Friday, November 14, 2014

Vizinhos

"Vizinhos que se tornam estranhos, 
Que se tornam vizinhos,
O que você faz pra si mesmo?

E' de se admirar, admirar, admirar
Que brigamos e discutimos"

("Neighbors", Rolling Stones)



Atire a primeira pedra no telhado quem nunca teve problemas com vizinhos. No sentido de ter vizinhos que lhe dão a maior dor de cabeça da paróquia. A não ser que você more no meio da selva ou no deserto ou ilha perdida no meio do nada.

Desde que moro aqui, raramente tenho problemas com vizinhos. E, até onde me lembro, nem eles comigo. Pelo menos ninguém veio reclamar comigo do que (muitas) às vezes acontece em casa, como eventuais roncos, a máquina de lavar roupa ligar no automático no meio da madrugada por erro de programação (do usuário), surtar quando vê seu grupo/artista/ídolo favorito na TV (e chegar a cantar junto, acontece), o som do seu iTunes ficar no volume máximo do nada...

No prédio de apartamentos onde morei muito mais tempo, tirando o vizinho que era sadô, uma comunidade hindu que às vezes gostava de um curry pra lá de condimentado (sério, uma vez o cheiro chegou até o meu apartamento, sendo que ele morava em uma ponta e eu na outra) e três pneus rasgados, do resto...

Neste atual prédio, mudamo-nos para o primeiro andar (sempre moramos no segundo), o que tem vantagens (dá pra sair pela varanda na hora de jogar o lixo) e desvantagens (não posso mais largar a roupa no varal e sair com receio de não ter mais roupa quando eu voltar). Até então, parecia que nem vizinho tinha, de tão quieto que o prédio ficava. Isso porque meus vizinhos de lado têm crianças. Vez ou outra eu ouço o barulho da máquina de lavar da minha vizinha, mas é normal, porque ela ouve o barulho da minha também (isso quando algumas vezes eu programei errado e a máquina começou a funcionar três horas da madrugada).

Daí no apartamento de cima do nosso, mudaram duas pessoas que trabalham no mesmo lugar que eu. Amigos do namorido. Até aí, tudo bem... se não fosse o fato de um deles eu ter pego birra e não converso com ele nem pedindo (dizer bom dia, boa tarde e boa noite, eu faço porque eu posso ser fria e dura como uma pedra, mas como minha mãe me ensinou boas maneiras - mesmo que a pessoa nem te responda, não passe a impressão de ser mal educada).

A gente convida pra jantar, a pessoa reclama (e zoa) de tudo: desde o que a gente tem na casa até a comida. Nem meu avental (do Snoopy) e nem os panos de prato (de saco de farinha alvejada, branquinhos, e com barrado de crochê feito com carinho e zelo pela minha mãe) escaparam. Olha, até comentar que "nossa, Kiyomi, como você gosta do Snoopy/Hello Kitty", ainda vai. Mas, caramba ~ a casa é minha e do namorido, deixa a gente ter as coisas que a gente gosta. Até do café reclamou, do tipo "ai, eu só tomo café do Brasil" (e o café que eu tinha feito era do Brasil, extra forte).

Depois se a gente manda pro inferno, a chata sou eu.

Daí com o passar do tempo, fui percebendo que vizinho bom é aquele que pede as coisas emprestado porque coitadinho, acabou de mudar e não tem nada e esquece de devolver. Inclui dinheiro também, porque coitado, ganhou pouco esse mês, gastou com mudança, mimimi.

Vizinho bom é aquele que ouve o som no último volume e você que mora no andar de baixo, nem fala nada pra não criar barraco, mas quando é você que resolveu ouvir o último álbum do seu ídolo favorito num volume razoavelmente baixo pra não assustar ninguém (mesmo porque ninguém é obrigado a ouvir "Shake it, shake your body~" em modo infinite repeat looping on), no dia seguinte vem dando uma indireta diretamente de que "além do som estar alto, vai ter gosto ruim lá na pqp, hein".

Vizinho bom é aquele que chama pra fazer compras no supermercado e pede pra você pagar a compra e o táxi. E reclama porque você não comprou pra ele aquele item que custava cinco vezes mais que a sua compra inteira. E acha ruim ainda quando você tenta explicar o motivo.

Vizinho bom é aquele que bate na porta da sua casa pra pedir bebida, açucar, arroz, carne, panela porque a geladeira está vazia, recebeu muito pouco e, como sempre, reclama que a marca é "de pobre".

