Tuesday, June 30, 2009

Retrospectiva Metade do Ano 2009 - Parte 1

Ou: tudo que você queria esquecer mas não tem como não lembrar

Janeiro: Ano novo, tudo velho. Não se falava em outra coisa a não ser crise, crise, crise. Virem o disco, a vida continua e de braços cruzados nada se produz. A nova ortografia no Brasil só veio pra complicar. Linguiça, preguiça, pinguim ficam sem trema. Aqueles dois pontos horizontais em cima da letra "u". Sem falar acentuação, hífen... A gente leva mais de quinze anos de vida escolar aprendendo a ortografia, pra depois tudo cair por terra. Ekiden passou perto de minha casa e novamente não fui acompanhar ao vivo e ter a chance de dar um tchauzinho pra mamãe na frente das câmeras... Visita em casa e fui com ela bater perna em Tóquio, agradecer pelo ano que passou e rezar para que o novo ano melhore. E muito. Só que nem com exorcismo fez ressuscitar meu velho PC que foi desta pra melhor. Resultado: fiquei 15 dias desconectada.

Fevereiro: Batendo perna em Tóquio, peguei uma oferta-relâmpago em uma hipermegastore de eletrônicos em Akihabara. Sim, comprei um novo PC e depois vendi o velho. Não pagaram aquela fortuna, mas melhor do que eu pagar pra ter que jogar fora. Ao menos fará um nerd feliz. Mas a doninha aqui é alérgica master ao kafunshoo e foi inevitável que este ano novamente fiquei com os olhos coçando, espirrando para caramba e o nariz mais vermelho que o do Rodolfo, a rena do nariz vermelho. Tudo bem que o Oscar de melhor filme deste ano foi sobre "Como Ser um Milionário" made in India, mas o que surpreendeu foi o do Melhor Filme Estrangeiro. Cansados de ver tragédia de holocausto, tragédia de Oriente Médio, tragédia de tango argentino, os votantes resolveram escolher um filme onde a tragédia se torna algo onírico e tocante. Não, ainda não assisti "Okuribito" (em inglês, Departures; em português, "A Partida"), mas vou assistí-lo assim que conseguir encontrar uma cópia disponível na locadora.

Março: O famigerado iPhone "de grátis" para todos. Nem tão rápido assim, gafanhoto. Se cancelar antes do término do contrato, tem que pagar. De graça, nem injeção na testa. Aumentei os pontos do meu point-card de uma rede mundial de lojas de CDs, DVDs e livros, detonando minha pobre economia com CDs, algo que fazia muito tempo que eu não fazia. Auxílio de doze mil do governo pra quem tem entre os 18 ao 65 anos? Virou realidade. Eu pensava que excomunhão fosse conversa nas aulas que tive de catecismo nos anos 80, mas depois que soube do caso envolvendo estupro de uma menor, incesto, aborto legalizado, eu acredito. Mas excomunharam as pessoas erradas. E justo no mês em que nós, mulheres, batalhamos incessantemente contra as injustiças do poder machista.

Abril: Gripe suína ou H1N1, ou shin-kata infuruenza, que seja, mas assolou todo o mundo. Aqui, ao menos em Kanagawa, não soube de nenhum surto. Não, seo Leo, não o paciente zero como você apregoa. Ajuda do governo pros desempregados latinos (entenda-se brasileiros...) para voltarem ao país de origem. Mas com a condição de devolver o visto. Só que agora parece que mudou e pode retornar depois de não-lembro-quantos-anos. Tristeza tricolor, Rogério Ceni de molho até outubro. Algo envolvendo um buraco e torção e pinos no tornozelo. Alegria nipônica, o time montado por Tatsunori Hara ganhou o World Baseball Classic e quem foi o astro principal foi o famoso Ichiro Suzuki. E o pessoal apostando no novato Yu Darvish... Quando soube nem eu acreditei: Tsuyoshi Kusanagi (o preferido pelas donas-de-casa, jovens, senhoras em geral) detido na madrugada. Motivo: esvaziou a adega do izakaya e resolveu se refrescar num parque como veio ao mundo. Resultado: comerciais cancelados, programas interrompidos, suspenso por tempo indeterminado e milhares de cartas, e-mails, telefonemas, recados amarrados em pedra para a delegacia criticando a atitude dos policiais, pois não se revista casa sem mandado judicial, além do mais Kusanagi estava sozinho, quem foi que viu?! Parece que... ninguém, oras!!!

Maio: Juri popular para julgamento de crimes hediondos. Talvez seria uma forma mais humana de se julgar um acusado. Vamos ver se funciona. Yokohama e as comemorações do sesquicentenario (tá bom: 150 anos) da abertura dos portos para o exterior. A aranha gigante construída para o evento não a vi caminhar pelas ruas. Neste mês só fui pro Akarenga. O resto me esperem. Liberou geral! Desde o Golden Week o pedágio ficou em 1000 ienes nos finais de semana para quem viaja mais de 100 quilômetros. Menos do que isso, fica até 30% de desconto. Maaaaaaaaaaas, desde que tenha o famigerado aparelhinho ETC, o que gerou congestionamento nas vendas. Volto do Golden Week e no dia que era minha folga, mas tenho aula, todos os trens pararam. Gente se matando? Não. Freios defeituosos. Depois de 35 dias de molho, a mulherada pediu e ele foi perdoado: sim, Kusanagi volta nas telinhas, telonas e revistas novinho em folha. Desde que ele não fique esvaziando a adega, a gente agradece. Hanabi fora de época, cortesia do doido porco-espinho do presidente vitalício da Coréia do Norte.

Junho: A queda do avião da Air France deu no que falar nos quatro cantos do planeta. Como eu diria, pro Brasil virar notícia mundial, ou é no futebol ou é na tragédia. Mas o que abalou o mundo e tudo ficou pro segundo plano, foi a repentina morte de Michael Jackson. No que estava se preparando para "dar a volta por cima"... Eis que agora seu falecimento envolve especulação de inventário, filhos que não são filhos dele, causa mortis e de tudo um pouco. Sei que vão me tacar pedras, mas o cara já faleceu, custa deixá-lo em paz? Tão simples: falar que morreu de parada cardio-respiratória devido abuso de remédios e colocar uma pedra no assunto. E pronto. Mas não...

Se a autora sobreviver e o seu PC novo também, em dezembro vai haver a parte 2...

Monday, June 29, 2009

Pausa pros Comerciais - Parte 2

Eu sei que hoje estou meio sem imaginação pra escrever algo que preste, ainda mais que tem muito assunto que já ficou muito batido, vamos deixar aqueles que foram descansarem em paz, se é que me entendem. Estou tentando se eu consigo este ano ao menos postar quase diariamente. Mas desde que tenha assunto que preste e de grande interesse, sei lá...

Até onde sei, blog bom é blog que tenha informação, assunto aleatório de grande valia, se possível de utilidade pública. Mesmo camuflado sob forma de desabafo ou "caso de vida real". Certo que, quem mora no exterior, tem a vontade imensa de divulgar o que existe, o que difere, o que iguala com nossa cultura, desde a comida até os hábitos.

Foi-se o tempo que os primeiros blogs surgiram em forma de "diário pessoal pra todo mundo ler e compartilhar". Com o passar dos kbytes, passaram a ser uma forma de comunicação, interação e divulgação de novidades, eventos e uma forma de utilidade pública.

Existem músicos, quadrinhistas e cronistas que ficam famosos divulgando seus artigos via blog. Claro que existem artigos muito bons e muito ruins. Mas a frequência e preferência vai de cada um. Só que o contador de visitas, bem, eu acho meio furado, pois se o próprio autor tem que entrar no próprio blog pra ler/responder/recusar os comentários, como ficamos?

Só respondendo neste texto os comentários recentes. Pelo jeito, junho ganhei gente nova e gente "das antigas" resolveu comentar ah ah ah ah...

- Bru e Qui do sítio cultural "Farofa de Batata", gosto dos seus textos, é uma riqueza incontável sobre os costumes, cultura, viagem pela Europa Ocidental e Oriental. Pra todo mundo ver que nem só de Inglaterra, Espanha e Itália vive a Europa. Quer viajar? Consulte este blog que a gente recomenda!

- Os já citados Leosan, do "Room Zero" e dona Luria e seo Diogo, do "Luria & Diogo no Japão", o qual eles já tiveram o prazer de conhecer pessoalmente a leitoa rosada aqui. Os três variam de tudo um pouco, depois quem começa os assuntos aleatórios, desenterra coisas do fundo da tumba do Mumm-Rá, e toma Fanta Uva sou eu. Neste país de fazer doidinhos, rir sempre foi o melhor remédio. Aliás, seo Leo, já disse que Sir Macca tá vivo sim, só que eu tenho minhas dúvidas... Luria, espero que seu pé de couve sobreviva para que possamos fazer uma feijoada...

- Naka, paulistana de São Caetano, do "Oh Vida, Oh Céus, Oh Azar...", adepta de mergulho com tubarões, tem um gato fofissimo (lembra a finada gata da minha sogra) e não sossega enquanto eu não respondo sobre minha malfadada e vexaminosa queda da moto parada. Naka, o dia que eu estiver de volta, eu descolo uns imãs de geladeira pra sua coleção, serve?

- Bah, jurava que fosse de Santa Catarina, pelos relatos pós-volta. Sim, ela veio até o arquipélago, aguentou até onde a paciência tem limites. Sim, porque aqui, apesar das facilidades, é uma barra. E pensam que ao retornar a terrinha ela ficou parada? Já descolou um trabalho, que pode não ser aqueeeeeeeeeeeeela maravilha, mas ao menos não ficará mais apertando porcas e parafusos. Bah, juro, eu queria ter um terço da coragem que você teve, decidiu e em três tempos já estava em terra brasilis e com um bonus: trabalho, algo que muita gente que conheço não está conseguindo.

Como eu disse, existem blogs e blogs que se a gente comenta em um, nosso sítio vai propagando e ganhando audiência...

Sunday, June 28, 2009

Toupeirices, Tosqueiras e Assunto pra conversa de botequim

Ou: Explicando as "Trinta e Nove Fatos Sobre Mim"

Quem leu esse texto mencionado, deve ter causado inúmeras reações, desde "eu não acredito" até rachado o bico de tanto rir. Bom, existem alguns fatos que eu precisaria explicar, pois recebi mensagens na caixa de comentários solicitando algumas explicações, como....

