Menu of the Emporio

Saturday, August 31, 2019

The Blog Day


Como sempre, postando quase nos 45 do segundo tempo. Mas não poderia esquecer que hoje, dia 31 de agosto, é The Blog Day, dia que nós, blogueiros, indicamos outros blogs para que os leitores possam conhecer melhor os trabalhos de outros blogueiros. Mesmo porque a gente acaba se inspirando neles na hora de bloqueio criativo.

Novamente, informando que não está na ordem de preferência e nem estou ganhando nada financeiramente para divulgação, afinal, blogueiro fiel é aquele que divulga sem fins lucrativos.

Desta vez, alguns blogs que descobri através de outros...

- Desancorando: Esse descobri por causa da Karupin, que estava na lista dela. Aí a gente começa a ler, e descobre que tem assuntos legais, como blogagem, bullet journal e assuntos emocionais.

- modefica: Blog formado por jornalistas que abordam moda, sustentabilidade e feminismo, tudo isso sem ser piegas nem chato como muita gente deve pensar. Elas querem abrir a mente para conscientizar as pessoas que dá pra se vestir bem, se produzir, sem agredir a natureza.

- Not So Kawaii (podcast): Podcast formado por três nikkeis de Curitiba (PR) que falam sobre assuntos asiáticos, manga, anime e curiosidades. Devido a uma reformulação no time, por enquanto o podcast está de férias, mas vale a ouvida de novo dos assuntos e elas também mencionam outros podcasts que inspiram o tópico do dia.

- Ajuste a Rota: Era o antigo "Clube da Necessaire", mas como as autoras do blog resolveram investir em intercâmbio da língua inglesa em outros países, elas mudaram o nome e o assunto é sobre viagens e intercâmbio. Uma delas acabou por mudar para Nova Zelândia e falar do cotidiano e como fazer para investir na carreira (a Amanda posta mais no Instagram do que no blog).

Claro que tem blog que falta aí, mas como têm alguns que mencionei ano passado (dá uma olhada aqui e incentivem as pobres alminhas semiperdidas), resolvi indicar outros mais.

Sunday, August 25, 2019

Sobre Nós, Mulheres, sabermos nos valorizar mais

Do dorama "Kimi wa Petto", com Jun Matsumoto (Momo) e Koyuki (Sumire). Créditos; fanpage do FB "Dorama Japonês É Outro Nível", só que não consegui achar quem fez as legendas.
Não no sentido monetário, claro. (Mas, se eu fosse a Sumire, eu já enfiava a faca só pra ninguém mais encher o saco)

Saturday, August 17, 2019

Os Limites da Paciência (ou: Cada Postagem ou Comentário que temos que ler...)

ATENÇÃO!!! O intuito desta postagem NÃO É HUMILHAR, RIDICULARIZAR, DIFAMAR (e todos os sinônimos possíveis), MAS PASSAR A INFORMAÇÃO NECESSÁRIA PARA QUE OUTRAS PESSOAS NÃO COMETAM O MESMO ERRO. Especialmente ALERTAR às pessoas que, por causa da diferença cultural, acabam cometendo erros gravíssimos que podem prejudicar além delas mesmas, outras pessoas que nada têm a ver com o assunto.

Caso alguém se sentir ofendido, certamente deve ter cometido algum erro e não quer dar o braço a torcer. Obrigada, de nada.

Thursday, August 15, 2019

Feliz dia do Canhoto

Dia 13 de agosto, é uma data especial para as pessoas dotadas de inteligência master, criativas e hábeis: os canhotos.

Monday, August 12, 2019

Eu, um carro e os postes no meio da rua, a vida continua...

Uns bons anos atrás, eu cheguei a fazer algumas postagens sobre minha vida em quatro rodas aqui no Japão. Se perguntarem para mim se tem alguma diferença dirigir aqui, ou se seria igual no Brasil, duas coisas tenho que dizer: atenção triplicada - você, os outros e as bicicletas; e o fato do lado ser inverso ao do Brasil (aqui, dirigimos do lado direito, como na Inglaterra).

Por motivos de força maior, oito anos atrás tivemos que nos desfazer do carro e usar muito os transportes coletivos. Se bem que, mesmo tendo carro, para irmos trabalhar dependíamos de transporte coletivo do mesmo jeito. Mas quando digo que fizemos (e fazemos até hoje) uso de trem e/ou ônibus para fazermos diversas atividades, aqui pelo menos temos uma grande vantagem, que esse sistema funciona muito bem até demais da conta.

