Monday, November 24, 2014

[Cine Pipoca] "Pikanchi Half ~ LIFE IS HARD Tabun HAPPY"

AVISO IMPORTANTE: Pode conter spoilers porque o filme ainda nem saiu em DVD.





Shun Okano, Rentaro "Bon" Futaba, Takuma Onda, Haruhiko "Haru" Takada e Takashi  "Chu" Kamogawa moravam no conjunto habitacional Yashio e estudaram na mesma escola. Na juventude, faziam coisas que qualquer jovem na idade deles faziam - desde querer a menina mais bonita até reunir na casa de um que tivesse vídeo cassete para assistirem filme pornô. E ajudar um ao outro nas dificuldades (que não eram poucas), mesmo cada um ter um gênio diferente do outro.

Passada a fase da adolescência e entrada na fase adulta, as responsabilidades caem nos cinco jovens - trabalho, estudo e família. A passagem para a nova fase não impediu que eles voltassem a se reunir para um objetivo em comum - evitar que o conjunto habitacional seja demolido para tomar lugar para um luxuoso apartamento e seus habitantes serem desalojados.

Oito anos depois, Shun, Bon, Haru e Chu se reunem para relembrarem o passado através do caderno que cada um recebeu de Haru. Cada um tinha uma história que dava a maior reviravolta na vida. Após reencontrarem Takuma, os cinco vão num lugar que era o real motivo de toda a história.

*****

"Pikanchi Half ~ LIFE IS HARD tabun HAPPY", seria um spin off da série "Pikanchi", protagonizado pelos cinco membros do grupo Arashi. O primeiro filme, de 2002 - "Pikanchi ~ LIFE IS HARD dakedo HAPPY", trazia os cinco na adolescência pra fase adulta (na época, somente Satoshi Ohno e Sho Sakurai já tinham atingido a maioridade). O segundo filme, de 2004 - "Pikanchi ~ LIFE IS HARD dakara HAPPY", mostram que dois anos depois muita coisa muda entre os personagens, que seria a dura vida da fase adulta.

O Yashio Danchi, local onde passa as três histórias, situa-se no distrito de Shinagawa, entre o aeroporto de Haneda e a área metropolitana de Tóquio, com 69 prédios e mais de 6000 apartamentos. Praticamente no conjunto tinha tudo - desde escola até hospital - e era uma festa quando um dos moradores arriscava a sair do conjunto para ir a Tóquio (sabe aquela da gente do interior ir pra capital? Então...)

O terceiro filme foi feito para comemorar os quinze anos do grupo - foi filmado em um mês e a princípio a exibição era limitado para Tóquio (durante o mês todo de agosto, 4 sessões diárias, estimando mais de 260 mil pessoas no total), mas devido a demanda, a exibição extendeu-se para outras regiões (Aichi, Fukuoka, Osaka e Hokkaido, mas foram marcados poucos dias).

Os personagens principais:





Shun Okano (Masaki Aiba): Morador do bloco cinco do Yashio Danchi (o bloco "comum"), mora com o pai viúvo que tem uma rádio comunitária no conjunto. E' um rapaz comum, como qualquer outro. Tenta entrar na Universidade Aoyama, mas não consegue, mas acaba sendo um dos melhores alunos da escola de artes manuais Aogaku, criando sua própria marca (o "SHUNMEN"). Tornou-se proprietário de um restaurante de lamen dentro de um barco.

Rentaro "Bon" Futaba (Jun Matsumoto): Filho de família rica (mora no bloco 33), seu sonho é ter seu negócio próprio. Mesmo tendo que inventar algumas histórias para impressionar os amigos, mas no fundo tem bom coração. Consegue realizar um de seus sonhos, de ter uma doceria especializada em crepes, casa-se, mas...

Takuma Onda (Kazunari Ninomiya): Morava no bloco 12 (o bloco "dos pobres"). Seus pais separaram-se por motivos financeiros, mas mesmo assim Takuma ainda mantinha a cabeça no lugar, andando de skate nos arredores e encontrando-se com os amigos. No conjunto, era chamado de "O jovem Francisco Xavier de Yashio" pelas crianças. Após o falecimento do pai, Takuma resolve partir para São Francisco pra ser skatista, mas acabou tornando-se cantor. Numa de suas turnês, ficou gravemente enfermo e acabou sendo salvo por uma enfermeira, que casou-se e teve oito filhos (metade eram de seus relacionamentos anteriores).

Haruhiko "Haru" Takada (Satoshi Ohno): Morava no mesmo bloco que Shun. Rapaz comum, tímido, ingênuo demais (daqueles que cai em qualquer conversa fiada) mas que gostava de filmes e revistas eróticas. Começou a trabalhar no supermercado que tem no conjunto habitacional e acabou casando com uma das funcionárias do local (na verdade, era uma das moradoras do prédio onde ele morava, já tinha uma filha) e teve uma filha. Foi Haru quem deu os cadernos para cada um dos amigos escreverem suas memórias no segundo filme.

