Sunday, April 30, 2017

Sobre o 24 Hour Television...




Nota da autora: Se tem um assunto que eu lembro na hora e depois vou deixando até que, quando eu lembro já é tarde demais, é sobre o programa anual 24 Hour Television que é transmitido em tempo real no último final de semana de agosto.

Já havia comentado um pouco sobre o evento uns anos atrás, mas depois fiquei procrastinando e quando dei por conta, já teve muita gente fazendo o mesmo, então achei melhor deixar pra gente que manja dos paranauês e tem mais tempo disponível que eu.

Daí no início deste mês, o FB me fez o favor de relembrar de antiguidades e numa dessas foi o anúncio do 24 Hour Television de 2015, daí que me caiu a ficha - é mesmo: estamos em abril e ainda nem comentaram nada sobre o programa. Foi quando no dia 15 de abril, durante o programa "Arashi ni Shiyagare", que foi um especial de 3 horas, que fizeram o esperado anúncio (como nesse dia eu tive que ir trabalhar, fiquei sabendo no Twitter graças as amigas Michelle e Andrezza, que não dormem no ponto e ficam com um olho na telinha e outro no celular).




Sim, ninguém está delirando - os main personalities do 24 Hour Television de 2017, a 40a. edição, serão os três newcasters da NTV (na foto, da esquerda pra direita) Keiichiro Koyama, Sho Sakurai e Kazuya Kamenashi. 

Daí teve gente menos avisada (ou menos atualizada, tanto faz) que surtou nas redes sociais achando absurdo colocarem os três rapazes da JE de grupos diferentes (vide legenda na foto), ou pior: "MAS DESDE QUANDO O KEICHAN E A TARTARUGA, aka Kamenashi, SAO APRESENTADORES DE TELEJORNAL BLABLABLA...????" *aquelas pessoas que só acham que o Sakurai era o único da JE que apresenta telejornal* 

Vamos lá: 

- Pra quem não sabe, Keiichiro Koyama desde 2010 era membro ocasional do telejornal vespertino da NTV, o "news every" (aparecia uma vez por semana), mas desde 2014, ele passou a ser membro regular e quase diário do programa (só às sextas que não). Outro detalhe que, além do telejornal, apresenta junto com o grupo NEWS o programa "Shonen Club Premium" (semanal) e o "News no Futari" com o colega Shigeaki Kato. Sozinho, apresenta o programa de entrevistas "Chikara Uta". Além de ter se formado em História e Geografia, com especialização em História Oriental, na Meiji University. Talvez para muita gente no Brasil que lembra do Keichan, ele foi aquele que quase se perdeu no meio da Amazônia para instalar uma antena parabólica (a pedido de um programa de TV).

- Kazuya Kamenashi praticava baseball desde criança, e se não tivesse entrado na JE, teria se profissionalizado e provavelmente estaria no exterior, pois recebeu convite para jogar - se não me engano, no México. Apesar disso, ainda mantém o hábito e sempre que pode, participa nos jogos em times japoneses e nos eventos da agência. Apresenta semanalmente o programa esportivo "Going! Sports and News", na emissora NTV, desde 2010. Recentemente, esteve no Brasil na abertura dos Jogos Olímpicos. 

(Agora, sobre o Sakurai, a gente dispensa comentários porque muita gente já sabe muito dele, então seria chover no molhado.)

Como eu havia mencionado no Twitter horas antes de saber quem seria o main personality do ano: "Seja quem for o main personality no 24 Hour TV de 2017, que façam um ótimo trabalho e vamos apoiar, porque se trata de evento de caridade". O que eu quis dizer com isso? E' que desde faz algum tempo, dependendo quem for o main personality, ou ficam exaltadas demais ou descem o pau rapidinho. Só que esquecem o REAL motivo do programa. E vai tentar explicar...




Desde que eu comecei a assistir o programa, na verdade eu conseguia só assistir o primeiro dia (na época, eu trabalhava aos domingos e folgava aos sábados), ao menos eu conseguia pegar uma boa parte, que era o dorama especial baseado em fato real. Mais recentemente consigo assistir os dois dias, que além do dorama e participação ao vivo nos programas da emissora, tem a parte da viagem aleatória, ajudando pessoas especiais, etc., o que vale a pena. Só que infelizmente algumas pessoas não pensam dessa forma - querem saber quem vai ser o main personality e se for do agrado, apoiam, se não, destratam até dizer chega.

Seja como for, quem for - que o programa 24 Hour Television continue mantendo o que sempre foi o objetivo: ajudar os menos favorecidos e fazer um mundo melhor. 

(Em breve, espero fazer algumas postagens sobre o evento, curiosidades e outras coisas mais.)


Monday, April 17, 2017

Aquisições Recentes

... ou mais conhecido como "a hora da futilidade inútil".

