Monday, December 20, 2010

Cada situação que a gente passa (Ou: O Direito de Ser Eu Mesma)

Ultimamente a gente ouve, vê, enfim, presencia cada situação do nosso cotidiano que não tem como passar batido. Muitas vezes seriam os absurdos de cada dia. Embora para uns possa ser "a coisa mais normal do mundo", para outros vira "mas que barbaridade!!" Oras, mas também, um ser igual a outro perde a graça. E se a pessoa sente-se bem assim, que podemos fazer? Desde que não faça mal a terceiros, então deixa disso.

Direito de se vestir como quiser (desde que prevaleça o bom senso): Um dos lados bons de morar aqui no Japão, especialmente onde eu moro (Yokohama), é que da mesma forma que durante a semana vou trabalhar de roupa social e salto alto (e não tenho problema na coluna), nos dias livres ora posso estar de cara lavada (nem tanto), de calça jeans e camiseta ou de saia rodada com legging e sapato baixo sem que muita gente olhe pra mim achando que pirei - se for em Shibuya, andar de calça colorida não significa que o cara seja boiola. E num frio de rachar pedra já vi muita moçoila de shorts com meia calça preta e desenhada. Ao menos elas têm envergadura pra usar tal peça (sendo magra, sem coxa grossa e sem tanajura). O pessoal com quem eu trabalho já acostumou comigo de me verem usando roupa social de trabalho num dia e no outro aparecer de blusa côr de uva, o que já ganhei a alcunha de "fanta uva tamanho litro" e no dia de folga me verem meio disaster fashion (é: saia rodada com legging e blusas coloridas)...

Direito de ter um "guilty pleasure": Quem me conhece sabe do meu gosto totalmente duvidoso em matéria de música. Eu tenho que falar dessa forma, pois gosto é que nem traseiro: cada um tem o seu, então entende-se que, em um momento estou ouvindo Beatles, de repente estou ouvindo Legião Urbana, pulo pro Masaharu Fukuyama, passo pela Cyndi Lauper, Amy Winehouse, Carpenters, termino ouvindo Smap e passo pros Beatles de novo. Isso em casa quando ouço pelo PC (tenho o iTunes instalado), ou quando viajo de carro ou no iPod mesmo. E em modo shuffle, isto é, vira uma salada só. Nessas horas que agradeço em partes por existirem os fones de ouvido... Da mesma forma que existem pessoas em todo o mundo que dizem que ouve tal artista, mas entre quatro paredes e cortinas cerradas, ouve o seu guilty pleasure ou seja: por vergonha de admitir que ouve tal artista, acaba ouvindo em casa mesmo. (No meu caso, tudo acaba virando guilty pleasure pra qualquer pessoa que me conhece, mas e daí?)

Direito de se divertir (afinal, ninguém é de ferro): Enquanto muitos acham que a gente - pelo menos aqui - vive de trabalho, trabalho, trabalho (daí vem gente mal informada achando que viver aqui é uma droga), outros acham que a gente está esbanjando e "se achando" quando a gente tira alguns dias de folga e acaba viajando nem que seja no jardim que fica na esquina de casa. Como agradar gregos e troianos sempre foi difícil, querem saber? Nem ligo mais se passo a semana toda trabalhando ou se passo dois dias (ou mais) de folga. E pagar minhas contas essa gente que reclama, não quer, né?

Direito de ter surtos ocasionais e pôr a culpa na TPM: Vai ter mulher reclamando, mas pensemos em um lado bom - na hora que estamos na crise da choradeira, na depressão, e os nervos a flor da pele, podemos dizer "maldita TPM que me afeta!" ou algo parecido. E ai daquele que vier cutucar a gente nesse estado! Sim, TPM também virou sinônimo de "tou pronta pra matar", "tou pronto pra morrer", e outros significados que nessas horas os homens têm criatividade, pois para não correrem risco de vida, eles têm que tomar cuidado. Pior que existem os masoquistas (ou doidos de pedra mesmo) que ficam provocando a gente na época em que estamos sensíveis e quanto mais sozinha melhor. Depois acabam levando uma pedrada e ficam espalhando pra todo mundo que "fulana é violenta". Mas também, quem mandou cutucar a fera com vara curta? Conselho aos homens: gostaríamos mesmo que, se pudessem, virassem mulheres por uma semana. Principalmente na semana do TPM e sofrerem de cólicas. Das violentas.

Agora, o(a) primeiro(a) que vier comentando que meu sítio só tem algo depressivo, melhor procurar:

1) Fórum de pessoas depressivas que querem fazer um pacto;
2) Blogs que contenham o título "depressão" ou conteúdo como "estou triste e quero morrer";
3) Livros de autobiografias de gente suicida.

Nota: o artigo de hoje seria uma quase resposta a um comentário infeliz do artigo anterior. Se a pessoa se identificasse, talvez nem teria gerado esse artigo.

Não, não estou de TPM, não pertenço a um grupo suicida, nem sofro de depressão.

11 comments:

  1. Kyomy
    acho q cada pessoa encherga aquilo que ela escolher.
    Nao ligue pra criticas, se fosse real acho q a pessoa ao menos se daria ao trabalho de identificar-se.

    Tem gente q reclama do Japao, reclama do Brasil e vai levando a vida com a barriga.

