Friday, December 31, 2010

O Festival do Vermelho e Branco - Kouhaku Utagassen - Parte 5

Lista de chamada dos novatos pro Kouhaku Utagassen de 2009: em cima, da esquerda pra direita - o quarteto flumpool e o trio FUNKY MONKEY BABYS; embaixo da esquerda pra direita: Yuusuke, Kaela Kimura e Nana Mizuki.


Quem sempre - ou quase - "bate cartão" no evento... (Ala Masculina)


Antes que a mulherada (maioria dos leitores do sítio) comecem a sentir falta "cadê os homens?", digo que dividi o tópico em dois antes que o post ficasse algo gigantesco e eu sei que ninguém vai ter paciência pra ler.

A equipe masculina ou grupos mistos onde o homem é o vocalista principal, formam o time "Shirogumi". Eles que estão em larga vantagem de vitórias, mas eles não têm culpa se eles capricham mais. Ou porque tem muita carne nova no pedaço... ops, porque a mulherada gosta. Ou não. Tanto faz. (E se nesta lista tem mais comentários de homens, eu não tenho culpa se os homens estão meio com a corda toda)

- ARASHI (2 vezes): serão os representantes do "Shirogumi". Demoraram dez anos para se apresentarem pela primeira vez no Kouhaku Utagassen devido eles serem "intimados" sempre a participarem do concerto do final de ano da agência que eles são. Têm outros grupos? Sim, mas até então preferiam os mais ou menos novatos. Agora, devido a serem supporters, eles têm que aguentar as 4 horas e 15 minutos no palco da NHK Hall para ver se o "Shirogumi" leva mais uma vitória. Será que pegaram as dicas com o Masahiro Nakai, já que ele 1) é o sempai do grupo e 2) já tem experiência? O ano de 2010 teve bons frutos pro quinteto formado por Satoshi Ohno (o líder), Sho Sakurai, Masaki Aiba, Kazunari Ninomiya e Jun Matsumoto - shows lotados, programas de TV, singles, novelas, comerciais... Na foto, da esquerda pra direita - Jun Matsumoto, Satoshi Ohno, Masaki Aiba, Kazunari Ninomiya e Sho Sakurai.

- HY (primeira vez): Quinteto vindo de Okinawa, o nome da banda vem das iniciais da cidade natal deles (Higashi Yakena). Começaram como banda de rua e ganharam notoriedade em 2003 ao ser eleita a melhor banda independente (indie) pela Oricon. O quinteto formado por Yuhei Miyazato (guitarra, backing vocal), Shun Naka (bateria, rap, backing vocal), Shinsuke Kyoda (baixo), Hideyuki Shinzato (Vocais, guitarra e rap) e Izumi Nakasone (Teclados, vocal e backing vocal) destaca-se por misturar vários ritmos com tempero de Okinawa, como na música a apresentar pro Kouhaku - "Toki wo Koe", em  que eles utilizam instrumentos típicos da ilha. Na foto, da esquerda pra direita, Yuhei Miyazato, Izumi Nakasone, Hideyuki Shinzato, Shinsuke Kyoda e Shun Naka.

- EXILE (6 vezes): O grupo formado por 14 rapazes, está prestes a ganhar o tricampeonato do Nippon Record Taisho este ano. Eles ainda conseguem manter a peteca no alto pois suas músicas dançantes não deixam ninguém parado, misturando pop com dance street. Tudo começou com o líder Hiro, que já tinha currículo no grupo ZOO (quem é mais ou menos da minha faixa etária, lembra da música "Choo Choo Train" na época do ZOO, pois o pessoal mais novo lembra do primeiro sucesso do EXILE) que montou um grupo com sete rapazes, como J Soul Brothers. Resolveram mudar para o nome que tem hoje mas o nome J Soul Brothers foi Hiro quem ressuscitou para ajudar um septeto quase nos mesmos moldes. Por pouco que o grupo não decaiu devido a agência deles ter caído na malha fina do imposto de renda (em português bem claro: a agência sonegou impostos por dois anos sem o Hiro saber). Baixado a poeira, eles ainda mantém o programa de TV e eles quem vão abrir o festival por parte da equipe branca. Na foto, o grupo de 14 rapazes EXILE. Só não me perguntem quem é quem porque o site onde encontrei a foto nem legenda tinha!


