Sunday, May 29, 2011

Idas e Vindas


Semana passada (eu acho), na time line do twitter, li um recado do @alexsantosjp para a @EliIvni sobre amizade (baseado no texto da Eli "Simples Assim" no blog dela):

"Eu costumo dizer que o melhor amigo não é aquele que está sempre na sua casa, não é aquele q te chama sempre pra sair, ou aquele que toma cerveja junto com você...o amigo de verdade é aquele que estará no seu lado na hora em que você mais precisar dele...."


Lembrei-me do final de semana passada em que eu estava confabulando com um amigo (de longa data) sobre as amizades que a gente faz, cultiva e do nada... somem! Até cair a ficha de que aqui no Japão (ou qualquer lugar que não seja nosso país de origem) as amizades são temporárias, levou um tempo. Da mesma forma que seria no nosso país de origem mesmo. De repente, aquela amizade de anos, quem sabe, desde o berço, acaba do nada. Ainda quando se acaba porque as idéias não batem mais, é uma coisa. O difícil pra digerir seria que repentinamente - puf! - somem! E dar notícia que é bom... 


Imagem daqui
Eu sei que vocês vão dizer "mas você fala com as pessoas?", "envia e-mail?", "manda recado?" Pra falar a verdade, e-mail até enviei, respondi, mas depois disso... Se me chamarem pra uma saideira? Se eu estiver em condições ( entenda-se como financeiras, de saúde ou de tempo ou as três juntas ), eu vou. Pra conversar, distrair e tentar esquecer os problemas do dia a dia. Se precisa desabafar? Vem em casa, mas não repara a bagunça, a gente se encontra na cafeteria da estação, que seja. Bater perna em uma loja de departamentos (encaro uma ida no Aeon Lake Town em Koshigaya)? Marca o dia e vamos!


Certo que algumas vezes que me convidaram para qualquer coisa que fosse, eu tive que adiar por motivos que mencionei. Amizades que a gente faz virtualmente, torcemos para que se realizem em carne e osso. E algumas pessoas que já conheci em carne e osso, ainda mantenho certo contato. Via redes sociais (porque meu Windows Messenger uma vez deu tilt e do nada apareceu da mesma forma que sumiu, vai entender) ou no twitter, ferramenta que me fez encontrar muita gente bacana e legal de outros lugares deste Japão. Ainda mantenho contato, embora não possa - por enquanto - ficar 24 horas no twitter (cuja time line ficou bem movimentada, bom sinal!).


No trabalho, se não mantiver um bom laço de amizade, o nó se desfaz e depois para reatar fica muito difícil. Felizmente, de muitas pessoas que vieram e foram por diversas circunstâncias, ainda mantenho certo contato com algumas. Devido a nossa cumplicidade e gostos duvidosos, troca de receitas culinárias, dramas da vida real, apoio e o melhor que foi construída de uma forma mais natural possível. Hoje estamos fisicamente separadas (algumas voltaram ao Brasil, outras moram longe de mim - o que elas costumam dizer "você é que mora longe!", hahahaha), mas sempre que posso, entro nas redes sociais e troco recados. Nem que seja pra um "bom dia, boa tarde, boa noite, gente linda e animada". 


Como disse um amigo meu (que mora em Yokosuka e de vez em quando vem em casa pra confabularmos), "aqui, ou em qualquer lugar do mundo, as amizades de trabalho ou de estudo são passageiras. Mas torna-se permanente se realmente ambas as partes tiverem alguma coisa em comum. Se a pessoa não te procura mais nem pra saber se precisa de alguma coisa, ou ela não merece sua amizade e nem você a dela". E é verdade, porque eu também sou uma pessoa difícil, sou muito desconfiada (e até agora não entendo porque raios e blog, frequento twitter e FB).



Na real: sobre fazer e manter as amizades é um assunto relativo que pode variar de pessoa pra pessoa, pois ninguém é 100% igual a outra (e se fosse, perderia a graça). Mas se a gente possui um bom círculo de amizades em que mesmo há uma certa incompatibilidade de idéias e gostos, só o fato da pessoa vir perguntar se "precisa de alguma coisa" ou "está tudo bem, mesmo assim vamos conversar", vale muito a pena. Melhor eu dizer "na medida do possível a gente vai mantendo contato" do que "olha, você tem meu telefone e meu e-mail, não perde o contato, tá", porque aí que ninguém te comunica mesmo. 


Está bem: eu também tenho minha parcela de culpa nisso tudo. Mas existem situações em que eu tenho que ficar no meu canto, e também digamos que das poucas vezes que precisei, cheguei a ouvir "se vira, você não é quadrada, já é adulta, tem faculdade e bla-bla-bla". E quando eu não consigo ajudar alguém porque eu sei que está muito longe das minhas possibilidades, ouço "ah, mas você é egoísta, não quer ajudar, sua desalmada sem coração, bla-bla-bla"... Vai entender...


Como diriam, as poucas amizades que possuímos, temos que cultivar e manter, pois amizades boas são difíceis de encontrar hoje em dia e não se compra na feira tampouco se embrulha pra presente.



Wednesday, May 25, 2011

J-Dorama: As Novelas que Estão Prometendo Arrasar Nesta Primavera - Parte 2

Como eu havia mencionado na primeira parte (aqui), esta primavera as emissoras de televisão japonesas - tanto as de canais abertos como as pagas - lançaram vinte e três novelas!! Só que mencionarei as que provavelmente farão muitos telespectadores se emocionarem, vibrarem... Afinal, esta temporada está sendo o tema de alegria, superação, suspense, ação e ... bem, algumas lágrimas...


1 - Good Life~Arigatou Papa, Sayonara (グッドライフ~ありがとう、パパ。さようなら): Baseado em um livro escrito na Coréia, foi best seller em 2000, escrito por Cho Chang-in, com o título "Kashikogi", logo tornou-se novela e teatro no país de origem. Em fevereiro deste ano, foi traduzido para o japonês sob o título de "Good Life", história de um pai que, de tanto dedicar-se ao trabalho, esqueceu-se da família e passa a dar valor à vida familiar quando sua esposa o abandona e descobre que seu filho tem leucemia.
Com Takashi Sorimachi, Haruka Igawa, Amon Kabe, Nana Eikura, Tsuyoshi Ihara. No ar, pela Fuji Television, às terças-feiras, dez da noite (depois do dorama "Namae o Nakushita Megami").
Curiosidades:
- Durante os anos 90, Takashi Sorimachi quase sempre interpretava personagens de caráter agressivo, como o ex-yakuza de bom coração em "Miseinen" (1995) e o famoso professor Onizuka em GTO (1998). Tentou ser cantor, mas o negócio dele é atuar mesmo. Sua esposa é a atriz Nanako Matsushima, que se conheceram durante as filmagens do dorama GTO e tem duas filhas.
- Nana Eikura também foi conhecida pela sua interpretação de Chie Nagashima, no filme "Yomei Ikkagetsu no Hanayome" e também como Eri Oku em "Proposal Daisakusen - Operation Love".


2 - Rebound (リバウンド): "Rebound" é um termo usado para quem faz dieta ioiô (emagrece, engorda, emagrece, engorda...). Nobuko, uma jovem comum, adora comer, e de tanto comer, acabou pesando mais de 80 quilos. Depois de levar um fora do namorado, decide emagrecer e consegue também emprego em sua revista favorita. Estava tudo bem, até que conhece Taichi Imai, dono de uma confeitaria. E como Nobuko adora doces, volta a comer compulsivamente, mas se ela engordar, corre o risco de perder o emprego. A dúvida - o emprego ou os prazeres da vida?
Com Saki Aibu, Mokomichi Hayami, Chiaki Kuriyama. No ar, pela NTV (Nippon TV), às quartas-feiras, dez horas da noite.
Curiosidades:
- Para fazer a personagem enquanto gorda, Saki Aibu teve que usar uma roupa especial e muita maquiagem. Saki começou a carreira como atriz, em 2003 no dorama "Water Boys". Ficou conhecida como  a namorada que esnobava Naoki (Tomohisa Yamashita) em "Buzzer Beat" (2009) e como Riko Izawa, a dona do robô quase perfeito em "Zettai Kareshi" (2008). Na vida real, é namorada do vocalista do grupo TOKIO, Tomoya Nagase.
- Não é a primeira vez que Saki e Mokomichi contracenam juntos e fazem par romântico. Já o fizeram em "Zettai Kareshi". Mokomichi era o robô quase perfeito Tenjo Night.
- Mokomichi Hayami também pode ser visto todas as manhãs no matutino da NTV "Zip!!", onde ele mostra seus dotes culinários e já publicou um livro de suas receitas que apresenta na TV.
- Chiaki Kuriyama ficou mais conhecida no filme de Quentin Tarantino - "Kill Bill" - em que ela interpretava a colegial assassina GoGo Yubari.


