Saturday, May 20, 2017

Quando você lê o mangá por causa do filme/anime (ou vice versa)

Confesso: muitos dos mangas que tenho/li foi devido a um filme/anime/whatever que saiu, assisti e fiquei curiosa em saber como é o manga (porque muitos filmes/animes são baseados nos mangas, podem chamar de falta de criatividade dos roteiristas, mas muita gente quer saber como seria um live action disso, há controvérsias...).



Existem mangas que foram feitos para divulgar o filme/anime, ou que seria a forma quadrinizada de um livro original. Tem diferença? Obvio. E claro que ninguém fica satisfeito, mas é a vida.

Alguns dos casos que aconteceu comigo (e ainda acontece):


Hachimitsu to Clover: Ilustrado por Chica Umino, tem 10 volumes mais o fanbook (fora outros que desconheço). História sobre seis estudantes universitários com seus dilemas da vida, encontros e desencontros amorosos, casos não correspondidos, a vida acadêmica e após ela, contado de forma bem humorada e fofa.

Como aconteceu? Numa madrugada aleatória e insone, fiquei procurando algo pra assisti e nem lembro que canal era e estava passando o anime. Como peguei o bonde andando, não assisti a temporada toda. Acabei por descobrir o filme e quando dei por mim, comprei a coleção toda do manga em loja de segunda mão. O anime completo e o renzoku dorama não consegui assistir até hoje e está na minha lista enorme de "para assistir".



Diferenças entre manga e filme: Na dúvida, leiam uma resenha que fiz do filme. Diferença tem e muita, afinal nem dá pra colocar 64 capítulos em um filme de duas horas, vai faltar parte, mas colocaram o essencial.




Kokuhaku: Livro escrito por Kanae Minato em 2008, ganhou versão cinematográfica em 2010. Uma professora em seu último dia de aula diz saber quem foram os assassinos de sua filha, o que causa uma reviravolta na vida dos alunos.

Como aconteceu? Foi lendo o blog da minha conhecida Mika que descobri esse filme. Só que acabei assistindo em DVD depois. Sabia que o filme foi baseado no livro, mas como infelizmente ainda não consigo ler um livro inteiro em japonês, acabei comprando a versão manga algum tempo depois. Outro fator que colaborou para eu ter assistido: a atuação de Takako Matsu.

Diferença entre livro e filme: Como mencionei anteriormente, não li o livro. Assisti o filme, comprei a versão em manga. Mas recentemente, saiu o livro traduzido para o inglês e assim dará para saber se teve alguma diferença ou não, mas o filme teve efeito impactante pelo menos para mim.

Outros casos semelhantes, de eu ter assistido o filme primeiro e depois ter lido a versão manga - "Platina Data", "Debikuro-kun no Koi to Mahou", "Grasshopper", "Bokura no Gohan wa Asu de Matteru", "Kamisama no Karute" (tanto o primeiro como o segundo). Todos eles sairam primeiro em livro e depois que o filme entrou em cartaz, saiu a versão quadrinizada.



Ansatsu Kyoshitsu: Baseado no manga de Yusei Matsui, é a saga de um professor que é destinado a lecionar numa classe cujos alunos são tidos como párias no instituto educacional - fracos, perdedores, deslocados. Mas o professor impõe uma condição: se os alunos conseguirem eliminá-lo em um ano, ele não vai explodir a Terra, da mesma forma que ele fez com a lua.

Como aconteceu? Quando fui ao cinema para assistir a um live viewing, a vendedora incluiu na sacola onde comprei alguns cinema goods, um exemplar contendo o primeiro capítulo do primeiro volume do manga - porque o mesmo tinha sido adaptado para live action e a estréia do filme seria no mês seguinte que fui ao cinema. Quando dei por mim, virei fã do manga ao ponto de ter comprado a coleção completa, acompanhado o anime e até adotar o Koro-sensei de pelúcia...

Diferença entre manga e filme: Obviamente MUITA, tanto que teve duas partes. Mesmo assim, muita coisa ficou de fora, mas vide caso de qualquer filme que é adaptado do manga: NUNCA será 100% igual. O anime ainda segue mais ou menos a cronologia do manga, teve duas temporadas. Se for enumerar o que ficou faltando no filme, o post dura até o ano que vem.