- Yuzo Kayama (17 vezes): O ídolo dos anos 60, quando ele fazia filmes da série "Wakadaisho" (O Jovem General), Kayama também cantava e tocava guitarra elétrica. Aliás, antes de ser ator, era cantor. Foi um dos pioneiros do "eleki" (corruptela japonesa para "electric guitar"), o modo de tocar impressionou até o quarteto americano The Ventures. Inclusive, a fabricante de guitarras Mosrite fez um modelo exclusivo para ele. Se foi o fato de ter nascido em Yokohama e criado em Chigasaki, não sei se tem algo a ver, mas a grande maioria de suas músicas fala muito de praia, sol e amor de verão (daí ele fazer parte da "Trindade de Shonan" - inclui também o Southern All Stars e TUBE). Foi um dos felizardos a conseguir uma foto junto com os Beatles na turnê japonesa de 1966. Embora esporadicamente Kayama esteja mais se dedicando a pintura, ele aparecerá  para um medley especial dos 50 anos de carreira (se ele não incluir a famosa "Kimi to Itsumademo", muita gente vai cair matando, pois foi com esta música que ele apareceu no Kouhaku Utagassen em 1965). Na foto, Yuzo Kayama em apresentação em maio deste ano, comemorando seus 50 anos de carreira com sua famosa guitarra exclusiva pela Mosrite.

- Saburo Kitajima (47 vezes): Desde que estreou na vida artística em 1963 com "Hakodate no Hito", Sabu-san (como ele é conhecido), ele já é "patrimônio do Kouhaku Utagassen". Tá, exagerei, mas sem ele, parece que o Kouhaku fica faltando alguma coisa. Quase sempre ele encerrava a noite com "Matsuri", em que todo mundo participa. E ficam exaltados também. Desta vez, ele não vai encerrar a noite, pois a música escolhida para interpretar - "Fusetsu Nagaretabi" - era do compositor Tatsuro Hoshino, que faleceu recentemente.

- Hiromi Go (23 vezes): O pessoal mais novo vai lembrar dele em 1999 ao fazer a versão nipônica do sucesso de Ricky Martin para "Livin' The Vida Loca" (que na versão aqui virou "Goldfinger '99", algo que nem eu entendi) e aparecer de surpresa na caçamba de um caminhão em pleno movimento de Shibuya, naquele cruzamento maluco que já cansei de falar aqui. Agora o pessoal que tem maiomeno a faixa etária dele (55 anos), lembra do Hiromi Go no início de carreira, com aquela voz de taquara rachada mas nos anos 70 fazia parte do chamado "Shin Go Sanke" (ou "O Novo Trio da Cidade"), entre o meio artístico era o nome extraoficial dos três rapazes mais bem cotados artisticamente - o próprio Go, Hideki Saijo e Goro Noguchi. Motivo porque Hiromi Go foi escalado este ano - o fato de ter feito 55 anos de idade? Foto mais recente de Hiromi Go, para o Dinner Show em Karuizawa (Nagano), durante a primavera.

- Kobukuro (6 vezes): A dupla formada por Kentarou Kobuchi (guitarra) e Shunsuke Kuroda (vocal), começaram no estilo do Chemestry - vocal e violão, músicas sentimentais - o que era na moda no início dos anos 2000. Estranho que o Chemestry meio que sumiu (não aparece tanto assim na mídia), mas o Kobukuro manteve mais ou menos o mesmo estilo e aparece bem mais na mídia, como na campanha da bebida Pepsi NEX com a versão nipônica de "Layla", de Eric Clapton e recentemente a música "Ryuusei" ("Estrela Cadente") foi tema da novela - que acabou - "Nagareboshi". O diferencial da dupla é o vocalista Kuroda - tem 1,93 metro, algo meio raro (nem tanto) para japoneses... Na foto, à esquerda Shunsuke Kuroda (vocal) e Kentarou Kobuchi (guitarra).


