Friday, September 25, 2009

Lições de quem vai a um concerto qualquer

"Pra premiê?? Não, não levo jeito pra coisa, mas tivemos um show gratuito em Nagasaki..."

Desculpem a ausência neste sítio, nos comentários e tudo o mais. Depois de sábado que folguei, esta semana foi corrida. Quinta-feira, ontem, foi minha folga. Mas quem disse que eu parei em casa? Logo pela manhã tenho aula de conversação em japonês. E pra quem estava em Marte e chegou agora, ontem foi o show do (cantor-ator-fotógrafo-produtor-faz-tudo-e-um-pouco) Masaharu Fukuyama no Yoyogi Gymnasium.

Sobre o show: pra quem pensa que show no meio de semana não lota, então me expliquem porque eu tive que encarar ingresso na loteria via internet. Imaginem como estava o ginásio: lotado. Inclusive na arena que estava mais lotado que Yamanote em horário de pico.

Aprendi algumas lições de como ir em shows depois de ter ido pela terceira vez, mas perguntem se eu seguirei para o próximo...

1) Nem sempre o ingresso mais caro te garante o melhor lugar: Estou tentando até agora entender por que cargas d'água resolvi comprar o ingresso via internet. No show que fui no Saitama Super Arena, eu comprei via internet, mas era a primeira vez, oras. E por sorte peguei um lugar bom. Seria melhor mais na frente, mas como a gente não escolhe lugar, fazer o quê... No de Yokohama Arena, comprei em cima da hora, na conveniência e acabei ficando em pé as cinco horas de show. Deu pra assistir. Mas espremida. Desta vez resolvi comprar bem antes que fosse vendido em conveniência (geralmente é o que sobra), encarei duas rodadas de loteria e acabei ficando na arquibancada, o que dava pra ver o Masaharu, desde que eu forçasse muito a vista. Antes ter comprado na conveniência e ficar na arena...

2) Não precisa chegar tão cedo... Mas também não precisa chegar em cima da hora. Salvo se o ingresso não for lugar reservado, pode chegar meia hora antes do show começar que seu lugarzinho estará garantido. Só que eu nunca aprendo e cheguei uma hora e meia antes do show começar e fiquei esquentando o banco, lendo um livro e ouvindo música no iPod. Pra decorar as músicas do último álbum.

3) Vá com roupa confortável: Essa lição eu aprendi quando fui no show do U2 no Saitama Super Arena e quase morri de calor, espremida e com as pernas doendo. Embora tinha sido quase no final do ano, pensei que fosse esfriar e fui de camiseta de manga comprida e casaco. Resultado: estava doida pra sair logo e entrar numa banheira de gelo. Mesmo ontem ter ido de camiseta de manga curta (e uma blusa na bolsa pra emergência), passei um calor danado. De tanto pular nas músicas mais animadas...

4) Não venha com pacotes, sacolas, e tudo o que atrapalha: Deixe a compra do supermercado, a liquidação, os souvenires pra depois do show. Antes, nem pensar. O lugar já é meio apertado e onde vai colocar as coisas?

5) Prepara a garganta: Sei que não pode (por medida de segurança. Vai que algum(a) revoltado(a) resolve brincar de arremesso de peso, mas o pessoal aqui é tranquilo; só que logo na entrada pra arquibancada tinha quatro maquininhas de bebida...), mas trazer uma garrafa de água dentro da bolsa seria ideal pra molhar a garganta. Experiência própria: nas duas vezes que fui no show do Masaharu, saí com a garganta ardendo. De tanto gritar (confesso: em show eu me animo), cantar...

6) Não ter pudor algum de gritar, acenar, pular... Ninguém te conhece mesmo. Exceto se estiver acompanhado(a), mas se sua companhia também já estava chegando ao ponto de pular no meio do palco e agarrar o cantor, então pra quê você ter vergonha?

7) E prepara pras surpresas: Vocês pensam que show de artista japonês costuma ser parado? Pelo que vi pelos YouTube da vida, o show costuma ser bem animado. O público costuma ser muito calado nas baladas, aplaudindo no final, mas nas mais animadas, o pessoal pula e canta junto. Eu sei que, se o Masaharu não colocar no repertório duas músicas que, apesar de ter quase vinte anos, faz o público delirar, o público invade o palco e faz ele cantar na marra. Exageros à parte, "Peach!!!" geralmente ele canta bem no meio do show e no meio da música a produção joga tiras de papel laminado no público pra usarem como "pompons de cheerleader" no acompanhamento da música.

Pra quem lembra a capa do single: sim, era a foto de um traseiro com um fio dental. Tá, agora vão me dizer o que tem a ver no show.

Se sair em DVD esse show, peça emprestado de alguma doida que comprou: na música, Masaharu canta de fio dental. Peraí!!!! Explicando: apenas um tipo de molde que as lojas de lingerie costumam usar pra demonstrativo do produto. Não é que ele pega esse molde, coloca no seu próprio traseiro com um fio dental (roxo) e fica rebolando e tudo o mais???

