Wednesday, June 04, 2014

Eu gosto... mas vocês detestam!

Vamos pro outro lado e aguentem firme!

A energia que o bater do coração esconde... ♥

1. Livrarias e lojas de CDs: Se existe um lugar que eu entro e esqueço do mundo, é livraria. Se for junto com CDs, melhor ainda. Pelo menos aqui no Japão, é eu entrar na Tower Records de Shibuya, Tsutaya ou qualquer rede de livrarias Kinokuniya (eu recomendo as lojas de Shinjuku e de Yokohama) e ficar horas. Costumo dar uma olhada nas novidades, ouvir o que tem de novo (ou velho, porque recordar é viver). Lugar que eu tenho que ir sozinha, a não ser que a pessoa que me acompanhe também seja como eu, ou um pouquinho pior no quesito rata de livraria. E, sim, acabo sempre comprando algo, seja um volume de mangá ou a revista que me interessar.

2. Café. Bem, isso todo mundo que me conhece, sabe que sou viciadíssima nisso. Bem que eu tento diminuir, por mais que os exames médicos acusem que eu tenho carência de ferro por causa disso, mas eu não consigo. Se bem que já fui bem pior, daquelas que bebia um litro por dia (em intervalos nada regulares); hoje, se for três canecas, é muito. Preferencialmente, forte, com pouco leite e neca de açúcar...

3. Mug cups: Cheguei a fazer um post colaborando sobre coleções. Uma delas, seria mug cups, ou canecas. Quem olhar minha prateleira, se chegar a vinte é pouco. Isso porque volta e meia ganho de presente. E 90% das minhas canecas seriam do Snoopy, personagem que eu adoro. Desculpa furada pra beber café com mais classe. Vergonha alheia: costumo tomar café/leite/chá quente na mesma caneca de sempre, podem acreditar...

4. Novelas japonesas: Isso vem desde que cheguei aqui. O primeiro lugar onde morei, as moradoras só assistiam programação local, então restava-me acompanhar o fluxo. Pois é, as meninas eram tão viciadas em doramas que no dia seguinte era o assunto no trabalho. Deu que hoje prefiro mais as novelas japonesas, mesmo sabendo que duram apenas uma estação do ano (10 a 12 capítulos), sem enrolação, nem tanta encheção de linguiça. Isso vale também para inúmeros programas de variedades aqui.

5. Jiló. Cortado fininho, frito com shoyu, nem preciso de mais nada. Enquanto muitos torcem o nariz, eu como essa fruta amarga sem pestanejar. O mesmo vale pro quiabo, espinafre e goya (ou nigauri), legume originário de Okinawa. Até hoje nunca procurei jiló nos supermercados e quitandas locais. Já encontrei até chuchu (hayatouri), mas jiló... a não ser em lojas que vendam produtos brasileiros, mas claro que alguém deve plantar jiló nesta terra. (Procurei no wikipedia: em japonês é "jilo" mesmo, e em inglês... "Scarlet eggplant", já que dizem que seria relacionado ao tomate e berinjela?! 

6. Pizza do dia seguinte: Não sou muito fã de comida requentada e depende muito do caso (e da fome e preguiça conjugadas), mas pelo menos duas coisas eu adoro comer no dia seguinte: torta de liquidificador e pizza do dia seguinte. Tem a lasanha também, mas vamos ao caso da pizza: aqui nesta casa somos duas pessoas, sendo que uma delas come o equivalente a três pessoas, tipo o Sho em qualquer programa que envolva comida, entenderam? Bom, voltando: quando compramos pizza (algo raro aqui), acaba sobrando. Pior ainda quando a gente pega aquela promoção de pague uma e leve duas. Pra ter uma idéia, o dia que compramos pizza foi numa quarta-feira. Passou o final de semana, ainda tinha pizza no congelador, se me entenderam. E olha que estávamos comendo todo final de tarde, requentada no forno...

7. Doujinshi: Não bastava eu gostar de ler mangás, tem que partir pelo lado obscuro da coisa. Doujinshi, só pra resumir, seriam os conhecidos fanzines, que muita gente costuma fazer ou de seu ídolo/desenho/filme favorito (a chamada "universo alternativo"), ou criação original, mas de forma independente. E aqui no Japão, existem inúmeros eventos desse tipo, com tudo o que é gênero. Quando se vai em um evento destes, acaba indo em quase todos. Pois é, eu comecei indo no Comic Market, um dos maiores aqui, faz amizade com algumas mangakas e aí não quer parar mais. O duro é que, quando eu falo isso, metade me condena e outra metade me apoia.

