e também pelo livro "Totto-chan, a garotinha da janela");
- Masako Mori (cantora, fez sucesso nos anos 70 junto com Momoe Yamaguchi e Junko Sakurada. Parou com a carreira artística ao casar-se com Shinichi Mori e voltou recentemente ao divorciar-se dele);
- Mitsuko Mori (veterana atriz tanto de TV como de teatro, ela é muito conhecida por gostar (muito demais por sinal) dos meninos do Johnny's Jimusho, como Hiroyuki Higashiyama e Hideaki Takizawa).

Nos anos 90 em diante, quando houve o boom da (hoje não tão ) nova safra de artistas ( não que não houvesse nos anos anteriores, mas muita gente lembra mais dos anos 90 do que as demais, talvez que tem muito artista cujas músicas são cantadas até hoje), os representantes mais notáveis foram:

- Akiko Wada (cantora, que começou com blues e jazz em Osaka, dona de uma voz potente. E língua afiada também);
- Junko Kubo (apresentadora da NHK, que chegou a estudar na Inglaterra e Estados Unidos, foi uma das mais carismáticas da emissora, hoje faz aparições esporádicas);
- Hikari Ishida (atriz famosa nos anos 90, trabalhou em "Asunaro Hakusho");
- Yukie Nakama (atriz, tentou ser cantora na campanha da operadora de celulares da au, vai ser lembrada pelas personagens de Yankumi ("Gokuzen"), a ilusionista Naoko Yamada (a série "Trick") e a devotada esposa em "Watashi wa Kai ni Naritai");
- Wataru Abe (apresentador da emissora, do programa "Ohayou Nihon", noticiário das sete da matina, este ano vai ser o mediador);
- Motoya Izumi (conhecido a alguns anos atrás pelo casamento e a fama da mãe estar sempre a tiracolo, largou a carreira artística para tentar ser lutador, mas parece que não está dando certo e ano que vem volta no taiga dorama da NHK em "Gou - Himetachi no Sengoku");
- Masahiro Nakai (líder do quinteto Smap, desde 1997 participa como representante do Shirogumi - exceção em 2007 que foi como do Akagumi - já fez dupla com a Akiko Wada, Junko Kubo e três vezes com a Yukie Nakama - que valeu o apelido da dupla "Naka-Naka", pois eles conseguiam animar o festival).

A função dos supporters ou representantes das duas equipes seria apresentar os artistas, conseguir votos e entreter o público. Ficar quatro horas ao vivo no palco ou nos bastidores não é bolinho. Pra dizer a verdade, o Kouhaku do ano passado foi o único que consegui assistir inteiro (os demais assistia uma parte ou outra), então dá pra sentir o drama que os apresentadores, os supporters e os auxiliares passam. Mas eles também contaram - no ano passado - com a ajuda de várias personalidades nos bastidores ou no meio do público, geralmente aparecem sem aviso prévio.

Este ano, como tinha informado numa postagem aqui ("Nada Rápida, Nem Rasteira", 4 de novembro deste ano), o apresentador será Wataru Abe; os auxiliares serão Terry Ito, Mari Sekine e Nana Mizuki e os representantes das equipes branca e vermelha respectivamente serão o quinteto Arashi e a atriz Nao Matsushita (o que teve gente que achou que seria covardia - cinco rapazes contra uma mulher). O que espera-se que, a cada ano aumente a audiência do evento, se bem que este ano - assim como no ano passado - teve inúmeros pedidos para assistir ao vivo. E são cerca de 3000 lugares no NHK Hall...

Logo em breve, quem sabe ainda nesta semana, a parte 3 - Os Eleitos.


Fotos, via seogugol, exceto a última direto da home page do evento.

Sunday, December 12, 2010

Iluminações

Desculpem a demora em postar aqui, mas estou me recuperando de um resfriado que literalmente me pegou de jeito, mas felizmente foi somente a garganta e ainda bem que não estou com febre. Ao menos este final de semana deu para sair com o senhor kinguio, que está de folga este final de semana e resolvermos dar um passeio em Yokohama, mais entre Sakuragicho, Minato Mirai e perto do Akarenga.


Tirar fotos à noite, ainda mais uma câmera antiga e que muitas vezes acaba nos deixando na mão, foi um desafio no sábado que resolvemos dar uma passeada. E olha que muita gente pensou a mesma coisa. Pro pessoal não ficar falando que quase nem falo da cidade que leva o nome do blog, algumas fotos da visão noturna de um dos pontos turísticos mais frequentados daqui. Como o navio-museu Nippon Maru e ao fundo o famoso Cosmo Clock, a roda gigante que a noite fica iluminada e cada hora que fecha, faz um efeito luminoso muito bonito. Aconselho filmar.

Como o Natal está chegando, fica inevitável a decoração sazonal. Raramente pode-se fotografar dentro do prédio Queen's East, onde além das lojas, tem hotel, escritórios e restaurantes. Desta vez abriram exceção para um festival de iluminações de uma árvore que fica mais na saída para o Pacifico Yokohama. Dá pra ver as gaivotas, ave símbolo de Yokohama por motivos óbvios.

Na passarela que fica entre o Yokohama World Porters e indo para Osambashi Pier ou voltando pro Minato Mirai. Fico imaginando o trabalho que eles tiveram de fazer e colocar (logo mais adiante tem uma escada rolante...)

No pátio do Akarenga (em português "tijolo vermelho"), a iluminação natalina, ao fundo várias mesas e cadeiras para o pessoal comer sossegado, porque ao redor da árvore, algumas casinhas onde vendem-se lembrancinhas, comida e bebida (não fomos comer, porque tinha muita gente).

Detalhe da decoração das casinhas onde fizeram algumas lojinhas que acabei de falar. Tema natalino e religioso também.

Papai Noel de roupa azul? Na verdade era para ser verde, segundo a lenda. Na verdade, trata-se de São Nicolau, que era o benfeitor dos necessitados.

Um presépio. Estranho ter no Japão a representação do nascimento do menino Jesus com os Três Reis Magos? Não, ainda mais em Yokohama concentrar povos de nacionalidades distintas. Mas o significado de alegria do nascimento é universal em qualquer povo ou credo.

E pra ninguém ficar reclamando mais ainda que não saio em foto alguma, mas é porque tenho uma baita duma vergonha de ficar aparecendo, eis uma melhorzinha que senhor kinguio tirou de mim no Akarenga, ao fundo das lojas que mencionei. O presépio não dá pra ver, mas ficava do lado direito da foto, mas vocês viram o quanto o local estava lotado, né?

Ah, sim... E nos telhados, algumas representações dos Contos da Carochinha, como João e Maria ( à esquerda da foto) e Chapeuzinho Vermelho (à direita).

Visão noturna mais ou menos do lado do caminho pro Osambashi Pier. Próximo item da minha compra quando o fator ter dinheiro + oferta relâmpago do Yodobashi coincidirem, será uma câmera digital, semiprofissional ou não decente.

Fotos: da autora e do senhor kinguio.