Tuesday, January 12, 2016

Eu, Beatles e Uva Passa

Chega final de ano, leio uma enxurrada de comentários, desabafos e reclamações sobre uva passa. E' que em alguns pratos feitos para as festas de fim de ano, algumas pessoas meio que exageram na dosagem da iguaria na receita, aí o que era para ser um momento de agradecimento por nunca faltar nada na mesa, vira uma guerra familiar.

OK, eu entendo que gosto nunca se discutiu e que tudo o que é em excesso, enjoa, inclusive água, que pode acabar terminando em tragédia, mas ao menos tentemos ver os benefícios da uva passa, por mais que estranho que ela fique em uma salada de batatas ou no arroz. Confesso que, quando vi uma salada de maionese com batatas e legumes com uva passa, fiquei com aquela cara de "que raios é isso?", mas como estava em uma festa de casamento, não tinha nem como reclamar (e na minha época, ai se reclamasse...), e aquela história: nem pode falar que é ruim, se nunca experimentou.

Mas eu gosto de uva passa, especialmente em pães, bolos e panetone (momento confessionário: quando criança, eu tirava todas as uvas passas do panetone para comer tudo em separado, depois), até mesmo em chocolates e sorvetes. Se quiser colocar no arroz, eu como do mesmo jeito. Fica estranho? Pois é...

Não tem gente que gosta de abacate, por exemplo? Eu nem sou tão chegada na fruta, apesar que, se tiver um guacamole bem feitinho, já mergulho os nachos nele. Mas se tiver, eu como meio a contragosto, especialmente quando se tem algum sanduíche havaiano, que costuma ter. E não fico fazendo tragédia porque meu sanduíche veio com uma fatia fina de abacate no meio da cebola, queijo e hamburger, porque se eu pedi tal comida, eu já estava ciente que vinha. O duro que, no caso da uva passa nas receitas natalinas, chega a beirar o cúmulo da falta de bom senso. Se não gosta, então faz uma quantia sem, oras. O duro se é durante uma festa na qual foi convidado...

Pior ainda que infelizmente existem pessoas que não medem (no sentido literal do verbo) a quantia a ser colocada na comida, resolvem colocar até onde nem tem a necessidade, ou seja, pra forçar a(s) pessoa(s) comer(em) uva passa na marra. Aí eu já acho o fim da picada.

Aí, num momento de surto psicótico por causa da ojeriza de uvas passas, teve um(a) infeliz no Twitter que postou (e depois apagou e mudou) um comentário envolvendo uva passa e Beatles, algo parecido como "Fãs dos Beatles são piores que pessoas que gostam de uva passa". Relevei porque, bem, ninguém é obrigado a gostar de tudo (mas que ao menos saibam ter bom gosto, mas aí também depende do ponto de vista de cada um, o que pode ser legal pra ele, é uma droga pra você e vice versa), mas...

O que eu quero tentar concluir é que, ninguém é obrigado a gostar daquilo que você gosta; tudo o que é em excesso, enjoa; mas temos que saber tentar tolerar muitas coisas na vida e seguir adiante, e nem ligar para as críticas. Se ao menos essas críticas fossem voltadas para o bem, ainda vai, o ruim é quando elas te botam no fundo do poço. Mas a gente faz a egípcia e cuida da própria vida.

Na verdade, era o que todo mundo deveria fazer - isso inclui a mim mesma.


Imagem: via littlenicola.com

No comments:

Post a Comment