Monday, June 08, 2009

Histórias Meio Mal-Contadas (Parte 1)

Quando alguém resolve deixar este mundo material (um eufemismo para morrer, vai...), muita gente tem tudo o que é tipo de reação, desde o conformismo até o cinismo (sabe aquele que diz "já vai tarde"? Sim, tem gente assim.). Geralmente quando conhece-se a causa mortis ainda vai, mas quando tem que envolver pessoas fora do meio familiar-amizade, a situação meio que complica, a não ser que a tal pessoa fora deste meio, como policia, investigador e FBI ou algo semelhante, faça parte do meio e ninguém poderia saber.

Principalmente no mundo artistico. Se tal artista morre de forma inesperada, escreve embaixo: foi de overdose de balinhas, bebedeira, excessos, tudo junto. Especialmente se for muito jovem demais. Como nos isteites, oropa e no Brasil, no Japão também pensa que a emenda fica pior que o soneto em se tratando de encobrir certas mortes misteriosas? Querem exemplos aqui? Então vamos lá, alguns exemplos...


Yukiko Okada (1986): No início dos anos 80, quando a diva pop da época, Momoe Yamaguchi disse adeus à carreira musical para dedicar-se integralmente a vida do lar com o ator Tomokazu Miura, eis que as portas de caça-talentos abriu para muita gente, principalmente as moçoilas que desejavam ser como a Momoe. Algumas se destacaram (seja pela melhor e/ou pior forma possível), como Seiko Matsuda, Akina Nakamori e outras que tiveram sucesso instantaneo. Yukiko Okada também fazia parte das aidorus que faziam grande sucesso, com penteado a la Lady Diana quando casou-se, vestidos armados, ar de inocente, e músicas delicadas. Descoberta aos 17 anos, logo teve sucesso com a música "First Date". Daí por diante, aparecia em programas de TV, filmes, revistas, comerciais... o que lhe deu o sucesso que muitas meninas de sua idade queriam.

Não se sabe o motivo, mas logo pela manhã do dia 8 de abril de 1986, os vizinhos sentiram cheiro de gás vindo do apartamento onde Yukiko morava, em Tóquio. Arrombaram a porta e encontraram-na chorando e com os pulsos cortados. Levada a um pronto-socorro junto com o empresário da agência a qual pertencia (Sun Music), foi feita uma pequena cirurgia e posteriormente levada ao escritório para tentar se recuperar. No que ela havia pedido para ir ao banheiro, minutos depois foi encontrada morta em frente ao prédio - cometeu suicidio ao pular do sétimo andar do prédio.

O motivo do suicídio de Yukiko nunca foi esclarecido, pois não deixou uma nota, como é costumeiro no Japão. Cogitaram alguma desilusão amorosa ou estresse pelo fato de ter atingido sucesso muito rápido, mas até hoje, todo dia 8 de abril, fãs vão ao local onde foi vista pela última vez, deixar flores e rezar. Na época de sua morte, mais de 40 fãs cometeram suicídio.


Yutaka Ozaki (1992): Mais conhecido pelo grande sucesso de "I Love You" , Ozaki teve durante em vida musical, uma carreira de altos e baixos, culminando com a reclusão por porte de anfetaminas, o que acarretou na rescisão de contrato com a gravadora, devido aos problemas que havia causado. Quando retornou, seus shows voltaram a ter grande público, pois suas músicas retratavam a angústia, revolta e as dificuldades da juventude. Nunca houve artista como Ozaki que pudesse retratar a realidade das estudantes colegiais sobre o enjo kosai, prostituição para poder comprar o que quiserem, como a música "Jyunanasai no Chizu" ("Seventeen's Map").

Apesar da "volta por cima", um feliz casamento e um filho, o que abalou a vida de Ozaki foi a morte da mãe, a qual sempre o apoiou. Mesmo assim, continuou a compôr e excursionar, quando, no auge da carreira, na madrugada de 25 de abril de 1992, Yutaka Ozaki foi encontrado desmaiado no meio da rua, embriagado e acabou falecendo de edema pulmonar (uns dizem que foi devido aos excessos que cometeu).

A morte de Ozaki chocou os fãs que alguns cometeram suicídio, e seu pai chegou a pedir investigação detalhada sobre a morte dele, pois corriam boatos de que Yutaka havia sido assassinado. Inclusive chegaram a acusar sem provas alguma, a esposa de Yutaka.

Dezessete anos após sua morte, Yutaka continua sendo lembrado como um dos poucos artistas que representava a juventude, chegando a ser comparado com Bruce Springsteen.


hide (1998): Ex-guitarrista da banda de j-rock (mais para visual-kei) X-Japan ( a banda preferida do ex-premiê Junichiro Koizumi), Hideto Matsumoto, mais conhecido como hide (sim, em minusculas mesmo), antes de fazer parte do grupo formado por Toshi e Yoshiki, ele tinha uma banda independente e era esteticista (daí vide o visual colorido do grupo todo). Convidado por Yoshiki, hide não hesitou em fazer parte do grupo recém formado chamado X. Para não fazerem confusão com outra banda americana, acrescentaram o Japan no final.