3 - Asuko March! (アスコーマーチ!): Baseado no mangá do mesmo nome de Kaori Akiyama, conta a história de Nao Yoshino, estudante de colegial que tenta uma vaga na escola de seus sonhos mas não consegue. Acaba entrando no colégio técnico Kenritsu Asuka Kougyou Koukou (conhecido como "Asuko"), onde, em uma turma de 148 novatos, somente três mulheres e Nao é a única mulher da classe.
Com Emi Takei, Kento Nagayama, Tori Matsuzaka, Kento Kaku, Miho Shiraishi, Rei Kikugawa. No ar, aos domingos, pela TV Asahi, onze horas da noite.
Curiosidades:
- Emi Takei começou no dorama "Otomen", que fazia o papel da irmã de um dos amigos de Asuka Masamune (interpretado por Masaki Okada), mas teve destaque como a colegial na última getsukyu "Taisetsu na Koto wa Subete Kimi ga Oshite Kureta", o que ganhou o prêmio de melhor atriz coadjuvante no 68o. Television Drama Academy Awards. Também é a atual garota-propaganda da rede de lojas Aeon.
- Kento Nagayama é irmão mais novo do ator Eita. Também está no asadora "Ohisama".

4 - Hagane no Onna 2 (ハガネの女): Ineko Haga era professora quando abandonou a profissão pra se casar, mas seu pretendente acaba é abandonando-a e Ineko passa a beber demais, sentindo-se sem esperança pra nada, quando um amigo pede a ela voltar a lecionar. Ela concorda, mas descobre que na classe que leciona, há uma série de incidentes envolvendo maus tratos, ameaças e outras malcriações vindos dos próprios alunos. Ao mesmo tempo que reprimia os provocadores, protegia os mais fracos. O apelido "Hagane" vem de seu sobrenome "Haga" e seu nome "Ne", que também significa "de ferro, incansável".
Com Michiko Kichise, Jun Kaname, Osamu Shitara. No ar, às quintas-feiras, pela TV Asahi às nove da noite.
Curiosidades:
- Seria quase a sequência do dorama do mesmo nome, mantendo os personagens principais.
- Michiko Kichise também está no dorama "BOSS 2", que passa às quintas-feiras, dez da noite, mas pela Fuji Television, Há quem dissesse que dá pra ver a Kichise no mesmo dia, sem perder as duas novelas.
- Na primeira temporada, pelo menos três atrizes mirins já eram conhecidas de doramas anteriores - Nozomi Ohashi (em "Shiroi Haru"), Nanami Hinata ("Hotman 1 & 2") e Yuki Yagi ("Bara no Nai Hanaya").
- Jun Kaname começou a carreira como ator na série do Kamen Rider, em 2001. Pode ser visto também em doramas conhecidos como "Boku to Kanojo to Kanojo no Ikiru Michi" (2003), "Good Luck!" (2003), "Tatta Hitotsu no Koi" (2006), "Ryuusei no Kizuna" (2008), no taiga dorama "Ryomaden" (2009) e "LADY" (2011).


5 - Hancho 4 ~Jinnancho Azumihan (ハンチョウ~神南町安積班): Novos casos do detetive Tsuyoshi Azumi, chefe do Departamento de Casos Criminais na delegacia de Jinnan-cho. Com Kuranosuke Sasaki, Shunsuke Nakamura, Muga Tsukaji, Tomoka Kurotani, Toshiki Kashu, Shogo Yamaguchi, Shigeki Hosokawa, Takashi Ukaji. Pela TBS, toda segunda-feira, oito horas da noite.
Curiosidades:
- Já está na quarta temporada e patrocinado pela Panasonic desde a primeira.
- Manteve todo o elenco principal em todas as temporadas.
- Apesar do dia e horário, é um dos doramas com boa audiência (nas três temporadas, teve audiência média de 10 a 12%).
- Kuranosuke Sasaki (que faz o protagonista Tsuyoshi Azumi) nasceu em Kyoto. E mesmo tantos anos morando em Tóquio, nas entrevistas mantém o dialeto de sua província natal, tanto que no programa "Arashi no Shiagare", explicou como são os modos e costumes da região.


Na próxima semana (ou na mesma, vai saber), termino com mais quatro doramas. Estará também disponível no Portal Nippon dia 25 de maio.


Fotos: dos próprios sites das emissoras.

Saturday, May 21, 2011

Vamos Tentar Novamente!

Quem pensa que música ou promotion video para fins de caridade teria que ser algo triste, melancólico, algo parecido, enganam-se!

No mês passado, o frontman do Southern All Stars, Keisuke Kuwata, resolveu juntar mais de 40 pessoas da agência Amuse, na qual ele faz parte, entre músicos, atores e atrizes para o projeto "Team Amuse!!", com fins de arrecadar fundos para as vítimas do terremoto e maremoto de Tohoku, com uma música que, a princípio seria somente para download pago - basta ir ao site oficial da Amuse, fazer o download através do código de barras lido via celular e o valor a ser pago será cobrado na conta telefônica.

O problema é que muita gente gosta de ter o CD em mãos, e nem todo mundo tem aparelho celular (e quem tem, nem todos dá pra ler o código, como o meu por exemplo, nem baixando o aplicativo). O problema naquela ocasião era que para fazer os CDs, consome muita energia, e como na época do lançamento da música, em 20 de abril, a região de Kanto estava com a questão de racionamento de energia com constantes oscilações de três horas de apagão geral em sistema de rodízio, resolveram fazer desta forma (tal como foi a música do Smap "Not Alone - Shiawase ni Narou yo", que só tem pra download nos sites oficial do grupo e da gravadora Victor, por enquanto. Sair em single só torcendo se a música entrar em algum álbum ou "best of" que está mais do que na hora, mas isso seria outra história).

Mas como por enquanto a situação está controlada, a Amuse resolveu arriscar e lançar em CD a música "Let's Try Again", com cinquenta e quatro pessoas cantando, fazendo coro, dançando... Imagine juntar num estúdio essa gente toda (é possível sim, porque no 4o. Encontro de Twitteiros que eu fui, tinha mais do que isso), como o Southern All Stars, Masaharu Fukuyama, Pornografitty, Perfume, BEGIN, Juri Ueno, Risa Naka, Takeru Sato, Haruma Miura, Sun Plaza Nakano, Goro Kishitani, Keisuke Koide, entre muitos na lista que logo já solto.

Quem conhece a carreira de Keisuke Kuwata junto com o Southern All Stars ou carreira solo, sabe como ele é: irreverente, alternando entre fases românticas, fases roqueiras, fases diversas. E no meio de toda essa salada, ele consegue todo ano (exceto ano passado) juntar meio povo da Amuse para o evento beneficente "Act Against Aids" que faz no início de janeiro, com shows temáticos e renda revertida para pesquisas e entidades voltadas para combate a Aids. Então, quando saiu a notícia de que ele coordenou e convocou toda essa gente para gravar uma música e um promotion video para fins de caridade, e uma parte da música no noticiário, quem imaginou que ia ser uma balada, todo mundo parado, enganou-se...
Na página oficial do site Team Amuse, alguns principais - se não todos - dos envolvidos que abraçaram a causa.