Depois de quase sete anos sem saber o que era pegar um volante e sair guiando, voltei a dirigir. Via de regra, quando a gente volta a dirigir depois de muito tempo, pegamos aquelas ruas desertas para ver se não perdeu a noção, certo? Bem, no meu caso nem foi desse jeito - fui logo pegando uma via expressa (motivo: o carro pertencia a uma amiga minha que mora numa província vizinha. E como eu tinha que ir buscar, e sozinha, não tive outra alternativa a não ser pegar o carro e voltar para casa na expressa usando o lado auxiliar da pista, o que resultou em três horas e meia de viagem num percurso que normalmente dizem que fazem em duas).

Daí que eu lembrei o que um colega de trabalho comentou que "o problema de dirigir nesta província, é que o pessoal daqui é muito doido", ou seja, se a gente já tinha que tomar cuidado para não passar o resto da vida pagando seguro pros outros...

Em quase vinte anos com habilitação aqui (mas acho que, se contar os anos que realmente peguei no volante, aí seriam outros quinhentos), mesmo sendo navigator ou passageiro ou até mesmo usando transporte coletivo, fica impossível notar muitos detalhes no percurso...

Os postes no meio da rua: Nem precisa morar duzentos anos aqui para perceber que em boa parte das ruas (especialmente as que ficam em bairro residencial), os postes ficam literalmente no meio da rua. Ou para dar espaço para passagem de pedestres (especialmente as crianças que vão em fila para a escola) ou ciclistas. A rua já é estreita, fica mais ainda com os postes e até hoje tento entender como a rua consegue ser de duas vias (e olha que eu pego esse tipo de rua todo santo dia para ir trabalhar).

Cuidado! Ciclistas! Nem posso reclamar muito deles porque também sou e faço muito uso de bicicleta na cidade onde moro. Mas tenho que confessar que muito ciclista aqui abusa e muito. Passa "voando" do teu lado, corta a tua frente, fica no meio da rua atravancando o trânsito. E nem falo de gente de idade (outro tópico). E se ele passa na tua frente e você é obrigado a apertar fundo tanto o freio como a buzina (algo que raramente se usa aqui) como sinal de alerta, o ciclista ainda xinga. Isso quando não têm alguns que aparecem do nada no cruzamento e a preferencial nem era pra ele (aqui, os ciclistas têm que respeitar a sinalização de trânsito como os veículos).

Para além da terceira idade... Outra parte que também nem posso contestar muito porque logo chego lá, mas se eu chegar lá, não quero me tornar aquela categoria da terceira idade que fica chato pra caramba e só falta tacar o guarda-chuva na sua cabeça. Não é de hoje que os idosos daqui, quando dirigem, temos que ter uma paciência enorme se estão na sua frente. Mas temos que tomar mais cuidado ainda porque ultimamente a maioria dos acidentes (do tipo, entrou com o carro em uma loja) são provocados por gente acima dos 70 anos. É um caso muito a se pensar no quesito gente que passou dos 60 anos por aqui: não querem ser um fardo para a família e preferem fazer tudo sozinhos.

Fase escolar: Toda vez que vejo uma fila de crianças indo para a escola, eu chego a manter uma boa distância lateral, porque criança é imprevisível, da mesma forma que criança começando a andar e as mães são distraídas ou nem consegue acompanhar a velocidade do pequeno. Ainda mais se você dirige num bairro residencial para cortar caminho para não pegar trânsito - as crianças brincam no meio da rua sem se preocupar com nada. É, quem tem que se preocupar é quem dirige mesmo.

Mas confesso que os estudantes do ginasial pra cima são os mais abusados, do tipo, não têm noção do perigo. Bem, acho que eles têm mas querem brincar com a vida, só pode. Em partes eles fazem parte dos ciclistas que cortam a tua frente e aparecem do nada.

Gente/veículo que aparece do nada: Nem tanto nos cruzamentos, mas quando a gente está parado no trânsito e de repente aparece um carro cortando no meio do movimento. Principalmente se eles vêm de uma rua aleatória onde passa meio carro. E o pessoal aqui parece que só olha de um lado, esquece do outro onde a probabilidade de aparecer um carro do nada é grande. Nem precisa dizer o resto, né? Depois recebe uma buzinada (e pode vir alguns xingamentos de bônus, mas os japoneses raramente xingam na cara dura no trânsito).

