Tuesday, June 15, 2010

Quando Um Mangá Vira Filme - Parte 1

Quando os roteiristas de um filme (ou novela) se vêem com a inspiração abaixo de zero, o que fazem? 1) Apelam pra remakes chinfrins de filmes de sucesso? 2) Passam uma semana sem dormir lendo toda a coleção de mangás? Quem falou a primeira, sabe que nem todo remake dá certo. Geralmente é um entre um milhão da probabilidade do remake acabar superando o original. Agora, quem falou da segunda opção...

Citarei alguns, mas pro post não ficar longo e cansativo (pois duvido muito quem consiga ficar com a retaguarda grudada na cadeira e ler tudo isso), terei que dividir em quantas partes sabe lá eu for possível. Vai parecer daquela série das coincidências, mas quero dividir com vocês...

Initial D: Sobre corridas (ilegais, pero no mucho) de carros - o "drift" (ou "dorifito"). A série de mangás, criado por Shuichi Shigeno, já chegando a 40o. volume, mantém a mesma forma: um rapaz que durante o dia ajuda o pai na entrega de tofus na região montanhosa de Gunma. A noite, participa de corridas de alta velocidade e grande risco, o drift. Daí o nome da série que até hoje continua sendo publicada pela revista "Young Magazine" ("D", de "drift"). Takumi Fujiwara é filho de um comerciante de tofu, outrora no passado também participava destas corridas. Para ajudar o pai, Takumi, desde a adolescência, pegava o carro para fazer as entregas nas montanhas. De tanto que guiava, começou a conhecer mais o mecanismo do carro e também a participar destas disputas. Os carros utilizados na série realmente existiram (ou existem ainda), mas os nomes dos locais foram alterados, porém existem. Tamanha adrenalina, obviamente pra virar animê foi um pulo. E aproveitando a onda da série "Velozes e Furiosos", resolveram fazer um filme... feito em Hong-Kong com atores locais. Não lembro se a recepção aqui foi boa, mas cá pra nós: deveriam ter feito com atores japoneses, nada contra, mas (lembrou-me da versão norte-americana do mangá - e anime - "Speed Racer" (ou "Mahha Go Go Go"), que nem tive a curiosidade de assistir, pois devem ter mudado e como a história.)...


Cutie Honey: A música-tema deve ter impulsionado a carreira de Kumi Koda, já que ela quem cantava (e não é que ficou legal? Veja a performance no "Music Station Super Live 2004"). Era um mangá, mas a história é mais conhecida pelo anime - um tanto picante, já que a heroína - uma andróide - pra se transformar, acabava tendo a roupa normal transformada em picadinhos e, bem, digamos que a heroína tem um busto um tanto, er, avantajado. Criado por Go Nagai, o mesmo criador de "Devilman" (também virou filme), o filme não foi bem recebido, apesar de ter os atores Eriko Sato, Ryo Kase e Ryuhei Matsuda no elenco, mas houve uma paródia até melhor que a encomenda com "Cutie Tsuney".

Hachimitsu and Clover: Uma vez comentei sobre o mangá desenhado por Chika Umino, sobre cinco jovens estudantes de arte em uma faculdade em Tóquio. Não demorou muito para adaptarem para o cinema e depois animê. Claro que, quando se passa dez volumes de uma série pra uma telona, fica faltando detalhes e alguma coisa acaba é mudando. Assisti ao filme e li os mangás, gostei de ambos. O animê não assisti, pois passava num horário muito ruim. E em 2008 teve em forma de novela, e, óbvio, nem deu pra assistir também. O filme só assisti porque consegui alugar algum tempo depois. No elenco do filme de 2006, os atores conhecidos Yui Aoi (que faz o comercial do chá da Kirin, o "Gogo cha"), Sho Sakurai (do Arashi), Ryo Kase (ator de "Cartas de Iwo Jima"), Yusuke Iseya (ex-modelo e ator em "Closed Note") e Minami Seki (está atualmente no elenco da novela "Hard to say I Love You") fazem os papéis dos cinco estudantes. Na ilustração de Chika Umino, na frente, da esquerda pra direita, Ayumi Yamada e Hagumi Hanamoto; atrás, da esquerda pra direita: Yuuta Takemoto, Shinobu Morita e Takumi Mayama. Na capa do DVD do filme lançado em 2006, os atores (da esquerda pra direita) Yusuke Iseya (Morita), Yui Aoi (Hagumi), Sho Sakurai (Takemoto), Ryo Kase (Mayama) e Megumi Seki (Ayumi).