- Smap (18 vezes): Desde que eles começaram a "bater ponto" no Kouhaku a partir do ano em que eles foram criados (1991), o quinteto recusou o convite de participar do evento duas vezes - em 2001 quando tiveram que se virar como quarteto, eles enviaram uma carta dizendo que "Não tem sentido algum ir ao evento com um a menos. Somos em cinco e se falta um, ninguém vai". E em 2004, ano que não tiveram uma música inédita lançada (a desculpa: "Desculpe-nos, mas este ano não tivemos uma música nova, portanto fica pra próxima"). O líder Masahiro Nakai já representou a Equipe Branca 5 vezes (exceto em 2006 que como não teve uma representante mulher pra Equipe Vermelha, sobrou pra ele), e no ano passado teve ajuda dos outros quatro nos bastidores (Tsuyoshi estava na divulgação da mudança para TV digital); no acompanhamento (Kimura foi quem trouxe a Susan Boyle ao palco); no entretenimento (Shingo fez parte do bloco "Kodomo Kouhaku" como o personagem Ryuusan do "KochiKame") e na platéia (Inagaki estava entrevistando a platéia). Foi o primeiro grupo não-enka a encerrar o festival depois de 25 anos (em 2003), teve a dobradinha em 2006 (com "Arigatou") e este ano vai ser a terceira vez, com "This is Love" e um medley especial (sim, a sempre "Sekai ni Hitotsu Dake no Hana" não pode faltar!!).

- TOKIO (18 vezes): Dizem que a agência Johnny's Jimusho só permitiria três artistas para participar do Kouhaku pois logo teriam outras coisas a fazer ou marcavam tudo no mesmo dia, especialmente o Countdown que é feito no Tokyo Dome. Este ano, têm quatro: Arashi, NYC Boys, Smap e TOKIO. Quem nunca teve a obrigação de ir pro Countdown foi o Smap (mesmo porque se o Masahiro Nakai era o representante do Shirogumi, nem pensar em largar o programa no meio, além da comissão quase sempre colocarem eles bem pro final mesmo). O quinteto formado por Shigeru Joshima (guitarra), Tatsuya Yamaguchi (baixo), Taichi Kokubun (teclados), Masahiro Matsuoka (bateria) e Tomoya Nagase (vocal e guitarra), é um dos poucos da agência que cantam e tocam. Se bem que ultimamente os cinco dedicam-se mais ao programa de variedades "The Tetsuwan DASH!", quase todo domingo pela Nippon TV, do que na música. Recentemente os cinco são garotos propaganda da maior empresa de entregas do Japão - o Yamato Takkyuubin (mais conhecido como "Kuroneko" devido ao símbolo da empresa).

- Hideaki Tokunaga (5 vezes): Muita gente já ouviu muito "Kowarekake no Radio" ou "Rainy Blue" nos anos 90. Mesmo passando os anos e ter-se recuperado de um aneurisma cerebral em 2001, ele mantem o mesmo estilo de cantar. Recentemente, sua quadrilogia "Vocalist" no qual interpreta músicas cantadas somente por mulheres, vendeu muito bem. No evento ele interpretará uma das músicas mais famosas da saudosa Teresa Teng - "Toki no Nagare ni mi wo Makase".

- AAA (primeira vez): Grupo formado por sete membros (cinco homens e duas mulheres), até algum tempo eles atuavam em comerciais e como back dancers da Ami Suzuki e Ayumi Hamasaki. Pertencem a gravadora Avex Trax, só ganhou mais sucesso este ano devido as duas músicas lançadas terem sido compostas e produzidas por Tetsuya Komuro (sim, ele mesmo, que teve problemas de ter vendido as músicas, embolsou a grana e não entregou as músicas), que parece que tomou tento e resolveu voltar a fazer coisa séria. Como compôr e produzir, por exemplo. O nome do grupo significa "Attack All Around", mas muita gente conhece como "Triple A".

