Tuesday, January 04, 2011

Quando a Tequila do Vizinho é mais forte...



Dia 17 de dezembro que passou, foi o bonenkai  da firma. Como todo ano, o pessoal deixa pra quase em cima da hora, porque desde novembro, 100% dos bares, restaurantes, izakayas, pubs, botecos e até o yatai de lámen mais muquifento da esquina estão com a reserva feita e lotada e na hora da gente marcar, liga daqui, liga dali e a gente só ouvindo "desculpe-nos o inconveniente, mas..." Quando a gente ouve esse "mas..." pode ter certeza que 1) não tem vaga; 2) quando tem, é pra no máximo dez pessoas (estávamos em dezoito); 3) quando tem, nunca é a data que a gente quer e 4) quando a gente encontra, o lugar é o mesmo que fomos em muitas vezes anteriores e o pessoal já quer algo diferente.

Eis que felizmente uma boa alma caridosa aceitou incluir dezoito pessoas num restaurante no dia marcado e na hora que estava ótimo. Sem falar do precinho (bem, nosso limite era 5 mil ienes por pessoa, incluindo aí a bebida, porque o pessoal queria mais beber que comer, o que não seria o meu caso).

O lugar escolhido pelo pessoal e pela unanimidade aceitaram, chama-se El Torito. Pelo nome dá pra se entender que foi um restaurante mexicano. Finalmente, algum restaurante que saísse do convencional (afinal, se o ano todo a gente vai ao izakaya e de vez em quando em algum restaurante com comida brasileira, por que uma vez por ano a gente não pode ter o prazer de comer em algum restaurante diferente?).

Não sei se pertence a mesma rede norte americana (tem um El Torito nos EUA), mas pelo que vi no site japonês, tem algo a ver sim. O do Japão, quem fornece a matéria prima seria o grupo Zensho (o mesmo que fornece para a rede de gyudon Sukiya e o family restaurant Cocos). Existem seis restaurantes em todo o Japão (Tsukuba; Edogawa, Ikebukuro e Shinjuku; Yokohama; e Osaka), com o que imaginar de comida mexicana. E bebidas idem.

Como era fiesta course, então foi pedido cerca de oito a dez pratos e bebidas a vontade, entre sucos e bebidas alcóolicas, para deleite dos rapazes (bem, é que a mulherada pefere mais comer do que beber, mas...).

 Logo para brindar, já serviram a famosa cerveja mexicana, a Corona. Com direito a uma fatia de limão autêntico (é porque se compra em lojas de bebidas, supermercados e conveniências, vem é um sachê de suco de limão. O jeito é comprar um limão e mandar ver). Toma-se desse jeito mesmo, no gargalo com o limão dentro. Não sou fã de cerveja clara (quem me conhece, sabe que adoro a Guinness), mas a Corona consigo tomar sem sentir o amargo na garganta. Será que o limão faz diferença?
 Começando a comer: acima, os aperitivos - chicken fingers e bolinho de lula. Com os molhos de honey mustard e sour cream. E as tortillas crocantes para acompanhar os molhos...
 ... que serviram para acabar com o guacamole, pois este prato era pouca tortilla pra muito molho. Não sou chegada a abacate, mas guacamole a gente consegue abrir exceção, porque esta estava muito gostoso, nem senti o gosto do abacate, pra falar a verdade.
 As flautas de camarão - tortillas de farinha recheadas com camarão e verduras diversas em molho de creme azedo e fritas acompanhadas com molho salsa. Bem picante, afinal, o restaurante era o quê mesmo?
 Salada de camarão com abacate, estilo mexicano. Com alface, tomate, dois tipos de queijo ralados e abobora. Lembra um pouco a Cobb Salad mas o camarão apimentado e molho a escolha ( não lembro se foi o honey mustard ou se foi o molho tradicional mesmo).
 Quesadilla  de frango. Bem, o que sobrou, porque era uma porção com quatro fatias.
Para eu não perder o costume, a cerveja escura mexicana (Negra Modelo), mas ainda continuo preferindo a Guinness, não tem jeito mesmo. Ah, e o Mojito, mas este tinha muito gelo, pouca bebida e quase nada de menta.

Claro que no meio dessa comilança e bebedeira toda, ainda teve uma bela porção de paella e sei lá quantas tequilas. Só tomei mais uma margarita original (esqueci de bater a foto) e uma tequila. Depois tive que sossegar com um suco, senão já ia chegar ao ponto de abraçar o cacto que fica do lado de fora do restaurante e ganhar uma sessão de acupuntura grátis.

Tirando o Mojito que estava aguado, o atendimento foi bom, a comida ótima e o melhor: na verdade, era pra encerrar as dez da noite (entramos as oito, com permissão de ficar duas horas), mas o gerente viu que só estava a gente no local e serviu mais bebida (porque comida não dava mais, já tinha esgotado os pratos permitidos no course) e ficamos até fechar - é que como o restaurante ficava dentro do Sunshine City de Ikebukuro, o local fechava as onze da noite. Aí nem pensar em esticar mais ainda do que precisava.