Eu falei duas músicas né? A segunda, é o primeiro single que lançou na vida: "Tsuyoku ame no Naka", mas essa todo mundo já sabe o resultado final: só falta jogar um balde de água no público, pois enquanto ele canta, ele vai correndo de um canto pra outro no palco e jogando copos de água no público pra refrescar. Ah, eu falei que o ar condicionado nesses lugares nunca está ligado?

8) Nunca dizer "nunca mais vou a show algum": Eu ouvi de muitas pessoas que vão a qualquer show e no dia seguinte falar que nunca mais vai a show algum, devido às experiências sofridas no anterior. No meu caso: dia 9 de novembro lá estarei eu no Tokyo International Forum me esgoelando no show dos escoceses Franz Ferdinand.

9) Esperar diminuir o contingente pra depois (tentar) ir embora: O lado ruim do Yoyogi Gymnasium é que uma das saídas que vai pra estação de Harajuku, é que a calçada é estreita e tem que atravessar uma passarela pra atravessar a rua. Sem falar que os trens vão estar lotados. Saída de show é assim mesmo: acaba dez da noite e todo mundo quer voltar logo pra casa. Cansado, suado e quase sem voz, mas com a cara de quem se divertiu muito.

Agora, estou tentando me recuperar de tudo de ontem: cansaço, pernas e braços doloridos, garganta quase sem voz, mas a emoção de estar vendo tudo ao vivo compensa qualquer coisa.

8 comments:

  1. Pelo jeito o show foi divertido!
    Muito boas as suas dicas.
    Vou anotar todas. O último show que vi foi do Jack Johnson no ano passado, no Aka Renga. Até que foi tranquilo.
    bj

    ReplyDelete
  2. Essa história q nunca mais vou em show eu volta e meia digo hahaha
    mas sempre q tem e tenho $ lá estou eu hahahaha

    Boa sextaaaa
    Miquilis

    Bru

    ReplyDelete
  3. uhuuuuu!!!
    Shows são bons d+, adoro, pulo, canto, e entro até em bate-cabeça...
    Nunca me arrependi de nenhum show que eu fui... xD
    AC/DC no Brasil queria ir muito, mais dia de semana é ruim de mais pra mim...
    Moro no Brasil mais trabalho em horário do Japão, todos dormem eu trabalho... =P

    Abraços!

    ReplyDelete
  4. Anotadas as dicas... é questão de honra quando for para o Nihon ir em um show do Tackey... mas não volto sem ir!!!

    E vou pular, gritar, espernear e tudo que tenho direito afinal tá na minha cara que não sou japonesa rsss...

    beijos

    ReplyDelete
  5. Ahahaha nossa quanta coisa que eu já passei quando ia em shows... hoje estou mais sossegada, até porque eu tenho fobia por lugares muito lotados. Ir em show só me chama se for pra ir em área VIP, camarote fechado etc... pago mais caro mas não fico na multidão. Fui em um show do Bon Jovi em 1992 (aff qto tempo!) no Pacaembu, eu corri feito uma doida pra chegar na frente. Fui esmagada, quase perdi os peitos no muro ahahahha nunca mais...

    Kisu!

    ReplyDelete
  6. Elisa, e olha que já era a terceira vez que estava indo no show dele (duas vezes em 2007, só pra ter uma idéia). Quanto as dicas, bem, depende muito do show e o local. Como do Jack Johnson é tranquilo, então sem problema. Nem conto como foi quando fui no do U2 em 2006...

    Bru e Qui: falar que nunca mais vai em show algum, escrevam embaixo: semana que vem já estão lá, milhares de alminhas perdidas se descabelando/emocionando/delirando/ sonhando com as músicas e com o artista junto ahahahah

    Eloy, isso mesmo: não se arrepender de ter ido. Melhor ter desopilado o estresse num show de forma saudável (cantar, dançar, pular, mas fazer mosh, bem, aí o risco são de vocês ahahah) do que não ter ido e se arrepender depois e desopilar o estresse de forma nada convencional...

    Gesiane, o dia que você estiver aqui, esperamos que o Tackey ainda esteje atuando ou cantando. Agora ele faz comercial de seguradora, a Daichi Seimen, como Daichi Knight. Perdao da palavra, mas ele está fofo! rs

    Beijos e abraços e bom sábado (ou noitada de sexta ne)

    ReplyDelete
  7. Bah, seu comentario surgiu - mas de novo? - enquanto estava subindo o meu...
    Engraçado que eu pra lugar fechado, como danceterias eu pago pra não ir devido ao pequeno espaço pra muita gente. Mas pr'um show ou cinema...
    Sobre quase perder os peitos... No show do U2 no Saitama Arena eu quase virei patê na arena. Antes terem comprado arquibancada. Sabe quando uma pessoa de metro e meio como eu se sente no meio de gente de dois metros de altura?
    Resultado: malemal vi o Bono e 90% do show tive que ver pelo telão.

    Beijao!!!

    ReplyDelete
  8. Realmente, Oku quer dizer muitas coisas. só coloquei um signicado de oku, o que tem ligação com oku tama.
    Se eu estiver errada em alguma coisa me corrija, viu?
    Tive a má ideia de dar aulinhas de japonês no meu blog. rsrs
    Como foi JOgashima?
    bj

    ReplyDelete