"Let's Try Again" tem nove minutos e tanto de duração, mas sabe quando junta vários músicos de categorias diferentes, pra não sair confusão, eis que Kuwata teve a seguinte idéia: porque não juntar várias músicas conhecidas deles no meio (somente o trecho que muita gente conhece) e deixar a música original no começo, uns trechinhos a cada seis músicas e no final?   Eis como ficou a música:

1 - "Let's Try Again" (original, escrita por Keisuke Kuwata e Junichi Soga)
2 - "Katte ni Sindbad" (Southern All Stars)
3 - "Saudade" (Pornograffitti)
4 - "Katte ni Sindbad"
5 - "Shimanchu nu Takara" (BEGIN)
6 - "Sakurazaka" (Masaharu Fukuyama)
7 - "Let's Try Again"
8 - "Katte ni Sindbad"
9 - "Polythythm" (Perfume)
10 - "LOVE AFFAIR - Himitsu no Deeto" (Southern All Stars)
11 - "Ookina Tamanegi no Shita de" (Bakufu Slump)
12 - "Ageha Chou" (Pornograffitti)
13 - "IT'S ONLY LOVE" (Masaharu Fukuyama)
14 - "Nada sou sou" (BEGIN)
15 - "Let's Try Again"
16 - "Katte ni Sindbad"
17 - "Watashi no Piano" (Yuko Hara, Perfume e Yuriko Yoshitaka)
18 - "Runner" (Bakufu Slump)
19 - "Mampi G★Spot" (Southern All Stars, Masaharu Fukuyama, Risa Sato, Haruma Miura, Takeru Sato, Monobright)
20 - "Katte ni Sindbad"
21 - "Kibou  no Adachi" (Southern All Stars)
22 - "Katte ni Sindbad"
23 - "Let's Try Again"

Detalhe: a música "Katte ni Sindbad" eles só interpretam o início da música que muita gente conhece só de tocar o comecinho da mesma. No promotion video, entre uma música e outra ocasionalmente, aparecem vinhetas breves de Yuriko Yoshitaka, Goro Kishitani e Yuji Miyake. A colagem das músicas e no promotion video, ficou tão divertida, que até dança "para para" (que na década passada fazia sucesso com as gyaru em danceterias de Shibuya) teve com todo mundo sem exceção!!

"We Are The World", que nada! Pra animar todo mundo depois de março, tem mais que o pessoal ser mais animado ainda, e o Team Amuse cumpriu direitinho, todo mundo animado, cheio de energia e muita irreverência (principalmente entre Keisuke Kuwata e Masaharu Fukuyama no promotion video, só vendo pra rir).

A lista dos envolvidos é extensa, preparem-se, e está em ordem alfabética japonesa pelo sobrenome...

Yuka Itaya, Juri Ueno, Yoshinori Okada, Hisahiro Okura, Takako Kato, Ryonosuke Kamiki, Goro Kishitani, Keisuke Kuwata, Keisuke Koide, Ayaka Komatsu, Takeru Sato, Sun Plaza Nakano-kun, Skoop On Somebody, Takayuki Suzui, Risa Sudo, Kazuyuki Sekiguchi, Yu Takahashi, TEAM NACS, Yasufumi Terawaki, Yasuko Tomita, Riisa Naka, Hideyuki Nozawa, Yuko Hara, Pappara Kawai, Perfume, BEGIN, Yuuta Hiraoka, Masaharu Fukuyama, FLOW, Pornograffitti, Mihiro, Hiroshi Matsuda, Haruma Miura, Yuuji Miyake, Eri Murakawa, Monobright, Mori Yukinojo, Yuriko Yoshitaka e ONE OF ROCK.

O CD vai ser lançado dia 25 de maio, no valor de 1300 ienes com DVD com o making of e o oficial. A renda será destinada às vítimas de Tohoku. Ainda dá pra fazer download - pago - no site oficial : http://www.amuse.co.jp/teamamuse/

Update: Pro pessoal não ficar chorando, consegui o vídeo que passou no Space Shower mas como todo vídeo que coloco a tela aqui logo some de vista, acessem aqui, via DailyMotion

Wednesday, May 18, 2011

Você Não Está Sozinho - Vamos Ficar Felizes!

Os brasileiros e alguns japoneses que participaram ao vivo (e virtualmente) do 4o. Encontro dos Twitteiros no Japão, na cidade de Komaki (Aichi). Conhecem alguém no painel (feito pela @suriemu e fotografado pelo @igaum_ms)?


Minha intimidade com as SNS (Social Network Services - ou: Serviços de Redes Sociais) era limitado a parcos comentários em fóruns específicos, raras visitas no orkut (sim, tenho conta, mas entro uma vez por dia porque ainda tenho amigas das comunidades do digníssimo quarentão Masaharu Fukuyama, que anda meio parado. A comunidade, não ele. E do quinteto Smap pois tenho três amigas que comunico quase sempre, além de alguns amigos no exterior), no facebook (vulgo FB) e este sítio que há um bons pares de anos atrás recebia visitas e quase ninguém comentava - eu acho.

Com o tempo, eu confesso - coloquei o link deste sítio no meio dos comentários de outros blogs que eu frequento bem como em fóruns que eu participava pra ver no que dava. Sei que seria um "golpe baixo pra blogosfera", ficar colocando link do meu blog pra todo mundo que tivesse interesse visitasse. Mas, quem me conhece sabe: meus comentários são da mesma proporção dos meus "post biblia", jamais ficou "gostei do seu blog, visita o meu" e só. E hoje, quando tenho um número x de seguidores e um número x-y de quem comenta, sinal que eu sigo o ditado "pouco, mas com qualidade". Adianta eu ter um milhão de seguidores e dez milhões de comentaristas? E vai que eu esqueço de responder um?

O twitter nem lembro como foi que eu comecei. Acho que foi com meu irmão mais novo, que falou do aplicativo e foi a bobona aqui tentar. E quem me conhece, sabe: fica difícil se expressar em 140 caracteres. Fiquei um bom tempo sem acessar direito, foi muito na tentativa e erro (quantas vezes nao tuitei pra mim mesma?), mas teve alguns tweets que valeram a pena como o Design Festa de abril de 2010 e o Festival Media Arts também no mesmo ano, que fiquei sabendo como? Twitter!

E na Copa do Mundo de 2010, foi notória a hashtag (#) "calabocagalvão", por motivos óbvios, e como teve muito gringo que queria que queria saber se era alguma espécie de animal em extinção, eis que os brasileiros com a piada pronta, já que a frase (tudo junto ou separado, nem lembro) virou trending topics na época, ou seja, estava bem em destaque no Twitter, a nível mundial...
Uma das melhores piadas prontas que surgiu nos trending topics de 2010 (via newserrado)

Mas o que me impulsionou mais a utilizar e muito o twitter foi quando teve o trágico terremoto de Tohoku, dia 11 de março deste ano. Como telefonar era tarefa impossível (só pra conseguir falar com o digníssimo, tentei vinte vezes seguidas. Consegui na vigésima primeira), e os e-mails custavam a chegar também, usei o quê? Twitter. E foi através do Twitter é que minha lista de seguidores e seguidos aumentou vertiginosamente. Muita gente querendo saber como foi, se estávamos bem, outras coisas, porque a maioria da minha TL (time line) mora a 500 quilômetros de onde foi o epicentro e como eu e mais uma dúzia de membros moramos a 200 quilômetros do epicentro, mas sentimos muito bem as sacudidas...

Depois do susto, continuamos a manter contato, seja trocar informações, avisos de emprego, de notícias, fotos e receita de bolo. E claro, os encontros reais das pessoas virtuais. Particularmente, conheci ao vivo muito pouco da minha time line, devido ao 3o. encontro de twitteiros no Japão, que foi no início do ano. Seria óbvio que teria outro, que seria o pós terremoto, onde muito mais gente começou a se comunicar mais.

Dia 15 de maio, foi realizado o 4o. Encontro de Twitteiros no Japão, na cidade de Komaki, província de Aichi. No que pensei que seriam por volta de 30 a 40 pessoas (otimista, eu, hein?), na contagem final, fiquei sabendo de quase noventa pessoas, incluindo os acompanhantes. Era twitteiro pra caramba. Os mais maldosos falariam que seria um "clube fechado de gente estranha com hábitos esquisitos". Enganam-se: pessoas das regiões de Kanto (Tóquio, Kanagawa, Nagano e Gunma) e Tokai (Aichi, Shizuoka e Gifu) encontraram-se para um almoço, bate-papo e diversão. E olha que a gente só conhecia no bate-papo na time line, pois se levar em conta nossas fotinhas dos avatares que malemal enxerga algo...

E foi possível porque todo mundo queria saber como era um ou outro, apesar que alguns já se conheciam pessoalmente por morarem perto/ ter ido a algum evento/ ou amigo de infância perdido... E acham que o assunto foi Twitter, Twitter, e mais Twitter? Que nada! Sobre tudo e mais um pouco. Sabe assunto como "de que onde veio?", "você não faz tal coisa?" e por aí vai? Tinha gente que nem imagina como eu era. Nem eu.

