Thursday, January 07, 2016

[Roteiro Gastronômico] Mr. Farmer



Eu deveria ter postado isso no ano passado, quando fui, mas...

Sempre que posso, eu gosto de experimentar comida de outros lugares. Não que ir nos lugares que costumo comer (fora) sejam ruins, longe disso, mas variar de vez em quando não custa (ok, custa, porque nada é de graça).

Minha amiga (e parceira de comilança) Gesiane, havia postado no Instagram dela, algumas fotos de um restaurante de comida orgânica, o Mr. Farmer. Quando a gente ouve algo sobre comida orgânica, logo muita gente associa como "comida cara" ou "frescurite aguda", assim por diante. Eu diria que, até quando eu morava com meus pais, boa parte da comida em casa era orgânica, porque a gente colhia a alface, couve, cebolinha e outras hortaliças direto da horta no quintal, os ovos vinham da granja onde minha família obtia o adubo, enfim... Se aqui sai um pouco mais caro do que o normal, melhor conhecer como seria uma horta caseira...

Um dia que deu certo de termos folga e nada o que fazer (e recebido pagamento também, porque, como disse, nada sai de graça), combinamos de irmos nesse restaurante, que fica em Omotesando, mas bem afastado da avenida principal, num lugar bem calmo.


O lugar lembra uma casa antiga, de madeira. A entrada bem simples, com terraço feito de madeira, dá uma idéia de como é o ambiente - bem espaçoso e natural.


A decoração, com quadros com tema de fazenda e hortas, combinam com o ambiente, que é bem iluminado naturalmente, e com mesas e cadeiras em estilo country, estofados e confortáveis.





Os pratos são feitos com ingredientes direto de fornecedores naturais, de granjas e hortas no interior do Japão. Inclusive encontrei couve seca (o tal do kale, que em muitos livros de comida vegetariana costumam usar ele seco, em forma de chips), mas o duro realmente é o precinho (um maço médio, com meia dúzia de folhas, sai por 400 ienes, mais ou menos).

O menu, vindo em forma de jornal, traz vários tipos de prato - omelete, salada e pratos quentes. Mas parece que varia conforme a época, pois procurei no site o mesmo prato que eu almocei e não encontrei. O que eu pedi foi o Honey bacon with Egg Benedict com salada, batata cozida com alecrim. Na verdade, era um prato combinado - o principal, com salada e a batata, o preço compensava do que pedir tudo em separado. Bebida era a vontade, era no "Water Bar", ou seja, água com sabores de legumes e frutas (o chamado "detox water"). Otimo para fazer a digestão (normalmente existem lugares que servem água com limão, para facilitar a digestão, mas em lugares como o Mr. Farmer, inclui varios legumes, como pepino, cenoura, nabo, etc., verduras e frutas.

Eu havia pedido esse prato por motivos de que eu queria algo mais leve para comer, pois o almoço tinha virado café da tarde. Mas também estava com fome, então...



E finalizando, nunca pode faltar café para as duas viciadas na bebida. No cardápio, tinha de várias procedências, mas fomos do Brazil Cantagalo Farm, que era forte mas bem encorpado e saboroso, sem deixar aquele gosto amargo no final.

Para quem quer uma opção mais leve e saborosa e sem se culpar na balança, vale dar uma conferida. Quem preferir sopa, também tem. Sem falar dos smooties, muito em alta atualmente.

O estabelecimento ainda não tem home page própria, mas pode ser conferido nos sites da empresa que administra, como o Eat Walk que acessa o link para o gurunabi.


2 comments:

  1. Hoe, Kiyomi-chan!

    Yey, voltamos a ver local para comer! :9 *a glutona*

    Estou ainda para conhecer algum restaurante que sirva comida orgânica, mas confesso que ainda tenho um certo preconceito com pratos pouco elaborados, associado a preços altos. Ver resenhas como a sua me ajudam um pouco a quebrar essas conclusões precipitadas. XD

    Não sei se foi porque o restaurante tinha uma luz natural tão boa quanto você disse, o cenário favorável ou a sua habilidade com a câmera, mas as fotos ficaram bem bacanas! Pelo menos para mim, já vendeu o peixe e quero conhecer! XD

    Legal servirem bebidas detox à vontade; como isso está virando febre aqui no Brasil, o pessoal taca a faca nos preços. Também nunca experimentei, mas o fato de tomar couve líquida não me convence a dar uma chance. XDDD

    Beijos~

    ReplyDelete
    Replies
    1. Oha, Karupin!

      Na verdade, esse restaurante quem me levou foi a Gesiane (minha parceira em matéria de comida quando a gente sai em Tóquio), que ela viu em alguma revista aleatória. Vi as fotos dela no Instagram e fiquei interessada, daí como eu estava perto de Omotesando, já intimei ela pra me levar :9

      A verdade é que alguns produtos orgânicos eu consigo encontrar em supermercados a um preço razoável, como azeite de oliva, molho de tomate e macarrão, mas no quesito verduras e legumes, acho bem mais em conta quando vou nas quitandas daqui, os chamados "Ichiba" ou "Yaoya", que vendem direto do fornecedor.

      hahahaha Quando eu fui, era quase duas da tarde, estava bem claro e a iluminação do lugar ajudou, porque todas as fotos que eu tiro são do meu smartphone mesmo (nota: eu não tenho iPhone nem Galaxy, o meu é o modelo da Fujitsu-Arrows e nem sei quantos megapixels tem *apanha*).

      Habilidade com a câmera, nada. Sou daquelas que logo que vê, já tira foto, mas sem antes ela fazer o autofocus, senão sai tudo borrado.

      Na verdade, o drink bar é água com legumes, frutas e verduras dentro. Normalmente a gente já bebe água com limão, mas no Mr. Farmer, já colocam vários tipos. E olha que fica melhor que suco por aí XDDD

      Vou tentar procurar ir mais em lugares diferentes, porque ficar no family restarunts daqui toda vez que eu saio não dá.

      Beijao!!! ^3^

      Delete