1. Por que chama seu namorido, cara-metade, companheiro, whatever, de "kinguio"? Como nunca postei uma foto do meu kinguio encantado, fica difícil explicar, mas quem já viu aquele peixinho ornamental de aquario ( claro, onde poderia ser mais?), o tal do peixinho dourado, que, em japonês mais conhecido como kingyo, sabe que a característica principal desses peixinhos são... os olhos saltados. Acho que agora expliquei tudo.

2. Você é formada em programação? Sim, e na Universidade Estadual Paulista. Agora não venham ficar me perguntando porque cargas d'água eu resolvi largar tudo e vir parar aqui no Japão.

3. Qual a desvantagem de ser filha única e do meio? Quem for filho(a) do meio vai entender o motivo porque tem tanta gente meio destrambelhada. No meu caso, além de eu ser a do meio, sou filha única mulher. A vantagem é que não teria uma irmã mais nova pra ficar pedindo emprestado roupa, maquiagem, sapato e namorado. A desvantagem é que existem certas coisas que eu precisaria falar com uma irmã mais nova ou mais velha, mas eu tenho dois irmãos e tem certas coisas que eu não posso falar com eles, se é que me entendem. E outra desvantagem de ser filha do meio é que se eu brigasse com o irmão mais velho, eu levava bronca porque o mais velho tem razão. Se eu brigasse com o irmão caçula, eu levava bronca porque era novinho, bobinho, não sabia de nada...

4. Afinal, qual a verdadeira cor do seu cabelo? Preto. Da cor da asa de corvo. Quando entrei na casa dos trinta, de repente a contigência de cabelos brancos aumentou vertiginosamente. Pra não passar mais vergonha ainda, eu resolvi pintar o cabelo mas de castanho médio. Sim, já fiquei quase loira mas foi devido ao tempo da tintura ter ficado além do tempo regulamentado.

5. Agora uma pergunta que não se cala : como conseguiu cair da moto parada??? Se eu contar, ninguém vai acreditar mesmo, mas vamolá: um ano depois de eu ter tirado minha habilitação, um belo dia após uma chuva de verão, a lesada aqui resolveu naquele dia ir no colégio onde terminei o Magistério buscar um documento para a faculdade. Sabe aquela história de que "tanto dia pra ir e teve que ir num dia que tinha chovido"? Mas quem me conhece, sabe que eu dificilmente deixo pra amanhã. Bem, fui eu até o colégio, de moto, tomando cuidado pra não derrapar na rua de paralelepípedos que tem (ou tinha, sei lá) na cidade, pois quando chove, parece uma pista de patinação de tão liso que fica. Depois que passa a chuva, então...

Eis que chego numa rua onde a preferencial era de quem subia a rua e eu teria que parar. Até aí tudo bem, se não fosse na hora que brequei a moto e na hora de apoiar o pé no chão, o mesmo estava escorregadio devido a chuva, meu pé derrapou e estatelei-me no meio da rua, a moto parada em cima de mim. Não me machuquei, felizmente, mas numa dessas saí queimada. Não, o escapamento não queimou minha perna, mesmo porque caí do meu lado esquerdo e o escapamento da 125 ficava do lado direito. Quando disse que saí queimada, é que justo naquela hora tinha uns conhecidos do colégio que estavam na esquina da rua (tinha ou tem um bar muito frequentado por nós e verão sabe como é...) tiveram o prazer de presenciar a cena e virei assunto na roda de boteco por algumas semanas.

Quando conto essa história, ninguém acredita que na minha pós-adolescência dirigi moto por sete anos. Mesmo porque não tenho queimaduras na perna devido ao escapamento, nem cicatrizes de queda de moto. Bom, eu falei que levei dois tombos durante esse período, mas o episódio da queda com a moto parada na esquina, essa foi de doer. O orgulho...

Observação: quem mais me perguntou sobre a história da queda com a moto parada foi a Naka, do blog "Oh, Ceus, Oh Vida, Oh Azar..." (aproveitando o merchã, visita o blog dela que vale a pena rir também).

Friday, June 26, 2009

O Rei do Pop está Morto, Viva Michael Jackson

Eu sei que nessas horas vai ser notícia batida, mas não dá é pra passar em branco.

Hoje, pela manhã (daqui do Japão mesmo), assistindo ao noticiário matinal que costumo assistir (leia-se "Mezamashi Seven", da Fuji TV), notícia de que Michael Jackson tinha sido hospitalizado às pressas no Hospital Universitário de Los Angeles. Bom, até aquela hora eu pensei: "ah, mas deve ser algo como estresse ou passado mal", afinal, voltar aos palcos depois de muuuuuuuuuito tempo, até o mais experiente dos cantores, ficaria com crise de ansiedade.

Eis que estou eu, dentro da lata de sardinha, mais conhecido como a linha Tokaido da JR indo pro trabalho (hoje entrei mais cedo devido à escala ), tentando ver o noticiário via TV do meu celular, no "Tokudane Times", a notícia.

Apesar dos altos e baixos, é inegável que Michael Jackson pode ser chamado o "Rei do Pop". Só ele mesmo conseguia fazer o moonwalker, tinha um modo único de dançar, de cantar. Tá, eu admito que eu gosto da época até "Thriller" (1982), mas há de convir que depois do hipersupermegamaster sucesso, nada, inclusive ele, foi o mesmo.

Polêmicas à parte a respeito de gostar (de modo nada convencional) de crianças, de ter mudado de côr (uns dizem que era vitiligo, outros dizem que ele fez clareamento de pele, vai saber), de ter um comportamento nada normal, um ponto temos que concordar: dificilmente agora, vai surgir alguém que possa fazer mais sucesso como ele fez. Repetir o feito de "Thriller", por exemplo.

Seja como for, agora Michael Jackson entrou no grupo seleto de astros que mesmo post mortem ainda vai ser lembrado, como Elvis Presley, John Lennon e Freddie Mercury.

Alguns PV para serem lembrados além de "Thriller":

- "Can You Feel It", junto com os irmãos do Jackson Five: Estou tentando me lembrar que ano foi que eu ouvi a primeira vez, mas era do tempo em que na Rede Cultura passava o programa de sábado a noite o "Som Pop", e como não dispunhávamos de video-cassete, eu e meu irmão mais velho pegávamos o gravador, conectavamos na saída do som e gravávamos várias pérolas dos anos 80. Foi num desses sábados que gravamos essa música ainda no tempo que Michael fazia parte do quinteto formado por seus irmãos. PV meio tosco, mas vale a pena.

- "Ben", carreira solo 1972: Acreditem se quiser, e eu também custei a acreditar também que, essa balada era música-tema de um filme de... terror! Quem não se lembra de um filme de terror classe C chamado "Ben, o rato assassino" (que era sequencia de outro filme anterior, "Calafrio"). Isso no que dava quando eu tinha meus doze ou treze anos ficar assistindo filme de terror às quintas a noite. Depois que fiquei sabendo que era Michael Jackson que cantava, até hoje estou custando pra acreditar. Esse vídeo foi gravado no programa de 1973 do casal Sonny & Cher.

- "Don't Stop till You Get Enough", de "Off the Wall" (1979): Os menos avisados, vão lembrar da introdução e o meio do instrumental que era tema do programa "Video Show" na década de 90. Já dava para notar que logo logo Jackson já ia inovar em matéria de dançar e cantar e produzir videoclipes. E isso era o começo...

- "Beat It", do megasucesso "Thriller" (1982): Esse PV foi (in)devidamente comentado por Marcos Mion no extinto programa da MTV "Os Piores Clipes do Mundo", já foi parodiado por Weird Al Yankovic com "Eat It", mas foi uma das primeiras músicas a estourar nas paradas de sucesso nas rádios e na MTV quando estava começando... Esqueçam os mullets dos branquelos e da cara de mau fake dos manos, na gangue, Jackson era o rei.

- "Say Say Say", dupla de dois com Paul McCartney (do album "Pipes of Peace" do Sir Macca, 1983): Se Paul já colaborou com "Girlfriend" ("Off the Wall") e "The Girl is Mine" ("Thriller"), nada mais justo Jackson "dar uma mão", co-compositando com "Say Say Say". O PV é bem divertido, que diria Sir Macca e Jackson fazendo papel de trambiqueiros pra ajudar um orfanato? Dizem que depois desta colaboração, Jackson comprou todos os direitos das músicas dos Beatles no leilão e a amizade meio que azedou...

- "Thriller", o megasucesso do album homônimo (1982): Tá bom, gente, eu não ia postar pra não ficar batido, mas não teve jeito. Não temos como não associar "Thriller" com Michael Jackson e o minifilme que fez enorme sucesso. Dirigido por John Landis, foi o primeiro videoclipe a passar mais de cinco minutos, com história, efeitos especiais e até narração de Vincent Price, um dos atores a interpretar Drácula. Além dos efeitos especiais no início do filme, a dança com os zumbis vale a visita.



Já imitado, mas nunca igualado: até o ex-lutador Bob Sapp quis tirar uma casquinha.

Thursday, June 25, 2009

Semana Fuji Rock Festival 2009: Festival Ecológico

Quem pensar que show de música é só música e o povo depois da festa deixa a bagunça largada, estão completamente enganados!! Como todo mundo sabe, o Japão preza pela limpeza. Raramente se vê lata jogada na rua, totozinho do totó na rua (e quem tem um totó, ao passear, os donos levam uma sacolinha com pazinha e um saquinho pra jogar fora o que o totózinho deixa)... Imagine se num evento como o Fuji Rock Festival os organizadores iriam deixar a estação de esqui de Naeba (província de Niigata) totalmente bagunçada, imunda, e ficarem com a imagem de ecologicamente incorretos.

Desde muito tempo, os organizadores reciclam tudo o que é consumido - as garrafas pet viraram uniformes, o óleo usado virou combustível para iluminação de algumas tendas usadas no show, os hashi são de madeira de árvores reflorestadas. E o CO2 emitido, pra compensar, plantam-se mais árvores.

E até antes de surgir o aparelho celular movido a bateria solar, já o faziam bem antes. Isto é: alguns pontos da estação, montaram locais onde pode-se carregar a bateria do aparelho celular com a energia solar. E um projeto de como gerar energia enquanto o povo anda, pula, dança...

