Friday, June 03, 2011

Uma Vida Mais Bonita e Saudável

Como agora estou com um pouco de tempo mais livre (nem tanto, quase final de semana tenho compromisso, estranho, né?), posso aproveitar para "tirar o atraso de férias quase nunca tiradas durante muitos anos". Mas não tão rápido assim, gafanhoto, logo eu tenho que procurar outra coisa para fazer porque a workaholic que sou, mais de um mês sem fazer nada que preste, quem fica maluca sou eu.

Obrigada pessoal pelo apoio, mas não fiquem preocupados pelo fato de agora eu estar temporariamente de férias - eu mereço depois de oito anos e meio sem ter férias decentes, porque durante todos esses anos eu consegui tirar um mês de férias (quando fui na formatura do meu irmão mais novo) e o resto foram seis a sete dias de folga do final de ano, porque Golden Week (primeira semana de maio), Natsu Yasumi (final de julho) e Obon Yasumi (o "finados" daqui, mas dura uma semana ou mais a critério da empresa) nem lembrava mais o que era. Mas minhas folgas remuneradas (os chamados "yuukyou" 有休) fui tirando em doses homeopáticas, do tipo: tinha mês que eu tirava cinco dias de folga seguidas, outro eram duas...

Funcionária eficiente é fogo, né? Bom, voltando ao assunto do título da postagem.

Na postagem anterior, fui no seminário promovido pela revista Nikkei Woman e patrocinada pela indústria farmacêutica Daichi-Sankyo, como tinha explicado, era preencher o formulário de inscrição (tudo em japonês, gente!), aguardar o e-mail de resposta, ver se foi contemplada, imprimir o e-mail e levar no dia. Ganhamos uma sacola (vale a pena ver de novo) contendo amostras da companhia, claro que como ela patrocinava, tinha que divulgar o peixe que estaria vendendo...

O seminário - "Vida Melhor com Beleza e Saúde" (traduzido livremente de "キレイと元気のためにスマートライフ)- era destinado a mulheres (mais que óbvio). E o salão do Otemachi Sankei Building (que pertence ao mesmo grupo da Fuji Television) foi o local do evento.

Sobre a palestra em si, foi dividido em duas partes - a primeira sobre a parte de estética e beleza. Antes que muita gente pense que seria sobre cirurgia plástica, botox e outras coisas similares, enganaram-se. A palestra, conduzida por uma dermatologista do Kinki University de Osaka, abordou mais sobre um problema de pigmentação na qual a maioria das mulheres orientais possuem - o "kanpan" (肝班). Apesar do primeiro kanji  ser de fígado, não tem tanta relação com o órgão, exceto a coloração.
Os tipos de kanpan que existem, segundo os dermatologistas (livreto fornecido pela Daichi-Sankyo )

Kanpan ou "lentigo solar", seria tipos de manchas de coloração marrom na pele, especialmente no rosto, pescoço e mãos, afeta mulheres na faixa dos 30 aos 40 anos. Essa pigmentação ocorre pela ação dos raios ultravioletas (do sol) e também pelo fator idade, quando torna-se mais difícil a regeneração da pele perante a ação destes raios. Muito embora as manchas sejam benignas, pode-se esconder um possível câncer de pele. O tratamento não requer medidas drásticas, exceto casos em que as manchas tornam-se maiores a ponto de incomodar esteticamente, aí acaba retirando as manchas com peeling, laser e uso de cremes dermatológicos e suplementos recomendados pelo dermatologista.

Recentemente, segundo a palestrante, o kanpan está afetando também mulheres na faixa dos 20 anos, devido ao estilo de vida atual - trabalho em excesso, estresse, problemas hormonais, falta de cuidados com a pele... No estágio inicial, ainda dá pra tratar sem precisar de intervenção cirúrgica. E quem se submete a cirurgia, mesmo com algumas aplicações, o paciente terá que aplicar protetor solar, sair de casa protegido com chapéu, e luvas (caso fizer aplicação a laser nas mãos).