Nana: Teve duas partes. Um dos shojo manga (direcionado para mulheres) mais lidos no Japão, não era de se esperar que virasse animê ou filme. Acabou virando os dois, sendo que o filme foi bem mais fiel que o mangá, especialmente na caracterização dos personagens principais, interpretadas por Mika Nakashima e Aoi Miyazaki (no primeiro filme). Conta a história de duas jovens de nomes e idades iguais mas de personalidades e destinos diferentes. Mas que acabam se encontrando dentro de um trem e resolvem dividir um apartamento juntas, em Tóquio. O mangá está temporariamente suspenso devido ao problema de saúde da autora Ai Yazawa. O filme pode-se encontrar nas locadoras, talvez foi o que deu mais sucesso a Mika Nakashima (que faz a Nana Ozaki, a Nana "punk")e que além de ter atuado, interpretou as músicas do filme, junto com a Yuna Ito (no filme ela é a Reira). O tema de "Nana" aborda sobre desilusões amorosas, coragem, superação, fatores que levaram o mangá a ser um dos mais lidos e preferidos de mulheres de faixas etárias diversas.
Poster de divulgação do filme "Nana", com Aoi Miyazaki (Nana Otsuka) e Mika Nakashima (Nana Osaki).

Pessoal, o assunto é longo. Vai ter parte 2, 3, 4... tá bom, vou tentar resumir, mas se preparem...

4 comments:

  1. Tem também muitas novelas baseadas em mangás. Muitas mesmo. Ainda não vi nenhum desses que vc cita. Fiquei curiosa.

    ReplyDelete
  2. Initial D e Cutie Honey eu nunca tinha ouvido falar, alias, ja tinha ouvido falar de cutie honey por causa da musica da koda.. Honey & clover eu vi o filme e o manga e confesso que nao gostei muito nao;o traço do manga me da agonia e o filme achei meio sem graça...prefiro o dorama mesmo.Nana eu gostei tanto do anime quanto do filme e do manga, apesar de que nao gostei muito da caracterizaçao dos personagens no filme (vide kenichi matsuyama e hiroki narimiya)..
    Tem também muitas novelas baseadas em mangás.[2] dos doramas baseados em manga tem uns que eu gosto bastante como zettai kareshi, otomen, hanadan, kurosagi e varios outros que nao lembro agora *-*

    ReplyDelete
  3. Elisa, é verdade: muitas novelas foram baseadas em mangás, assunto que vai ser feito em uma postagem oportuna. Shiro exemplificou.
    Eu, particularmente, assisti ao "Honey and Clover" ("Hachikuro") pois eu tinha os mangás (tinha, pois acabei emprestando e...)
    Beijao!!!

    Alexandre, "Nana" ainda nem cheguei perto, mas um dia que eu estiver sem o que fazer, vou alugar. E olha que o mangá só li alguns volumes...

    Shiro, como comentei com a Elisa, eu sei que tem muitas novelas baseadas em mangás, mas citarei alguns filmes, pois a maioria nem chegou na versão novela.
    Initial D eu conheço o mangá, e Cutie Honey desde o Brasil devido meu irmão geek. O anime é velho pacas. O dorama de Hachikuro não vi, se bem que gosto é gosto, eu sei. Da mesma forma que gostei do mangá, o filme achei meia-boca.
    Nana, não sei: tenho que ler o volume completo e assistir ao filme...
    Obrigada pela visita, venha sempre dar os pitacos construtivos rs

    Abraços e beijos e volto a comentar nos blogs docêis! [/sotaque caipira mode off]

    ReplyDelete