Tuesday, August 23, 2011

Thirty Day Song Challenge (Desafio dos Trinta Dias Música): Décimo-Segundo Dia

Dia 12 - uma canção de uma banda que você odeia: Qualquer uma de pagode, sertanejo e similares...


Voltando ao desafio, que já estou enrolando muito, agora vai ser um que este Empório decreta falência e fecha as portas.

Sempre digo que gosto é que nem traseiro, cada um tem o seu. Da mesma forma que eu respeito os gostos de um, também quero que respeitem os meus. Da mesma forma que entendo gente não gostar das mesmas coisas que eu, também quero que entendam eu não gostar das mesmas coisas que outras pessoas também. Oras, se todo mundo tivesse os mesmos gostos, que seriam dos demais? (Alguém lembra de uma propaganda bem antiga de tintas para parede? "Que seria do vermelho se todo mundo gostasse de azul?")

Eu falo e podem jogar pedras, mas se tem gênero musical que não consigo ouvir, não consigo gostar - e o dia que eu gostar, das duas, uma: ou tinha alguma substância alucinógena na minha Guinness ou é algum clone meu que resolveu andar por aí - seriam pagode e sertanejo. Por mais que já ouvi em toda minha vida, olha, sinto muito, mas não dá meeeeeeeeeesmo!!!

Nem tenho mais como prolongar esse assunto, mas explicando que eu gosto de música caipira, aquela da raiz mesmo, do interior do Brasil, como Inezita Barroso, Tonico e Tinoco, Cascatinha e Inhana... E não aquelas músicas de duplas sertanejas atuais que são mais pra dor no meio da testa (pra não falar outra coisa, pois aqui é um Empório família...)

Sem foto para não macular a imagem deste pobre mas limpinho empório.

2 comments:

  1. eu tento escutar de tudo mas alguns generos realmente não descem

    as vezes dar uma chance a certos ritmos é suficiente pra se livrar de preconceitos, eu por exemplo não curtia folk, até que atraves de jmusic estou conseguindo gostar de algumas coisas, já não posso mais dizer que não gosto do gênero

    mas que não suporto mesmo é funk, pagode, kpop, calypso etc, até sertanejo tem musicas que eu considero boas, apesar de não escutar.

    mas musica é cultura, e muitas vezes esses ritmos regionais costumam levar os costumes do povo daquele lugar e mostrar a sua realidade, isso eu acho que é algo muito interessante, mesmo muitas vezes não conseguindo suportar as musicas

    ReplyDelete
  2. Ryo, eu também ouço de tudo um pouco, desde rock britanico dos anos 60, alguma coisa dos anos 70 e rock brasileiro dos anos 80 (bem, pra quem passou os anos de Magisterio a base de Legião, Titãs, Paralamas...), alguma coisa de MPB antigo e j-pop em geral.
    Folk eu comecei a gostar de ouvir na faculdade, mas j-folk (Nakajima Miyuki, Iruka ) foi por intermédio do meu dignissimo que ele ouviu de quase tudo de musica japonesa, inclusive enka.
    Musica regional do Brasil eu tenho gosto de ouvir, como a caipira da raiz (so pra constar: Tonico e Tinoco eram da mesma cidade que eu nasci). Mas existem ritmos que realmente não dá, não consigo digerir nem pedindo.
    Na real: fazem ANOS que nem acompanho o que tem de novo no Brasil. Mais fácil perguntar pra mim o que sai de j-pop hoje do que ando ouvindo no Brasil...
    Abraços!

    ReplyDelete