Wednesday, October 03, 2012

Thirty Day Challenge Song (Desafio dos Trinta Dias: Música) ~ Décimo Nono Dia

Dia 19 - Uma música de seu álbum favorito - Na verdade tem muitos e escolhi apenas cinco!

Concordo com o título do meme que resolvi encarar: desafio. Ainda mais se tratar de música, porque existem fases em que realmente fica difícil escolher um dentre quinhentos. Para quem tem mais de duzentos álbuns de diversos artistas em casa, claro que tem uma sua favorita... de cada álbum. Aquela música que você dá repeat infinito várias vezes até cansar, mas dentro de alguns minutos está repetindo aquela de novo.



Contrariando, mas nem tanto, tive que fazer uma lista de pelo menos CINCO músicas de meus álbuns favoritos, mas o lado ruim é que a maioria eu tenho coletâneas (o chamado "Best of..."), mas sempre tem uma faixa que você menos ouve ou mais.

Os mais óbvios entram na lista, fazer o quê... Lembrando que, seria a música, álbum e intérprete.

1 - "I'm Only Sleeping" ("Revolver", The Beatles): Um dos álbuns mais psicodélicos do quarteto de Liverpool, foi o que dava sinais de que o grupo realmente estava evoluindo e explicado um dos motivos de pararem com as turnês - as músicas estavam ficando tão complexas de tocar, que para fazê-las ao vivo, iria ser desgastante (era 1966 e nem tinham recursos como hoje muito grupo/banda tem).

O álbum em si é um dos meus favoritos, muito embora tenha duas músicas que eu acho meia boca, mas como gosto é como traseiro... Voltando, que vamos falar da música em si - "I'm Only Sleeping" seria uma das músicas "confessionais" de John Lennon, que ele mesmo admitia que teve uma época que era tão desorganizado ao ponto de usar o tempo que tinha livre para dormir. Se for entender bem a letra, quem não gostaria de ter um dia de puro ócio?

"... todo mundo acha que sou preguiçoso/ não me importo, acho que eles são malucos/ correndo para todo canto/ até descobrirem que não tinha necessidade/ por favor, não estrague meu dia, estou milhas longe/ e além disso estou apenas dormindo..."

2 - Tabidachi no Asa ("ARASHIC", Arashi): Lançado em 2006, o álbum teve hits como "Wish" (música-tema do dorama "Hana Yori Dango", protagonizado por Jun Matsumoto) e "Kitto Daijoubu" (cujo PV além de brincar de como são feitos os vídeos, usando chroma-key e efeitos especiais, tem um monte de mensagens... hã... subliminares. Diferente dos outros álbuns, ao invés de conterem músicas-solo de cada membro, aconteceu de cada um ser vocal principal enquanto os demais foram backing vocals.

Apesar de manterem quase sempre a mesma fórmula (músicas dançantes, pop-rock com inclusão de raps, etc.), raramente eles interpretam baladas. E quando interpretam, acertam, tal como "Tabidachi no Asa" ("Partida ao Amanhecer"), cuja letra fala de despedida logo ao raiar do sol, mas que tem a esperança de um reencontro...

"...  Algum dia quando nos encontrarmos de novo/ acho que posso dizer com orgulho que estou feliz agora... Felicidade é algo que sempre precisamos manter/ Imagino que, se eu puder dizer com orgulho/ que estou muito feliz aqui..."

A música chega a ser a um dos pontos altos durante a turnê de 2006 ~ "Arashi Summer Tour ~ Arashic, Arachic, Arasick Cool&Soul" ~ realizado no Yokohama Arena, em que os cinco aparecem no palco e a platéia em silêncio ouvindo a música, em que cada um canta um verso. No DVD "Arashi Around Asia ~ Thailand, Taiwan, Korea ~", estaria no segundo disco, como bônus.

3 - Niji ("5 Nen Mono", Masaharu Fukuyama): Que muita gente não confunda com a música solo de Kazunari Ninomiya que tem o mesmo nome (mesmo porque Fukuyama lançou primeiro). O álbum "5 Nen Mono", lançado em 2007, seria um singles collection do cantor/compositor/produtor/ator/fotógrafo, que teve durante o período de 2002 a 2007 e nesse período, Fukuyama não tinha lançado sequer um álbum de inéditas, dedicando-se a outros projetos, tal como o programa semanal pela Fuji Television em 2002 "Fukuyama Engineering" e o álbum de covers "The Golden Oldies", sendo fotógrafo pela TV Asahi para cobrir as Olimpíadas de Sydney (2000) e Athenas (2004), e shows que ele realiza anualmente, seja da tour "We're BROS", seja pelo beneficente "Act Against Aids". Fora os singles...

As músicas foram utilizadas em comerciais e como tema de doramas. "Niji", por exemplo, foi tema do dorama "Water Boys". O single foi lançado no mesmo dia que sua coletânea (selecionada por ele) "Magnum Collection SLOW", fazendo com que Masaharu Fukuyama entrasse no time seleto de artistas que tiveram a proeza de colocar tanto o single como o álbum no primeiro lugar das paradas da Oricon logo na primeira semana (na época, Masaharu foi o primeiro artista masculino solo a realizar esse feito).

"... Graças a você, aprendi que existem sonhos imortais/ Por isso, preciso ir com esta coragem que você me deu/ ao invés de dizer adeus... (...) Quando eu ultrapassar o vento/ quando eu alcançar o arco íris/ Será que poderei ver seu sorriso novamente? (...)"