Maho Kishi Rayearth: Baseado no manga escrito e ilustrado pelo quarteto CLAMP. Durante uma excursão escolar na Torre de Tóquio, três jovens estudantes do ginasial de escolas diferentes são transportadas para um outro mundo, no qual elas foram convocadas pela Princesa Emerude para que elas salvem o mundo e a libertem, só assim as três poderão voltar para casa. Mas para chegarem onde a princesa está, elas precisarão passar por várias fases e desafios.

Como aconteceu? No meio dos anos 90, com o boom da vinda dos animes Cavaleiros do Zodíaco e Sailor Moon, a emissora SBT resolveu apostar com Magic Knight Rayearth, que já era sucesso nos Estados Unidos. Assisti as duas temporadas (mas não cheguei a assistir o OVA que seria uma história paralela) e depois li o manga, que saiu em seis volumes (três da primeira fase e mais três da segunda). Acabou se tornando um dos meus manga favoritos - aliás, tenho alguns manga das meninas do CLAMP (alguns poucos conhecidos, como "Suki dakara suki"), mas vergonha alheia até hoje eu não ter conseguido acompanhar Cardcaptor Sakura.

Diferença entre manga e anime: Tem personagem que morre no manga mas continua no anime e vice versa. Tem personagem que só foi criado pro anime. Existem alguns trechos que foram cortados mas outros incluidos. A segunda temporada no anime é BEM diferente que no manga, portanto, nem tentem comparar ambos porque não dá certo (tentei e tomei na cabeça). O problema é que eu já prefiro mais o manga que o anime.



Aishiteru ~ Kaiyou ~: Baseado no manga do mesmo nome de Minoru Ito, em 2006. Virou renzoku dorama em 2009 e teve a sequencia em 2011 ("Aishiteru ~ Kizuna ~"). Duas famílias que nem se conheciam acabam se encontrando devido a morte do filho de uma delas.

Como aconteceu? Não lembro direito se foi lendo o manga BE LOVE (na época, eu lia porque eu acompanhava pelo menos três histórias), porque o dorama eu fui assistir bem depois em DVD. E como eu peguei a história pela metade no manga, esperei sair em tankobon para poder entender melhor. E quando saiu o dorama em DVD (porque na época eu trabalhava até 22h e só conseguia pegar o News ZERO e o Shukudai-kun), assisti numa sentada só. A sequência assisti em tempo real. O lado péssimo foi que, devido a mudanças, tive que desfazer de um monte de mangas....



Diferença entre mangá e dorama: Os nomes de alguns personagens no dorama mudaram, bem como a causa de Tomoya tornar-se uma criança fechada (no manga é bem mais chocante, no dorama ficou meio sem sentido). Fora alguns detalhes aqui e ali, assim como em "Kizuna", mas não perde o fio da meada. Quem assistir, recomendo uma caixa de lencinhos ao lado e ter nervos fortes.



Koshoku Robot: Baseado no manga (em andamento) de Hisae Iwaoka. História de três androides de 25 cm que vêm como brinde ao conseguir juntar 3000 pontos em refeições, via correio na casa da pessoa. Cada história, um personagem e um androide diferente, que ensina a pessoa a se alimentar bem e ter uma vida saudável (em todos os sentidos). Alguns pratos que aparecem nas histórias chegam a ter receita.

Como aconteceu? Foi caso recente (dia 15 de maio), quando a NTV anunciou que em junho teria um outro novo horário para doramas - vê se uma da matina de segunda pra terça-feira tem sentido!!! - e quem interpretarão os três androides Mujaki, Yancha e Ottori, respectivamente serão Daiki Arioka, Yuya Takaki e Hikaru Yaotome (membros do grupo Hey! Say! JUMP). Só não me lembro direito do manga, que é publicado mensalmente na revista Cookie e já saiu o quarto volume.


Diferença entre manga e dorama: Bem, como ainda não definiu o elenco completo, ao menos os protagonistas ficaram bem parecidos com os personagens. Algo mais concreto, só depois do dia 19 de junho... (Só que procurar o manga que é bom, tenho que esperar pra ver se republicam, porque sabem como é.... adaptou para dorama/anime/filme/whatever, sai com a faixa com a foto dos protagonistas)

Bem, esses são um dos poucos que lembro e assisti e depois li e vice versa.

Fontes: dramawiki, sites das emissoras

Imagens: matome-naver, NTV, amazon, google

No comments:

Post a Comment