Saiba mais aqui.

(Se o projeto de gerar energia enquanto o povo anda realmente vingar, imagine se implantam esse sistema nas estações de Tokyo, Yokohama e outras maiores? No horário de pico, imaginem o quanto de energia será gerada!!!)

In memorian: Kiyoshiro Imawano no Fuji Rock Festival 2004 com "Ame agari no Yozora ni".

Já que o The Killers cancelou a vinda pra cá, vamos lembrar deles ao menos em Coachella deste ano com "All These Things That I've Done".

Pra relembrar quem veio nos anos anteriores e vai voltar novamente e quem deveria voltar também:

- Franz Ferdinand, em 2006 com "Outsiders".
- Red Hot Chili Peppers, em 2006 com "Give It Away".
- Yo La Tengo, em 2003, com "Tom Courtney".
- Beck, em 2005, com um medley para compensar o show cancelado em 1998.
- The White Stripes, em 2002, com "Hotel Yorba".
- The Cribs, em 2008, com "Men's Needs".

Wednesday, June 24, 2009

Semana Fuji Rock Festival 2009: Novatos e Veteranos


Assim como os citados festivais internacionais como Coachella, Glastonbury e outros menos cotados, o Fuji Rock Festival serve como palco (literalmente) para a apresentação de novas e veteranas bandas, para que satisfaçam todos os gostos. Ou quase, se é que me entendem.

Quem viu o site oficial e o line up das bandas que irão se apresentar, vão reclamar que "falta esse, falta aquele, falta muito". Acho que até a comuna verde-amarela que mora aqui vai falar um monte, mas as melhores bandas indie que temos lá, estão com falta de verba. (Querem dois sites bons de música indie e de qualidade? O Move That Jukebox, que está na barra a esquerda e o Esquema.) E ninguém em sã consciência vai trazer grupo de pagode num show de rock, já é pedir pra receber garrafada no meio do show. Também seria uma boa chance pro pessoal conhecer novas bandas, relembrar dos veteranos e se desestressar um pouco mais.

Certo que virão aqueles que acabaram de lançar material novo (Oasis, Franz Ferdinand, Weezer, Lily Allen), os veteranos (Towa Tei, Patti Smith, Public Enemy, Paul Weller, Neville Brothers, Tokyo Ska Paradise Orchestra), e os que estão começando agora ( White Lies, Peaches, 80kidz...). Sem falar de artistas indie, dance e música eletrônica. Falando em música eletrônica, bem que o FatBoy Slim deveria ter dado uma esticadinha pro Fuji Rock, mas preferiu fazer uma rave em Hakkejima (sim, fica a uma hora de carro da minha casa!!!) no dia 6 de junho e aí ficou. Ou o Chemical Brothers.

Pra dizer a verdade, rock japonês eu não conheço quase nada. Se bem que o Asian Kung-Fu Generation (mezzo emo, mezzo indie) dá pra encarar. Tem o trio Sambomaster, Love Psychedelico... Acho que até o Southern All Stars dava pra participar, afinal, Kuwata consegue levantar o povo, mas como o grupo resolveu tirar férias por prazo indeterminado... Ninguém manda eu ouvir muito j-pop, categoria que não se encaixa neste festival.

Estava vendo melhor o line up das bandas e cantores, o filé mignon ficou no primeiro dia: imagine o Oasis no mesmo dia que o ídolo-mor deles Paul Weller (The Jam), que a Patti Smith (eterna poetisa do punk que não precisava se mutilar pra ter atitude), que a Lily Allen (encrenqueira porém fofa demais). Só faltou a problemática-mas-tem-um-vozeirão Amy Winehouse.

Seja como for, a maioria dos festivais de música costumam trazer grandes surpresas. Quem sabe para engrossar a lista de one-hit wonders ou ganhar seguidores fiéis, mesmo ainda mantendo a linha indie de ser. Exemplo maior é o Sonic Youth, que já veio aqui, mas mesmo com material novo, desconheço ainda se eles virão. E olha que Thurston Moore está inteiraço! Mesmo assim, eles nunca vão deixar de ser uma banda independente.

Pra quem quiser se preparar e conhecer um pouquinho de alguns grupos/cantores para que, na hora de curtir não ficar é caçando mosca no meio da música, lá vai, mas depois não vem perguntando pra mim o que eu andei bebendo enquanto postava, pois pouca gente sabe que eu tenho um lado meio alternativo de vez em quando.

Mas isso não significa que eu ando ouvindo pagode, axé e outras coisas do gênero. Perdoem-me quem gosta, mas como sempre digo e afirmo: gosto é que nem traseiro, então...


Patti Smith - "Because the Night" : Esta apresentação de 1979 no famoso programa de TV inglesa "The Great Old Whistle Test", traz Patti em boa forma. A música apresentada, quem é mais novo deve conhecer através do 10000 Maniacs ou de Bruce Springsteen. Mas, poucos sabem que ela co-escreveu a música com Bruce. Talvez até hoje umas das mais famosas músicas dessa poetisa do submundo punk, que não precisava usar alfinetes no rosto, nem o penteado moicano e roupas esfarrapadas pra ter atitude. Só o vozeirão rouco e suas letras inspiradas em Rimbaud já fizeram história.



Weezer - "Keep Fishin'": Já mencionei que, por mais que Rivers Cuomo admita que o maior choque que causou aos seus pais ripongos foi dizer que iria terminar a faculdade (realmente até bacharelado terminou), use aquele bigodão medonho, já ter feito cover da Lady GaGa, vai ter aquela cara de nerd estereotipado, shoganai ne... Mas este PV, junto com os Muppets (Caco, o sapo, Miss Piggy, Gonzo, Fozzy...), é o mais fofinho que eu já vi. Lembram do "Muppet Show"? Quase todos os personagens estão lá, inclusive a dupla dos velhos cínicos metidos a críticos no final. Tem certeza mesmo que esse grupo ainda continua sendo garage-post-punk-band??? Claro que tem o famoso "Buddy Holly", "Pork and Beans"...


Lily Allen -"The Fear": Ela lançou o primeiro álbum via myspace, afinal ninguém nunca tinha ouvido falar da inglesa Lily Allen, exceto pelo fato de ser filha de um famoso comediante inglês e afilhada do falecido frontman do The Clash, Joe Strummer. Por mais que ela já aprontou poucas e boas, engordou, emagreceu, pagou peitinho pra alegria dos papparazzi, bateu, apanhou, mas agora Lily criou vergonha na cara, faz mais música que aparecer nos tablóides sensacionalistas. Apesar de ser bem pop, ela não é nada boba. E já mandou os ex-namorados passearem... Claro que ela também já fez a famosa cover de "Womanizer" e deixou os executivos da gravadora de cabelos em pé. Na verdade, foi um pedido feito por Mick Ronson (produtor da Amy Winehouse) e ela mandou pra ele. Resultado: Lily mandou um recado pro Ronson dizendo: "obrigada, Ronson, por ter me deixado em maus lençóis com minha gravadora"... Pra ver que ela tem língua pra lá de afiada mesmo...


Franz Ferdinand - "No You Girls"(new version): Quem acompanha este sítio, desnecessário falar mais deste quarteto escocês, que, por mais que tente, eles também vão continuar sendo indie. Pudera, o grupo não faz shows em lugares megagigantescos, os maiores que eles fizeram foram no Fuji Rock Festival 2006, Coachella 2009 e batem ponto no Glastonbury. Do resto, locais pra cerca de dez mil pessoas. Acho que se eles fizerem no Yokohama Arena, quem sabe... Se o primeiro álbum era mais voltado ao rock com direito a PVs inspirados na arte soviética pós-1917, o segundo era mais maduro. Com o terceiro álbum, que dividiu muita gente, pois trazia mistura de música eletrônica, com dub e claro, rock. Seja como for, Kapranos, McCarthy, Thomson e Hardy vão ter que mandar ver no segundo dia do festival, pois, em Coachella, quem mandou escalar eles no mesmo dia que Paul McCartney e Morrissey? O PV apresentado, foi lançado recentemente, parodiando o comercial do iPod Touch (lembram?), e eles mesmos fizeram. Afinal, terem feito faculdade de artes não foi tempo perdido assim, não...


White Lies - "To Lose My Life": Este trio inglês também já bateu ponto em Coachella e agora virá no Fuji Rock Festival no mesmo dia que Oasis, Patti Smith e Paul Weller. Dizem que os três não viajam juntos, mas seria lenda. Ouvi esta banda pela primeira vez, acreditem, voltando de carro de Narita e, cansada de ouvir os mesmos CDs numa viagem de quase quatro horas, não pensei duas vezes e sintonizei a rádio e tinha um especial com esta banda. Não lembro se foi a Nack5 ou Tokyo FM, mas que depois fui correr atrás da banda...


Perdão pelo post enorme, mas se eu fosse colocar mais gente, ninguém ia ter paciência de ler, mas se não retiraram os vídeos, cliquem onde estão de outra cor e conheçam melhor as músicas para não fazerem feio...

Tuesday, June 23, 2009

Semana Fuji Rock Festival 2009: Por que em Niigata?


Kiyomi promete, Kiyomi tenta cumprir. No post do dia 7 de junho, eu estou tentando cumprir a promessa do mês das semanas especiais. Só meio que cambaleei na semana do idolatrado, vitaminado, inteiraço Paul McCartney, mas vamos lá...

Eu estou tentando postar sobre o evento que anualmente, desde 1999 existe no Japão, o Fuji Rock Festival. Outrora para fazer frente como Coachella, Glastonbury, agora será com consciência ecologicamente correta. Diferentemente de muitos festivais dos tempos em que nem eu era nascida ainda, que era na base "paz, amor e muita erva", hoje os festivais prezam pela preservação da natureza, reciclagem, e, bem, ainda no "paz, amor e muita erva", se é que me entendem.

O primeiro evento, feito nos ultimos dias de julho de 1997, no sopé do Monte Fuji, foi um perfeito "Lei de Murphy": o que é pra dar errado, deu. Eram para ser dois dias de show, mas bem no meio do show do Red Hot Chili Peppers, veio um tufão e o segundo dia, que teria o Chemical Brothers, Beck e Shonen Knife, foi cancelado.

