Tuesday, September 29, 2009

Onde Kanagawa Termina


Ou começa: vai depender do ponto de vista de cada visitante do lugar.

Em uma década que residimos em Kanagawa, seria tempo suficiente de conhecer Kawasaki a Yugahara, Tsukui a Enoshima. Mas pra falar a verdade, nesse tempo todo, nós (eu e namorido kinguio) conhecemos nem a metade da província e olha que ela nem é tãããããão extensa assim a ponto da gente se perder. Talvez seja mais fácil a gente se perder na cidade de Yokohama, mas aí fica pra outra história.

Um dia desses, enquanto me aprontava para sair com o namorido kinguio, estava com a TV devidamente ligada num programa (não lembro qual era) e estava mostrando algumas pessoas à beira da praia colhendo conchas e pescando camarões, ostras e outros frutos do mar (desde quando tem árvore no mar? Ah, deixa pra lá...). Achamos o lugar muito bonito e perguntei ao namorido: "Onde será que fica?" e... plim! No programa mostrou o mapa e como chegar ao local.

Sim, Misaki Kaigan e Jogashima ficam em Kanagawa. E perto (em termos, vai) de casa. Bastaria pegar a rota de Enoshima sentido Zushi e ir embora.

Mas quem disse que logo naquele mesmo dia a gente foi?

Até semana retrasada ficávamos mais no "quase", pois toda vez que a gente pensava em ir até Misaki, batia aquele desânimo quando passávamos por Hayama-machi e a placa: Misaki - 12 km.

Aí era parar em um mirante, dar meia-volta e voltar pra Enoshima. Eis que um sábado que milagrosamente folguei, do nada, namorido kinguio diz: "Já que ainda nem é meidia, simbora pra Misaki".

Cerca de uma hora e meia de carro, via rota 134 (Enoshima-Kamakura-Yokosuka) e apreciando a praia - agora lotada de surfistas doidinhos pra uma onda. O mar estava bravo naquele sábado. Perfeito pros surfistas praticarem. Ondas nem tão altas como em Hawaii, mas melhor do que nada.

Prato cheio pros surfistas praticarem o esporte. Isso porque o tempo estava fechado...

Chegando em Miura, a última cidade nos confins de Kanagawa. Cidade típica de litoral: restaurantes cujos pratos típicos a base de peixe e frutos do mar. (Até hoje nunca entendi porque lula, polvo, ostras e afins são chamados de "frutos do mar". Quando pequena, achava que tivesse um pomar no fundo do mar....) Barcos pesqueiros, casas de madeira... e a brisa fresca com o cheiro do mar (dãããã... acabei de falar que Miura Kaigan fica no litoral?).

Porto de Misaki, onde barcos de pesca misturam-se com os navios de passeio...

Tá vendo aquela ponte? Pra lá que vamos! A ponte que divide o continente da ilha de Jogashima. Imagine Florianópolis, mas sendo que a ilha, bem, sei lá se tem habitantes lá...

Em Misaki Kaigan, tem um porto, onde barcos pesqueiros dividem o pier com navios de passeio. Não pegamos pois o tempo não estava lá muito bom e o mar estava quebrando muito nas rochas. Resolvemos deixar para uma outra oportunidade...

A ponte que une a ilha de Jogashima com a cidade de Miura, tem que pagar a entrada. Afinal, se tiver gente morando lá, seria uma forma de "arrecadação de fundos pra manter a ilha". Isso porque a ilha "divide-se" em duas partes: a parte onde fica o farol, que seria a parte gastronômica e pousadas, onde os barcos de turismos atracam. Infelizmente, devido ao fato da gente não ter estudado melhor como era a ilha, resolvemos ir do outro lado, onde fica o parque estadual de reserva natural de Jogashima.

Cada caverna, um nome. Não me pergunte se a gente decorou o nome de todas elas!!!

O mar visto do alto do parque. Cenário perfeito praqueles filmes de mistério que envolvem assassinatos na praia... (frase macabra off)



As ondas. A maré estava bem agitada naquele dia. Previsão de taifu (ciclone)? Talvez...

O outro lado da ilha, é um misto de parque natural, com área de piqueniques, mirantes para ver o mar e encostas para chegar próximo ao mar. Quase na ponta, outro farol. Os visitantes vão para colher conchas para decoração ou usarem como enfeites, adereços... O lugar é cheio de pedras, portanto, vá preparando as pernas, pois as escadas feitas parte pela ação natural pela erosão marinha, são de perigo constante.

Depois fica morrendo de sede e tem que disputar com o bichano da foto o bebedouro.

Em Jogashima, como tem muita área verde e espaçosa, a contigência de felinos, aumenta. Isso porque os gatos são tão mal acostumados que eles nem procuram mais comida. A comida chega até eles..."

Vale a visita, o passeio e a caminhada. Pra quem gosta de paz, sentir a brisa fresca (e salgada) e conhecer melhor o "outro lado de Kanagawa", vamolá ...

Site da prefeitura de Miura, Kanagawa: http://www.miura-info.ne.jp/recommend/stroll/02.html (em japonês)

4 comments:

  1. Que gato danado, olha onde ele está tomando água!
    Mas adoro gatos.
    Nunca fui para Jogashima, mas agora que estou sabendo, vou deixar anotado.
    Belo post,
    bisou

    ReplyDelete
  2. Bom aí de cima sou eu, Elisa no blog!
    bisou

    ReplyDelete
  3. Nossa, as fotos ficaram boas, mas o tempinho não ajudou hein? Parece os recentes dias de Sampa rs... Adorei o gatinho bebendo água. Isso me faz lembrar que é bom sempre levar a nossa própria garrafinha.

    Kisu!

    ReplyDelete
  4. Elisa, gato (de quatro patas...) é o que sobra naquela ilha. De fome eles não passam. Peixe, sazae e similares é o que não faltam rs
    Se resolver ir para aquela ilha, de carro compensa se for mais gente, esqueci de avisar que para entrar no parque, paga-se 440 ienes mas nao sei se é por causa do estacionamento.

    Bah, aquele dia o tempo não ajudou, mas ainda bem que não choveu (pensar que no dia seguinte fez um sol de rachar...)

    Só de fotos, tiramos mais de 200!!

    Beijos!!

    ReplyDelete