Saturday, July 18, 2009

O Primeiro "Dorama" Ninguém Esquece...

Com este ator, qualquer novela levanta a audiência.

Aqui no Japão não se fala novela, como no Brasil ou sitcom ou soap operas nos Estados Unidos. Aqui, se fala dorama, do inglês devidamente japoneizado de "drama". Se bem que a maioria dos dorama daqui vira meio que comédia, mas quando é pra chorar, prepara a caixa de lenços de papel ao lado da pipoca que lá vem choradeira.

Muita gente vai falar que "novela japonesa não tem graça nenhuma: passa um capítulo por semana, os atores são os mesmos, os temas são sem sal e não têm nem beijinho, imagina se leva alguém pra cama", mas aí que está a graça do negócio. Se novela do Brasil leva quase um ano pra terminar (em duzentos e vai saber quantos capítulos de segunda a sexta-feira), enfia 956 mil atores e figurantes, e os atores principais têm que ser unicos e exclusivos da emissora, senão necas de pitibiriba, as novelas daqui são do tipo "curto e grosso": doze a vinte e quatro capítulos semanais, que duram uma estação do ano, no máximo quinze atores que todos levam o crédito, enredo sem historinha paralela.

Desculpem as noveleiras e noveleiros, mas quem sou eu pra opinar de novela neste sítio.

Outra vantagem dos atores japoneses: eles não são artistas vinculados a uma emissora x ou y,
porque se fossem, ninguém poderia fazer uma temporada novela na TBS e na temporada seguinte fazer novela na FujiTV, só pra exemplificar.

Os enredos? Variam. Temos desde os dramas da época de samurais, até histórias tidas como polêmicas, de cunho autobiográfico... E nada de cenas calientes, podem tirar o cavalinho da chuva. Se nem beijinho direito sai... Mas pra quem quer algo diferente, pra descontrair e também criar vergonha na cara (como eu) e ver a quantos anda seu nível de compreensão em língua japonesa, as novelinhas japonesas tão aí todo dia em cada emissora em capítulos semanais.

O outro lado bom das novelas serem semanais, é que dá pra assistir as outras novelas de outras emissoras. Desde que, a novela favorita não seja no mesmo dia e horário que tal programa de variedades ou algum documentário de interesse.

Desde que estou aqui, raramente estou acompanhando as novelas. Já disse em um tópico passado o motivo. Mesmo tendo um aparelho celular com TV junto, quem disse que na volta pra casa, dentro do trem eu consigo assistir? Se a transmissão não cai, quem cai de sono sou eu. Eu cheguei a acompanhar algumas novelas até o fim, mas depois que mudei-me para Yokohama e trabalhando em Tóquio, com este meu horário desregulado, só assisto depois que sai em DVD pra alugar (é, eu não costumo baixar arquivos, mesmo porque eu não tenho lá aquela paciência em fazê-lo).

As novelas que eu assisti do começo ao fim (pra ter assunto com as colegas de trabalho e melhorar a conversação em japonês), que eu me lembre, foram:
  • Nemureru Mori (ou: A Floresta Adormecida): Passou no outono de 1998. Na época, eu ainda nem conhecia o futuro namorido kinguio, então dividia um apartamento com mais três meninas que eram noveleiras de plantão. Uma delas era tão fã do Takuya Kimura que, quando essa novela passou na TV, ela esquecia do mundo e ficava acompanhando a novela. Como naquela época à noite a gente não tinha muito o quê fazer, a gente assistia junto. Resultado: cheguei a comprar o single de Mariya Takeuchi ("Camouflage"), não consigo mais desassociar a música do U2 ("With or Without You") com as cenas do Kimura e chorei pra caramba no final.

  • Jimbee: Foi também em 1998, na mesma época que "Nemureru Mori" passou. Só que, se a novela do Kimura passava às quintas, esta novela com o Masakazu Tamura (já está na casa dos cinquenta e vive fazendo papel de pai de família ou o investigador Ninzamburo Furuhata) passava às segundas. Cheguei a comprar o mangá do mesmo nome, do autor Mitsuru Adachi e o single da música-tema que eu esqueci o nome.

  • Mahou no Joken: Foi no ano seguinte, também passava às quintas. Era com a Nanako Matsushima e Hideaki Takizawa (o Tackey da dupla Tackey e Tsubasa). O enredo era o romance proibido entre professora e aluno. Tipo "Lolita" às avessas. No antigo trabalho, essa novela era assunto obrigatório no horário de almoço. E a música "First Love", da Hikaru Utada, a gente vivia cantando nos karaokes...

  • Food Fight: Eu já tinha juntado a minha escova de dentes com namorido kinguio quando essa novela passou numa quinta (eu acho), não lembro a emissora, mas foi uma das novelas que peguei passando do meio pro final. Por causa desta novela, kinguio quem comprou o single do SMAP - "Lion Heart" (que era música de encerramento da novela).

  • Mukoudomo 2003: Novela que peguei para assistir DEPOIS que acabou e saiu em DVD. Era a época que eu já estava trabalhando em Tóquio. Só pra resumir, é a história de um cantor pop (interpretado por Tomoya Nagase) que, querendo uma vida normal, acaba conhecendo acidentalmente uma bibliotecária que se apaixona por ela e não pode saber que ele é famoso. "Mukoudomo" em japonês, significa que o cara acaba mais fazendo parte da família da mocinha. Vale a pena rir com Nagase, que, em "trajes civis" (leia-se moletom cor-de-rosa, faixa no cabelo e óculos estilo Lennon) vira um rapaz totalmente atrapalhado.