Pra não correrem riscos, no ano seguinte, fizeram em Odaiba (Tokyo), no qual quem não deu pra fazer no festival de estréia, fez em 1998, mais Sonic Youth, Bjork, Tomoyasu Hotei, Kiyoshiro Imawano e Nick Cave and the Seeds. Poderiam fazer todos os anos em Odaiba mesmo, mas sabe quando o público foi maior que o esperado e o lugar não comporta?

No terceiro ano, toca todo mundo pra estação de esqui em Naeba, Niigata. Já que no verão ninguém vai pra esquiar, porque não fazer o evento lá? E ainda: o lugar é enoooooooooorme. Eis que ano vai ano vem, aumenta-se o número de participantes e artistas, por isso ficaram a partir de 2000, três dias de festival, com vários palcos para todos os gostos, colocando o Fuji Rock Festival na lista de shows internacionais . Geralmente, o Green Stage, é reservado para estrelas de grande porte. De nível internacional, óbvio, mas grupos locais como Love Psychedelico, Iwamano, the High-Lows, Char, já fizeram show lá.

Este ano, esperam-se mais de 150 mil pessoas nos três dias de julho. No mesmo lugar, Naeba Ski Resort, província de Niigata. Pra quem chegar na estação de Niigata e não saber como ir, não se preocupem: vai ter onibus na faixa pra chegar no evento logo cedinho. Claro, começa as onze da matina e vai até onze da noite, afinal, ninguém vai ser de ferro.

Lista dos artistas que irão fazer a festa está aqui!

Mas, como nem tudo é perfeito, quando saiu a lista do festival, o músico Kiyoshiro Iwamano, que sempre "batia ponto" no Fuji Rock Festival, faleceu em maio após uma batalha contra o cancer que vinha tratando desde o ano passado, por isso que naquele ano não pôde comparecer. Mas os músicos da banda que o acompanhava, farão um show tributo.

Não se assustem com o visual, Iwamano foi um dos rockers de respeito no Japão.

Outra baixa, mas não foi falecimento, tragédia ou algo semelhante: o grupo de Las Vegas, The Killers, cancelou a apresentação devido a "compromissos de ultima hora". Sei. Corriam boatos que Brandon Flowers e seus amigos estavam com tantos shows marcados, e estressados, que daqui a pouco, se abrissem um "a", capaz de sair na porrada. Mas também: encararam Coachella, final de junho Glastonbury e fora shows aqui e acolá, dá pra entender porque até os Beatles, no auge, resolveram parar tudo e se trancarem no estúdio...



Pô, Brandon (o segundo da direita pra esquerda), só porque vai ser depois do Glasto, vai deixar os fãs daqui na mão? Espera-se que venham mesmo fazer um show a parte aqui, senão ninguém mais vai... (ou será que depois que viram a lista de quem vai - Oasis, Franz, Weezer, Patti Smith, Fall Out Boy, Lily Allen, White Lies, Public Enemy... - resolveram deixar pr'eles fazerem o trabalhinho?)

PS: Quem me informou que o The Killers cancelou de última hora, foi a dona Luria.

PS2: Antes que me perguntem se eu vou, a resposta vai ser n-a-o-til. Não consegui ingresso e nem me atrevo a arriscar a ir até Niigata pra não encontrar ingresso na entrada antes do show. Imagine se nos dias em que a trinca Oasis-Franz Ferdinand-Weezer fará show já não vai estar tudo esgotado...

Monday, June 22, 2009

Salve o Tricolor...

Tudo bem, depois de várias vitórias no Brasileirão, mas quatro vezes seguidas derrotado na Libertadores (mais uma vez, neca de vir disputar a final no Japão...), diria que Muricy Ramalho fará história no São Paulo Futebol Clube. Acho que vai ser conhecido como o "técnico mais ranzinza, teimoso e estourado" que o clube já teve.

Bom, que seja. Esperamos que o Ricardo Gomes faça a coisa certa e agora coloque o Tricolor nos eixos. E também aguardando a volta de Rogério Ceni depois do molho nada merecido.

--------------------------------------------------------

Semana: Fuji Rock 2009: Bem, amigos e amigas leitores deste sítio. Julho está chegando e com ele os festivais e concertos musicais para todas as tribos daqui do Japão. O que dificilmente agora virá seria algum grupo (decente) do Brasil (bom, este mês viria ou vem ou já veio, sei lá, era o CSS). Começando com o famoso Fuji Rock, que na verdade desde 2000 por aí, está sendo feito na estação de esqui de Naeba (Niigata), depois que um taifu quase acabou com o espetáculo de muita gente. Nos dias 24, 25 e 26 de Julho, ao invés do povo ir esquiar, vai é fazer um mosh e acampar. Debaixo de muita música de novatos e veteranos, bandas locais e estrangeiras. Seria o Coachella japonês?
Falando em futebol: pra quem não sabe, os dois irmãos mais encrenqueiros e encrencados do mundo rock, Noel e Liam Gallagher (Oasis) são de Manchester. Se vocês disseram que os dois torcem pro Manchester United, erraram. Eles torcem pro primo pobre, o Manchester City. Bem, tratando dos irmãos Gallagher, esperavam o quê?
Eis que no dia 24 de julho (sexta-feira), o grupo mais amado/odiado do planeta virá abrir a semana da Fuji Rock. Esperamos que o som não falhe, não joguem nada no Liam, e não despenque chuva, pois depois do que aconteceram nos shows de Sampa e Manchester...
Relembre o grupo Oasis com os PV "Whatever" (quem assiste muito TV, é música de comercial de cerveja), "Wonderwall" (favor não confundir com a música homonima do saudoso George Harrison) e "D'you Know What I Mean" (dois nomes de músicas dos Beatles escondidas no meio da letra, descubram).

Quem tem medo dos irmãos Gallagher? Se nem eles mesmos não se aguentam...

Saturday, June 20, 2009

A Saga Continua...

Não sou aficcionada em games como meus irmãos, apesar de eu ter tentado passar nem-lembro-a-fase no Super Mario RPG e volta e meia tento dar um de "Snoopyiana Jones" no game que acabei por downloadar no meu celular (calma, tenho plano de seguro-internet), mas acabo parando no meio devido combo tempo+bateria acabando, mas confesso que alguns jogos acabam sendo interessantes e acho que valeria a pena eu tentar.

Como o citado Super Mario mas desde que eu compre o tradicional, pois o RPG além de ser muito difícil bagaraí, tinha que jogar com quatro personagens ao mesmo tempo (Mario, Luigi, Baby Mario e Baby Luigi), aí não era console que aguentasse (pois é, recentemente o meu foi desta pra melhor e comprar um novo, só depois do meu aniversário).

Temos os de memória, como falar inglês, escrever em kanji...

Agora, o sonho de muita gente querer o Dragon Quest (o Fly, quem lembra?) ou Zelda pra jogar no portátil Nintendo DS, vai se realizar logo logo. Só que meus irmãos, Playstationeiros assumidos, vão chiar porque não tem Dragon Quest IX em PS3 (isso porque eles jogam mais o Final Fantasy da vida).



O making of do comercial para o lançamento da saga de Fly e o comercial em si aos 1:09 do vídeo.

Mas, se eu tivesse um Nintendo Wii, com certeza eu iria comprar esse game abaixo.



... que com certeza acho que o controle remoto iria voar direto pela janela e risco de cair no andar de baixo tamanho seria a empolgação de poder tocar como os Beatles...

Paul McCartney e Ringo Starr no evento divulgando o pré-lançamento de "The Beatles Rock Band"

No game disponibilizaram como controle remoto as guitarras de John ( a famosa Rickenbacker) e do George (Gretsch Country Gentleman). Só que, cadê o baixo Hofner do Paul e a bateria Ludwig do Ringo?

Friday, June 19, 2009

[Discoteca Básica do Empório]: "Paul McCartney - All the Best!" (1987)



Semana Especial: "Paul is (a)live"

Apesar que depois desta coletânea, foram mais álbuns, uns mais fracos, outros melhores. Mas se tratando de Paul McCartney, bem... Fica difícil dizer algo a respeito pelo fato de eu ser beatlemaníaca, mas como mensalmente mantenho a seção "Discoteca Básica", e ontem foi aniversário do Sir Macca, vamos lá...

"All The Best", lançado em 1987, compreende a fase pós-Beatles, quando Paul resolveu seguir carreira solo. Quem não se lembra do primeiro álbum "McCartney" de 1970, com uma mesa com cerejas (até hoje não entendi o significado, mas se tratando de Beatles e muitos outros dos anos 60, vai saber)? De 1970 a 1986, o "best of..." do Paul, foi montado não por escolha do próprio, mas através de pesquisa de mercado. Acreditem, se quiserem.

Quando se trata de pesquisa de mercado (neste caso entende-se enviar um questionário pra uma leva de gente responder e mandar de volta), pode escrever embaixo: sempre vai ter o mais comum, já batido e que todo mundo conhece. Mas, como qualquer "best of" ficam aquelas que o pessoal conhece, canta de trás pra frente até, mas sempre vai ter gente reclamando: "pqp, faltou aquela, faltou essa" e por aí vai.

Vamos lá que a fila anda.

Bom, esse álbum (duplo se for no vinil, simples e faltando mais do que faltou na pesquisa, em CD), traz as 20 melhores músicas do Sir Macca (17 se for no CD). Trata-se na verdade da segunda coletânea oficial ( a primeira foi "Wings Greatest", mas de 1978). E mistura entre a carreira solo e o projeto-paralelo-mas-nem-tanto Wings, banda que formou em 1972 e durou até 1980 (quando Paul ficou nove dias na geladeira em Meguro por ter trazido quase 300 gramas da erva que passarinho não fuma escondida na bagagem).

No CD, lamentavelmente faltaram "Maybe I'm Amazed" (1973), "Goodnight Tonight" (1978) e "With a Little Luck" (1979). Mas, as indefectíveis, que até em show viraram obrigatórias senão o pessoal invade o palco, como "My Love", "Jet", "Band on the Run", "Silly Love Songs", estão na coletânea, não se preocupem. Isso porque o "best of" tem mais músicas do Macca do tempo em que ele ostentava aqueles mullets e frontman do Wings do que da própria fase solo.