Home Page: http://www.gyuan.jp/eltorito/index.html

12 comments:

  1. fazer a festa de final de ano no estilo mexicano deve ter sido bem legal,deu para variar um pouco da comida e bebida japa ne?haha...
    na que fui,as meninas levaram um monte de bebida mexicana,elas eram viciadas na tequila,claro que nao beberam dentro do estabelecimento,e sim dentro do carro.
    :D
    pelo que vi os pratinhos pareciam deliciosos,
    beijaoooo.

    ReplyDelete
  2. Pelo jeito o seu bonenkai à Mexicana foi bem divertido. Muita comida, muita pimenta, muita tequila...
    Só faltou um CD do Luis Miguel ou do Maná e os garçons falando frases do tipo: "Foi sem querer querendo", "Não contavam com minha astúcia" e "Isso isso isso isso"

    ReplyDelete
  3. Os pratos têm uma cara deliciosa! Nunca comi comida mexicana de verdade, só peticos "TexMex" servidos no fast-food Chilango aqui em Sampa.

    Ri muito do comentário do cacto (acupuntura grátis XD).

    Fico me perguntando se o povo em volta não achou estranho ver vocês tirando fotos! Aqui no Brasil eu tenho vergonha de fazer isso e as pessoas ficarem olhando XD

    ReplyDelete
  4. Imagine uma brasileira, morando no Japão e comendo comida mexicana... muito interessante rs. Também participei de uma festa de confraternização do trabalho e como a maioria é louca por carnes, fomos a uma churrascaria. Logo depois, foi realizado a troca de presentes. Agora fiquei curiosa... o pessoal daí costuma fazer amigo secreto?

    ReplyDelete
  5. Que delicia!! Comida mexicana é tudo de bom! Voces foram dar uma espiada la em cima?
    bjks

    ReplyDelete
  6. Andreia, acredite: nesse restaurante, o que tinha de japonês eram os garçons, as minhas colegas de trabalho e os sobrenomes japoneses da gente, porque a comida, bebida e musica era toda MEXICANA!!! Cerveja Corona e tequila Jose Cuervo a dourada!
    Tirando o mojito que estava meio aguada, o resto estava delicioso! Acho que a gente vai repetir haha
    Mas vocês, hein? Já enchendo a cara antes de entrar no estabelecimento, muito bonito hahahahahaha
    Beijao!!!

    ReplyDelete
  7. MP Kouhaku, o restaurante ficava bem num dos maiores centros comerciais fechados de Ikebukuro, mas musica mexicana era estilo mariachi e os garçons eram japoneses... Apimentada a comida era, afinal onde é que fui comer mesmo? rs
    O bom daqui é a variedade étnica da gastronomia sem precisar sair do país. Sim, restaurante português de Portugal também tem!
    Abração!!

    ReplyDelete
  8. Felipe, comida mexicana se não tiver guacamole, nachos, tortillas e tequila, então você não comeu comida mexicana.
    Quanto as fotos, aqui é normal a gente tirar foto de comida. O que não dá pra tirar foto seriam em shows ou museus, a não ser que deixem mesmo... Ainda bem que poupei vocês de verem as fotos que minhas amigas tiraram de mim (e eu delas) já na terceira fase de tequila, margerita e mojito (por isso as ultimas fotos sairam meio estranhas)...
    Abração!

    ReplyDelete
  9. Cacá, se você viu alguma foto minha, muita gente acha que sou 100% japonesa. Bem, so se for do interior de Sampa, né? Estranho até fica, mas como grandes centros como Toquio, Yokohama, Hamamatsu e Nagoya estão acostumados (pero no mucho) com estrangeiros, o que desta vez acharam estranho era ver dezoito pessoas (sendo oito japoneses) com cara de japones e falando português num estabelecimento mexicano no meio de Ikebukuro...
    Ah, amigo secreto é mais entre os brasileiros mesmo, mas a gente nao faz pois somos em tão pouco que perderia a graça...
    Beijao!

    ReplyDelete
  10. Satie, pra falar a verdade, não. Nem deu, pois como foi a noite, a gente ficou mais comendo e bebendo até a hora de fechar!!
    Um dia vou ter que conhecer melhor o Sunshine City pois doze anos aqui, até hoje nunca andei direito lá?!
    Beijao!

    ReplyDelete
  11. Kiyomi,
    Puxa, que saudades que eu tenho dessas reuniões anuais e que sempre terminava num karaoke.
    Bom, nem preciso dizer que se o post tem comida, eu venho voando, né?kkkk
    brincadeira, voltei ontem de viagem e estava ansiosava para ver as novidades nos blogs amigos.
    Puxa, vc falou da cerveja guinness...
    eu estava doida para comprar uma garrafinha, mas quando vi o preço (R$ 18,00), desisti na hora.
    E no meu caso, nem era para beber...kkkkk, achei uma receita entitulada como o melhor bolo de chocolate, mas a tal receita tinha como ingrediente a cerveja guinness.
    fala sério, né?
    Adorei todos os pratos, e tambem tenho curiosidade de provar a tequila, um amigo meu, disse que a tequila é ótima para esquecer os problemas...
    bom, vou ver os outros posts...beijos e um feliz 2011

    ReplyDelete
  12. Ahahahah esqueceu de bater a foto pq já tava bêbada de tanta tequila que tomou, aposto rs...

    Adorei as fotos... eu não bebo então sou meio infeliz em lugares onde o povo enche a cara, mas me divirto com as pagações de mico dos outros rs...

    Kisu!

    ReplyDelete