Têm horas que eu tento não ser compulsiva e sair comprando tudo o que eu vejo, porque preciso economizar no que posso e ainda bem que, quando recebo o suado dinheiro no final do mês, depois que pago as contas e abasteço a despensa, o que sobra, parte vai pro piggy bank e parte pros meus gastos particulares. Se bem que de um bom tempinho pra cá, o que eu compro, geralmente estava com 90% de desconto, leve dois e pague um e ganhe desconto, e por aí vai.

Dependendo do produto, já cheguei a pagar o preço original...

Quem me acompanha no Instagram ou no Twitter, já devem ter visto alguns estragos que andei fazendo, mas tenho consciência do que estou fazendo. Muitos dos itens são úteis, mas alguns, bem...

Sunday, April 09, 2017

Desligue a mente, relaxe e deixe fluir...



O que muitas vezes eu tento fazer nos meus dias de folga é descansar. Em todos os sentidos.

Porque não é fácil levar uma vida de segunda a sexta, oito a dez horas de trabalho diário, em pé, aguentando toda a sorte do que pode acontecer durante o dia todo. Aí você quer tentar se distrair nas redes sociais, mas a vontade de fechar a janelinha do site é imediata, de tanta gente destilando ódio e raiva na timeline. Assim desanima até os mais otimistas de plantão.

Minha amiga Mina havia dito uma vez: "Mente vazia, oficina do diabo", um ditado popular que significa "não tem o que fazer, só pensa e fala bobagem". Pior que convivo com gente assim (no trabalho e nas redes sociais).

Quando eu falo em descansar, subliminarmente digo "quero me desligar do trabalho", ou seja, se tenho meus dias de folga, eu tiro para organizar minhas coisas, ler algum livro, testar receita nova, limpar a casa, assistir meus programas favoritos (algo que está sendo raro com esse meu horário de trabalho maluco), ir ao cinema, ir bater perna por aí, andar de bicicleta, ir numa cafeteria descolada, marcar encontro com azamiga, fazer algum curso por hobby ou pra aprender algo de útil, enfim. Ok, dormir pra relaxar também conta, mas infelizmente eu tenho hora certa.

Sobre eventos, filmes e similares, eu tenho que ficar mais atenta nas programações da região, ainda mais que a gente consegue encontrar quase tudo via internet, algo que eu deveria usar muito mais, já que facilita e como facilita...

O que me decepciona em muitas pessoas é que elas reclamam muito e nada fazem. Certo, eu também reclamo, mas existem pessoas piores. Não conseguem aproveitar as oportunidades que aparecem, não procuram saber da existência de muitas coisas e ficam chorando pelos cantos. O mais chato é que acaba sobrando pra gente que nada tem a ver com os problemas dos outros. Por isso que procuro no máximo não ficar reclamando demais pra não aborrecer as outras pessoas.

Muita gente no trabalho deve achar (ou tem certeza mesmo) que eu sou antissocial pra caramba, porque quase não interajo, quase nem converso (na verdade, o trabalho que eu faço, nem posso), e mesmo fora do trabalho meu círculo de amizade se restringe no trabalho mesmo. Diferente do tempo que eu trabalhava em outros lugares. Será que posso culpar meu signo e meu tipo sanguíneo?

Mas não sou hikkomori (gente que se tranca em casa em seu mundinho particular, nem sai nem pra comprar leite na esquina), se eu não saio como eu deveria, tenho três motivos - ou grana muito curta, ou estou cansada demais ou caindo o maior toró. Aí eu aproveito para ler, para assistir meus DVDs, para estudar. Bem, e voltar a fazer trabalhos manuais, algo que eu fazia muitos anos atrás e hoje estou parada... *vergonha*

Talvez por eu ter vindo sozinha aqui, morado um ano e tanto numa cidade no meio do nada com pouquissimos compatriotas, eu tive que me virar na língua japonesa depois de eu ter passado mal com um ramen feito de pimenta vermelha e eu achando que fosse de tomate por pura ignorância ao ler um menu inteiramente em japonês e em kanji. E talvez por isso eu ainda consigo ir pra cima e pra baixo sem tanta dificuldade como no início. Mas isso varia de pessoa pra pessoa, nem posso condenar aquelas que nem têm ânimo em querer conhecer (mas que essas pessoas não fiquem reclamando e achando ruim daquelas que conseguem se virar nos trinta).

O jeito é a gente ignorar certas coisas na vida, porque nada vai acrescentar, e tocar a vida sem prejudicar as outras.

Imagem: via tumblr @azul3104 do CM da Kirin Ichiban shibori em 2016 (ainda acho que o Ninomiya está coçando o gato do que fazendo carinho nele).

O título é a primeira frase da música dos Beatles, "Tomorrow Never Knows".