"Another Day", lançada em single logo após o término da fase Beatles, é uma estorinha bem pessimista de uma mulher cansada da rotina de secretária e quer encontrar seu principe encantado, mas no dia seguinte volta tudo de novo. Mas a otimista "With a Little Luck" (não inclusa na versão CD) quebra o gelo. "No More Lonely Nights", que era do filme "Give My Regards to Broad Street", fez mais sucesso que o filme. O PV (promotion video) é melhor que o filme, isso eu dou o braço a torcer.

"Live and Let Die", de 1973, quase ganhou o Oscar de melhor canção devido ao filme de nome igual da série "007". Esqueçam as versões posteriores do Guns and Roses e da Duffy, o original é melhor. Falando em filme, "We All Stand Together" fez parte de uma animação britânica da série "Rupert". Paul só aparece bem no comecinho do PV. "Once Upon a Long Ago", somente em compacto e inédita, o PV também é animação, mas desconheço se era material promocional de um desenho animado (somente na Inglaterra).

"Let 'Em In", quem souber muito bem a vida de Paul, as pessoas que ele menciona na música, explica-se: Sister Suzie, era o pseudonimo de Linda McCartney numa banda paralela chamada "Suzie and The Red Stripes"; "Brother John" era John Lennon (ou alguns diziam que era o irmão de Linda); Martin Luther, era Martin Luther King; Phil and Don, eram os Everly Brothers; "Brother Michael, Auntie Gin, Uncle Ian" eram, respectivamente, o irmão caçula de Paul, tia e tio deles. "Uncle Ernie" era o personagem que o ex-baterista do The Who fazia no filme "Tommy".

Como "ninguém é perfeito", pode ser que em 1983 a parceria com Michael Jackson parecia ser um bom negócio, mas logo depois Wacko Jacko passou a mão nos direitos autorais dos Beatles, e até uma certa época, se Paul, Ringo e George cantassem alguma música dos Beatles, tinham que pagar pro Jackson. Bom, como eles não eram bobos nem nada, nos shows, eles evitavam o máximo que pudessem para não cantá-las. Isso porque eles tinham material solo muito farto.

Que faltou uma música ou outra? Com certeza. Achei estranho que, quando comprei a versão em CD (eu tenho o vinil original, com fotos, letras ...), estava faltando música. Que foi sacanagem das grossas terem excluido "Maybe I'm Amazed", ah isso foi...
Nota 1: o CD que falta música, era a versão americana que a lesada autora comprou sem saber. Eu tenho a versão em vinil devidamente guardada na casa dos meus pais (isso se não empenou com o tempo).
Nota 2: quando o álbum foi lançado, o comercial trazia Paul tentando encontrar as guitarras e dentro da case saíam algumas figuras que ilustram a capa e verso do álbum (em vinil), que por sinal, ilustravam os títulos das músicas.

Wednesday, June 17, 2009

Love Love Love

Bichinhos de Jardim, por Clara Gomes.

Feliz Aniversário, kinguio!

--------------------------------------------------
Semana: "Paul is (a)live": Continuando a semana (meio quebrada, pois eu também sou gente de carne, osso e alma), vamos lá: sabiam que Paul teve duas músicas censuradas nos anos 70? Pra quem achava que ele fazia somente "silly love songs", quando a BBC passou a tesoura nas músicas, acho que nem eles acreditaram. "Give Ireland back to Irish" de 1973, canção-protesto sobre o "Domingo Sangrento" na Irlanda do Norte, os censores acharam "forte e de cunho político demais". Oras, se até Lennon fazia canção de protesto e, bem...
A outra música "Hi, Hi, Hi", de 1974, além de obscena, fazia menção a drogas. Acho que mais implicaram com o teor sacana de Sir Macca, pois "polygon" (tipo de estimulante) era "body gun" ao ser cantada, mas sabe a história de virunduns? Mas os censores não gostaram e também passaram a tesoura.
Se bem que, diante de tanto lixo que a gente escuta por aí, falar que vai fazer como os coelhos fazem, isso não seria nada...
PS: O vídeo postado é dos anos 70, durante a excursão americana que Paul McCartney fez na época que tinha outra banda, o Wings, sua esposa Linda ainda era viva e ... bem, desconsiderem os mullets, afinal, nem tudo é perfeito...

Tuesday, June 16, 2009

Feliz Aniversário!!!

Hoje, dia 17 de junho, meu namorido kinguio, aquele que me aguenta há dez anos, faz aniversário. Sei que ele sempre fala pra mim que, "passou de uma certa idade a gente não faz mais aniversário". Mas ficar sem lembrar nem pensar né?

Hoje, na semana dedicada ao Sir Macca, ops, Sir Paul McCartney, eu também dedico uma pequena homenagem àquele que me atura, que tem paciência e sempre otimista nas horas de trevas. Pequena, mas de coração.


Teoria da Conspiração ou Piada Mesmo?

Ou: A (Velha e Batidíssima ) História da "Morte" de Paul McCartney.

Desde 1966, depois que os Beatles resolveram "passar a régua" na escala de shows e dedicarem-se mais no estúdio, começaram os boatos, mas o mais famoso deles é a história de que Paul McCartney, o baixista canhoto do grupo, teria morrido num acidente de carro e quem estaria no lugar dele até hoje, seria um sósia escolhido em um concurso, chamado Willian Campbell, no qual fez uma plástica e a cicatriz que tem no lábio superior seria uma falha na cirurgia.

Ok, ok. A coisa foi tão bem-feita que, pra aumentarem mais as evidências que Paul foi desta pra melhor, desde o álbum "Revolver" (1966), na qual a capa do álbum era desenhada e uma montagem de fotos, pois o sósia não tinha sido escolhido ainda. Aí por diante começa-se uma lista de "pistas" que evidenciam que Paul foi desta pra melhor:

1. "Strawberry Fields Forever": no final da música ouve-se "I buried Paul", mas John Lennon alegava que era "Cramberry Sauce". Bom, vindo por parte de Lennon, a gente fica na dúvida mesmo...
2. O disco inteirinho de "Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band" (1967) já começa pela capa, que muita gente desocupada resolveu escarafunchar e dar inúmeras pistas da "morte" de Paul: o arranjo de flores, o baixo "escrito" "Paul D" ("Paul D(ead)"), o ar fúnebre dos quatro (em cera, que fica no lado esquerdo da capa), na contracapa, Paul está de costas...
3. Em "Magical Mystery Tour" (1967), no filme, na qual os quatro cantam e dançam "Your Mother Should Know", Paul estava com um cravo preto na lapela (enquanto os outros eram vermelhos).

4. No álbum "The Beatles" (a.k.a. "Album Branco"), na música "Glass Onion" no final, se rodassem o vinil ao contrário poderia ouvi "Paul is Dead, Man, miss him, miss him" ("Paul está morto, cara, sinto falta dele").
5. Na capa de "Abbey Road" (1969), deram tantas interpretações na capa, que muita gente achou que Paul foi mesmo pro outro lado da vida: os quatro atravessando a rua, parecia uma procissão de enterro, com direito a Paul andando descalço (na Inglaterra dizem que seria costume enterrar os mortos desta forma), com o passo diferente dos outros e o cigarro na mão direita (falei antes que o Paul é canhoto?). Na placa do fusquinha branco "28IF LMW" deram a interpretação de "Linda McCartney Weeps", e o "28IF" era a idade de Paul se estivesse vivo. Só que nessa o pessoal fugiu das aulas de matemática, a não ser que contem o ano que nasceu também, mas se o álbum foi gravado em 1969 e Paul nasceu em 1942...

Como os quatro eram muito piadistas e gostavam de desconcertar muita gente, tudo isso não passa de piada. A cicatriz no lábio de Paul, foi devido a um acidente de moto, na qual quebrou o dente e ficou um corte no lábio (quem ver o PV "Rain", logo no começo dá pra ver o Paul com o dente quebrado). A partir desse boato que uma rádio lançou, imaginem se eles não iam deixar barato e divertirem-se às custas disso.

No álbum "Paul is Live" (1995), Paul resolveu tirar tudo a limpo: a foto no mesmo lugar de "Abbey Road", atravessando a rua no passo certo, segurando a correia do cachorro na mão certa e devidamente calçado.



Abbey Road (1969) e Paul is Live (1993): feitos para desconcertar e acabar "de vez" a boataria.



Se fosse um sósia, então o que eu vi no show no Maracanã em 1990 e muita gente em Coachella em abril deste ano, era quem então?

Nota: Este texto era para ser postado na segunda-feira, mas como a autora aqui teve um compromisso inadiável justo no dia de folga, acabou por fazer hoje, iniciando a semana (meio quebrada) "Paul is (a)live!"

Friday, June 12, 2009

Presentes Sazonais


No Japão é costume duas vezes por ano, as pessoas presentearem as outras como forma de agradecimento por algo prestado. E vocês pensam que é dinheiro? Num país capitalista como este, acreditem se quiser: não é dinheiro que as pessoas querem em troca, mas alguma lembrancinha simbólica.

Quem reparou bem nas lojas de departamentos e supermercados em geral, desde maio, as gôndolas especializadas em presentes, estão abarrotadas de caixas contendo kit de sabão em pó, de limpeza doméstica, bebidas (cerveja, sucos, café, etc.), biscoitos, frutas e até presunto!

Entre maio até agosto, as pessoas enviam via correio, pessoalmente mesmo, os presentes chamados ochuugen que seria agradecimento pelo favor prestado no meio do ano. Sabe aquela melancia quadrada que em Kagawa-ken resolveu criar para facilitar o armazenamento? Ela é um bom presente para o verão. Apesar do precinho exorbitante... Mas a maioria dos presentes não são tão caros assim.

Pelo menos, as pessoas costumam dar algo útil... Se bem que frutas e alimentos também são bem-vindos. Não é sempre que a gente pode ganhar um melão yuubari (aquele de Hokkaido, de casca dura e polpa laranja) ou a citada melancia quadrada. Presuntos também são bem aceitos pela sociedade (eu quero dizer aquele defumado e não coloquialmente falando, se é que me entenderam), assim como bebidas alcóolicas. Ou não.