Apesar de termos levado quase cinco horas de viagem de carro (pensam que Yokohama fica no quintal de casa?), foi um domingo muito mas muito proveitoso. Sem falar dos brindes sorteados (uia! Ganhei um par de brincos muito lindo lindo, cortesia da Silvia Satie, que faz cada peça linda!!). E o show de stand up que rendeu ótimas risadas.

Isso pode, Arnaldo? Quem lembra do "cala boca galvão", deve lembrar dessa pergunta que o narrador Galvão Bueno fazia ao ex-juiz Arnaldo César Coelho durante a Copa (ou qualquer jogo que eles estivessem transmitindo). E a pergunta acabou virando piada pronta (literalmente), pois toda vez que a gente fazia essa pergunta na brincadeira, logo ele respondia. E foi com essa pergunta que virou parte do sorteio no evento. Queremos mais encontros como esse. Isso pode, Arnaldo? Certamente ele responderia - Como não só pode, como deve.

Sim, encontros como esse, unem pessoas e acreditamos que o mundo não está tão perdido assim, pelo menos entre a comunidade brasileira no Japão, pra quem pensa que a gente veio somente atrás de bufunfa e mais nada, sabemos nos divertir e como.

Próximo encontro desse pessoal animado? Se depender de todos, vai ser o mais rápido possível, em agosto, em Hamamatsu.

Foto do @alexsantosjp, que peguei da @PriAmelie (Just a Ride) porque a foto que pedi pra tirar da minha máquina saiu uma tremedeira só. Detalhe: eu não bebi sequer uma gota de álcool, tá? Bem, a foto contem todos os blogueiros, twitteiros, usuários de alguma rede social e seus acompanhantes e familiares. Se alguém puder me ajudar a identificar todo mundo, eu agradeço, porque teve gente que nem tive tempo de bater um papinho...

Matéria completa no Portal Nippon aqui! E fotos do evento no flickr do Portal.

Saiba sobre o twitter na série feita por @nando_caco no Portal Nippon, na seção de tecnologia e informática (são quatro partes - parte 1, 2, 3 e 4).

Fotos: do painel, por Igor Massami via Portal Nippon. Do Galvão Birds, via newserrado. E do pessoal completo no Tertullia Grill Komaki, por Alex Santos.

Saturday, May 14, 2011

Voltando ao Normal, esperamos.

Amigos leitores deste pobre mas limpinho sítio e que costumam frequentar outros blogs que constam na barra da direita, devem ter percebido nos dois ultimos dias que as postagens sumiram e de repente apareceram sem comentarios. Ou nem uma coisa nem outra.

Mas esperemos que os posts voltem logo, o que estão sendo de forma homeopática.

Oremos.

J-Dorama: As Novelas que Estão Prometendo Arrasar Nesta Primavera - Parte 1

"Shiawase ni Narou yo", novela da Fuji Television, que já está no ar, às segundas-feiras, nove da noite.
Quem mora aqui e gosta de assistir aos j-doramas, sabe que entra estação nova, mudam as novelas, como disse, elas duram de dez a doze capítulos (exceto asadoras e taiga doramas que levam o ano todo). Falei sobre as novelas de inverno, então, vamos para a primavera, estação mais linda do ano, onde tudo se renova. Inclusive as novelas. Como esta temporada tem 23 novelas, mencionarei as que prometem segurar o telespectador no sofá...

Normalmente, novela de primavera costuma ser de renovações, de romantismo, de mudanças... E esta temporada, percebi que a maioria das novelas desta temporada falam de alegria por motivos óbvios - primavera e também para dar mais ânimo para muitos depois de março, afinal não podemos falar de tragédia, tragédia, tragédia ad infinitum, senão como ficamos, não é mesmo? Então, vamos preparando os lencinhos (pra enxugar as lágrimas de tanto rir ou chorar de alegria) que ainda dá tempo pra pegar os enredos...


1 - Jin (): Misturando ficção científica com medicina e era Edo, poderia ser um renzoku que pudesse confundir muita gente, mas a primeira temporada que passou no outono de 2009, aos domingos na rede TBS teve uma média muito boa (19%) sendo que o capítulo final teve 25,3% de audiência. Baseado no mangá do mesmo nome de Motoka Murakami, conta as aventuras do neurocirurgião Jin Minakata, que, arrasado pelo coma da namorada cuja cirurgia foi ele mesmo quem fez, acaba desmaiando e "viajando" no tempo, indo parar na época do Japão da era Edo, no qual salva vidas com suas habilidades médicas mesmo em situação precária, o que obviamente acarretaria descontentamento de uns e salvação de outros. A segunda temporada, Jin volta novamente a mesma cidade e época para uma nova missão. Segundo pesquisas de audiência pela NTT Docomo/Goo, este renzoku promete ter uma boa audiência.
Com Takao Osawa, Haruka Ayase, Keisuke Koide, Masaaki Uchino, Miki Nakatani, Kenta Kiritani, Fumiyo Kohinata. No ar, pela rede TBS, aos domingos, nove da noite.
Curiosidades: 
- Quase todos os atores principais da primeira temporada estão na segunda.
- A primeira temporada foi a novela mais premiada pela revista The Television Drama Academy Awards (melhor novela, ator principal (Osawa), melhor atriz coadjuvante(Ayase), melhor ator coadjuvante (Uchino, no papel de Ryoma Sakamoto), melhor roteiro, melhor direção e melhor música (da Misia)).

2 - BOSS 2:  Uma equipe de detetives investiga crimes hediondos, foi criada para este fim. Detalhe: a equipe é formada por pessoas competentes, dedicados, mas têm uma peculiaridade que acabam sendo vistos como "problemáticos para a polícia", por isso que essa divisão foi criada na verdade para isolá-los dos demais. O líder da equipe é uma mulher, Eriko Osawa, que trabalhou nos Estados Unidos como investigadora, bem tarimbada e ágil, mas o defeito dela é a incapacidade de encontrar um marido. Na segunda temporada, Osawa volta ao mesmo cargo e com a mesma equipe, para tentar concluir vários casos pendentes e novos casos.
Com Yuki Amami, Yutaka Takenouchi, Tetsuji Tamayama, Erika Toda, Junpei Mizobata, Michiko Kichise, Kendo Kobayashi, Youichi Nukumizu, Toshiyuki Nishida, Riko Narumi, Kyoko Hasegawa. No ar, pela Fuji Television, quintas-feiras, dez da noite.
Curiosidades:
- Traz o mesmo elenco principal da primeira temporada. O personagem de Toshiyuki Nishida esteve no último capítulo da primeira temporada e segue na atual. As personagens de Riko Narumi e Kyoko Hasegawa foram criadas para a segunda temporada.
- Yuki Amami (Eriko Osawa), foi membro do famoso teatro Takarazuka (onde as mulheres desempenhavam papéis masculinos), e devido a sua altura, fez parte da Equipe da Lua (os papéis masculinos). Após sair do teatro, a maioria de seus personagens em doramas são de líder de alguma equipe, normalmente de personalidade forte, como as duas temporadas em "Rikon Bengoshi" e "Around 40", esta última criou-se o termo "arafou" (アラフォー) para designar "mulheres solteiras e bem sucedidas na casa dos 40 anos".
- Yutaka Takenouchi (Shinjiro Nodate) continua sendo um dos atores mais bem sucedidos desde os anos 90, com sua "marca registrada" o uso de cavanhaque e bigode. Disputava (e ainda disputa) a preferência do público feminino em doramas, junto com Takuya Kimura (que já contracenou em "Long Vacation") e Takashi Sorimachi (contracenou em "Beach Boys" e nos dois últimos capítulos da primeira temporada de "BOSS").
- Erika Toda (Mami Kimoto) quase emendou uma novela atrás da outra: "Ryuusei no Kizuna" (outubro a dezembro de 2008), "Code Blue" (janeiro a março de 2009), "BOSS" (abril a junho de 2009), "Liar Game" (novembro a janeiro de 2010), "Code Blue 2" (janeiro a março de 2010), "Keizoku 2: SPEC" (outubro a dezembro 2010), "Taisetsu na Koto wa subete Kimi ga Oshite Kureta" (janeiro a março de 2011), por isso dava pra ver ela quase toda temporada na TV...
- Michiko Kichise (Reiko Narahashi) também pode ser vista na novela da TV Asahi, quintas-feiras as 21 horas como protagonista em "Hagane no Onna Season 2", por isso nesta temporada em "BOSS 2" quase ela não aparece. No primeiro capítulo de "BOSS 2", sua personagem aparece casada e fala a palavra "hagane" que significa "ser de ferro, incansável" o que também é o nome de sua personagem na novela da Asahi.
- Haverá um crossover entre esta novela com "Shiawase ni narou yo", da mesma emissora, em que o personagem interpretado por Youichi Nukumizu procura a agência de matrimônio B-Ring para arranjar uma cara-metade.