8. Trabalhos manuais: Não parece, mas eu gosto de bordar, tricotar, crochetar, fazer bolos... Eu já fui muito mais ativa nisso tudo muito tempo atrás. Preciso muito parar de procrastinar e voltar a fazer esse tipo de atividade, que relaxa e faz bem. Bem, fazer bolo volta e meia eu ando fazendo... Só preciso terminar uma almofada, começar a fazer uma blusa de lã, aprender a costurar (sim, não sei, me julguem).

9. Eu mesma: Clichê? Dez entre dez blogueiros incluem esse item na lista do que gostam? Pois é, eu aprendi a gostar de mim mesma, gostar do meu sotaque caipira (daqueles que prolongam o erre, fala que usa arquinho no cabelo e semáforo é farol), ser o que eu sou. Você pode até tentar mudar alguma coisa em você, seja mudar a cor dos cabelos (ok, eu faço, mas tenho meus motivos), tentar emagrecer (pelo bem de sua saúde), mas sua personalidade, ah, isso não dá. Posso até cortar alguns hábitos e melhorar meu jeito de ser, mas aceitar a si mesmo e, principalmente gostar de si mesmo, isso ninguém me tira. E isso não é ser narcisista, porque existem pessoas que não conseguem aceitar o que são.

Foto: caption do programa Music Station, transmitido (quase) todas as sextas-feiras pela TV Asahi.

4 comments:

  1. Replies
    1. Verdade hahahahahahaha
      E incluindo o jiló e o quiabo refogado XD

      Delete
  2. Ahhhh, mas muita coisa que vc gosta, eu tb gosto! Praticamente, a lista toda, hahaha tirando os doujinshis (gostava mais antes, qdo eu frequentava uma biblioteca de mangás aqui em Sampa)
    Café é vida, mas tento maneirar, quem já teve gastrite uma vez na vida, sabe que de vez em qdo, a coisa não desce boa XD Livrarias com cd e etc! Não temos Tower Records, mas temos Saraiva, Fnac e Livraria Cultura... aliás, essas duas últimas são as minhas favoritas!
    Curiosamente, eu até gosto de jiló, fritinho como vc falou, eu gosto tb, mas não é algo que eu seja fã. Gosto mais de quiabo, hahaha com frango, a moda caipira... nham...
    Tb adoro trabalhos manuais, tive época que fiz muita bijuteria pra vender... e confissão: sou formada em moda, mas não sei costurar direito! Ok, na mão ainda vai, mas eu com uma máquina, é muita calma nessa hora, hahaha tenho as noções, mas me falta a pratica. Assim que der eu vou entrar num curso básico, prometo hahaha
    Ahhh, e por último, gostar de si.. não acho que seja narcisismo não, é auto estima mesmo! Ser bem resolvida consigo mesma, é ter maturidade conosco mesmo. Acho que hoje em dia, poucas pessoas são assim, viu?
    E já tou escrevendo a bíblia aqui nos seus comentários, hahahaha gomen ne, eu me empolgo >_<
    Bjos!!!

    ReplyDelete
    Replies
    1. Ahhhhhh ~ No tempo que eu estava no Brasil, eu frequentava a Saraiva. Fnac e Livraria Cultura não tinham. Frequentava direto a Planet Music, nem sei se existe mais...
      Doujinshi é uma catástrofe pra mim: de dois ou três anos pra cá, vou em tudo o que é evento, e acabo comprando. E pensa que é história original? Bem, se eu falar o que ando comprando, adeus inocencia....
      MILAGREEEE alguém gostar de jiló frito com shoyu, porque quando falo isso, o pessoal fica com cara de interrogação!!!
      Normal a gente se formar em algo e não saber mexer em algo relacionado ao curso. Eu fiz computação e até hoje morro de medo de instalar algum hardware e acabar explodindo tudo. Inclusive a casa.
      Infelizmente muitos confundem auto estima com narcisismo (ou egoísmo, ou convencimento). Se a gente não se amar, quem vai fazer pela gente?


      HAHAHAHA Pode empolgar a vontade. Eu também me empolgo demais quando passo as mensagens pro JStorm Station pra vocês!!!

      Beijao!!

      Delete