Obviamente, como disse que a Daichi-Sankyo estava patrocinando o evento, distribuiram amostras do suplemento Transino, produto que combate e auxilia na diminuição do kanpan, ainda em fase inicial, pois contém ingredientes necessários para o tratamento. Muitas confundem as manchas no rosto (as "sardinhas") com o kanpan e vice versa. Por isso que, se suspeitar das manchas que aumentam, melhor consultar o dermatologista.

A segunda parte do seminário, foi sobre saúde feminina. Melhor dizendo: sobre dores menstruais. Sim, vocês leram e os homens devem ter ficado chocados, mas cólica menstrual dói e existem casos em que a mulher nem consegue sair da cama. A palestrante, ginecologista da clínica que fica em Matsudo (Chiba), explicou sobre problemas hormonais e cólicas e como amenizar.

Sabido que, antes da guerra, a expectativa de vida da mulher japonesa era de 60 anos, casava-se cedo, chegava a ter de sete a oito filhos. Atualmente, com a mudança de estilo de vida, as mulheres acabam casando-se tarde, têm no máximo dois filhos, mas a expectativa de vida aumentou para 85 anos. Com essa mudança, consequentemente, a quantidade de ciclos menstruais aumentou. Pode achar estranho, mas é verdade - se antes de 1945 a mulher japonesa chegava a ter desde a menarca até a menopausa cerca de 50 ciclos, hoje chega a ter 500.

Abordando temas como as cólicas menstruais e como amenizar - uso de analgésicos convencionais, aromaterapia e relaxamento -, a temida TPM, consulta regular ao ginecologista e prevenção de doenças. Acreditem se quiser, as mulheres ainda têm receio de ir ao ginecologista, suportam dores menstruais e a pílula anticoncepcional é pouco utilizada. Isso nas palavras da palestrante.

E tudo explicado com gráficos e fotos, o que facilita para muita gente a fácil compreensão.

Apesar da palestra ter durado no total duas horas e meia, foi uma tarde bem produtiva. Eu achando que nunca ia conseguir entender nem 20% da palestra, consegui absorver mais de 80% do que as palestrantes falaram e explicaram. Os produtos que eu ganhei, vou usar, sim. Primeiro, preciso ler com calma o que seria cada produto, porque não é só usar e acabou, tem que ver a finalidade e modo de usar. Por exemplo, o suplemento Transino, para diminuir o kanpan, deram uma caixa com amostra para 10 dias. Sim, tem 30 comprimidos, mas acontece que tem que tomar três vezes por dia. E para surtir efeito, parece-me que tem que tomar durante dois meses.

E os produtos, claro, amostra mesmo. Para usar algumas vezes e depois ver se surte algum resultado. Se for bom, ótimo. Se não der em nada, bem, ao menos tentou, mas ver se não tem contra indicação, pois vai que a pessoa tem alergia...

10 comments:

  1. Que palestra legal q vc foi! Eu tenho sardas, essas manchas q a palestra falou e manchas da gravidez. Ja fiz laser 4 vezes e nao saiu tudo, entao resolvi apelar pro creme da rugol que usava no Brasil hahahahahahaha eh serio, acho q chega semana q vem, ai te conto!
    ah se esse kit 2 meses for bom, me avisa q eu quero tentar!
    beijos

    ReplyDelete
  2. Ai, quando vc falou ali que afeta mulheres de 20 e poucos anos devido a stress e trabalho demais me vi, acredita que com toda a bagunça que foi minha vida nos ultimos meses me surgiu uma alergia crônica devido ao stress... grrrr ~ agora que estou melhorando...

    ReplyDelete
  3. Quando eu fico estressada meu rosto lota de espinha hahahaha. Eu, com quase 30 anos, tendo espinha, fala sério, é horrível.
    Noss, fiquei impressionada com o aumento do ciclo menstrual. De 50 para 500, ah essa vida moderna. ^_^

    Depois não esqueça de nos avisar quais produtos deram um bom resultado! Yoroshiku ne.

