Tuesday, March 15, 2011

White Day

Primeiro, utilidade pública nunca fez mal a ninguém, vamolá...


Donas e donos de casa, solteiros, sozinhos, acompanhados, dividindo casa (e outras coisas mais), nesse momento delicado aqui no Japão, temos que economizar. Mas economizar para viver bem e fazer o bem, então,  indico o site Fragmentos da Herika, que ela dá muitas dicas preciosas de economizar e ainda viver melhor. Quem mora no Brasil, em qualquer lugar no mundo também as dicas valem! Ou pensam que a gente é sócia da Light??? (ou da Tepco, empresa fornecedora de energia daqui)


Amigos e amigas que moram aqui no Japão, comuniquem com seus familiares nem que seja para dizer "oi mãe, ainda estou vivo", porque todo mundo sabe que existem os oportunistas e vigaristas tirando proveito da desgraça para aplicar golpes mirabolantes para extorquir dinheiro da família! Se sua mãe, pai, avó, avô, sogra, sogro, irmãos, conjuges, qual seja grau de parentesco, receber uma ligação de alguém se passando por funcionário da Embaixada Brasileira, imitando sotaque japonês, ou falando que "sou amigo de seu parente e ele pediu pra ligar porque está hospitalizado/preso/qualquer situação que ele esteja inacessível" ou se passando por advogado, não hesite em chamar a polícia! Evite de passar o telefone de seus familiares a mostra em redes sociais (se tiver que passar o telefone para algum amigo, passe via depoimento e peça pra deletar depois ou por Direct Message no twitter), pois seria um chamariz perfeito para esses golpistas.


Também desconfie de seu twitter receber uma penca de seguidores. Pode ser gente má intencionada querendo obter dados. Se esse seguidor tiver algum outro em comum com você, verifique. Ultimamente eu ando recebendo muitos seguidores, algo que desde que tenho conta no twitter não acontecia. (Eu sei que não seria hora de fazer piadinhas, mas espera tudo isso passar e eu voltar com assuntos que incluam receitas culinárias, j-doramas, Masaharu Fukuyama e SMAP que vão me dar unfollow rapidinho...)


Como previnir desses golpes, leia o excelente artigo que o Alexandre do Lost In Japan postou junto com a Nilza Yoshida, no Portal Nippon (um dos melhores sites para informação à comunidade brasileira no Japão).

*****************************************************************************

Mudando um pouco de assunto porque a vida continua, e temos que voltar a normalidade, pois assim nosso otimismo crescerá. Aos poucos, porque tudo de uma vez só não dá.

Quem mora no Japão, sabe que dia 14 de março seria o White Day, dia em que, por consideração ou amor, os rapazes retribuem as meninas pelo Valentine's Day, que foi um mês antes. Geralmente elas ganham chocolates, biscoitos, perfumes, roupas, vale-salão de beleza (ué, porque não?)...

Só que este ano, não teria nem motivo nem condições para comemorar devido ao terremoto de Tohoku, ocorrido no dia 11 de março.

Para falar a verdade: diante dessa tragédia, eu sei que muitas vidas foram perdidas, mas muito mais vidas foram salvas, mas para mim, uma pessoa encontrar a família viva, é o melhor presente que nenhum dinheiro pode comprar. Presentes a gente compra depois, mas família a gente quer encontrar agora, nem que leve quatro, cinco, dez dias. Preferencialmente viva.

Posso não ter ganho um presente, um chocolate de alguém, mas o fato de eu estar viva e ter também o digníssimo kinguio inteiro depois do abalo que sofremos em Tóquio e em Yokohama, é o melhor presente de White Day que ganhei nesta semana. Quanto aos chocolates, a gente compra uma barra da Meiji (aquelas baratinhas mesmo) depois.
Eu  (a autora) e Roberto (que sempre me atura), em abril de 2007, em Kawasaki (no departamento Lazona. Tá, podem parar com os trocadilhos). Raramente conseguimos ter uma foto juntos, porque quase não conseguimos pedir na cara de pau para alguém tirar uma foto nossa (a maioria ou é somente comigo ou somente ele). Ah, a gente não mudou tanto assim (exceto que eu emagreci mais ainda )

Fotos: Abertura do post, via gugol; da autora com o kinguio, a pedido de um amigo que estava conosco no dia em que fomos para Kawasaki.