3 - Shiawase ni Narou Yo (幸せになろうよ): Quem tem dificuldades de encontrar sua cara-metade, resolvem ter os serviços de uma agência para arranjar casamentos. Um modo moderno (e caro, diga-se de passagem) do tradicional miai (casamento arranjado), mas com o propósito de conhecer uma (ou mais) pessoas. Se acabar em casamento ou se vai dar certo, vai depender do(a) pretendente. O problema é quando a pessoa que arranja o partido para uma mulher acaba se apaixonando por ela, o que seria contra as regras da casa! Então ele arranja um outro rapaz para ela ao mesmo tempo que não consegue esquecê-la...
Com Shingo Katori, Meisa Kuroki, Naohito Fujiki, Riisa Naka, Yuta Tamamori, Mieko Harada. No ar, pela Fuji Television, toda segunda-feira, nove da noite.
Curiosidades:
- é o quarto getsukyu estrelado por Shingo Katori (os três últimos foram "Hito ni Yasashiku", "Saiyuuki" e "Bara no nai Hanaya"), e o primeiro pela Meisa Kuroki.
- Naohito Fujiki (que é o advogado que se apaixona pela personagem interpretada por Kuroki) também é cantor e tem um irmão gêmeo (que não é artista).
- Yuta Tamamori (que interpreta o irmão da personagem de Kuroki), também é da mesma agência Johnny's Entertainment, o mesmo que Katori. Ele faz parte do grupo Kis-My-Ft2 (mais conhecido como "kisumai").
- é a segunda vez que uma música do Smap (grupo de Katori) é tema de encerramento de um getsukyu estrelado por um dos membros do grupo, com "Not Alone - Shiawase ni narou yo". A primeira, foi "Taisetsu", em 1998, na getsukyu "Brothers", em que Masahiro Nakai era o protagonista.

4 - Namae o Nakushita Megami (名前をなくした女神): Cinco mães que eram grandes amigas e viviam em paz e harmonia se vêem numa trama de ciúme, revolta, traição ao descobrirem que seus filhos estariam disputando uma vaga em uma das melhores escolas primárias. Mas por trás disso tudo, cada uma delas esconde seus verdadeiros dramas dentro de seus lares.
Com Anne, Yoshino Kimura, Machiko Ono, Kana Kurashima, Ryo. No ar pela Fuji Television, toda terça feira, nove da noite.
Curiosidades:
- Anne é filha do prestigiado ator Ken Watanabe.
- Yoshino Kimura já chegou a morar no exterior. Ela e a atriz Anne coincidentemente já contracenaram juntas em "Naka nai to kimeta hi" (2010, da mesma emissora). Yoshino é casada com o ator e cantor Noriyuki Higashiyama (do trio Shonentai) e aguarda filho para o final deste ano.



5 - Umareru (生まれる): Aborda sobre gravidez na casa dos 50 anos - quando os filhos já quase adultos - e o impacto que causa em toda a família.
Com Maki Horikita, Tadayoshi Okura, Kento Nakajima, Seika Taketomi, Misako Tanaka, Ren Osugi. No ar, pela TBS, toda sexta-feira, dez horas da noite.
Curiosidades:
- Dois membros da agência Johnny's Entertainment são protagonistas: Tadayoshi Okura (Kanjani Eito) e Kento Nakajima (B.I.Shadow).
- Osamu Suzuki, roterista do dorama, é também responsável de muitos programas de TV japonesa, como "Waratte iitomo", "SmapXSmap", "SmaStation", entre outros. Casou-se com a atriz e comediante Miyuki Ohshima (do trio Morisanchu).
- A rede de lojas de conveniência Family Mart, em colaboração com o dorama, desde 25 de abril, está vendendo um croissant que leva a marca e o logotipo da padaria em que se ambienta a trama, chamado "PANNTEN". Custa 130 ienes e por tempo limitado.

Próxima semana, serão comentados mais cinco doramas. Publicado na quarta-feira, dia 11 de maio no Portal Nippon.

Glossário (para quem chegou agora):

- Renzoku: é a tradicional novela que dura de oito a doze capítulos semanais. Existem casos que podem durar um ano todo (como foi "Fumo Chitai", em 2010).
- Getsukyu: termo criado pela Fuji Television para as novelas que passam segunda-feira às nove da noite, considerado o "horário nobre" da emissora (e consequentemente gera uma espécie de cobrança, pois se a audiência de um getsukyu for muito baixa, a seguinte terá que ser muito boa pra compensar...).


Observação: na verdade este post foi publicado em 11 de maio, mas devido a falha técnica do Blogger, este texto bem como os comentários, SUMIRAM, felizmente tinha o original salvo, mas os comentários...

Wednesday, May 11, 2011

A Volta das Novas Pílulas de Conversa Fiada para Confabular em Uma Roda Quadrada em uma Mesa de Bar (ou qualquer lugar, oras!)


Eu sei que faz tempo (acho que desde o dia 11 de março?) que dei um tempo nas pílulas de conversa fiada, na discoteca básica (este, quando voltei, já mandei ver no album quadruplo do Masaharu Fukuyama, pra desespero de uma metade e alegria de outra), e sei lá que mais assuntos estão meio parados (dos j-doramas volta e meia apareço, sim), vamos lá que a fila anda...

Felizmente a rotina aqui está voltando ao normal, ainda bem. As cidades atingidas sendo recuperadas, o trem-bala que passa na região de Tohoku já voltou antes do Golden Week, as primeiras casas "provisórias" (quando falo assim, vi a reportagem no Mezamashi Seven da Fuji TV, as casas são novinhas e muito bem estruturadas, com ofuro e ar condicionado, com pia e fogão!) sendo habitadas, estudantes voltando às aulas... E os moradores da cidade de Kawauchi (Fukushima) voltaram depois de dois meses, para reaver bens pessoais e tentarem retomar a vida normal de sempre. Mas donativos continuam sendo bem-vindos, com certeza!

*************************************************************************
Quem vai comigo em churrascarias, deve ficar horrorizado quando ouvem meu pedido de picanha bem passada. Acho que até o churrasqueiro fica passado (no sentido figurado) quando eu peço a parte mais torradinha da carne. Bem, gosto é quem nem traseiro né... Depois que soube do incidente do yakiniku nas regiões de Hokuriku e algumas lojas em Kanagawa (inclusive uma das lojas da mesma rede onde houve o incidente, fica perto de casa!), em que a iguaria yukhoe (tipo de um prato coreano onde come-se tudo cru - desde o ovo até a carne) vitimou fatalmente 4 pessoas e internou mais de 35, sendo 20 em estado grave. Pois a carne, matéria prima do prato, estaria com as bacterias O-157 e O-111. Mais detalhes, no artigo do Japan Times (em inglês).

***************************************************************************
Vai ter gente comentando, vai ter gente achando que seria desespero, mas o atual premie japonês Naoto Kan, renunciou ao seu próprio salário de primeiro-ministro até que a crise nuclear esteja sob controle (o que muitos otimistas acreditam até o próximo ano). Se o CEO da SoftBank (operadora de telefonia celular e fixa) Masatoshi Son doou seu salário como diretor para a reconstrução da região Tohoku enquanto estiver no cargo...