    Sinceridade, a vida eh curta demais para se curtir tao pouco.

    beijos

    ReplyDelete
  2. Eh, Kiyomi!
    Sua super baixo-astral, kkkkkk!
    Só mesmo um anônimo...Bem,
    só vou te dizer, que é cada situação que a gente passa, viu!
    Tenho vivido umas aqui bem desnecessárias, mas eu estou gostando, pois está fazendo uma triagem pra mim, que oooopa!
    Para 2011 eu desejo que as pessoas aprendam mais a respeitar as outras, pois em 2010 eu não vi muito disso!
    E sou bem assim... Tenho TPM matadora, curto uns filmes e músicas bem 'diferentes', gasto meu dinheiro em coisas que eu quero e daí?! E me visto de um jeito mais japonês do que brazuca! Quem vai encarar?! Haha!
    Mil beijokas!
    Ah, e estou de olho nos 'doramas'da TBS, essa é a melhor época!
    ^^

    ReplyDelete
  3. oi Ky
    pessoal besta ne? rs
    Cada um deveria olhar o seu jardim antes de falar bobagem e amem que moramos num pais que nos permite tanta liberdade, yeaaaahhhh
    beijos!

    ReplyDelete
  4. Olá Kiyomi!

    Relaxa, 2010 está acabando e os bons fluidos se renovarão em 2011!

    Vista aquilo que te faça bem, escute as músicas sem medo de ser feliz e aperte a tecla foda-se às pessoas que te criticam no anonimato.

    TPM é uma coisa difícil de controlar, porque sofro muito. Só sei que depois que comecei a fazer academia e a tomar pílula melhorou muito...

    Aproveitando, desejo um Natal iluminado e que em 2011 seus sonhos se realizem!!!

    Bjão

    ReplyDelete
  5. afff
    eu recebo trollers diariamente rs.
    muitos por e-mail, pessoas que odeiam o Japão e mandam foto de gente que morreu na guerra, bomba atômica...se o Japão faz alguma k-gada então, é pra morrer, choooooove de mail. mas já encaminho tudo pra lixeira rs.

    eu tb acho isso ótimo. aqui ninguém liga pro que vc veste, seu visual, cada um na sua. meio que "eu visto o que eu quiser, o que vc tem a ver com isso"? pq no Brasil basta botar uma coisinha diferente que nego te xinga na rua, dos carros, etc.

    eu adoro seu gosto musical, pq é saladão que nem o meu, tem espaço pra tudo. e não tem que ser assim? cada um ouve o que quer, ué, botar regra até na música não dá.

    aqui é igual a qualquer lugar no mundo: trabalha-se e temos os nossos momentos free. não somos políticos corruptos, então não gozamos das maiores regalias do mundo. e nem é o inferno tb, é igual.

    tpm. culpa dos hormônios. e o seu blog é pessoal, ninguém paga nada aqui pra ler, portanto quem não gostar, não leia

    eu sempre me pergunto sobre esses anônimos. eles aparecem só pra criticar. será que são aqueles que vão visitar as pessoas e levam cocô de cachorro? pq qdo tá bom, não aparecem pra elogiar, não é?

    afff...

    que esses trollers fiquem em 2010
    bjs

    ReplyDelete
  6. Vixe Kiyomi, agora seu anônimo(a)deve estar se sentindo, ganhou post exclusivo hahaha, bem que poderia ter ido dormir sem essa, mas fazer o que, tem gente chata pra caramba solta por aí, e você não vai ser nem a primeira ou a ultima a sofrer com esses trolls, tem tanto blog que leio que os blogueiros reclamam muito, ora gente mal educada, enchedores de saco, revoltados, porque só criticam? Não entendo, eu comento quando gosto e quando da tempo, se não gosto do que estou lendo uso um X que tem do lado esquerdo ou direito do navegador e fecho a janela, nem tudo me agrada, mas comentar só pra encher tenha a santa paciência né, mas fazer o que, andar armado e sair matando é que não dá, e o pior a maioria não põe a cara pra bater prefere ser mais um anônimo, não existir, ser mais um nada no meio do nada, muita pena, mas nem pense em abandonar o blog como já vi muita gente fazer, com certeza você tem bem mais pessoas que gostam do que você escreve do que o contrário. Abraços.

    ReplyDelete
  7. Ah amiga eu aprendi a ser eu mesma sem culpa..rsrsrs..e o que os outros tem a ver com isso né? Com as roupas que visto ou com meu jeito de ser? O que importa é ser feliz mas sabe...tenho um ipod e sou muito eclética com m[úsica e as vezes tb me acho doida pq uma hora do ouvindo um mantra ou algo mais calmo e de repente passa para algo mais agitado...rsrsrs...e vou acompanhando..rsrs..

    ReplyDelete
  8. A insustentável leveza de ser você mesmo.

    Direito de se vestir: Em Shibuya/Harajuku o conceito de se vestir estranho simplesmente é livre.

    Guilty Pleasures: Minha lista de músicas japonesas é mais variada que as baldeações na estação de Shinjuku. Passa de Inoue Yousui para Hikawa Kiyoshi para Morning Musume para Noguchi Goro para Mizumori Kaori para Oginome Yoko para Kikkawa Koji para Anzen Chitai para Takada Mizue para Okada Yukiko para Ota Hiromi e assim vai até onde Judas perdeu os cadarços das botas. E os guilty pleasures no meio dessa lista são na ordem da centena. E olha que não mencionei artistas de língua inglesa, espanhola, italiana e os nacionais.

    Diversão: Cada um sabe qual é a que melhor lhe agrada. Levar alguém arrastado não é diversão pra ninguém.

    ReplyDelete
  9. Não sei onde vc vê alguma coisa depressiva no seu blog rs... eu acho é muito divertido rs... claro, todos esses direitos nós temos porque afinal, somos todos humanos que temos o direito de viver conforme nossas vontades, claro que sempre respeitando as pessoas porque viemos nesse mundo para aprendermos a viver em sociedade...

    Kisu!

    Aproveito e desejo um Feliz Natal pra vc e o kinguio.... e não vai abusar do peru rs.

    ReplyDelete