O quinteto foi um dos precursores do heavy metal japonês e, devido ao visual colorido, foram também os primeiros a divulgar o hoje visual kei. Mesmo depois do grupo ter deixado o visual espalhafatoso de lado, somente hide permaneceu com os cabelos rosa-choque e as roupas coloridas. Quando o grupo terminou em 1997 com a saída de Toshi, hide mantinha paralelamente uma carreira solo.

Yoshiki pensava em voltar com o grupo em 2000, mas não foi possivel devido a morte de hide em 2 de maio de 1998. Mesmo com um relativo sucesso solo, hide foi encontrado morto em seu quarto, enforcado com a toalha presa na maçaneta. A princípio - pra não variar - cogitou em suicídio, mas pela quantidade de alcool presente no sangue (o que não era pouco...), a autópsia deu como "morte acidental". Mas a versão de suicídio nunca foi descartada, pois diziam que hide sofria de depressão, se bem que, até cogitaram suspeita de assassinato.

O museu que tinha em Yokosuka (Kanagawa), cidade natal de hide, permaneceu até 2006.


Izumi Sakai (2007): Da forma que a cantora/compositora do grupo itinerante ZARD era tão reservada (possíveis motivos eu já falei anteriormente), que, quando souberam da morte repentina, muita pouca gente sabia que ela estava internada sob tratamento de câncer uterino. Desde 2003 ela vinha fazendo tratamento sob sigilo e longe da imprensa quando descobriu que estava com um tumor no colo do útero. Apesar do tratamento, ela continuava a lançar músicas novas e participar de alguns albuns especiais, mas shows ao vivo, nem pensar, exceto em 2006 quando fez o show "What a Beautiful Memory".

Em 27 de maio de 2007, em pleno tratamento, Sakai caiu do alto de uma escadaria do Hospital Keio (Tóquio) quando estaria saindo para a caminhada matinal que costumava fazer. Mesmo sendo socorrida a tempo, não resistiu a hemorragia cerebral. Apesar dos peritos disserem que a morte foi acidental, dizem outros que foi suicídio, pois ela estava quase na fase terminal da doença. Porém seus familiares e amigos mais próximos disseram que Sakai estava reagindo muito bem ao tratamento e que em breve iria fazer um concerto em agradecimento aos fãs que sempre a apoiavam.

Pois bem, somente saberemos a verdade somente se estivermos do outro lado da vida, pois se nem os peritos sabem dizer, e geralmente as pessoas próximas raramente falam 100% da verdade, então, fazer o quê?

-----------------------------------------------------------------------------------
Semana "Okaerinasai, Kusanagi-san". Desde semana passada, sabemos que o faz-tudo-um-pouco na TV, Tsuyoshi Kusanagi voltou as atividades normais, ainda bem. Nada mais justo pelo menos lembrar dos PV (promotion videos) que fez com o grupo SMAP, e este vídeo, lançado em 1999, para divulgar o 13o. album (Birdman), traz todos os clichês de filmes de ação, violência, tiroteio e... mistério!!! Afinal, a troco de que sequestrariam Goro Inagaki? De onde Takuya Kimura conseguiu um 38? Que Shingo Katori estaria fazendo com duas minas? Como o terno do crooner serviu em Tsuyoshi Kusanagi? E o cara que estava junto com Masahiro Nakai era amigo ou inimigo? E que fim deu no quinteto?! Clique aqui para ver o PV de "Fly" (versão curta, quem tiver a completa, avisa a autora!)

4 comments:

  1. Suilad ^^
    Vi um commet de vcs no blog da Luria, e vim conhecer o blog de vcs, afinal amo as loucuras do japão =] Sempre digo a luria que td ai é no minimo engraçado hahaha

    Nossa essa galera ai no Japão é extremista, digo isto pq os fans se matam mesmo hein? Essas mortes inesplicadas existem em td lugar, mas os fans axo que são mais doidos dos daki neh?

    Prazer em conhecer vcs e se puderem visitem meu blog =]

    Boa terça...

    Miquilissssss
    Bru

    ReplyDelete
  2. Caraaaaaaaaaaacas Iwa se esta é a parte 1 como será a parte 2? Haja histórias hauhauahuahuu

    beijosssssss!

    ReplyDelete
  3. Bru e Qüi, obrigada pela visita! Uma pena eu não ter um chazinho pra servir, mas aqui é limpinho eheh

    Pois é. Fico imaginando o que aconteceria se o Roberto Carlos ou Silvio Santos passarem para o outro lado da vida...

    Luria, a parte 2 talvez vai ser meio batido, mas não temos como evitar as "teorias da conspiração" ahahahahah

    Beijones a todas e todas!!!

    ReplyDelete
  4. Zeeeentem! Qto babaaaado vc conseguiu! Essa aidoru dos anos 80 eu nao conhecia, mas tm pinta de ser estilo "Matsuda Seiko qdo era mocinha".
    Eu nao entendo pq a midia nao admite a causa mortis no casa de artistas q se suicidam... nao eh mais digno levantar a questao e tentar levar o povo a reflexao deq suicidio nao eh a solucao? Cada coisa...

    ReplyDelete