***************************************************************************
Diversão News ( e quem vai gostar vão ser o pessoal do The Doramas, Gesiane e eu mesma): ontem, dia 10 de maio, teve a premiação do 19゚Hashida Prize, da autora de vários doramas Sugako Hashida, que premia várias categorias na seção de entretenimento - especialmente doramas, já que ela foi roteirista de vários sucessos na TV japonesa, como "Oshin" (NHK, 1983-84), "Ai to Shi o Mitsumete" (TBS, 1964), "Japanese Americans" (TBS, 2010). Entre os premiados que receberam o certificado foram Osamu Mukai  e Nao Matsushima (melhores atores novos, devido ao seus papeis em "Gegege no Nyoubo", asadora de 2010), Masaharu Fukuyama (melhor ator veterano por "Ryomaden", taiga dorama de 2010) e Tsuyoshi Kusanagi (prêmio máximo por "Japanese Americans", especial pelos 60 anos da TBS, em 2010). Mukai agradeceu pelo prêmio, reconhecimento pelos seus esforços como ator no asadora de maior audiência no ano passado. Fukuyama teve que agradecer via vídeo, pois estava no meio da turnê que teve que remarcar devido ao terremoto de Tohoku, pedindo desculpas a Sugako Hashida e aos espectadores por não estar presente aos demais e que gostaria muito de estar junto a eles. Kusanagi chorou em pleno palco, dedicando o prêmio ao povo japonês que "embora agora estejamos numa situação difícil, mas que vamos nos recuperar com força e coragem".



Osamu Mukai, Masaharu Fukuyama e Tsuyoshi Kusanagi - eles merecem!


Fotos: que abre o post é da própria autora, no parque Kosuzume, perto de casa. O resto, via gugol mesmo.

Sunday, May 08, 2011

Desculpem Nossa Falha... Técnica!!!

Meu caro, desse jeito nunca que vai saber se estão ligando pra você ou não...

De duas semanas pra cá (ou mais), muita gente que tem meu número telefônico (leia-se meu trabalho, colegas de trabalho, alguns amigos e poucos parentes) enviou e-mail pra mim reclamando de que eu tinha bloqueado as ligações, algo que achei muito estranho, pois desde que adquiri meu aparelho celular (quase dois anos atrás), nem mexi na configuração do dito cujo. A verdade é que raramente o pessoal me telefona, e quando recebo ligação, ou estou dirigindo, ou estou dentro do trem ou estou no trabalho e não tenho como atender na hora (e só vou ver a ligação horas depois...) e retorno muitas horas depois...


Minha ficha somente foi cair nesta semana quando o primo do digníssimo kinguio telefonou mais de cinco vezes e quando retornei a ligação, reclamou de que eu tinha bloqueado o número telefônico dele, porque toda vez que ele ligava, dava sinal de ocupado. Depois disso, fui fazer um teste: em casa, fiz através do residencial e não é que mal completava a ligação? Por isso que metade do pessoal enviava e-mail dizendo que não completava a ligação...

Levei o aparelho na loja da operadora que utilizo e não deu outra: o atendente fez vários testes e quando chegou pra mim falando "então...", já vi que a coisa era pior do que eu pensava. Resultado: aparelho no conserto por dez dias e usando um aparelho provisório que felizmente eu ainda tinha (o meu Sony SO903TV), mas pedi para bloquear a internet devido incompatibilidade de sistemas, mas pelo menos vai dar pra assistir TV enquanto volto do trabalho.

O problema maior vai ser se o aparelho voltará a funcionar como antes, pois inserir novamente os aplicativos, é fácil. Minhas fotos e vídeos ficaram no micro SD que está comigo. A agenda... bem, se perdi, vou ter que pedir para meio mundo que me passem o número do telefone e e-mail novamente. Se o aparelho der problema de novo, aí vou ter que me conformar com a idéia de ter que trocar o aparelho, pagar o restante do valor do anterior devido trocar o dito cujo antes de dois anos e pagar o novo em suaves prestações mensais em 13 ou 25 meses, aí vai depender de mim ou do meu bolso (ai....)

Portanto, quem costumava me ver no twitter de manhã (indo de trem pro trabalho), tarde (horário maluco de almoço) e noite (voltando de trem pra casa), era porque estava acessando do celular, deve estar achando estranho porque estou demorando pra caramba pra aparecer na time line, mas é que o aparelho provisório que estou usando pelo menos pra receber (e fazer) as ligações, a internet é incompatível ao que usava, por isso que, enquanto eu estiver com o oficial no conserto, o provisório fica sem internet.

Como meu digníssimo kinguio e cara-metade sempre fala pra mim: ultimamente os aparelhos celulares fazem de tudo. Inclusive fazer e receber ligações. Na verdade, eu quase nem recebo ligações (e tampouco faço), mas e-mail é direto. Sem falar acesso de internet, twitter, ao iuchubi... Será que foi o dia que sei lá quando foi que eu nem lembro que aplicativo eu baixei do Android Market (já instalado do fabricante) e deu esses piripaques ou depois do dia 11 de março nunca mais foi o mesmo?

Bem, oremos pela volta do aparelho. Mas se o dito pifar de novo, vou ter que abdicar ao meu próprio conceito de que eu só trocava de aparelho até quando nem milagre da ressureição resolveria, isto é: eu demorava mais de três anos pra trocar por um novo (recorde que até hoje não superei: seis anos com o mesmo aparelho e era do modelo que até tinha antena para pegar sinal).

Para vocês rirem um pouquinho, mostrarei as fotos dos quatro dos cinco aparelhos celulares que a lesada autora já teve em treze anos aqui (o primeiro do primeiro nem foto achei - era o da NEC mesmo, mas esqueci também que modelo era, mas fiquei com ele somente um ano, pois quando mudei-me pra Kanagawa,  quebrei o aparelho ao deixar cair no chão e...), então coloquem as máscaras que lá vem naftalina...

1 - DoCoMo N210i:  Foi o segundo modelo que comprei aqui em terras nipônicas. O primeiro que eu possuía - era também da mesma operadora e fabricante (NEC) - deixei cair no chão na primeira semana que mudei com kinguio e tudo para Kanagawa e o pobrezinho do aparelho tinha apenas um ano e meio de vida. Como precisei também mudar de número por causa da região na época, não sei se era verdade mesmo, acho que era pra vender mesmo. Se bem que, quem for cliente novo com número novo sai mais em conta do que cliente com anos com mesma conta, vai entender. Não lembro se tinha internet (i-Mode), mas foi o aparelho que mais durou comigo (2000~2005), mas acabei trocando o aparelho por insistência implorada da vendedora da loja onde fui porque já era a terceira vez que estava indo trocar a bateria...

2 - DoCoMo N506is: O terceiro modelo, e quem lembra do post em que Masahiro Nakai e Tsuyoshi Kusanagi (Smap) fizeram uma esquete sobre atendimento de telefones celulares, quem prestou atenção no vídeo (se ainda está disponível, porque sabe como o iuchubo é...), o aparelho celular que Nakai faz o teste é igualzinho sem tirar nem pôr inclusive a côr é igual ao mesmo que eu tive. Tinha trocado porque o anterior já estava indo pra terceira troca de bateria e a vendedora implorou pra que eu trocasse já que 1) tinha pontos acumulados pra caramba e 2) meu aparelho era meio antigo. E esse modelo já tinha como receber e enviar e-mails e acessar internet, mas claro, tinha que ter o plano pra isso. Sem falar que poderia fotografar, uma maravilha! O que com o tempo meio que me constrangia era o fato desse aparelho ter que levantar a antena para ver se dava sinal, mas nunca me deixou na mão, nunca precisei trocar a bateria, nada, até que em final de 2007 deixei novamente cair o aparelho no chão, no meio da rua, quando fui guardar na bolsa (e errei o lugar). Isso porque uma semana antes estava "namorando" outro modelo por causa da TV e...
Lembra da postagem que falei? Olha o modelo do aparelho celular que Masahiro Nakai usa na esquete...

3 - DoCoMo Sony Bravia SO903iTV: No mesmo dia em que meu aparelho anterior resolveu cometer suicídio, fui imediatamente à loja onde vi o modelo cobiçado e já estava com o aparelho em mãos em uma hora (pra escolher foi rápido, mas o que demora é configuração e todas as cláusulas do contrato, o que é muito importante na compra de qualquer produto, se tiver dúvida na hora, pergunta pra não dar problema depois) e funcionando. Melhor: não "paguei" pelo aparelho (usei os pontos, mas como é que se junta os pontos? Pagando a conta todo mês...) e foi uma alegria quando poderia assistir meus programas e minhas novelinhas enquanto ia ou voltava do trabalho todo dia, tirar fotos, inclusive receber e fazer ligações... Mas bem disseram que aparelho celular aqui tem durabilidade curta, pois, pra não variar, a bateria começou a falhar e quem disse que trocar a bateria seria somente a solução?