10 comments:

  1. Kiyomi.. vc me inspira, adoro a forma simples que vc constroi seus textos mostrando suas experiencias e ajudando as pessoas (como eu) a abrirem seus olhos p mtas outras coisas que nos passam despercebidas,obgda.
    E voltando ao assunto dos canalhas de plantao, gente, desde ke o mundo é mundo existe os mentirosos e ardilosos de plantao, inacreditavel que perante tanta tragedia ainda pensem em ganhar dinehiro em cima das familias.. lamentavel. é de doer na gente.
    espero que td volte ao quase normal.bjus

    ReplyDelete
  2. Lu, eu tenho que voltar aos meus habitos normais, senao so pensar em tragédia, terremoto e tremores, eu enlouqueço. Por isso que eu estou voltando aos poucos com textos mais amenos e voltar a fazer os leitores sorrirem.
    A gente tem aquele medo de novo tremor forte? Fica, mas se a gente deixar o medo dominar, perderemos a esperança e otimismo, e isso nao quero. Ainda mais nestas horas.
    Pra ter uma ideia de como aos poucos estou voltando aos habitos normais, de madrugada postei sobre os estagiarios...
    Beijao!!!

    ReplyDelete
  3. que bacana esse post! eu tb sempre penso besteira com o Lazona e o Laputa hahaahaha

    arigatou pelo link, é mta sacanagem esse tipo de golpe voltar né. fazia tempo q ninguém mais falava dele...

    as dicas da Hérika são excelentes, valem pra todo sempre, temos mesmo que economizar.

    ficou muito bacana esse post, Kiyomi!

    ReplyDelete
  4. Vocês formam um casal simpático. E a hora é de tocar a bola pra frente.

    ReplyDelete
  5. Alexandre, quando construiram esse depaato, eu lembro que era um baita dum terreno vazio do outro lado do Azalea. O duro que o nome gera um monte de trocadilhos que nem te conto... Pro menos desavisado, tenho que falar, vamos do outro lado do Azalea ou do Kawasaki BE, mas nao adianta, quando ve o nome...
    Que é isso, a gente faz o possivel para manter todos informados!
    E as dicas da Herika sao boas mesmo! Mesmo pra quem mora sozinho tambem!
    Abraços!

    ReplyDelete
  6. MP Kouhaku, a foto é de quase quatro anos atras... Mas a gente quase nao mudou nada.
    Superaremos sim, pode ter certeza.

    ReplyDelete
  7. Olá Kiyomi!
    Realmente o melhor presente é estar a salvo e ao lado de quem a gente ama. Lógico que todo mundo gosta de um presente mas isso é o de menos.

    Abs,
    Carlos

    ReplyDelete
  8. eu vi vcs falando disso no twitter, mas peguei o bonde andando entao nao quis me intrometer rs
    adorei o post!
    jah fui estagiaria, mas nao tive a oportunidade de querer matar um...
    a menos q os novatos de fabricas esteja valendo, pq ai eu jah quis matar um monte rs
    eu mtos tb deviam querer me enforcar na cordinha da lampada, pq eu aprendia rapido, mas era capaz de cagadas historicas rs

    ReplyDelete
  9. Carlos, se depender do Roberto + chocolates, toda semana em casa é White Day ou Valentine Day pois ele sempre traz duas caixas daquele Almond Chocolate da Meiji (que ele sozinho come uma caixa num piscar de olhos!). ahahah
    Sim, o importante sempre que a pessoa que amamos esteja sempre conosco, seja nas tragedias, seja nas alegrias.
    Abração e beijao pra Denise! =D

    ReplyDelete
  10. Hidemi, apesar do comentario no post errado, tudo bem hahahaha, a gente tem que manter o humor nessas horas.
    Sim, ja tive vontade de pendurar as visceras dos meus chefes logo que comecei a trabalhar em Toquio, mas tambem meus pupilos tiveram vontade de me espetar num rolete, assar e distribuir no churrasco da firma rs
    No final a gente acaba rindo de tudo isso quando chega final do ano...
    Beijao!

    ReplyDelete