Takashi "Chu" Kamogawa (Sho Sakurai): Morador do bloco 9 (o bloco mais perigoso do Yashio Danchi), é o décimo-quinto descendente da gangue de motoqueiros Samezu Ikka, que antes era liderado pelo seu irmão mais velho Kagome. Tido como o cara mais perigoso do bairro, com hábitos nada aconselháveis pros outros, Chu ainda convivia com os quatro moradores do bairro. Mesmo tendo um filho e casado com Yayoi (ex-líder da gangue Samezu Ladies), trabalhando na loja de eletrodomésticos YodoCherryBic (chegando a ser o "vendedor número um do ano"), Chu ainda mantém o sangue de yankee nas veias, ainda pilotando sua moto (uma scooter, vai, mas não deixa de ser moto).

Outros personagens:

Kagome Kamogawa (Yoshihiko Inohara): Irmão mais velho de Chu, foi líder da gangue Samezu Ikka. Tornou-se o entregador de pizza mais rápido do bairro, mas mesmo assim ainda continua tendo laços com o grupo.

Kimie Takano (Natsuko Akiyama): Havia mudado para o Yashio Danchi com a filha Yuka (que foi namorada do Takuma). Trabalhava no mesmo supermercado que Haru, por quem estava apaixonada. Kimie e Haru casam-se e tem uma filha, Sachiko. No segundo filme, Kimie encontra a sua rival dos tempos de colegial, Masumi Tsujikaze (Sachiko Sakurai), que liderava o movimento "Yashio Peace".

Yayoi Kamogawa (Asami Mizukawa): Ex-líder da gangue Samezu Ladies, acaba tendo um filho com Chu, casando-se, morando no Yashio Danchi e cuidando do filho Teppeki. Devido às discordâncias de como educar o filho (Chu queria que o filho fosse sucessor do Samezu Ikka, mas Yayoi, não), o casal se separa e Yayoi leva o filho com ela.

Muraoka-san (Chieko Matsubara): Moradora do Yashio Danchi que era freguesa assídua da pizzaria onde Kagome trabalhava.

Onda-san (Kazuaki Hankai): Pai de Takuma, que se afunda em dívidas e no ato de desespero, comete suicídio. Por ter morrido desta forma, foi condenado a vagar no limbo, sendo encarregado de fazerem as pessoas atravessarem o rio das lamentações (isso tem algo a ver no livro "A Divina Comédia", de Dante).

Curiosidades:

- Quem fez o planejamento do filme, foi Yoshihiko Inohara, membro do sexteto V6 (que também pertence à mesma agência que Arashi).

- Yoshihiro Tsutumi dirigiu os dois primeiros filmes. O terceiro foi supervisor geral (quem dirigiu foi Hisashi Kimura).

- Foram usadas as musicas "PIKA☆NCHI" e "PIKA☆☆NCHI" no terceiro filme. A segunda música usa na abertura, usando imagens dos dois últimos filmes com o do terceiro. A primeira, usa no encerramento, com os cinco caminhando em fila indiana nos arredores do Yashio Danchi.

- A loja (fictícia, claro) que Chu trabalha, o YodoCherryBic, quem morou/mora no Japão há muito tempo, seria a junção de três lojas de eletroeletrônicos mais conhecidos - Yodobashi Camera, Sakuraya e Bic Camera. Em 2010, a rede Sakuraya fechou, mas no filme mantiveram o nome para não perderem a piada pronta.

- "Pikanchi" é uma abreviação da frase que Shun diz em um certo trecho do primeiro filme - "Seishun to wa dare ni tottemo Pikaichi de soshite harenchi na mono de aru" (alguma coisa como "A juventude também está para todos, e é algo sem vergonha").

- A canção "Michi" (que está nos três filmes) foi composta pelo roteirista e escritor Masahiko Kawahara (que também fez o roteiro da série). A versão teve uma pequena mudança nos filmes posteriores.

- A mascote que os cinco usam no strap dos celulares de ambos, o "Danchicchi" é uma clara paródia do popular personagem "Monchicchi". No segundo filme, já tinha o casal "Danchicchi". No filme, era um brinde que o pai de Shun distribuia para os ouvintes de sua rádio. Na época, a mascote foi vendida quem comprasse a edição limitada do DVD e VHS.


- No terceiro filme, todos já evoluiram e passaram a usar smartphones - pelo menos o que o Haru possui (Sony Xperia 4F, fica BEM na cara, na cena em que ele mostra o retrato da filha no celular).

- Falando em "usar o filme/drama pra divulgar os produtos que patrocinam", os produtos da loja em que Chu trabalha, são todos da Hitachi. Além de patrocinar o filme, o grupo faz uma série de comerciais dos produtos da empresa.

- O primeiro lote do filme "PIKANCHI ~ LIFE IS HARD dakedo HAPPY" para a venda em DVD saiu com dois erros - não incluiram quem fez o papel de Takashi "Chu" Kamogawa e o nome em kanji do Kazunari Ninomiya saiu errado (ao invés de 和也, escreveram 和成).