4 - DoCoMo Smartphone HT-03C: Foi numa ida para Hiratsuka (Kanagawa) em que vi o aparelho em oferta. Atualmente, os aparelhos celulares pagam-se de forma parcelada, em "suaves prestações mensais" ou se for da forma que eu adquiri, não paguei nada, mas se eu trocar o aparelho em menos de dois anos, pagarei a diferença do valor que era para ser pago. Meio difícil de explicar, mas só adquirindo um aqui pra poder entender melhor. Seja como for, quando adquiri o mesmo em final do ano de 2009, pensei que esse (primeiro) smartphone iria durar mais tempo comigo, afinal, recebo meus e-mails, acesso vídeos, uso o twitter, e outras funções mais, e foi o que me salvou no dia 11 de março que acabei enviando e-mail e usei (muitíssimo) o twitter para manter-me informada. Muito embora muitos de meus colegas e amigos tenham o famoso, desejado e idolatrado iPhone, eu ainda mantenho firme e forte com a mesma operadora. Costume, mesmo. Só que deu o dito problema mencionado logo no começo da postagem, mandei consertar e vamos ver no que vai dar.

O problema é que logo no dia seguinte que mandei o aparelho ao conserto, passei em duas ou três lojas de eletroeletrônicos em Tóquio e acabei por me fascinar pelas vantagens (leia-se preço) e facilidades de um outro novo smartphone, desta vez é da NEC, N-04C Medias. Ganha pontos por ele ser de fina espessura (7,7 mm), sistema android 2.2 (podendo ter upgrade para 2.3 facinho), uso de aplicativos MEDIAS (que facilita uso de outros aplicativos específicos, como "pra mulheres", receber mail magazines, assistir TV, agenda de telefones que já pode incluir se a pessoa tem FaceBook, twitter, mixi (o "orkut" japonês), câmera fotográfica, poder acessar sites, ver vídeos, usar o saifu keitai ou seja, pagar as contas pelo celular... Mas a troca vai ser no caso se o aparelho atual não tiver como ressuscitar mesmo.
Modelo DoCoMo NEC N-04C nas versões preta e branca...
Fotos: dos aparelhos celulares, dos arquivos antigos do site da NTT DoCoMo. O resto foi via iuchubi da esquete "Innensan", com Masahiro Nakai e Tsuyoshi Kusanagi.

Friday, May 06, 2011

[Discoteca Básica do Empório]: Masaharu Fukuyama - "The Best Bang!"

Se um Masaharu estava bom, imagine mais de uma dezena deles...
Quem me conhece, sabe: falar de Masaharu Fukuyama aqui, seria chover no molhado, mas não tenho culpa alguma se o álbum dele seria um "best of" compreendendo os 21 anos de carreira musical, que vai muito bem, obrigada, e que ainda continua vendendo e frequentando o ranking da Oricon.

"The Best Bang!!", lançado em 17 de novembro de 2010, é um album quadruplo, trazendo as músicas mais conhecidas e famosas e algumas inéditas deste cantor, compositor, produtor, ator, fotógrafo, comentarista e faz tudo e um pouco (por isso que ele ainda está encalhado, porque mulher que conseguir casar com ele vai ter que aguentar). E ainda de quebra este ano está remarcando todos os shows da nova turnê "Fukuyama Masaharu We're Bros. Tour 2011 The Best Bang!!", devido ao terremoto de Tohoku, além de ter participado com seu senpai e colega de agência Keisuke Kuwata no projeto "Team Amuse".

Só que o dito álbum saiu aqui em três versões diferentes, o que pra mim dá uma certa raiva (caso semelhante foi o single do Smap "This Is Love" que saiu em três prensagens diferentes, dois deles tinham DVD de duas músicas). Se for comprar, prefira que tenha o DVD (na real: eu não gosto muito de faixas instrumentais). Mas aí vai do grau de preferência do ouvinte. Ou quem for muito fã mesmo.

Pra quem conhece Fukuyama desde o início de carreira, vale a pena ter devido as novas músicas. Quem pegou no meio do caminho ( como eu, que foi a partir de "Peach!!"), completa com a coletânea de 2000 "Dear". Quem pensa que Fukuyama só tem "Sakurazaka", recomendo ouvir essa coletânea urgente. Motivo?

"The Best Bang!!" traz desde o primeiro single até a então recente "Kokoro Color" (apesar que este ano já lançou "Kazoku ni narou yo", música tema da empresa Recruit para a revista "Zexy"). Pra quem achava que Fukuyama era somente baladas e algumas agitadas, vão se espantar ao ouvir "Tsuiyoku Ame No Naka" - que até hoje ele inclui nos shows na hora em que ele "esfria" a platéia com água. Literalmente.

O repertório escolhido tem as antigas óbvias (mas conhecidas e tem muita gente que adora) "Good Night", "Melody", "Koibito", "It's Only Love" (atenção: não é cover da mesma música dos Beatles!), "Hello", "Message", "Heart". As que nunca podem faltar nos shows (senão a gente sobe ao palco e ameaça ele, como se pudesse) como "Tsuiyoku Ame no Naka", "Peach!!" (foi a primeira música que ouvi dele). E claro, "Sakurazaka". As self covers "Squall" (quem gravou primeiro foi Eiko Matsumoto) e "Kiss Shite" (cantada primeiro por Koh Shibasaki). As recentes "milk tea", "Tokyo ni mo Attanda", "Michishirube". Tá, vai ser a mesma história de sempre: faltou música aí!!! Sim, faltou "Access", faltou "Tokyo" (música tema da novela "Slow Dance")... Mas coletânea sempre foi uma faca de dois gumes: ou coloca tudo e vira um álbum pra lá de dez CDs ou tem que deixar alguns de fora...

Quando falo também que é uma tristeza quando sai três álbuns diferentes, não brinco: na edição especial com DVD, a capa traz a foto de Masaharu Fukuyama aos 19 anos, logo que começou a carreira musical (mas deslanchar mesmo foi quando tinha 20 anos) e na contracapa, aos 41 anos, ainda com a cabeleira longa. Na edição normal, uma montagem de diversas fases dele, desde com um ano de idade até a mais recente (leia-se: 2010), e houve quem dissesse que pareceu a capa do "Sgt. Pepper's..."
As duas primeiras fotos, seriam a frente e o verso do álbum versão especial. O último, que é igual a que abre o post é a edição que a que estaria a venda (ainda).


Algumas músicas que comentarei (porque são 40 fora as instrumentais e versão karaokê e não tenho paciência pra tanto), mas caso quiserem saber mais, basta acessar o site oficial do rapaz e conferir na seção especial do álbum, pois dá pra ouvir uma amostra grátis das músicas. De quebra, na foto do álbum, clicando na foto desejada, vai ter informações da origem da mesma (até quando vai ficar disponível, nem eu sei).

- Tsuioku no ame no naka (追憶の雨の中): Primeiro single do Masaharu, em 21 de março de 1990, teve uma venda tão mal, mas tão mal, que - reza a lenda - o primeiro show não tinha ninguém na platéia. Atualmente, ele inclui a música nos shows, na hora em que ele corre de um lado e do outro no palco com um monte de copos de água, que joga na platéia pra animar mais ainda...

- Good Night: Quinto single de 1992, essa balada foi tema do segundo dorama protagonizado por Masaharu - "Ai wa dou da" ("Que seria do amor") no mesmo ano. Não ficou em primeiro lugar na Oricon, mas ficou entre as dez mais na semana, sendo o primeiro sucesso.

- MELODY: Sétimo single de 1993, foi o segundo sucesso a ir parar nas dez mais da Oricon. Foi fundo musical da goma de mascar da Lotte (Lotte Gum), e foi com esta música que Masaharu teve o prazer de apresentar pela primeira vez no Kouhaku Utagassen do mesmo ano (só que demorou mais de quinze anos para aparecer na NHK de novo).

- Koibito (恋人): Embora seja "B-side" do single "All My Loving", esta balada fez mais sucesso que a principal. O single entrou no segundo lugar dos mais vendidos da Oricon em setembro de 1993. E quem era da época, era do comercial dos aparelhos de som da Panasonic.

- IT'S ONLY LOVE: Sete meses depois de "All My Loving", este single permaneceu 4 semanas em primeiro lugar na Oricon, em março de 1994. E foi o primeiro million seller de Masaharu. Não é cover da música do mesmo nome dos Beatles, como muitos devem pensar, bem como o single anterior "All My Loving".