Gente que fecha o cruzamento: Quer deixar alguém nervoso ao ponto de baixar o vidro do carro e dar uns berros, no caso eu? Experimenta fechar o cruzamento ou a entrada/saída de algum lugar que você quer entrar/sair. Uns dias atrás aconteceu comigo, quando eu estava voltando de Nagoya e resolvi parar num fast-food no meio do caminho. O estabelecimento já fica numa rua estreita e uma entrada que de um lado é pro drive-thru e outro para estacionar, uma mulher (de nacionalidade que nem vou mencionar, ou vão me chamar de preconceituosa) entrou no sentido contrário e travou a entrada. E eu, não querendo fazer fila dupla, baixei o vidro do carro e gritei para a indivídua para dar a ré que eu queria entrar no estacionamento, e o que me acontece? A mulher fechou ainda mais a entrada e ainda ignorou o que falei. Gente assim que acaba com a classe feminina motorizada, vou te falar...

Perseguição: De uns tempos para cá, estão ocorrendo muitos casos de "aori unten" (あおり運転), que seria o carro que está na tua frente ficar te impedindo de ultrapassar, ou que está na sua traseira ficar buzinando, tacando luz alta (em plena luz do dia) e quando te ultrapassa, fica reduzindo a velocidade sem motivo aparente, e, em casos extremos, chega a parar o carro na tua frente e ir te ameaçar. Nesses casos, nem tente sair do carro para tentar se defender, ou pode resultar em algo trágico. Trave tudo e filme, vai servir como prova para a polícia. Quem acompanha noticiário, deve saber sobre um caso que aconteceu na rodovia expressa Tomei. Por isso que a maioria dos veículos já estão com o drive recorder instalado, e algumas companhias de seguros estão incluindo o seguro para "aori unten".

Bem, tirando o "aori unten", o resto eu enfrento esses, er, contratempos todo santo dia. Por mais que pessoas digam "ah, mas eu sou bom motorista no Brasil", meus caros, no Exterior, tudo muda. E aqui, por exemplo, pra levar multa, é um pulo, e nem tem como ter desculpa. Tem que pagar em sete dias, quando renovar a habilitação, tem que assistir uma hora de vídeo sobre segurança... Por isso, melhor manter a habilitação em dia, o carro com os documentos, vistoria e seguro idem. Nunca se sabe o que pode acontecer.

Apesar dos postes no meio da rua, as ruas estreitas, gente lesada, eu ainda continuo dirigindo. Tem gente que pra criticar é um pulo, mas vá morar numa cidade onde tudo é longe, transporte coletivo é raro e ainda fazer supermercado em duas rodas. E olha que tive que fazer compras de bicicleta e imaginem carregar tudo (e nem pra entregar em casa). Carro facilita? Se souber fazer bom uso dele...

Sunday, August 11, 2019

O Dia da Montanha (山の日 ou Yama no Hi)

Hoje, dia 11 de agosto, no Japão é Yama no Hi (山の日) ou Dia da Montanha. Daí a gente, fangirl desgraçada que somos, fica inevitável certas coisas...


(Colocando BGM de "Troublemaker" do Arashi...)

Brincadeiras à parte, a data foi considerada oficialmente feriado nacional em 2016, mas antes disso, o governo já pensava seriamente em colocar um feriado oficial em agosto, por motivos de diminuir (em termos) o estresse provocado nos trabalhadores com muito trabalho, já que a folga em agosto referente ao finados (Obon), varia de empresa para empresa, por isso o famoso feriado de Obon não é oficial.

O dia foi escolhido após votação no parlamento a pedido da associação de alpinistas e outros grupos afiliados. Segundo a associação, o Japão deveria ter uma data dedicada às montanhas, já que o xintoísmo acredita que a cultura é moldada pela naturezaE também coincide com a semana em que a maioria dos trabalhadores tiram a folga de Obon. Além disso, o número oito em kanji lembra a forma de uma montanha e o número onze, lembra duas árvores.

Agosto era o único mês no calendário japonês que não tinha feriado nacional, mas agora com a nova era Reiwa, o único mês do ano que não tem feriado é dezembro. E agosto também é um mês ideal para muitos alpinistas e pessoas interessadas em escalar o Monte Fuji, um dos símbolos do Japão.

Embora seja uma data oficial, muita gente ainda passa batido, assim como muita gente nem sabia que o Dia do Mar (em julho) foi criado em 1996.

