Saturday, August 20, 2016

Eu e as Olimpíadas



Sendo muito sincera: eu estou acompanhando os Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro por osmose, ou seja, nas redes sociais e quando assisto ao noticiário. Primeiro, o horário que me ajuda muito (durmo de dia e trabalho à noite, e a transmissão ao vivo, vara a madrugada, então já entenderam o drama, né?).

Daí que eu pra torcer em alguma modalidade, eu sou daquelas que vai pra fora da tangente. Eu costumo torcer para esportes que deveriam ser valorizados, como ginástica artística, esgrima e até hóquei. Tal minha surpresa que teve até rúgbi (a bem atualizada: eu não sabia que tinha time de rúgbi no Brasil, fiquei sabendo porque uma conhecida minha me contou). Se eu torço pra esportes coletivos? Voleibol e olhe lá.

Ao mesmo tempo que eu evito entrar nas redes sociais para não ler o que não se deve, eu acabo entrando para me atualizar devido ao motivo que mencionei no primeiro parágrafo. E têm horas que dá vontade de fechar o programa e ir fazer algo que preste, como ler um livro, assistir um dorama atrasado... Isso porque pra acompanhar os atletas brasileiros, eu tenho que usar as redes sociais (não, não tenho TV a cabo), porque, quem me conhece, sabe que eu assisto somente programação japonesa e, obviamente, vão falar dos atletas japoneses, quando não muito de quem se destacar mais (eu já disse que eu não tenho TV a cabo?).

Numa dessas, eu lembrei de um texto no finado blog Garotas que Dizem Ni!, e felizmente eu tenho o livro dos melhores textos, o "E' Impossível Ler um Só" que tinha a postagem da Clarissa Passos (a Clara McFly no blog) sobre as Olimpíadas (acho que foi nas Olimpíadas de Atenas, em 2004), o texto se chamava "Esporte de Macho". Apesar que muita coisa mudou nos últimos anos, eu tenho que dar o braço a torcer que esporte de macho mesmo é ginástica artística.

"Quer saber? Esporte de macho, mas macho mesmo, é a ginástica olímpica. Precisa ter colhão para aguentar um treinamento dolorido, até ser capaz de se dobrar toda; dar saltos mortais em cima de uma barrinha de dois dedos e, especialmente, escolher essa carreira num país que não dá a mínima para tal modalidade. Parabéns às nossas ginastas. Isso sim é que é esporte de macho - no bom sentido, claro."

Tem muita gente que me pergunta até hoje pra quem eu torço no caso de jogos da Copa do Mundo e nas Olimpíadas. Por eu ter nascido no Brasil, valorizo muito os atletas brasileiros, especialmente nos esportes que muita gente não conhece. Já nos coletivos, sou mais o voleibol (futebol eu não tenho interesse, até na Copa do Mundo eu meio que passava batido porque nunca conseguia acompanhar. Uma das minhas frustrações é eu não ter conseguido até hoje ir assistir a um Mundial de Voleibol que acontece anualmente em Tóquio.). Mesmo assim, devemos incentivar nossos atletas após os jogos, porque eles participam de outros campeonatos espalhados pelo mundo (e ninguém nota).

Ah sim. Quando o Japão disputa algum campeonato, meus dois lados nipônicos gritam mais forte. O duro é quando tem Brasil X Japão, aí acabo torcendo meio a meio (e confesso que muitas vezes, especialmente no futebol, torci contra).

Seja como for, duas semanas de eventos esportivos deu pra ter de tudo um pouco, para deixar o evento inesquecível. Em todos os sentidos da palavra, eu quero dizer.




Procuram-se: esses dois newscasters e um fotógrafo perdidos na cidade olímpica. Fora outros que estão brincando de "Onde Está Wally?" no meio do público. E com direito a "boa noitiiiii" logo de cara.

Fotos: screencaps via twitter.

2 comments:

  1. Essas Olimpíadas pra mim foram a coisa mais mágica/inesquecível/histórica/bizarra que eu já vivi pra presenciar... Confesso que sou do time que não queria esses jogos aqui no Brasil, por 'n' motivos: o Brasil em crise, falta de estrutura e mais um monte de motivos, mas que já que teve, ne? Vamos pelo menos torcer pra que dê tudo certo... e surpreendentemente, deu. Na medida do possível, mas deu.
    Eu andei acompanhando os dois países, graças a SporTV, pq se dependesse da Globo na tv aberta tava na bosta... e ri agora olhando o print do Kame, no fundo dá pra ver o estúdio da Globo/SporTV ali atrás xD Só eles quiseram ser os bonitos e não usar o IBC xD (Globo fazendo Globices...)
    E a vinda do Sho... sério, ainda não superei. Ele tava aqui no lado, e eu não pude ir ve-lo. Já sofri, já chorei, estou mais conformada, mas... +__+ Um dia eu supero, o dia que eu for num concerto deles, hahaha sonhar nao custa, não?
    Mas brincadeiras a parte, essas Olimpíadas já ficaram pra história... na do Brasil, e na minha. É estranho, mas quando tudo acabar segunda vou sentir falta...

    ReplyDelete
    Replies
    1. Tathy, vou te confessar também que eu não queria que os jogos se realizassem no Brasil. Sou brasileira, gosto do meu país, e tudo o mais apesar de tanta dor que sinto, mas existem tantas prioridades e outros motivos que muita gente já cansou de mencionar, mas já que teve, o jeito é aproveitar ao menos e torcer para nossos atletas.
      Tirando um incidente ou outro (claro que não dá pra ser 100% perfeito, mas ninguém quer que aconteça algo igual em 1972), pelo que andei lendo e assistindo, felizmente está dando certo. Que nem na Copa do Mundo, lembra? Muita gente não queria, mas no final muita gente saiu falando BEM, o que já nos deixa com uma ponta de esperança de que tudo pode melhorar.
      Como eu não tenho TV a cabo (motivo: não vou ter tempo pra assistir), eu tive que acompanhar através do twitter (FB vou te falar...), e na TV japonesa, antes de dormir e na madrugada que nao tinha que ir trabalhar XD ao menos consegui ver o Kame, o Sho e o Masha trabalhando como newscasters.
      Aliás, muita gente esqueceu/não sabia que o Kame é newscaster esportivo aos domingos pela NTV e vive fazendo reportagem de baseball, sua praia. Por isso que nossa querida tartaruguinha teve que voltar antes.
      Um dia você vai a um show deles. Só acontecer um novo milagre de eu ser sorteada (algo que não consigo desde 2013). Nem precisa ficar muito encostada no palco, porque só de estar DENTRO do Dome já valeu a pena.
      Verdade seja dita: vou sentir falta dessas duas semanas que foram de pura emoção e acredite: foram os esportes que a gente menos conhecia que ganharam muito destaque.

      Beijão! ;D

      Delete