- HELLO: Segunda vez que um single do Masaharu frequenta a Oricon logo em seguida. Foi tema da novela "Saiko no Kataomoi White Love Story" em 1995. E no "Music Station Super Live" de dezembro de 2010, interpretou essa música, que aliás, era muito raro cantar em apresentações de TV.

- Heart: Tema da novela que Masaharu protagonizou em 1998 - "Meguriai" (めぐり逢い) - com a atriz Takako Tokiwa. Não foi o número um nas paradas, mas é uma das mais tocadas até então. Detalhe: fazia dois anos que Masaharu não lançava single novo desde "Message" (1995).

- "HEAVEN"/"Squall": Este single foi o último pela antiga gravadora de Masaharu, antes de passar para a Universal Japan, em 1999. A primeira música, com uma levada de ritmo latino, foi da novela "OUT". A segunda, na verdade seria uma self cover pois quem gravou primeiro foi a cantora Eiko Matsumoto. O single foi top one da Oricon em novembro de 1999.

- "Peach!!": Foi a primeira música que a autora lesada aqui ouviu dele, pois logo que cheguei aqui, a música era da novela "Itabashi Madames", que uma amiga minha gostava de assistir. Quando fui procurar o single, na real? Fiquei com uma baita duma vergonha de comprar, pois a capa do single era o traseiro de uma mulher com um fio dental laranja. E pior: a música é daquelas que ninguém fica parado. E no show, é a hora em que voa serpentina pro público todo (e no show de Tóquio, em 2009 que fui, bem... acho que contei em um post, envolvendo um molde de lingerie e um fio dental roxo...).

- Sakurazaka (桜坂): Lançada em abril de 2000, foi uma das primeiras músicas a vender mais de dois milhões de cópias (a primeira mesmo foi "TSUNAMI" do Southern All Stars" e logo depois de Masaharu foi "Sekai ni Hitotsu Dake no Hana" do Smap). Uma balada de primavera que pode ser tocada todo ano, e ai do Masaharu se não cantar essa música no show que faz. A música foi inspirada numa rua que se chama mesmo Sakurazaka (Ladeira de Cerejeiras) que fica em Tóquio, no distrito de Ohta.

- Niji (虹): Décimo-oitavo single que foi tema de encerramento da novela "Water Boys" (a primeira fase, recomendo assistir, vale a pena). O single vinha mais duas músicas - "Himawari" (ひまわり), que foi regravada pelo cantor Kiyoshi Maekawa (que também é de Nagasaki, assim como Masaharu) e "Sore ga Subete sa" (それがすべてさ) que foi música da campanha da bebida isotônica Pocari Sweat em 2003. Ambas as músicas estão na coletânea.

- Tokyo ni mo Attanda (東京にのあったんだ): Quem foi na turnê de 2006-2007, teve o prazer de ouvir em primeira mão antes do single sair. Foi tema do filme "Tokyo Tower - Boku to Okan toki doki Otan", livro quase autobiográfico de Lily Franky.

- Sou ~ new love, new world (想~ new love, new world): Depois de um ano e meio sem lançar nada novo, a música foi usada para o comercial da linha Regza da Toshiba (o qual Masaharu até hoje é rapaz propaganda). No mesmo single contém as músicas "Ashita no Show" (usado no comercial do café enlatado Kirin Fire em que ele fez propaganda - hoje quem faz é o V6 Junichi Okada) e "HIGHER STAGE" (não está na coletânea, mas foi música da campanha da TV Asahi para as Olimpíadas de Pequim). Quem ver o PV (promotion video), foi muito bem feito.

- Hatsukoi (はつ恋): Foi com esta música em que Masaharu Fukuyama apresentou-se no Kouhaku Utagassen de 2009, depois de dezesseis anos! Só que ele apresentou-se em Nagasaki, sua cidade natal, ao invés de estar no NHK Hall (quem leu meu post sobre o 60o. Kouhaku Utagassen, entendeu porque na hora da chamada dos artistas ao palco, cadê o Masaharu?). A música foi usada no comercial da Toshiba.

- KISS Shite (KISSして): Quem assistiu ao dorama e getsukyu em 2007 "Galileo", em que Masaharu protagonizava junto com a atriz e cantor Kou Shibasaki, vai lembrar da música de encerramento, que era cantada por Shibasaki (sob a alcunha de KOH+). Masaharu regravou a sua própria composição, que está no single "Keshin" (化身). Outro self cover que também foi gravado antes pela Shibasaki foi "Saiai" (最愛), que foi do filme "Galileo" e usado no comercial da Toshiba também.

- Hotaru (蛍): Tema da novela da NTV "Mioka", o single foi logo número um na Billboard Japan e na Oricon - posição que antes era o single "This Is Love" (do Smap), mas ficou uma semana (pois na semana seguinte, veio o single "Heavy Rotation", das AKB48).

- Michishirube (道標): Até final de abril deste ano, foi música de encerramento do noticiário noturno da NTV "News Zero". O que está na coletânea, é a versão nova (teve uma pequena alteração, ficou quase sem instrumentação). Foi com esta música que Masaharu apresentou-se no 61o. Kouhaku Utagassen, ao vivo no Pacifico Yokohama, onde teve um bom pedação da longa cabeleira cortada pelo ator Teruyoshi Kagawa (que trabalhou no taiga dorama "Ryomaden").

Curiosidades:
- Pouca gente (pra não dizer ninguém) sabia, mas Masaharu Fukuyama é da segunda geração de familiares que sofreram efeitos da bomba atômica em Nagasaki. Revelou esse detalhe no programa semanal de rádio pela Tokyo FM, no mesmo dia em que completava 54 anos da explosão.
- Devido problemas financeiros da família, durante os anos de ginásio, entregava jornais no bairro.
- No colegial, com seu irmão mais velho e dois amigos, formaram uma banda e tocavam em cafeterias. Motivo: "pra comer doces de graça".
- Seu primeiro emprego logo que chegou a Tóquio (em busca de fama e fortuna como compositor e cantor), foi numa madereira, que ficava ao lado de um... cemitério. Detalhe: tinha que se virar com 200 mil ienes no bolso, sendo que uma parte já foi pra comprar uma moto (sua paixão) e pagar o aluguel.
- Falando em começo de carreira difícil, além do primeiro show ter sido um fracasso e seu primeiro single vendeu mal pra caramba, pra levantar uns trocos a mais, acabou fazendo um filme de baixo orçamento chamado "Honno 5g" em que ele fazia um jogador de pachinko (o título seria o significado de que uma bolinha de pachinko pesava 5 gramas).
- Sua primeira novela foi "Ashita ga aru kara" (Porque ter o amanhã).
- De 1998 a 2008, sempre ficou em segundo lugar na enquete anual geral da revista "an-an", dos "Homens mais amados entre as mulheres". Perdia sempre pro Takuya Kimura (que ficou 15 anos no topo).
- Na enquete feita pelo programa "Music Station" via internet, "Quem você queria pra Primeiro Ministro no Japão?", Masaharu ficou em terceiro lugar na preferência do público, perdendo para Takuya Kimura (que ficou em segundo) e Keisuke Kuwata (em primeiro lugar).
- Tem como amigos Keisuke Kuwata, Tamori, Lily Franky (escritor de "Tokyo Tower"), Takeshi Okamura (da dupla Ninety Nine), Kazuya Kamenashi (KAT-TUN, já foi convidado no programa de rádio dele), Tomohisa Yamashita (NEWS, fã do Masaharu), Touma Ikuta, Shun Oguri.
- Apesar de fazer vários trabalhos na área de entretenimento, fotografa e costuma andar de moto, poderia ser isca fácil de muitos fofoqueiros de plantão, mas pouco se sabe se ele estaria namorando ou ficando ou sei lá, mas na década de 90, no auge, ele teve um relacionamento com a atriz Yuki Uchida (segundo boatos...) a ponto de casamento, mas...
Imaginaram Masaharu Fukuyama como Primeiro-Ministro do Japão?

Fotos: via google mesmo, tenho quase todos os singles, mas quem disse que eu teria paciência pra fotografar tudo?


A autora lesada pede desculpas pelo post anterior, mas para escrever este, bastou ouvir algumas musiquinhas do quarentão vitaminado, poderoso, faz tudo e mais um pouco e animar pra resenhar, se bem que fazem dois meses que a Discoteca Básica estava meio parada...