O primeiro show a gente nunca esquece: quando eu fui no show do Masaharu em janeiro de 2007 no Saitama Super Arena (da turnê "We're BROS! 17 Nen Mono"), a música que ele abriu o show foi justamente "Niji", levando mais de dezena de milhares de fãs e espectadores à loucura...

4 - Namida no Umi de Dakaretai ~ SEA OF LOVE ~ ("Killer Street", Southern All Stars): Na verdade, eu comecei a ouvir mais o grupo Southern All Stars quando juntei os trapos com o namorido, em 1999, quando ele disse que ouvia muito j-pop ainda no Brasil. E o então sexteto nipônico estava na lista dele, com músicas como "Ya Ya (Ano Toki o Wasurenai)" e "Manatsu no Kajitsu". Acredito que muita gente conheça o grupo devido ao million seller "Tsunami", onde nove entre dez artistas sabem decor e salteado. Mas nem só de "Tsunami" o grupo vive. Criado em 1977 por Keisuke Kuwata, então estudante no Aoyama University, o grupo tinha um repertório bem variado, entre o rock, pop e baladas, mas de forma irreverente, misturando inglês (pronunciado a maneira deles) e japonês, sem falar de suas apresentações - que costumavam ser bem ousadas.

Mas agradava a todos de faixa etária entre 20 a 60 anos. Seja com pop-rock, seja com baladas. E souberam como ninguém, aproveitar os recursos de promotion video, apesar um deles ter chegado ao ponto de ser censurado ("Miss Brand New Day").

Quando "Tsunami" estourou nas paradas de sucesso, chegando a ser million seller em 2000, a popularidade do grupo Southern All Stars aumentou. E justamente meio no auge, após mais dois singles ("Hotel Pacific" e "Blue and Green"), um álbum ("Sakura") e um best of ("Ballad 3 ~ the album of LOVE"), a banda, que eram em seis, tornou-se um quinteto, e ficaram quase três anos sem lançar algo novo.

"Namida no Umi de Dakaretai ~ SEA OF LOVE", lançado em 2003, foi música-tema de um dorama da Fuji Television (e um getsukyu), estrelado por Hideaki Takizawa (da dupla Tackey and Tsubasa) - "Bokudake no Madonna ~ ... and I Love Her" - foi logo parar no primeiro lugar na Oricon logo na primeira semana. A música agradou ao público logo de cara, dançante, agradável, bem "cara de verão sem fim", porque o grupo tinha como tema na maioria de suas músicas - verão, praia e romance - porque o vocalista e líder Keisuke Kuwata era natural de Chigasaki (Kanagawa), região litorânea.

O promotion video também era "de encher os olhos", alegre tal como o verão. Apesar da letra ser triste, marcando o fim do verão e consequentemente o romance também, mas claro, a esperança do reencontro.

"... ao enterrar a velha fita cassete contendo memórias/ na areia da praia onde passei a noite com você/ a balada das ondas do mar aperta o meu coração/ derramam lágrimas sem parar encerrando o verão/ "mesmo longe, esteja bem", eu disse/ no fim do céu, fogos de artifício queimam o efêmero/ deixando um vazio na boca/ telefono com lágrimas depois da meia-noite/ atenda por favor, imploro numa espera impaciente/ onde está? Dê uma palavra de amor para mim/ como naquele dia..."

Uma pena que em 2008 o grupo resolveu dar uma pausa nas atividades, somente aparecendo rapidamente para o evento da agência Amuse (a que eles pertencem) para a música e promotion video "Let's Try Again" em 2011.

5 - Sunrise, sunshine ("SMAP 016 - M.I.J. ~ Made In Japan", SMAP): No ano seguinte da volta triunfal como quinteto (em 2001, durante a turnê "Ura Smap", o grupo teve que se virar em quatro, devido a um incidente ocorrido com Goro Inagaki e este ficou suspenso por quase seis meses, voltando a ativa em janeiro de 2002, e logo engataram a turnê "Drink! Smap!"), o grupo SMAP lançou o álbum duplo "Made In Japan" (ou M.I.J., como ficou conhecido). Foi um álbum curioso, porque não saiu nenhum single antes, talvez devido ao grande sucesso de "Sekai ni Hitotsu Dake no Hana", que saiu em single no início de 2003, mas a música já era do álbum anterior. Era para "Susume!" ser em single, mas devido a problemas técnicos, não foi possível.

Algumas músicas o público conheceu durante o programa semanal do quinteto, como "Ai to Yuuki", "Summer Gate", "Susume!" e a partir deste álbum, começaram a ter um outro disco contendo músicas solo de cada membro do grupo mais uma faixa bônus (até então, era música onde um membro se sobressaía mais e os demais faziam backing vocals).

"Sunrise, sunshine" seria música típica de verão, balançada e com levada de hip-hop e rap (algo que o grupo fazia em meados dos anos 90), mas sem perder o ritmo. Foi uma das músicas que o grupo apresentou "em primeira mão" para divulgar o álbum durante o programa "SMAPXSMAP" (geralmente eles apresentavam as músicas no último bloco, mas já teve ocasiões que eles abriam o programa com o quadro musical).

"...Não quero nada que seja sendo realizado/ Num mundo em que se desaparecem como bolhas, quero ser amado/ Caminhando sozinho nos sonhos é como se despertar para amar tentando preencher os corações partidos/ como sempre num brilho no raiar do dia..."

E o quinteto continua na ativa em 21 anos desde seu debut numa tarde chuvosa no Seibuen Yuuenchi, no dia 9 de setembro de 1991...

No comments:

Post a Comment