    ReplyDelete
  4. Que palestra interessante Kiyomi. Queria ter oportunidade de ir nesses eventos. Deve ser bem interessante, afinal nunca é demais saber mais sobre dicas de beleza e saúde. Também sofro muito com espinhas e por isso não posso usar a maioria dos cremes vendidos nas lojas. Protetor solar só em forma de gel. Depois nos conte sobre os resultados e aproveite bem esse período pra descansar bastante. Bjuss

    ReplyDelete
  5. Satie, na verdade, muita gente confunde as manchas do rosto (e alguns casos nas mãos) com os "shimi", que são normais e podem ser retirados se fizer limpeza de pele adequada.
    O kit que ganhei dá para 15 dias apenas. Dois meses é a caixa da Transino se comprar na farmacia.
    A última vez que fiz exame dermatologico em um instituto de beleza por enquanto só dá um pouco de shimi e tenho que usar produtos de anti idade.
    Beijao!

    ReplyDelete
  6. Gesiane, no caso de estresse, na palestra indicaram fazer relaxamento e exercícios respiratórios. Obvio que pra mim (e muitas mulheres) aqui, depois de 11 de março o sistema nervoso, imunológico e todo o mais ficou bagunçado. Agora que estou melhorando. Também tive que controlar a gula, pois quando ficava nervosa, vivia atacando a geladeira.
    Bem, vou experimentar os produtos que ganhei e depois de duas ou três semanas eu falo...

    ReplyDelete
  7. Nossa, quanta coisa... AHhh nada como o Nihon mesmo pra dar tantas coisas legais... é verdade essa questão do tempo... hj as coisas etão tão estranhas, tudo que era feito pra ser, o que a sociedade impõe, não é mais como era antigamente rs... vejo eu, divorciada... sem filhos... sem expectativas de tê-los tão breve, aos 31 anos... eu estou nessa estatística da modernidade.

    Kisu!

    ReplyDelete
  8. Isa, em matéria de espinhas em idade errada, somos duas. Estou na casa dos 40 e volta e meia aparecem espinhas. Eh nervosismo mesmo. Felizmente aqui existe suplementos vitamínicos (e creme) para isso.
    Sim, como atualmente a maioria das mulheres japonesas "adiam" a maternidade e resolvem ter no máximo dois filhos, o numero de ciclos tende a aumentar (no meu caso, como nao tenho filhos, pode ser que eu tenha mais de 700 ciclos até a menopausa).
    Sim, tenho que ver se vai funcionar...
    Bjs!

    ReplyDelete
  9. Cacá, o bom de ir nesses eventos que eu estaria unindo o útil ao agradável: além de eu poder saber mais sobre o assunto, eu treino o meu pobre nihongo que anda meio fraquinho, pelo menos na parte de compreensão. Pra quem achava que não ia entender nada, saí entendendo mais de 80% do assunto. E não é porque as palestrantes estavam falando devagar sem muito termo técnico não!
    Quanto as benditas espinhas, por enquanto uso um creme para "otona nikibi", facilmente encontrado em farmácias. E controlar a gula por chocolates...
    Beijao\1

    ReplyDelete
  10. Bah, imagina eu então: quase com 41 anos, sem filhos, e ainda sofrendo com as malditas cólicas.
    Na segunda palestra, a ginecologista abordou bem sobre o assunto da vida moderna e também sobre o medo das mulheres fazerem consultas ginecológicas. Muitos dos problemas poderiam ser resolvidos sem precisar de procedimento cirúrgico se consultassem com frequência. Pelo menos anualmente a prefeitura de muitas cidades solicitam as mulheres fazerem o exame de prevenção de cancer de mama e útero.
    Claro que na palestra patrocinada por uma industria farmacêutica, nao ia deixar de divulgar os produtos, dando amostras dos mesmos hahahaha
    Beijao!!!

    ReplyDelete