Off-topic: Para quem não entendeu a piada da montagem que abre a postagem: no fandom do grupo Arashi, costumam nomear os pares conforme a associação que fazem, seja porque fizeram doramas, comerciais, ou alguma coisa aleatória. O kanji de Arashi é formado pelos ideogramas de montanha (yama) e vento (kaze). Dentro do próprio grupo temos o Yama Pair, formado pelos dois membros mais velhos (Satoshi Ohno e Sho Sakurai) e o Kaze Trio, formado pelos mais novos (Masaki Aiba, Kazunari Ninomiya e Jun Matsumoto). Dizem que, de tanto que muitos fatos aconteceram com o Yama Pair, ficou inevitável associar o dia da montanha com a dupla, como os dois coreografando a música "Everything" da Misia em um episódio no Arashi ni Shiyagare; os dois acabando se encontrando em um dos maiores festivais de verão em Kyoto e, nos programas musicais, quando eles interpretam a música "Troublemaker", no verso "Kagayaki o himeta no heart beat" (ou "o pulsar do coração que está escondido, é esplêndido", no verso final), Ohno e Sakurai fazem o coraçãozinho com as mãos como na foto acima.

Fontes: Office Holidays, Daily Telegraph UK.

Imagens: montagem feita pela autora com imagens da Yamanashi Kankou Japan e Twitter

Saturday, August 10, 2019

Dia Internacional dos Gatos

Eu havia feito uma postagem sobre gatos e, bem, reaproveitei quando aqui, no dia 22 de fevereiro, é "dia dos gatos" por causa da leitura da data em japonês (o número dois lê-se "ni" e se assemelha ao miado dos gatos daqui).

Parece de verdade, mas é de cerâmica. (Yanaka, Tóquio)

Só eu que não sabia que dia 8 de agosto é o Dia Internacional dos Gatos, por isso no Twitter estava trendando a hashtag #InternationalCatDay ou #世界猫日. Fora imagens de felinos fofinhos para alegrar a timeline que anda bem amarga ultimamente.

Saturday, August 03, 2019

BEDA e a volta da blogagem old school


BEDA é o anagrama de "Blog Every Day August" projeto divulgado pelo grupo Rotaroots no FB, que seria fazer uma postagem por dia durante todo o mês de agosto. Mas existem pessoas bem dispostas que fazem também em abril (mas isso era o VEDA, que era Vlog Every Day April, no que o BEDA foi inspirado...). Isso uns bons anos atrás que muita gente blogava a todo vapor.

Eu não sei se eu que andei postando pouco e acompanhando menos ainda, mas quando voltei a postar com mais frequência, percebi que muitas blogueiras que eu acompanho também diminuiram o ritmo. Foi quando no início de julho, o grupo Rotaroots no FB retomou as atividades, mas esqueci de fazer a blogagem coletiva sobre nostalgia (pode ser que eu faça um post no aleatório como sempre faço nesta vida de internet).

O que eu ganho nesse grupo? Muita coisa, minha gente, que vocês nem imaginam! Foi em alguns blogs que eu acompanho que descobri o grupo Rotaroots, descobri alguns blogs interessantes, e postagens legais ainda. Cheguei a postar alguns temas do grupo, mas depois que mudei de cidade e o ritmo de trabalho atual, meu ritmo de postagens caíram tanto que ainda custo a acreditar que existem algumas alminhas semiperdidas que me acompanham.

Recentemente até que andei postando mais, mas coloquei em mente que, se é pra postar com mais frequência, que eu faça as postagens com conteúdo e o máximo de informações (confiáveis) possível, porque nada resolve eu postar duas vezes por dia sendo que 70% seria assunto inútil, né? Acho que por isso ando postando pouco mesmo... E olha que nem é falta de material, pois mesmo eu morando mais de duas décadas no Japão, existem muitas coisas escondidas e desconhecidas até para os nativos (ou fazem vista grossa).

Para não variar, a autora que vos posta aqui, começou bem o BEDA - estamos no dia 3 de agosto (horário do Japão) e esqueceu de fazer as postagens, mas tudo bem, o importante é passar conteúdo e sermos felizes.

Outro motivo do mês de agosto ser importante para quem bloga, é o dia 31, dia do Blog Day, onde compartilhamos os blogs que curtimos. E assim o ciclo vai seguindo e continuando. Porque mesmo nos dias de hoje, onde muita gente parece estar com preguiça de ler, ainda existem pessoas de bom senso e coração que nos dá motivação para blogar.


Imagens: A que abre a postagem: via https://garotasrosachoque.com.br/2015/08/beda-o-que-e-e-porque-o-garotas-entrou-nessa.html e a que encerra via Google.