Geralmente, quando vou visitar alguém, costumo levar alguma coisa. Seja uma caixa de doces ou algo comível mesmo. Esse costume vem desde que eu era criança e meus pais, quando visitavam algum parente ou conhecido, levavam pacotes de biscoitos, chocolates, doces... Para presentear a visita. Sabe aquela história que visitar alguém e ir de mãos vazias dá uma sensação de desconforto?
Bem, depois em dezembro temos o oseibo, mas aí fica pra uma próxima vez...
-------------------------------------------------------------------------

Semana "Okaerinasai, Kusanagi-san": Encerrando a semana especial, agora em dose dupla da mesma música. "Arigatou", de 2007, quem viu a capa do single, demorou para entender o porquê de conter dez formigas, bem como o PV (uma mistura de colagens e montagens a la Monty Phyton e Yellow Submarine, com o quinteto em forma daqueles bonequinhos da Kubrick) no qual o grupo vai numa missão para a Lua. Depois que eu entendi que fizeram trocadilho com a palavra que, em japonês, além de ser agradecimento, também pode-se dizer "tem dez formigas" (ari ga tou, sendo que o número dez também pode-se ler "tou" ).
No dia 1o. de junho deste ano, no programa semanal SMAP X SMAP, o grupo aparece ao vivo (bem, foi gravado no dia 28 de maio), começando com o tradicional pedido de desculpas de Kusanagi junto à platéia (dá pra ouvir o pessoal chorando mesmo) e que a partir daquele dia "vida nova". E iniciando, com a música de agradecimento, "Arigatou", que ao vivo teve sinal de emoção e alegria pela volta (tanto que, quase no final da música, dá pra ver Kusanagi visivelmente emocionado, tanto que Katori estava o amparando).
Bem, leitores deste sítio, espero que tenham gostado desta semana. Agora, na próxima se preparem que ninguém vai ser de ferro!!

Thursday, June 11, 2009

Roteiro Gastronômico: The Premium ( Filial Tóquio)

Dificilmente encontro um restaurante que me satisfaça pelo menos 99% das vezes. Não posso dizer 100% porque senão perde a graça. A verdade é que eu prefiro comer num lugar que posso comer e beber a vontade e pagar um preço único. Acertei no yakiniku e na pizzaria, mas num restaurante tido como comum, nunca acerto. Até que descobri o The Premium, recém-inaugurado no oitavo andar do prédio de departamentos reformado Marui Shinjuku.

Descobri por intermédio de minha professora. Depois da aula, que vai das nove e meia as onze e meia da manhã, ela convidou-me pra almoçar. E perguntou se eu conhecia o velho-mas-reformado loja de departamentos o Marui Shinjuku. Conhecer, eu conhecia. Mas não sabia que já tinha sido reinaugurado. Bom, como sou difícil de recusar convite e não tinha nada o que fazer depois da aula, acabei por ir.

Ela me explicou que este restaurante é sistema de buffet, isto é, pague tanto e passe mal de tanto comer. Em noventa minutos dá pra comer, beber, comer, beber e sobra para uma sobremesa. Como disse certa vez, comer à vontade num preço único é comigo mesmo.

Só que o local no horário do meio-dia a uma da tarde vive lotado. Motivos mais do que óbvios pelo horário, por favor... E a maioria dos frequentadores do local são mulheres, na casa dos 20 a 40 anos. O ambiente? Eu diria fino demais para esse tipo de restaurante, mas...

A comida: ah, sim. Quatro tipos de culinária: japonesa, chinesa, italiana e o país a escolher. Até setembro, terá a parte de comida espanhola. Balcão de saladas e de doces, e também bebidas não-alcoolicas ( se quiser vinho, cerveja ou coquetel, aí paga-se à parte). Significa que, em uma hora e meia pode-se comer paella com pizza, yakissoba, chu-mai...

O preço? Bem, se você for daqueles que tem a Catarina que vive atacada, vale a pena. Agora, se estiver com a frescura de que "esta semana estou de regime", melhor ficar longe. Não digo que é caro (até sai mais barato que o yakiniku tabehoudai que costumo ir mensalmente), mas tem que valer a pena.

Nem que seja comer como se não houvesse amanhã e jurar que tão cedo não voltará novamente.

(Aí semana que vem, você resolve levar sua cara-metade pra conhecer e...)

The Premium - Shinjuku Marui Honkan
Dois minutos da estação do metrô Shinjuku San-chome da linha Marunouchi.
Ou uns dez minutinhos andando da estação JR Shinjuku, saída Kabukicho, mas seguir no sentido Isetan-Shinjuku Ni-chome. O prédio fica bem em frente ao outro departamento, o Isetan.
Precinho básico: ¥1,890 no horário do almoço e ¥2,680 no jantar.
(Se for no final de semana ou à noite, aí tem um acréscimo, aconselho ir no almoço mesmo).
-------------------------------------------------------------------------
Semana "Okaerinasai, Kusanagi-san": Tudo bem, eu raramente (pra não dizer de vez em nunca) costumo postar duas vezes no mesmo dia, mas hoje estava meio de folga e sabem, né? Bom, na fase final desta semana, aos poucos o rapaz preferido das donas-de-casa, jovens, jovens senhoras em geral, está se recuperando do choque que causou. Mas ele humano como a gente e ponto. Voltando, no programa semanal, às segundas na Fuji TV as dez da noite, tem o "Bistro SMAP", no qual eles, em dupla ("de dois") preparam um prato requisitado pelo convidado especial. O maître desde que o programa existe, é o Masahiro Nakai. E os outros quatro revezam-se nas duplas semanalmente. Quem fizer o melhor prato, ganha algum brinde do convidado (até onde sei, o Kimura ganha quase todas). Agora vão me dizer o quê o PV de "Lion Heart" tem a ver com o assunto comida? Na verdade, foi música de encerramento da novela "Food Fight" (2000), na qual Kusanagi fazia o papel de um rapaz que ganhava competições de "quem comia mais em menos tempo". (Pra não variar, assisti ao último capítulo) A música também coincidiu com a entrada do premiê Junichiro Koizumi, que tinha um "coração de leão".
Nota: a pedidos, corrigi uma palavra: é "Okaerinasai" e não "Okairinasai" como postei. Agora vai.

Trinta e Nove Fatos sobre Mim

Pra quem não me conhece ou quem me conhece mas muito mal mesmo...

1. Mantenho este sítio há três anos e meio. Tive um outro que se perdeu, parece que o site que costuma manter, não mantém mercadoria nenhuma.

2. Falo sítio ao invés de site porque acho que soa mais ... hã... normal. E em Portugal fala-se sítio mesmo.

3. O apelido da autora que vos posta veio devido ao fato de volta-e-meia marido ficar me chamando de leitoa. Acho que foi devido eu gostar da Miss Piggy dos Muppets. O Sakura vem da mascote de uma loja que comprei uma blusa. Com o bordado de um porquinho.

4. Moro em Yokohama há seis anos e meio, mas vivo em pecado com um kinguio perdido que me apresentaram quando morava na região Kansai, dez anos atrás. Deu no que deu.

5. Sou leonina. E coincidência ou não, no mesmo dia que Mick Jagger e Roger Taylor (baterista do grupo Queen). Mas não no mesmo ano, isso é mais que óbvio, né?

6. Pior de ser leonina, é descobrir que meu ascendente é de leão também. Que isso significa? Até hoje não sei.

7. Sou formada em programação, mas melhorar o layout deste sítio que é bom....

8. Ninguém acredita, mas por seis anos dirigi motocicleta. Só levei dois tombos, sendo que um com a moto parada. Tudo bem, continuem não acreditando.

9. Sou filha do meio. E única mulher. Isso não significa que fui paparicada, muito pelo contrário... Acho que por isso explica que tem horas que eu não bato bem das idéias...

10. Que sou fã dos Beatles, quem me conhece, sabe. Mas muita gente que me conhece não acreditou que eu também pudesse gostar de Rolling Stones, Oasis, Franz Ferdinand...

11. Já fui ver Paul McCartney ao vivo. O U2 também. E duas vezes o Masaharu Fukuyama. E em todos eles assisti o show em pé, quase fui espremida...

12. Teve gente desavisada que jurava que eu era japa 100% mesmo. Quando falo que sou sansei (neta de japoneses no Brasil), pior ainda.

13. Fiz Magistério. O que leva a imaginar que já fui professora. De fato sim. Três anos fazendo dupla jornada programadora-professora.

14. Não parece, mas tenho vergonha de falar no meio de público. Até hoje eu tenho que treinar conversação em japonês pra não ficar passando vergonha por aí.

15. Sim, eu pinto o meu cabelo em casa quando a situação financeira aperta.

16. Até um tempinho atrás, saía com o pessoal do trabalho nas sextas pra um happy-hour. Sei lá que deu no pessoal que ultimamente nem quer saber mais de ficar até o último trem num bar tomando todas.

17. Adoro cerveja Guinness. E é uma das poucas que não me dá efeitos colaterais drásticas. As idas constantes ao toalete é devido ao efeito diurético que a cerveja dá. Só teve uma vez que realmente passei mal daqueles de "melhor perder o trem do que passar vergonha", mas aí foi culpa da mistura Guinness e depois coquetel de litro.

18. Muitas vezes tive que ser cara-de-pau pra algumas coisas. Exemplo mais clássico foi pedir pro marido kinguio e meu amigo que estava junto pegar amostra de xampu-e-condicionador que as mocinhas estavam distribuindo na rua devido a uma campanha de lançamento. Acabei voltando com sete ou oito pares de amostras...

19. Várias vezes tive que dormir na casa de alguma colega de trabalho devido ao perder o último do último trem pra casa. Desnecessário dizer que ambas já estavam pedindo a caideira.

20. Uso óculos. Tenho três graus de miopia e meio grau de astigmatismo em cada olho. O que significa que, sem eles eu sou cega como toupeira.

21. Todo dia e toda noite cumpro o ritual de lavar-hidratar-tonificar-rebocar-a-cara-tirar-o-reboco-da-cara-lavar-hidratar-tonificar-e-usar-anti-rugas. Os únicos dias que quebro esse ritual são às quintas e domingos, que não reboco a cara.

22. Sou sorvetólatra assumida. Mesmo resfriada, com febre e garganta ardendo, não fico sem sorvete. Tirando os de gergelim preto, chá verde e feijão azuki, além dos exóticos que tem em Tóquio, o resto pode mandar pra mim.

23. Uso o mesmo perfume há sete anos: Eternity, de Calvin Klein.

24. Já fui em uma clinica de estética via promoção. Perguntem se voltei depois.

25. Sou são-paulina. E Rogerio Ceni pra Presidente! Do São Paulo, claro...

26. Tenho carta de habilitação daqui. Mas raramente dirijo pra muito longe. O mais longe que eu dirigi, sozinha, foi para Saitama. Dirigir em Tóquio, só pros fortes.