- Kiyoshi Hikawa (11 vezes): Outro que desde que começou a carreira, já frequenta o evento todo ano. Chamado outrora de "Príncipe do Enka", pois numa fase em que o estilo ficou muito restrito para quem passou dos quarenta, eis que em 2000, com apenas 23 aninhos, aparece um rapaz de cabelo pintado de quase loiro, de brinco, parecendo cantor de visual-kei estilo Glay ou L'Arc en Ciel, algo assim e... cantando enka!! Depois de "Hakone Hatiri no Hanjirou", Hikawa virou figura carimbada nos programas de enka e no Record Taisho. Na verdade, sinto falta era do programa que ele fazia na emissora NHK as quintas de noite com a Becky e Guchi Yuzo - o "Kiyoshi tokonoyoru". Ele ainda mantém o mesmo estilo - ora se apresentando de quimono, bem estilo japonês mesmo (quando canta aqueles enka bem tradicionais mesmo) ou superproduzido, com direito a plumas e paetês (antes que perguntem, sim, ele é da irmandade, mas isso não quer dizer nada).

- Masaharu Fukuyama (3 vezes): Bem, quem conhece a autora aqui, sabe que falar de Masaharu é chover no  molhado... Ano passado, faziam dezesseis anos que Masaharu tinha aparecido pela primeira vez no evento. E embora tivesse um sucesso atrás do outro, ele nunca mais foi intimado convidado. Mesmo quando "Sakurazaka" foi million seller em singles, foi e continua sendo muito tocada. Um dos motivos era que seus shows de final de ano que ele costuma fazer no Pacifico Yokohama coincidia com o evento. Ano passado, devido ao fato de ter sido escalado para ser o protagonista do taiga dorama da emissora "Ryomaden", não teve nem como recusar. Só que ele apresentou-se em Nagasaki, cidade natal dele. Este ano, devido ao sucesso do taiga dorama que acabou em novembro e vinte anos de carreira, novamente foi chamado para participar. O problema foi que Masaharu já tinha marcado os cinco dias de shows no Pacifico Yokohama (de novo, e se perguntarem pra mim se eu vou, perguntem primeiro se eu consegui o ingresso) muito bem antes de sair a lista dos convocados pro Kouhaku. Problema solucionado: por volta das onze da noite, Masaharu apresentará a música no meio do show e transmitido ao vivo pela NHK...

- L'Arc~en~Ciel (4 vezes): Não tinha entendido porque o quarteto - por uns bons anos teve seu auge nos anos 1990~2000 como visual kei, concorrendo com Glay e Luna Sea e outros - este ano foi chamado. Explicado: a música "Bless" foi usada como tema musical pela emissora NHK para os Jogos de Inverno de Vancouver. O grupo teve um período de pausa por volta de 2001 a 2004, para projetos solo, mas voltaram logo depois. Acreditem, mas o grupo tem mais reconhecimento no exterior (principalmente na Europa) do que no Japão. E logo depois de se apresentarem no Kouhaku (eles serão a 22a. atração a se apresentar), eles farão o show que inicia as comemorações pelos 20 anos de carreira (começara no Makuhari Messe).

Sim, eu sei. O artigo demorou, a postagem ficou longa e o Kouhaku começara dentro de menos de dez horas. E falta a última parte, mas a gente faz o que pode...

Quem deveria ter chamado também...


- Yuzu. A dupla formada por Yujin Kitagawa e Koji Iwasawa, ainda continua na ativa, fez uma turnê muito boa - "Futatabi" - e suas músicas agradam a todos, mas três vezes é pouco, não?

- Mr. Children. Quarteto que já tem mais de duas décadas de carreira, ótimas músicas, tem carisma. Só apresentou-se uma vez (2008). Se chamaram antes disso, pode ter coincidido no mesmo dia que eles tinham que comparecer ao Record Taisho, que até então coincidiam as datas.

- Kanjani Eito. Poderiam aparecer, mesmo os organizadores do evento chiarem "mais outro grupo do Johnny's Jimusho???". Podem substituir o NYC Boys e colocar o septeto que ninguém vai achar ruim. Não mencionei o Kinki Kids porque este ano eles estão com show no Tokyo Dome...
Na verdade, o grupo era composto de oito membros mesmo. Devido a saída (forçada) de um deles, acabou ficando sete, mudaram de estilo musical (a intenção da agência era pra ser um grupo de enka vindo de Osaka, cidade natal da maioria deles) e participam em programas de variedades (o mais recente - o "Kanjani eito Map" - é de rir com as situações inesperadas na cidade que o grupo visita).

