Saturday, August 04, 2012

Entre caixas e mais caixas

Bem que sempre me disseram que fazer mudança, teria que ter um preparo físico e psicológico para fazê-lo. Verdade.





Faziam quase dez anos que morava no mesmo lugar devido ao trabalho. Mesmo depois de ter ficado seis meses de férias forçadas (os mais chegados vão entender), ainda continuei pensando na maldita mudança, como eu vinha dizendo, do tipo, eu só mudaria de casa quando 1) encontrasse um apartamento com aluguel mais em conta e sem burocracia para alugar e 2) só se eu encontrasse um trabalho e que realmente precisasse mudar de endereço também.

Nem precisa responder mais nada, certo?

Duas semanas depois, ainda estamos tentando colocar as coisas nos lugares. Ainda faltou trazer a outra parte da mudança (porque meus fundos não permitiram e só vou poder entregar o apertamento anterior depois do dia 15), e justamente a outra parte da mudança envolve uma mesa de jantar, uma mesa do "escritório" e os armários de cozinha, o que resulta ainda que estamos com metade de nossos pertences encaixotados - e ter que abrir as caixas para descobrir o que colocamos o quê, porque nem deu tempo de identificar as ditas.

Mas não adianta a gente fazer tudo na pressa porque não dá certo, apesar de que encontrei a cafeteira na caixa onde tinha guardado os pratos e os talheres onde encaixotamos os temperos. Felizmente não misturamos comida com produtos de limpeza, porque seria o fim da picada. Mas fui encontrar meus aventais na caixa onde estavam os copos (obra do namorido para não quebrar nada, preguiça de embalar um a um com jornal).

E acreditem, ainda tem muita coisa a fazer porque sem lugar para acomodar, não dá certo. Aquelas: a gente deveria ter trazido as coisas mais pesadas primeiro (como os armários, geladeira e a mesa) para depois o restante, como as caixas, dando prioridade para nossas roupas, pratos e talheres. Se ficasse o resto pra trás, talvez não ficasse tão pesado assim. E se chamasse uma empresa de mudança pra trazer o restante que ficou (mesa, geladeira e armários), nem faria idéia quanto custaria.

Sério que pensei em comprar uma estante maior para colocar na sala e acomodar TODOS mas TODOS meus livros, revistas (devidamente acomodadas em box-files), CDs e DVDs, mas como no momento não poderei gastar mais nada por alguns meses, exceto com comida e algumas coisinhas, terei que esperar pacientemente por isso.

A não ser que eu faça o esquema de escambo e trocar seis color boxes (estantes com três a cinco divisões) por uma estante que vá do teto ao chão incluso suporte para não tombar quando der um terremoto. Eu tenho certeza que cabe todos meus livros, revistas (devidamente acomodadas em box-files, iguais a de escritório), CDs e DVDs (que não são poucos). E desfazer de uma cama, sofá, esses color boxes...

Eu sei que muitos falarão, que eu deveria ter feito isso no ano passado, enquanto eu estava de férias forçadas. Motivo foi que alguns lugares não queriam nem de graça, e recentemente, descobri um lugar que aceita mesmo pagando pouco (melhor do que pagar pra jogar fora, procedimento normal nas prefeituras daqui, quando se trata de lixo de tamanho grande, ou "sodai gomi" 粗大ごみ).

Mas existem outras prioridades do que comprar uma estante, como atualizar o endereço, obter mais dados da cidade onde vim me esconder, digo, morar, horários de trens (depois que descobri que posso também ir para Hamura, que tem mais opções de horários), de conduções (ônibus, claro), supermercados, lojas...

Obviamente, tudo isso terei que fazer aos poucos, por causa do meu horário de trabalho (entro as dez da noite e saio as sete horas da manhã do dia seguinte, o que significa que perco noticiário da noite novamente, mas dá pra eu assistir os matutinos, mas isso damos um jeito, fazer o quê), mas ao menos descobri que tem uma locadora e livraria num lugar só com mais variedades de doramas e leitura do que a que eu costumava ir.

E a hora que talvez as coisas já estejam no lugar, acontecerá de ter que mudar tudo de novo.

Ou não (porque, quem me conhece, sabe que eu costumo ficar no mesmo lugar muito mais tempo do que planejado).

1 comment:

  1. Olá Ki, mudança sempre é uma dor de cabeça. Eu já perdi a conta de quantas vezes eu fiz mudança. Teve um hora que eu deixava as caixas dentro do armário esperando a próxima cidade rs espero que isso não aconteça com vc... Agora, trabalhar de yakin sempre é bom por causa do adicional, mas de qq forma, não fique mto tempo nesse horário vc fica podre e sua saúde pode sentir a longo prazo.

    Kisu!

    ReplyDelete