27. Tenho o hábito de fazer o sinal-da-cruz toda vez que passo em frente de uma igreja. Desde criança.

28. Só fui resolver ter um telefone celular quando já contava um ano e meio aqui. Nunca tive no Brasil. Mantenho o mesmo número há dez anos e o mesmo aparelho há dois. O anterior durou seis anos e meio quando espatifou-se ao cair acidentalmente pela mão lesada da dona aqui.

29. Assumo que sou colecionadora de cartões de fidelidade das lojas que mais frequento. E os pontos já me salvaram de cada apuro...

30. Costumo ir com marido kinguio no supermercado uma hora antes de fechar. Pra pegar os menores e melhores preços.

31. Adoro livrarias. Quando a gente sair e bater perna em Shibuya e perderem-se de mim, procurem-me na Tower Records, no sétimo andar que com certeza estarei dando uma de "rata de livraria".

32. Já cantei um trecho de uma música que ouvi no comercial pro balconista da loja de CDs por que eu não sabia a música e tampouco a cantora. Era "Natsu no Tsuki" da cantora Anri.

33. Dificilmente eu pergunto a um transeunte como faço pra chegar a tal lugar. Se eu fizer é porque realmente estou perdida.

34. Adoro o Snoopy mas tenho medo de cães.

35. Já caí na pegadinha do primeiro de abril quando falaram que roubaram o Hachiko (a estátua do cachorrinho que fica na saída da estação de Shibuya).

36. Muito raramente as pessoas que me conhecem me chamam pelo primeiro nome. Qual? Vão continuar sem saber.

37. Frequento quando posso as liquidações mesmo correndo o risco de ser pisoteada, estapeada, empurrada...

38. Costumo tomar café mais fora do que dentro de casa.

39. Não sou pão-dura. Sou econômica.

---------------------------------------------------------------------------------

Semana: "Okaerinasai, Kusanagi-san": Para aumentar as vendas de um novo xampu para os cabelos das japonesas, e valorizarem a beleza delas (sim, porque uma boa parcela tingia as madeixas de um loiro desbotado que parecia cor-de-burro-quando-foge), a empresa de cosméticos Shiseido lançou, em 2006, um xampu e condicionador a base de uma flor chamada aqui de tsubaki, o que deixaria os cabelos mais brilhantes e saudáveis. "Dear Woman", cantada pelo SMAP, continua sendo a música do comercial desse produto, que se chama Tsubaki. O refrão "WELCOME youkoso nihon he/ Kimi ga ima koko ni iru koto/tobikiri no unmei ni kokoro kara arigatou" ("Bem vinda ao Japão/ agora você está aqui/ no extremo destino do coração/ muito obrigado") foi o que faz o pessoal associar ao produto, mas seria uma mensagem para todas as mulheres (do Japão, mas que também seria do mundo).

Wednesday, June 10, 2009

Forever Young

...ou: pelamordeDeus, me passa o endereço da farmácia que vocês compram o formol que vocês tomam!!

Só não vou falar que as mulheres não aparentam a idade que têm porque, provavelmente, têm resquícios de bisturi-botox-silicone. Raramente vocês irão encontrar uma que continua com o rosto e espírito jovens sem ter se submetido a alguma experiência do tipo pega-aqui-que-eu-estico-ali-e-injeto-na-testa. No máximo cremes que talvez prometam um pequeno milagre, mas levanta a auto-estima.

Eu fico me perguntando como é que tem rapaz por aí que, por mais que tenha 30, 40 anos nas costas, continua aparentando muito menos que a idade que tem? Será que eles ficam no estica-puxa-corta-injeta-na-testa? Sei lá eu...


Taichi Kokubun: O tecladista do quinteto TOKIO, garoto-propaganda do café Wonda, Chicken Lamen (e ex-namorado da cantora aiko), já está quase chegando nos enta (tá, em setembro ele faz 35 anos) e parece que tem vinte e poucos. Por mais que tente ser sério no comercial do café, pra mim ele vai continuar sendo um rapaz recém-saído da adolescencia e parou por aí. Gostaria muito de saber qual o segredo dele pra não envelhecer. Será que é o tal café que ele faz comercial? O Chicken Lamen (aquele que fica pronto com um ovo e água quente) que ele deve comer naquela hora que bate aquela fominha? Dirigir aquela minivan movido a bateria solar no programa dominical "Tetsuwan DASH!"? Só pode ser, pois parece que o menino não envelhece...


Shingo Katori: O mais novo do quinteto SMAP é outro que, por mais que tente fazer cara de sério no comercial da TV Plasma junto com a veteraníssima Sayuri Yoshinaga (a "Audrey Hepburn" nipônica), esse vai ser um que mesmo se passar dos enta, vai continuar aparentando menos do que tem. Isso porque volta-e-meia, quando menos se espera, ele aparece com um penteado diferente, um personagem diferente... Sim, quem lembra dele vestido de mulher como Shingo Mama? De samurai em "Shinsaigumi"? Parodiando o Billy BootCamp e aquela ginástica que sei lá eu dá certo? Serão esses os segredos pro Katori-kun continuar sempre jovem, mesmo na fase de emagrece-engorda? Ou seriam as bananas da Dole? Os gyoza da Aji-no-Moto? E olha que mesmo com 32 anos nas costas, já fez de tudo um pouco em seu currículo: já fez papel de assassino de aluguel, de dono de floricultura pai viúvo de uma menininha, samurai, ninja (parodia de Hattori-kun, personagem de mangá do Fujiiko Fujio), Son Goku (protagonista em "Monkey Magic", lenda chinesa que lembra um pouco "Dragon Ball"), escreveu livro de dieta (que parece que não deu certo), como falar inglês sem enrolação (devido ao programa "SmaStation"), já apareceu nu em uma revista feminina (sorry MaiK e outras, encontrei a foto, mas não consegui postar aqui)...


Sho Sakurai: Não adianta. Ele pode fazer papel de comentarista sério na parte de esportes no programa noturno "News Zero" na Nippon TV, fazer papel principal em "Quiz Show", ser um salaryman no comercial de aparelhos de telefonia móvel, mas pra mim, Sho Sakurai vai continuar sempre aquele menino que fez um professor novato e atrapalhado de jardim-de-infância em "Yoiko no Mikata". Mesmo aos 27 anos, formado em Economia (na Universidade Keio), com essa cara de adolescente que tem muito a aprontar ainda, Sakurai entende bem é na área de esportes, tanto que, costuma jogar futsal com os colegas da agência a qual pertence. Aliás, parece que os outros quatro membros do grupo Arashi andam tomando formol, pois não é possível eles quase chegando na casa dos trinta e parecerem que tem vinte anos!! Não, não quis dizer na casa dos vinte, e sim vinte anos mesmo (especialmente o Kazunari Ninomiya, que mesmo aos 26 anos, ele já fez papel muito sério no cinema, no filme "Cartas de Iwo Jima", de Clint Eastwood e contracenando com o veteraníssimo Ken Watanabe)!

Hideaki Takizawa: Tackey, a outra metade da dupla que faz com Tsubasa Imai, ninguém diz que ele também já está quase nos trinta. Quando eu vi a primeira vez na novela "Maho no Joken" com a Nanako Matsushima, eu o via meio sem sal. Talvez devido ao papel que ele fez na novela. O tempo passa, o tempo voa e parece que os sinais de idade não afetaram Takizawa. Por mais que fez papel de samurai (mais outro???) , e atualmente faz teatro e comercial de seguro de vida, vai continuar tendo cara de adolescente. Detalhe: prefiro Tackey de cabelo loiro-escuro, pois da cor natural parece que fica meio estranho...( é, nesta foto que encontrei fica muito estranho mesmo)


Claro que temos mais exemplos. Mas que eu acho que eles andaram fazendo alguma coisa pra deixar essa cara de adolescente, ah, isso eu acho (como, por exemplo, marcando hora na Takasu Clinic ou Yuri Takano ou TBC ou...)
--------------------------------------------------------------------------

Semana "Okaerinasai Kusanagi-san": Ainda continuando a semana que prometi, e como promessa é dívida, nem que tenha que dormir três da matina mas deixo tudo pronto pro pessoal ler e... bem, deixa pra lá. Depois de 35 dias de férias forçadas, vida nova e muito pela frente, Kusanagi, pois o show tem que continuar. Resta saber se no final do ano eles vão aparecer no Kouhaku Utagassen, pois no ano que aconteceu aquela confusão com o Inagaki, o grupo, em respeito a falta de um integrante, decidiu não aparecer no programa. Em continuidade ao texto de hoje, eis um PV que eu já postei, mas desabilitaram ( pra num variar...), mas vale a pena ver de novo, o PV "Dynamite" (1997), do álbum "Su", no qual o grupo tenta dançar em cima da caçamba de uma camioneta andando nas ruas de Shibuya. Detalhe pro rebolado do Kimura (quando ele tinha um cabelão mais comprido que o meu)e o drible sem bola do Katori. Essa música é meio dance racha-assoalho, mas que não dá pra ficar parado, é vero.

Tuesday, June 09, 2009

De bom tamanho!(*)

Segunda-feira, tive que entrar mais cedo pra trabalhar. Significa que, é pegar o trem estourando de lotado até Tóquio e torcer que em Yokohama desça alguns passageiros e se levar sorte, ir sentado. Dentro dos vagões, a vantagem é que têm várias propagandas de tudo: desde pomada pra frieira, emplastos para dor nas costas, adesivos pra arrancar cravinhos no nariz, cerveja, chá, veículos...

Foi quando vi nas paredes no vagão que eu estava, a propaganda do novo carro da Honda, o Freed. Quem acompanha comercial na TV japonesa, deve ter percebido (ou passado meio que batido) que, além do carro ter o formado de um triângulo mais um quadrado, dando a impressão de ser espaçoso mas compacto ao mesmo tempo, quem faz o comercial é Sean Lennon. Bom, pelo sobrenome, desnecessário dizer quem seria o pai.

Nos quatro posteres que estavam no vagão que eu estava, mostrava as vantagens do carro, desde pelo fato de ser compacto, econômico e com grande espaço. E no comercial veiculado pela TV, Sean responde ao narrador "choudo ii", que significa: "serve certinho", "de bom tamanho".



