Monday, February 09, 2015

Doujinshi

Big Sight Tokyo, local onde acontece anualmente os eventos Comic Market, Comic City e alguns menores. Mas vive lotado de gente para visitar, expor e até cosplay. Esta foto foi do dia 28 de dezembro de 2014, onde teve a 87a edição do Comic Market (muitos falam "evento de inverno").


ALERTA: PODE TER CONTEUDO MUITO SENSIVEL PARA PURISTAS. SE O/A LEITOR/A FOR, ENTAO NEM LEIA O RESTO!!

Agora, se você não tá nem aí, de cabeça feita e que o resto se exploda, pode seguir em frente.



Segundo o Wikipedia, "doujinshi" seriam mangas produzidos de forma independente. Geralmente são grupos de interesse comum que produzem histórias de personagens já conhecidos, mas com temas fora do contexto habitual, em situações paralelas ("universo alternativo"), desde situações do cotidiano, ficção científica, fantasia e erotismo (desde o softcore até o hardcore). Mas existem autores que fazem mangas com personagens próprios.

Esses grupos se reunem em eventos como Comic Market ("ComiKet") e Comic City, um dos maiores aqui no Japão. Apesar de serem eventos em que vai MUITA gente, sua divulgação é bem discreta. Só fica sabendo quem gosta/curte o assunto, tanto que os catálogos dos dois maiores eventos são vendidos em livrarias especializadas em mangá e anime (como o Animate, Toranoana, K-Books, por exemplo).

Embora uma grande parte dos doujinshi sejam de personagens já conhecidos de grandes editoras, as mesmas fazem vista grossa a respeito de direitos autorais, porque desta forma, elas acabam ganhando novos leitores e, quem sabe, acabam contratando o mangaká para criar histórias próprias. (Por isso que, para evitar processos, os mangakás fazem poucos exemplares)

Em meus poucos anos que frequento esses eventos, realmente vai quem gosta mesmo do assunto. E quem pensou que os mangakás seriam estereotipados, ledo engano: são gente como nós, que já possuem outro emprego, mas fazem doujinshi por hobby mesmo. Claro que a maioria se esconde sob pseudônimo e/ou pertencem a "círculos", que seriam categorias de publicação, assim eles podem fazer de forma anônima.

Muita gente pode não saber, mas muitos dos mangakás famosos da atualidade, começaram a carreira como doujinshika. Por exemplo:

- CLAMP: o quarteto de mulheres mais famoso do mundo, começou como doujinshika, sob a alcunha de "Clamp Cluster";
- Rumiko Takahashi, autora de mangás como "Urusei Yatsuura", "Ranma 1/2" e "Inuyasha", começou como doujinshika no início de carreira;
- Masaki Kajishima, autor de "Tenchi Muyou!", até hoje publica doujinshi como forma de divulgar seus personagens e o universo deles;
- Hisaya Nakajo, autora de "Hanazakari no Kimitachi e", também continua como doujinshika. (Só que eu não sabia que ela pertence ao circle JETS, que publica doujinshi de temática yaoi (aka "boys love"))

No Japão existem vários eventos de doujinshi, com temas diversificados. Eu fiz um post sobre os eventos principais. Só que, eu costumo comprar doujinshi de uma categoria só, pra horror de muita gente.

E' meio dificil eu indicar qual seria o melhor, essas coisas. Primeiro, porque depende muito do gosto de cada pessoa. E também da cabeça de cada uma. Como eu disse ~ a maioria faz histórias BEM alternativas de personagens já conhecidos de grande público e, se vai um purista, ficará bem chocado ao ler uma.

Como eu havia comentado na minha postagem, eu costumo ir nesses eventos sozinha, porque é difícil eu encontrar gente que queira tentar me acompanhar nesses lugares (e quando encontro, ou mora muito longe, ou tem outro compromisso no mesmo dia). E a situação piora um pouco mais quando vou nos eventos mais específicos, e quem me conhece muito bem sabe do que eu falo. (do tipo: J-Pop Style e MAXIMUM!!)

Apesar de eu ter postado alguns no Instagram (quem me segue já viu as capas), felizmente tive boa recepção, porque o trabalho que elas fazem são tão bem feitos que dá inveja. Nem parece que são amadoras.

Uma pequena amostra (mas pequena mesmo) dos doujinshi que eu possuo. Tenho mais, mas se eu postar TODOS, não caberiam numa foto só, e tem alguns cuja capa er... bem....


Uma amostra do que eu tenho - nunca parei para contar quantos eu tenho, porque quase todo mês tem evento de doujinshi e acabo comprando um ou dois. Alguns eu comprei em lojas especializadas, porque são edições antigas e as doujinshikas raramente republicam, exceto quando fazem uma compilação. Mas tem que procurar bem, pois algumas edições chegam a custar cinco vezes mais do valor original quando se compra no evento. Acho que o mais caro que paguei foi mil e quinhentos ienes, porque era de uma autora que hoje tornou-se mangaka renomada.

No alto da foto, esquerda pra direita: doujinshis do circle sotlot (Tomoe Ebara, hoje ela assina como Tomoe Tsuta) - "Mayday/Actor" (coletânea de dois doujinshi dos mesmos nomes), a série "HOOME" (está hoje no oitavo volume), "Arakwan" (short stories usando o dialeto de Kansai e trocadilhos, fica muito engraçado).

Embaixo, esquerda pra direita: "Survival Dance" (por Gurujiken); a trilogia "The Bluebird of Happiness", por Miki Yukimine (circle SRDimension), "0 goshitsu ni Arashi" pelo circle Hoshikoze; "Ultra Miracle Super Soul", pelo circle JETS (são três autoras, a mais conhecida atende pelo pseudônimo de Nekopunch Yamada - mas dizem ser a Hisaya Nakajo, a autora de "Hanazakari no Kimitachi e").

Avisando que quase todos eles são nada recomendados para menores de 18 anos, mente fechada e sem senso de humor, porque tudo se trata de ficção e criatividade além da imaginação das autoras. Ok, eu sei que muita gente vai continuar dizendo que evento de doujinshi, como o famoso Comic Market é antro de mangá pervertido, mas se souber procurar bem, consegue obras bem fofinhas.

No comments:

Post a Comment