2 comments:

  1. Arashi: Estão sendo preparados para serem o "novo SMAP". Podem até tentar superar. Tiveram um 2010 memorável e prometem manter o pique em 2011.

    Exile: Acabaram de ganhar o tri do Record Taisho, empataram com a Hamasaki Ayumi em número de Grand Prix e, se mantiverem a popularidade em alta, podem tentar em 2011 um inédito e histórico tetracampeonato do Grand Prix.

    Kayama Yuzo: Os 50 anos de carreira estão sendo comemorados em grande estilo. Recebeu uma premiação especial no Record Taisho e dividiu vocais no FNS Kayousai.

    Kitajima Saburo: Tem 47 participações mas deixou de participar em um ano na década de 80, e hoje o recorde de participações consecutivas é do Mori Shinichi.

    Go Hiromi: Eu não era nem nascido e o Go Hiromi já estava nos píncaros da glória. Consegui até um LP de sucessos da fase "taquara" em ótimo estado de conservação, quando minha sensei de nihongo foi visitar a família em Tokyo e eu pedi para passar numa loja de vinis usados. Tá aí um cara que sabe se reinventar constantemente e não tem o menor problema em rever sua longa e vitoriosa carreira. Exemplo: O medley de sucessos em parceria com as meninas do AKB48 e com Tsuruno Takeshi e Maeda Nobuteru no FNS Kayousai.

    Kobukuro: Outro fato a se destacar na dupla são as letras, quase sempre quilométricas mas de uma inspiração exemplar. Já levaram um Taisho, com "Tsubomi".

    SMAP: Um dia terão que passar o bastão para o Arashi, mas enquanto esse dia não chega o quinteto mais versátil do Japão continua dando a tônica no Kouhaku. E o Kusanagi quase sempre é o responsável por apresentar os coreanos.

    Tokio: Estão crescendo no conceito e não é de hoje, principalmente por causa de suas músicas recentes (e de quem as compôs). "Sorafune" é da Nakajima Miyuki e a mais recente "Nanana" é do Tamaki Koji.

    Tokunaga Hideaki: Demorou 20 anos para ser chamado, e quando foi chamado, foi por causa da ótima reprecussão da série "Vocalist". Como você já disse, nesse ano vem com a mitológica "Toki no nagare ni mi wo makase" em dupla homenagem: A cantora Teresa Teng e ao compositor Miki Takashi.

    AAA: Ganharam o Taisho de estreante em 2005 e passaram esses cinco anos em "marcha lenta", torcendo para que ninguém comparasse eles com os mexicanos do Rebelde. Até que o Komuro Tetsuya resolveu segurar esse pepino e transformou o Triple A em algo que venda bem. Dois ressurgimentos de uma tacada só: Um grupo tido como flopada e um produtor antes poderosíssimo que caiu em desgraça.

    Hikawa Kiyoshi: O "príncipe" (embora alguns dizem ser princesa) é o grande nome do movimento de renovação da Enka no século XXI. Surgiram outros bons nomes, tais como Sakurai Kumiko, Sakura Maya e Jero, mas o estilo purpurinado do Hikawa foi feito para roubar a cena. Não só com músicas inéditas mas também regravando antigos sucessos de Sen Masao, Mihashi Michiya, Suizenji Kiyoko, Murata Hideo, Misora Hibari, Minami Haruo e outras lendas.

    L'arc~en~ciel: Voltaram mesmo, para a alegria dos fãs espalhados mundo afora, não só na Europa mas também no Brasil. Por causa da música "Blurry Eyes", que entrou na trilha de um anime, são muito ouvidos pela otakaiada brasileira. Qualquer dia desses aparecem por aqui. Se até o Miyavi e o Dir en Grey já vieram...

    E um feliz 2011!

    ReplyDelete
  2. Eu particularmente gosto muito de Kiyoshi Hikawa... Canta muito bem e me lembra as músicas que meu pai gosta rs... ele que não gostou porque olhou com olhos preconceituosos em um novato cantando enka rs...

    Kisu!

    ReplyDelete