Veja o comercial que está sendo veiculado na TV, a música do fundo é do próprio Sean, que tal como pai, estava mais que obvio que ele ia seguir carreira musical...

--------------------------------------------------------------------

Semana "Okaerinasai, Kusanagi-san": Dando a sequencia da semana prometida pela autora (oras, eu não falei de quem seria!), mais um PV do quinteto SMAP, cuja música fez com que o cantor e compositor Noriyuki Makihara voltar às paradas de sucesso, depois que em 1998 andou ingerindo balinha que passarinho não chupa. "Sekai ni Hitotsu dake no Hana", de 2003, foi direto ao topo das paradas de sucesso bem na época em que antes houve aquele atentado infame no World Trade Center e foi tema da novela "Boku no ikuru michi", estrelado por Tsuyoshi Kusanagi. A música, bem ao estilo de Makihara, alegre, otimista e fácil de cantar, ficou bem para os cinco "cantarem" (é, porque o Nakai cantando ao vivo, ninguém merece...). A capa do single, além da rua(**) coberta de flores, os anúncios são mais que explícitos: além da data do lançamento do single, as companhias que eles fizeram/ fazem comercial até hoje, como a NTT, ANA, Fujitsu (lembra do Kimura fazendo CM dos notebooks?), Meiji (Inagaki e Nakai), Toyota (Kusanagi fazia do rent-a-car e Kimura, do Corolla Fielder), Ajinomoto (Katori) e por aí vai. Inclusive, o poster publicitário da novela está bem escondido: quem tiver o single e uma lente de aumento, fica abaixo do símbolo da Fuji Television, com a foto de Kusanagi em moldura preta.

(*) Traduzindo para o japonês de "choudo ii", do comercial da Honda Freed.
(**) Eu sei que a montagem foi feita em alguma rua próxima à estação de Shibuya, mas confesso: não sei em qual direção!!!

Monday, June 08, 2009

Histórias Meio Mal-Contadas (Parte 1)

Quando alguém resolve deixar este mundo material (um eufemismo para morrer, vai...), muita gente tem tudo o que é tipo de reação, desde o conformismo até o cinismo (sabe aquele que diz "já vai tarde"? Sim, tem gente assim.). Geralmente quando conhece-se a causa mortis ainda vai, mas quando tem que envolver pessoas fora do meio familiar-amizade, a situação meio que complica, a não ser que a tal pessoa fora deste meio, como policia, investigador e FBI ou algo semelhante, faça parte do meio e ninguém poderia saber.

Principalmente no mundo artistico. Se tal artista morre de forma inesperada, escreve embaixo: foi de overdose de balinhas, bebedeira, excessos, tudo junto. Especialmente se for muito jovem demais. Como nos isteites, oropa e no Brasil, no Japão também pensa que a emenda fica pior que o soneto em se tratando de encobrir certas mortes misteriosas? Querem exemplos aqui? Então vamos lá, alguns exemplos...


Yukiko Okada (1986): No início dos anos 80, quando a diva pop da época, Momoe Yamaguchi disse adeus à carreira musical para dedicar-se integralmente a vida do lar com o ator Tomokazu Miura, eis que as portas de caça-talentos abriu para muita gente, principalmente as moçoilas que desejavam ser como a Momoe. Algumas se destacaram (seja pela melhor e/ou pior forma possível), como Seiko Matsuda, Akina Nakamori e outras que tiveram sucesso instantaneo. Yukiko Okada também fazia parte das aidorus que faziam grande sucesso, com penteado a la Lady Diana quando casou-se, vestidos armados, ar de inocente, e músicas delicadas. Descoberta aos 17 anos, logo teve sucesso com a música "First Date". Daí por diante, aparecia em programas de TV, filmes, revistas, comerciais... o que lhe deu o sucesso que muitas meninas de sua idade queriam.

Não se sabe o motivo, mas logo pela manhã do dia 8 de abril de 1986, os vizinhos sentiram cheiro de gás vindo do apartamento onde Yukiko morava, em Tóquio. Arrombaram a porta e encontraram-na chorando e com os pulsos cortados. Levada a um pronto-socorro junto com o empresário da agência a qual pertencia (Sun Music), foi feita uma pequena cirurgia e posteriormente levada ao escritório para tentar se recuperar. No que ela havia pedido para ir ao banheiro, minutos depois foi encontrada morta em frente ao prédio - cometeu suicidio ao pular do sétimo andar do prédio.

O motivo do suicídio de Yukiko nunca foi esclarecido, pois não deixou uma nota, como é costumeiro no Japão. Cogitaram alguma desilusão amorosa ou estresse pelo fato de ter atingido sucesso muito rápido, mas até hoje, todo dia 8 de abril, fãs vão ao local onde foi vista pela última vez, deixar flores e rezar. Na época de sua morte, mais de 40 fãs cometeram suicídio.


Yutaka Ozaki (1992): Mais conhecido pelo grande sucesso de "I Love You" , Ozaki teve durante em vida musical, uma carreira de altos e baixos, culminando com a reclusão por porte de anfetaminas, o que acarretou na rescisão de contrato com a gravadora, devido aos problemas que havia causado. Quando retornou, seus shows voltaram a ter grande público, pois suas músicas retratavam a angústia, revolta e as dificuldades da juventude. Nunca houve artista como Ozaki que pudesse retratar a realidade das estudantes colegiais sobre o enjo kosai, prostituição para poder comprar o que quiserem, como a música "Jyunanasai no Chizu" ("Seventeen's Map").

Apesar da "volta por cima", um feliz casamento e um filho, o que abalou a vida de Ozaki foi a morte da mãe, a qual sempre o apoiou. Mesmo assim, continuou a compôr e excursionar, quando, no auge da carreira, na madrugada de 25 de abril de 1992, Yutaka Ozaki foi encontrado desmaiado no meio da rua, embriagado e acabou falecendo de edema pulmonar (uns dizem que foi devido aos excessos que cometeu).

A morte de Ozaki chocou os fãs que alguns cometeram suicídio, e seu pai chegou a pedir investigação detalhada sobre a morte dele, pois corriam boatos de que Yutaka havia sido assassinado. Inclusive chegaram a acusar sem provas alguma, a esposa de Yutaka.

Dezessete anos após sua morte, Yutaka continua sendo lembrado como um dos poucos artistas que representava a juventude, chegando a ser comparado com Bruce Springsteen.


hide (1998): Ex-guitarrista da banda de j-rock (mais para visual-kei) X-Japan ( a banda preferida do ex-premiê Junichiro Koizumi), Hideto Matsumoto, mais conhecido como hide (sim, em minusculas mesmo), antes de fazer parte do grupo formado por Toshi e Yoshiki, ele tinha uma banda independente e era esteticista (daí vide o visual colorido do grupo todo). Convidado por Yoshiki, hide não hesitou em fazer parte do grupo recém formado chamado X. Para não fazerem confusão com outra banda americana, acrescentaram o Japan no final.

O quinteto foi um dos precursores do heavy metal japonês e, devido ao visual colorido, foram também os primeiros a divulgar o hoje visual kei. Mesmo depois do grupo ter deixado o visual espalhafatoso de lado, somente hide permaneceu com os cabelos rosa-choque e as roupas coloridas. Quando o grupo terminou em 1997 com a saída de Toshi, hide mantinha paralelamente uma carreira solo.

Yoshiki pensava em voltar com o grupo em 2000, mas não foi possivel devido a morte de hide em 2 de maio de 1998. Mesmo com um relativo sucesso solo, hide foi encontrado morto em seu quarto, enforcado com a toalha presa na maçaneta. A princípio - pra não variar - cogitou em suicídio, mas pela quantidade de alcool presente no sangue (o que não era pouco...), a autópsia deu como "morte acidental". Mas a versão de suicídio nunca foi descartada, pois diziam que hide sofria de depressão, se bem que, até cogitaram suspeita de assassinato.

O museu que tinha em Yokosuka (Kanagawa), cidade natal de hide, permaneceu até 2006.


Izumi Sakai (2007): Da forma que a cantora/compositora do grupo itinerante ZARD era tão reservada (possíveis motivos eu já falei anteriormente), que, quando souberam da morte repentina, muita pouca gente sabia que ela estava internada sob tratamento de câncer uterino. Desde 2003 ela vinha fazendo tratamento sob sigilo e longe da imprensa quando descobriu que estava com um tumor no colo do útero. Apesar do tratamento, ela continuava a lançar músicas novas e participar de alguns albuns especiais, mas shows ao vivo, nem pensar, exceto em 2006 quando fez o show "What a Beautiful Memory".

Em 27 de maio de 2007, em pleno tratamento, Sakai caiu do alto de uma escadaria do Hospital Keio (Tóquio) quando estaria saindo para a caminhada matinal que costumava fazer. Mesmo sendo socorrida a tempo, não resistiu a hemorragia cerebral. Apesar dos peritos disserem que a morte foi acidental, dizem outros que foi suicídio, pois ela estava quase na fase terminal da doença. Porém seus familiares e amigos mais próximos disseram que Sakai estava reagindo muito bem ao tratamento e que em breve iria fazer um concerto em agradecimento aos fãs que sempre a apoiavam.

Pois bem, somente saberemos a verdade somente se estivermos do outro lado da vida, pois se nem os peritos sabem dizer, e geralmente as pessoas próximas raramente falam 100% da verdade, então, fazer o quê?

-----------------------------------------------------------------------------------
Semana "Okaerinasai, Kusanagi-san". Desde semana passada, sabemos que o faz-tudo-um-pouco na TV, Tsuyoshi Kusanagi voltou as atividades normais, ainda bem. Nada mais justo pelo menos lembrar dos PV (promotion videos) que fez com o grupo SMAP, e este vídeo, lançado em 1999, para divulgar o 13o. album (Birdman), traz todos os clichês de filmes de ação, violência, tiroteio e... mistério!!! Afinal, a troco de que sequestrariam Goro Inagaki? De onde Takuya Kimura conseguiu um 38? Que Shingo Katori estaria fazendo com duas minas? Como o terno do crooner serviu em Tsuyoshi Kusanagi? E o cara que estava junto com Masahiro Nakai era amigo ou inimigo? E que fim deu no quinteto?! Clique aqui para ver o PV de "Fly" (versão curta, quem tiver a completa, avisa a autora!)