Saturday, March 30, 2013

Clima estranho

Embora a primavera tenha chegado aqui, volta e meia continua frio e com chuvas ocasionais.

O domingo passado, quando fomos passear na cidade e fomos no Odayama Koen e no Kimisarazu Tower (onde fotografamos as cerejeiras em florescimento), o tempo estava nublado, mas felizmente não tinha chovido, porque no dia seguinte, caiu a maior chuva.

Mas acreditem, mesmo tendo chovido, as flores ainda aguentaram.

Pode ser impressão minha, mas ainda acho que o inverno ainda resiste em ir embora, porque têm dias que eu tenho que sair de casa usando casaco de inverno (mas passa o maior calor na empresa por causa do ar condicionado) e às vezes chove.

Agora, fico imaginando como seria o verão aqui, porque moro mais ou menos perto do mar...

Uma nuvem paira na cidade...

Foto: via tumblr, revista FREECELL.

Tuesday, March 26, 2013

Quando a Primavera é Linda...


Apesar de eu sofrer de kafunshoo (alergia ao pólen de cedro) quando mal entra a primavera (na verdade, já comecei a sentir os sintomas logo depois do setsubun (início de fevereiro), como coceira nos olhos, nariz escorrendo e espirrando de hora em hora, eu gosto desta época do ano porque já é um tempinho agradável, nem quente, nem frio.

O mais interessante desta época do ano seria o florescer das cerejeiras (sakura), que deixam a cidade mais alegre e cheia de vida.

E muita gente aproveita para passear, tirar fotos, fazer piquenique (o chamado hanami, onde em Ueno, fica tão lotado a ponto de ter gente passar a noite somente para guardar lugar pros amigos)...









Fotos: da própria autora, enquanto passeava nos arredores de Kisarazu, Chiba. Odayama Park e Asahicho. A foto que abre o post, seria do casal Yamato Takeru e da princesa Ototachibana, que tem uma lenda romântica e trágica, caso a contar em breve...



Thursday, March 21, 2013

Eu e os Médicos



Uma das coisas que raramente fiz em todos esses anos que estou aqui no Japão, é ir ao médico (e nem sei se o kenko shindan, exame médico anual que fazemos a "pedido" da empresa, contaria neste caso).

Devo ter levado o lado de minha mãe, que vive dizendo que "só vai ao médico em último caso". E, realmente, minhas idas ao médico dariam pra contar nos dedos das mãos e ainda sobra. E', eu sei que na idade que estou, eu deveria fazer um novo check-up porque nunca se sabe. O mais difícil seria o fato que não tenho (ainda) o seguro social de saúde, para que eu possa fazer os exames a um precinho mais em conta, porque, sabem quanto custa fazer uma simples consulta?

Eu entendo que com saúde não se brinca, eu sei disso. Felizmente, até o momento, todos os meus exames deram quase tudo OK, excetuando-se os fatos que eu estava QUINZE quilos acima do permitido e com falta de ferro no sangue.

Agora eu preciso me preocupar (um pouco) com o fato que se diz aos ditos "problemas de mulher", e na verdade, eu deveria ir ao médico duas vezes por ano.

Mas enquanto eu não me inscrever no Seguro Saúde da empresa, vou ter que guardar uns bons cobres para caso de emergência - o que eu espero nem precisar.

Ilustração: peguei do FB, também nem tinha a autoria!

Tuesday, March 19, 2013

Começando bem a semana...

No domingo que passou, em um pub irlandês em Shinjuku, eu e minhas amigas resolvemos marcar o reencontro em um dos lugares favoritos nossos.

Podem achar ruim, amarga, intragável, mas para mim, esta cerveja nunca me fez mal algum (tirando que é um excelente diurético)...



One pint (quase meio litro) desta bebida, pra mim acabo durante uma boa conversa (e a conversa foi muito boa, tomei two pints disso)...

Wednesday, March 13, 2013

Montando o Quebra Cabeça aos Poucos...



Neste caso seria colocar a mudança em seu devido lugar no novo lar.

Fazem três semanas que estamos no novo lar, mas sabe quando ainda as peças do quebra cabeça ainda estão se encaixando? Pois é.

E uma coisa eu vos digo: quando encaixotar, identificar o quê tem dentro de cada uma delas, porque namorido lesado achou que ia dar muito trabalho (além de que, "todo mundo vai saber o que tem dentro") e seria muito mais divertido abrir as caixas e ter uma surpresa, eis que nesse meio tempo, a última estante não foi montada porque cadê os parafusos?

Eu sei que muita gente vai falar "você deveria guardar num saquinho em separado e identificar". Bem, eu fiz isso, mas justo nas últimas estantes e o prazo para virem buscar a mudança no grito (além de ter que deixar logo o antigo apertamento, chamar o serviço de limpeza, etc.), encaixotamos o restante na pressa e jogamos o saquinho dos parafusos em alguma caixa aleatória e... bem, o resto nem precisa explicar.

Apesar de termos montado quase todas os móveis que foram desparafusados, e descobrirmos na tentativa e erro quais eram os respectivos parafusos e pinos, desmontando as caixas das mudanças (e juntando para que, quando o serviço de coleta vir no bairro, mandar ver). E nada dos benditos parafusos de uma estante aparecerem.

O jeito vai ser, no meu próximo dia de folga ir num home center (lugar onde encontra-se de tudo ~ desde material de construção até comida) e comprar os ditos parafusos. O tamanho? Basta procurar a estante parecida com a minha e vai no olhômetro mesmo. Sim, já dei três vivas pro São Longuinho, mas...

Numa dessas, quando menos se espera, os ditos cujos aparecerão do nada, e enquanto isso, vou terminando de fazer o que eu preciso, incluindo separar mais roupas para serem jogadas fora (porque furaram de velha), recicladas (uma certa rede de fast-fashion recebe roupas usadas da marca dela para serem recicladas e enviadas para países menos favorecidos), doadas e vendidas...

Ilustrção: via Pixiv.