Saturday, September 19, 2009

Roteiro Gastronômico: Salgados de Botequim


Apesar de onze anos e poucos morando no Japão, gostar de comida japonesa (exceto natto, sorry pessoal que gosta da iguaria, mas tenho meus motivos pra não gostar: 1) como 50% de descendência parte de Kumamoto, 25% de Kagawa e 25% Hokkaido, por parte de meu pai natto nunca entrou em casa e 2) já tentei comer, mas sabe quando a primeira impressão é a que fica?), eu confesso e pra que ter vergonha? Eu a-doooooo-ro feijoada, churrasco (bem passado, picanha sanguinolenta é pros fortes), brigadeiro, bolo de fubá e salgados de boteco.

Salgados de boteco??? Pára tudo.

Não sei vocês, mas como sou do interior, eu pelo menos falo que coxinha, risoles, quibe e outros acepipes populares que agora me fugiram pois faz muito tempo que não os como direito, de "salgadinhos de boteco". Boteco pra quem não sabe interiorês, é botequim. Aqueles bares de interior, com direito a batata em conserva e tremoço (olhaí a iguaria que dez entre nove leitores deste sítio dificilmente conhece), coleção de garrafas de pinga de procedência suspeita e o cartaz "Fiado só amanhã". Ah, essas lembranças da vida interiorana, vou te falá...

Voltando às iguarias que se vendem nos melhores botecos.

Coxinha com recheio de frango, risoles de queijo, quibe (esturricado), batata recheada, pastel com vários recheios (mas não se vende em feira?). Empada de frango com azeitona. Croquete de carne. A maioria que vai na fritura (cujo óleo já foi reutilizado várias vezes) e recheado de calorias. E daí? No tempo que se vendiam salgadinhos na cantina da escola, no botequim da esquina, acompanhados de tubaína, ninguém se preocupava com calorias, vigilância sanitária, procedência do local...

Ah, sim. Lembrando das esfihas de carne moída, enroladinhos de salsicha e torta de liquidificador... Os assados, juntos com a citada empada, são mais carinhos, mas também não deixam de serem devidamente devorados.

Um dos salgadinhos que muita gente que conheço e dizem que dificilmente conseguem acertar é o ponto da massa de coxinha (de frango). A massa empelota ou desanda. Principalmente quem faz a massa de batata (uma delícia). Confesso: a primeira vez que eu fiz uma coxinha na minha vida, só faltou usar como bola de beisebol de tão dura que ficou (esqueci de cozinhar a massa, pode?).

Aqui, ainda fazer coxinha, quibe, risoles, empada e esfiha dá certo. O que é dificil mesmo de acertar no lar doce lar é a bendita massa de pastel. Se quando ainda morava com meus pais no interior, minha mãe fazia massa de pastel a custa de muitas rodadas naquela "máquina de fazer pastel" (era eu quem virava a manivela daquele equipamento), aqui, dizem que o clima não colabora bem como a farinha. E eu achando que farinha fosse todo igual...

E eu adoro pastel. Existem lojas especializadas que vendem massa para pastel. Basta abrir o rolo, rechear, fechar e fritar. Mas como nada é barato nesses locais, eu e namorido kinguio apelamos pela massa de gyoza, aquele "pastelzinho chinês". Dá pro gasto.

Embora no Brazilian Day que teve no Yoyogi Park no início do mês pude tirar o atraso (sim, comprei e comi risoles e coxinhas), ainda fica aquele gosto de "quero mais". O lado ruim disso é que salgadinho aqui custa caro.

E como.

Acompanhadas de uma tubaína ou guaraná, caem bem numa conversa de bar...

Update hoje, dia 19 de setembro as 10:19 da matina: post inspirado na breve aventura de Rick, que está de férias (permanentes?) no Peru e tentando fazer uma coxinha de frango. Coragem, Rick, que uma hora você acerta... E olha que o post dele nem era sobre a iguaria...

9 comments:

  1. Ahh, eu moro no interior, temos de tudo isso aqui mesmo... Ah, tubaína! *_* shiushiushu
    Que triste deve ser não ter nada disso.. Nossa amiga intercambiaria (que veio do Japão) ta aqui a um mês, e a gente faz ela experimentar de tudo, ela gostou bastante dos salgadinhos. (mas ela não toma refri!)

    ReplyDelete
  2. Ahhhh o povo todo falando de receita de coxinha que eu fiquei na fúria de fazer rs... peguei uma aqui q já tinha passado pra uma colega fazer e nunca fiz rs e vou tentar. Vamos ver a desgraça. Poxa, pastel aqui eu como todo sábado de manhã, agora a massa eu não sei fazer. Pergunte pra Hidemi q a família dela é de pasteleiros, entendem do negócio. Agora tinha uma mulher q vendia HORRORES de gyoza, mas a máfia mandou fechar a loja dela por causa do lucro, pode? Tem um bar aqui em SP que só vende tubaína, de todos os tipos, o bar é todo estilo dos anos 80, fazem drinks incríveis com tubaína. Pena q a garrafa custa R$3.

    Kisu!

    ReplyDelete
  3. Salve, Ki!
    Adorei o post! Gosto muito de iguarias de boteco!!!! Nada como uma coxinha gordurosa, oun um risólis quentinho... sem falar do quibe, pastel frito, bolinha de queijo...
    Beijos, minha querida amiga!

    Sal

    ps: Já comprou os beatles remaster?