- As notícias do terceiro filme foram divulgadas uma semana antes das filmagens. A venda dos ingressos para as quatro sessões diárias foi em um único dia (e acabou estendendo-se para o dia seguinte) e esgotaram rapidamente, via internet ou telefone (pelo Lawson Ticket).

- Os goods - panfleto, os cadernos, clear file - poderiam ser adquiridos via encomenda na rede de lojas de conveniência Lawson (via Loppi) ou no local da exibição. (Eu não tenho certeza, mas quem fosse comprar no Tokyo Dome City Hall, onde foi exibido o filme, teria que apresentar o ingressso para efetuar a compra). No Lawson tinha as opções de comprar os goods em separado ou em um pacote só.


Opinião:

Caso "Pikanchi Half" saia em DVD, é aconselhável assistir aos dois primeiros para poder entender melhor muita coisa, porque no terceiro filme tem muito flashbacks.

Assim como os outros dois filmes, o terceiro possuem situações que não dá pra levar à sério (no sentido, não dá pra parar de rir, como o encontro de Haru, Chu, Shun e Bon no izakaya Kita no Razoku, a leitura dos cadernos de cada um e o visual exótico de Takuma, o mais comentado até hoje, muito mais que o terno do Bon), e algumas cenas faz o uso de slow motion, ou seja, filmado quadro a quadro, em câmara lenta. Nunca um ditado popular "nunca cuspa no prato que se come" fez tanto sentido (especialmente a partir do segundo filme).

Muitos vão achar que a história é muito exagerada, mas como disse ~ por se tratar de comédia, não dá pra levar nada à sério mesmo. Mas sempre tem um fundo de verdade - o terceiro filme traz os cinco em fase adulta, com certa estabilidade e ter que trabalhar pra sustentar a família. Mesmo levando vidas diferentes e com desfechos nada agradáveis, eles não perderam o que se chama amizade.

OBSERVACAO: Não postei muitas imagens das cenas do filme porque não teve tanta divulgação nos noticiários, nas redes sociais (tumblr, FB, twitter), e poucas pessoas postaram nessas redes fotos do panfleto que foi vendido no Tokyo Dome City Hall e na rede de lojas de conveniência Lawson (via Loppi). E, mesmo porque, o filme ainda está em exibição e nem saiu em DVD. Mesmo porque, se contarem boa parte do enredo, estraga o suspense.

Imagens: site oficial do filme, mambo at twitter, matome.naver

2 comments:

  1. Hoe, Kiyomi-chan! Ohisashiburi~ (não é tanto em função do Face, mas aqui sim)! ^_^
    É bom ter um ponto de vista de quem assistiu, extraindo a mensagem principal e dando um parecer...
    Sinceramente, eu ainda tenho muitas dúvidas em relação à qualidade do filme justamente pelo que você destacou: foi gravado com muito pouco tempo disponível... XD Quando eles anunciaram, eu lembro de ter ficado: "WHAT?! MAS VÃO LANÇAR NO OUTRO MÊS, E SÓ VÃO GRAVAR A PARTIR DA SEMANA QUE VEM! COMO ASSIIIIIM?!" - nesse tom, sorry pelo Caps Lock. XD
    Gostei muito das curiosidades que você listou, tem coisas que eu realmente desconhecia, como que havia realmente um significado para "Pikanchi" e o nome da loja de eletrodomésticos onde o Chu trabalha. ^^"

    Tem mais alguns posts que eu quero comentar, então segura na cadeira que já volto com outro comentário! XD
    Beijos~

    ReplyDelete
    Replies
    1. Hoe, Karupin ~!!!
      Então, eu não pude passar mais detalhes sobre o filme "Pikanchi Half" (ou 2.5 whatever), porque como muita gente ainda nem assistiu e vai demorar um pouco para sair em DVD, se contar o real motivo, perde a graça.
      Apesar do filme ter sido gravado em um mês (do dia 21 de junho a 20 de julho) e praticamente foi quase tudo no mesmo lugar, nos arredores do Yashio Danchi, não perdeu o tom de comédia que o filme é. Quem tem o panfleto, tem o diário das filmagens. E, quando saiu a data das vendas dos ingressos, eles ainda estavam em processo final.
      A frase de Shun que deu origem ao nome do filme foi mais ou menos isso que entendi. O "sem vergonha" é no sentido, "não ter pudor em fazer as coisas", como deu pra perceber nos dois primeiros filmes.
      Ah, quando eu assisti o segundo filme, logo ficou claro o trocadilho do nome da loja em que Chu trabalha. E no terceiro, claro que tinha uma propaganda implícita pra vender mais (os produtos da Hitachi, por exemplo) hahahaha
      Convenhamos que o visual ripongo aka Maria Bethania aka candidato a membro do Tropicalismo do Takuma foi muito comentado, muito mais que o terno pink do Bon hahahaha

      Beijão e esteja a vontade! ^^

      Delete