  • Koi ga shitai, Koi ga shitai, Koi ga shitai: Comprei o single antes de assistir a novela (cujo resto do enredo fui assistir em DVD), que era "gravações perdidas" dos Carpenters ("Leave Yesterday Behind" e "Rainbow Connection"). A novela é sobre seis pessoas que nunca se viram na vida e acabam se encontrando num restaurante de donburi de um senhor que acaba sendo a ligação entre os seis. Destaque para Miho Kanno, Michihiro Oikawa e George Tokoro.

  • Yoiko no Mikata - Shinmaihoikushi Monogatari: Acho que foi a última novela que acompanhei e tinha como protagonista o Sho Sakurai (do ARASHI) no papel de professor de jardim-da-infância, da época que ele nem vinte aninhos tinha, mas tinha era o cabelo pintado de marrom claro. Participações especiais no decorrer da trama, os companheiros de Sakurai: Satoshi Ohno, Masaki Aiba e Jun Matsumoto (Kazunari Ninomiya, devido na mesma época estar fazendo novela em outra emissora, estava com a agenda lotada).

Depois disso, não consegui acompanhar novela mercadoria nenhuma. Se eu conseguia, chegava no meio, por algum motivo, eu parava de acompanhar. Depois ficava sem saber o que aconteceu no final, quem ficou com quem... Depois corre pra locadora e vê se saiu em DVD. As novelas de três anos pra cá, se eu tiver paciência eu volto.

E, devido ao meu dia de folga ser numa quinta-feira, recentemente estou assistindo a "Ninkyo Helper". Imaginem um grupo de mafiosos de várias atividades serem destinados a mando do próprio líder do kumiai para trabalhar num... centro de atendimento para cuidarem de idosos!! Bom, como é novela, enredo aqui, enredo ali, ninguém precisa saber se foi caso verídico, mas existem novelas que a interpretação fica tão convincente que parece que a cena é real.


O que não dá pra engolir, mas como novela é novela, a gente tenta digerir: alguém imaginaria o Takuya Kimura como Premiê ("Change"), o Tsuyoshi Kusanagi como mafioso que vai trabalhar num asilo ("Ninkyo Helper") e Sho Sakurai como professor de jardim de infância ("Yoiko no Mikata")?!

7 comments:

  1. This comment has been removed by the author.

    ReplyDelete
  2. Tá...vc esqueceu de tds os doramas que eu gostei...e acho que fez de propósito.Ah, não era mahou e sim majyou no jouken [ 魔女の条件 ]

    Mas os meus prediletos vc naum listou....

    *オヤジぃ - Oyajii 2000
    *Strawberry on the Shortcake/2001
    *Kimi wa petto/2003
    *バンビ~ノ-bambino /2007
    *空飛ぶドクター sora tobu dokuta/2007

    adivinha o que eles tem em comum...hahahaha!

    ReplyDelete
  3. Bom, eu ia saber? ahahahah
    "Kimi wa petto" saiu na mesma época que "Yoiko no mikata". E "Bambino" foi tido como uma das melhores novelas da temporada.

    O que tem em comum, eu sei...

    ReplyDelete
  4. Bem eu não entendo nada das novelas dai, um dia a Luria me passou o link e eu vi um trecho de um capitulo, mas eu axo q como a cultura é outra eu axei akilo mto sem nexo hahahaha.....

    Mas enfim axo q é questão de costume, anos atrás quando comecei com os animes tb estranhei, hj amo hahaha

    Boa segundaaaa

    Miquilissss
    bru

    ReplyDelete
  5. Outro dia teve matéria num jOrnal da tarde sobre os doramas japas. Tem muuuuita gente muuuito fã, os paga-pau de japas na minha opinião rs...eu já gosto de seriados americanos, viciei e não consigo assistir outra coisa, nem tenho tempo de assistir aos meus qdo quero rs... Mas esse cara da foto parece meu ex-chefe de linha ahahahaha.. japa é tudo meio igual qdo tenta ficar estiloso rs...

    Kisu!

    ReplyDelete
  6. Ahhh... Majyou no Jouken foi meu primeiro dorama e paixão a primeira vista pelo Tackey!!! Agora até larguei ele um pouquinho de lado pelo Osamu Mukai, mas op primeiro amor a gente nunca esquece, né?

    Agora estou acompanhando Koishite Akuma e esta semana começa Orthros no Inu com o tackey!!! |o|

    beijos

    ReplyDelete
  7. Bru e Qui, o lado ruim de qualquer novela, sitcom, whatever, é quando se pega no meio do caminho. Nem eu entenderia.

    Bah, seu ex-chefe parecia com o Takuya Kimura???? Não duvido, pois pra quem teve um que parecia com o Yuji Oda, eu acredito em tudo. PS: Eu também gosto dos seriados do "estrangeiro", se bem que os últimos que assisti picado foram "Friends" e "Ally McBeal".

    Gesiane, então prepara a pipoca que o Tackey está por cima da carne seca, se é que entendeu. Uhu!

    Beijos a todas e todos.

    ReplyDelete