    ReplyDelete
  4. Também adooooro.
    Uma vez uma amiga brasileira fez uma festa de despedida e encomendou coxinha, risolis, empadinha, bolinhas de queijo, tudo em tamanho grande. Já estava com muitos anos de Japão. Vc vai me entender, mas quase chorei de emoção.

    Vc viu o nosso amigo Rick sofrendo para fazer coxinha no Peru? Me deu peninha. Coxinha no Peru é legal, né?

    A viagem que eu fiz é básica, tranquila.

    Corajoso é o meu marido que não foi dessa vez. Quando fomos ao Rio, ele pulou de asa delta. Ele já fez para-glider, para-sailing (para-quedas puxado por lancha) e bunjee jump. Já viajou de Pejero pelo interior (sem estrada)da Mongólia atravessando rios gelados. Esses não faço nem amarrada! Merecia um blog só para ele. Vivendo com alguém assim, tudo o que faço é fichinha. Acho que ele já fez aquele de descer penhasco amarrado, esqueci o nome. Se fosse um marido medroso não ia deixar que eu faça nada disso com o meu filho, não acha?

    Adorei seu post sobre salgadinhos.

    bj

    ReplyDelete
  5. Foi só falar de comida... rsrsrs

    Makika, seja bem vinda!!! Tubaína é o melhor que há, principalmente nas festas ahahahah Se bem que aqui temos os guaranás genéricos, se é que entendeu.
    Quem vem do "estrangeiro" adora experimentar de tudo. A gente também quando vai em outro lugar que não seja conhecido, faz valer o ditado: melhor ter uma dor-de-barriga e dizer que ja comeu a iguaria do que nao ter comido nada.

    Bah, até eu ter feito a minha primeira coxinha, eu ficava me perguntando "por que o pessoal reclamava tanto de fazer esse salgadinho". Depois disso, minhas dúvidas foram sanadas ahahahah... Depois você conta o resultado. Até onde sei, massa de pastel vai farinha, água, sal e... pinga. Talvez seja o modo de amassar a dita cuja e temperatura. Se bem que condições climáticas nunca foram o forte com minha mãe... Vou perguntar a Hidemi sim rs
    Onde foi isso, o episodio do gyoza? No Japao? So por que lucrava?! Vai entender...
    Tres contos por uma garrafa de tubaína??? Estou vendo que o revival anos 80 o pessoal quer lucrar mesmo...

    Salve, Sal! Esqueci de mencionar os bolinhos de bacalhau e as bolinhas de queijo... Sinto falta disso tudo e aqui tenho que me contentar com alguns empanados... Sobre a caixona dos Beatles, bem, em Toquio terei que esperar nova remessa. Eita povo que madruga na fila, vou te falá...

    Elisa, eu li o drama do Rick tentando fazer a coxinha. Mas como eu, você, ele e todos os leitores do blog são brasileiros e não desistem nunca, uma hora ele consegue acertar o ponto. A custa de muita farinha perdida e as cobaias... ops, os degustadores a base de antiacidos (nem sei mais como escreve, ja que o hifen ja era).
    Falando em aventuras radicais em terras inusitadas...
    Já foi visitar a Muralha da China? Se encontrar o programa SMAP X SMAP do dia 17 de agosto, acompanhe o percurso dos oito mil e tantos quilometros que a muralha oferece, com Shingo Katori e Tsuyoshi Kusanagi. Mas se voces forem, nao faça com seu marido ou com seu filho como eles fizeram: andar com tres pernas ahahahahah

    Beijos e abraços e boa sexta a noite (no Brasil) e bom sabado de manhã (no Japao)

    ReplyDelete
  6. Nossa, eu tbem fui ao Brazilian Day... fui comer uma linguica assada, mas nao acertei. Comi duas muito ruins... Tava muuuuito cheio e as filas quilometricas.
    Nao sou fa de muita aglomeracao sabe... hihihihihi
    Nossa, e que saudade de Tubaina!!!

    ReplyDelete
  7. Pois eh eu adoro esses salgadinhos tbm, acho q mais de bolinho de queijo(eu amo queijo) e esfiha de carne.
    Mas fazer essa coxinha de frango e dificil mesmo hein!!!Acredita que demorei umas 6 horas, do começo ate eu poder comer..muito tempo. Mas as cobaias daqui gostaram..rs...
    Continuarei tentando fazer outras receitas tbm, vamos ver como fica.

    BJos!!

    ReplyDelete
  8. Aqui no Brasil tem lugar que vende Salgados dos grandes a R$ 0,50 cada, dois deles já da uma refeição, e são MUITO bom...
    Agora aqui difícil é encontrar tubaina, elas foram substituidas pelo refrigerante Dolly, perto da facul, tem o buteco de salgados a R$ 0,50, vende uma garrafa de Dolly 2litros por R$ 2,00... O difícil é enfrentar a fila quilométrica que forma na hora do intervalo, pra comprar os salgados...

    Abraços!

    ReplyDelete
  9. Nossa vc não tem ideia de qt eu gosto desses salgados e o qt eu como sem dó, não penso em peso e nem se vou passar mal, eu como simplesmente até acabar o $ ou eles hahaha
    Atualmente eu tenho comido mto deles no ragazzo, não sei se ouviu falar, mas eh o fast food italiano da rede habbibs, lá tem vários por 0,99, sendo o meu preferido a empada de camarão q já subiu pra 1,30, mas vale mtoooooo

    Eu já fiz mto em casa, só não faço mais pq tenho preguiça dá trabalho demais hehehe

    Bom comecinho de semana ^^

    Miquilissss
    Bru

    ReplyDelete