Vizinho bom é aquele que te convence a vender algumas coisas que você se lascou pra comprar, a fim de conseguir uns trocos pra comprar o que ele quer, como pizza, pra dizer o mínimo.

Vizinho bom é aquele que acha "um absurdo" você pagar 9000 ienes para ir no show do seu ídolo favorito, mas ele mesmo pagou metade do salário pra ir num show que ele gosta. Nada contra, desde que não fique criticando os gostos alheios. Aí, a consequência, vide dois itens acima.

Vizinho bom é aquele que fica se metendo na sua vida, fofocando da vida alheia e esquecendo de ver o próprio umbigo.

Uma vizinhança assim, minha gente, nem precisa de inimigos. Se levar a sorte de morar numa vizinhança tranquila, onde ninguém fica se metendo na vida de terceiros, vai ter um certo sossego (se bem que, na hora da emergência...).

Daí sempre tem aquela pessoa que vai falar "os incomodados que se mudem". Na verdade, o certo seria "quem incomoda é que tem que se mudar". Mas depende muito como vai falar com a pessoa que tais atitudes são irritantes e/ou incômodas sem ela ficar ofendida (bem, se depender de mim, a amizade - se é que teria num caso desses - acaba naquele minuto mesmo).

Dar-se bem com o vizinho depende muito de caso para caso. Até nós mesmos, porque somos vizinhos de outros vizinhos. Sei lá eu se para os outros vizinhos eu também posso incomodar, como às vezes lavar roupa sete horas da noite, me exaltar um pouco quando vejo meus ídolos na TV, usar o aspirador pra limpar a casa no domingo, separar o lixo (quase que) corretamente... Se até hoje quase ninguém reclamou, vou procurar evitar que cause algum problema.

Eu até queria postar histórias estranhas/esquisitas/engraçadas de vizinhos que já tive em meus anos que moro aqui, mas devido a algumas coisas que andaram acontecendo comigo recentemente, bem...

Um dos poucos vizinhos que eu gostaria de ter (cr: Google)


2 comments:

  1. Olá,

    Realmente quem tem vizinho como esse não precisa de inimigo!

    Eu tenho um sério problema com vizinho barulhento. Acho que é meu karma pois quando morava com meus pais tinha problema. Depois que comecei a morar com a Denise tb tive e tenho problemas...mas o meu problema se resume a barulho. É um tal de arrastar móvel de madrugada, ficar desfilando de salto, etc...

    É realmente complicado e muitas vezes é difícil manter a calma para não fazer besteira. Por isso não condeno quando se tem briga e um vizinho mata o outro por causa de brigas assim. Claro que não precisa chegar nesse ponto mas paciência tem limite e muitas vezes esses vizinhos ignoram as reclamações e fazem mais barulho ainda. Eu estive perto de fazer besteira e só não fiz porque minha mãe rezou muito e o vizinho se mudou...rs...

    Agora sobre os outros problemas relatados por vc aqui é mais difícil pois vizinhos aqui são apenas aqueles de bom dia e boa noite (e olhe lá). Não é igual interior que as pessoas tem mais liberdade e acabam tendo uma certa "amizade".

    Emprestar dinheiro, comida e outras coisas? Não mesmo...prefiro ser tachado de ruim do que me estressar depois. Acho que deveria fazer o mesmo e poupar sua paciência...Ajudar os outros é nobre mas hoje em dia ninguém mais dá valor para isso...é mais provável que a pessoa reclame que vc não emprestou ou deu algo melhor para ela...

    Abs,
    Carlos

    ReplyDelete
    Replies
    1. Olá, Carlos!

      Na verdade, eu nem compartilhei este texto no FB pelo seguinte: os tais vizinhos são amigos do Roberto e pode complicar (muito) o meu lado. Se bem que eles sabem muito bem o quanto não aprovo certas atitudes deles, mas nem falo nada pra não sair briga.

      Têm dias que aqui o barulho fica insuportável, um dia, menos dia, vai desabar o prédio de tanto que eles correm, arrastam móveis... E o ruim é que como é no horário "que pode fazer barulho", nem posso reclamar. Mas dá vontade de dar uma direta mesmo, ah isso dá...

      O duro é que a gente ajuda porque fica com pena, aquelas coisas. Já passei por isso ~ uma vez demos meio pacote de açucar pra uma pessoa porque o dele acabou e não pode ficar sem açucar e ainda reclamou porque era de tal marca. Da próxima, vai ficar sem açucar e sem amizade também. Oras...

      Abraços!!! ^^

      Delete