Friday, December 23, 2016

Fim de um ciclo e início de outro

Eu sei que estamos em dezembro, quase na semana final. E aquela velha história: "ai este ano foi ruim, pior que o anterior", essa reclamação toda. Tá, eu entendo que a situação não está lá aquelas maravilhas, mas se a gente parar pra pensar, é a gente mesmo que não toma alguma atitude pra melhorar. Vamos dizer: se você não melhora a si mesmo, parar pra pensar nas atitudes do cotidiano, você tem poder para reclamar do que os outros fazem?

Se eu for fazer meu balanço a respeito deste ano, não posso reclamar. Pelo menos, estou trabalhando e tendo como pagar minhas contas e se manter. E com saúde, o mais importante.

Embora eu tivesse que mudar de cidade por causa do emprego, eu não posso reclamar, apesar do salário não ser aquelas maravilhas, mas como disse no parágrafo anterior, tendo saúde para continuar trabalhando e recebendo o esperado salário para pagar contas/tendo o que comer/ e se divertir um pouco (para não pirar)...

Não é de hoje que me preocupo com o quesito saúde. Desde que me conheço por gente, meus pais sempre deram a importância dela. Isso porque tive rubéola e caxumba quando criança e era horrível ficar em casa passando mal (o lado bom era que eu estava liberada para ler gibis e assistir desenho animado). Mesmo quando na fase escolar, na faculdade e no trabalho, o máximo que peguei foi resfriado (mas quando pego, é daqueles que me dá febre que me derruba por dois dias). Felizmente, nada grave.

Quando você mora no exterior, seus cuidados dobram, melhor dizendo, multiplicam. Começa com a barreira da linguagem. Segundo, mesmo sendo fluente e até com ajuda de tradutor, pode correr o risco de derem diagnóstico errado. Fora que sai MUITO caro se não estiver pagando seguro-saúde.

Voltando ao foco sobre o ano que está terminando. Eu diria que mais um ciclo se fecha, e temos que aprender com o quê aconteceu durante o ano para não [tentarmos] repetir no próximo. A mesma coisa que a gente fala todo ano, certo? Só que a gente dificilmente cumpre. Ou esquece. Ou acontece muita coisa no percurso que as resoluções do ano Novo ficaram para trás. (E bem que a gente tenta anotar na agenda, no calendário, num pedaço de papel e prega na parede, na porta da geladeira, sei lá...)

Como a gente sempre diz: melhor não planejar tanta coisa (experiência própria), mas algumas coisas necessitam de planejamento, como adquirir algum bem, ou poupar para alguma eventualidade. Ok, a gente tenta, ao menos.

O ano já está no fim, mas não significa que não dê pra aproveitar nada. Até acho que dá pra fazer muita coisa. Só sabermos aproveitar o tempo. (O que eu gostaria de aproveitar muito mais)

Este ano fechamos mais um ciclo na vida. Que o ano seguinte iniciemos um novo ciclo e que este possamos realizar nossos sonhos, atingirmos nossos objetivos, mesmo sabendo que nunca é fácil.

No comments:

Post a Comment