Saturday, February 11, 2012

Fotos Randômicas (ou: Ok, só pra dizer que estou viva)

Eis algumas fotos que andei tirando do meu celular, alguns para testar a qualidade do dito cujo (já que eu troquei há alguns meses aproveitando uma promoção e usando meus pontos, mas seria outra história), mas como muita gente diz, cada foto traz uma história por trás dela, então eis algumas...

Quem disse que eu curei meu vício de café? Desde que tinha ingressado na faculdade, tornei-me uma viciada compulsiva em café. O que seria para um tira gosto, já que até meus dezessete anos eu raramente tomava, tornou-se um hábito diário. Cheguei no cúmulo de, em um dia, beber um litro de café, puro e sem açucar.

Resultado: quando terminei o estágio, quase terminei com uma úlcera.

Mesmo assim, parece que não tomei foi juízo, porque eu ainda continuo tomando café como se fosse água, cerca de duas a três canecas por dia, se deixar. Depois que voltei a trabalhar, devido ao horário e ritmo de trabalho, seria uma caneca de manhã e uma à noite, enquanto estou no computador pesquisando sobre doramas (cof, cof, cof) ou assistindo "Lucky Seven" (nota: dorama de segunda a noite) ou ao noticiário.

Quando eu posso, ainda frequento o Mister Donut, onde, pela manhã (até onze horas), tem o set donut coffee. Como o café e o café com leite pode-se repetir à vontade, então... No auge do meu período de férias forçadas, cheguei a tomar sete xícaras de café com leite nas três horas que fiquei, estudando....

Acorda o prédio todo, menos a dona do despertador... Desde que me conheço por gente, eu acordo cedo pra caramba, e atualmente, o mais cedo que estou acordando, seria cinco horas da manhã, para dar tempo de me lavar, trocar de roupa, tomar café com leite, comer algo, dar uma espiada no noticiário da manhã e pegar a condução pro meu atual trabalho, que fica a uma hora de casa (20 minutos de ônibus + 40 minutos de metrô). Ah, lembrando que tenho que estar no trabalho, já devidamente pronta antes das oito horas...

Raramente eu tenho dificuldade para acordar e levantar, a não ser que esteja muito mal. E a última vez que eu segui aquela história do "ah, só mais cinco minutinhos", eu acabei acordando duas horas depois.

Antes eu deixava um despertador apenas, mas agora estou deixando o celular também, por segurança. Ah, meu despertador...

Tenho um despertador, acho que contei a história dele. Mas recapitulando: meu despertador nem sei se encontra mais, mas nos anos 90, conheci muita gente que tinha o dito cujo, que era um personagem da época da guerra, chamado Norakuro, um cachorro ou gato, sei lá, mas o que eu sei que, o danado tem história. Comprei numa loja em Hadano (Kanagawa), porque queria que queria o dito. Bonitinho, lindo, maravilhoso, mas quando toca, é uma corneta e a voz estridente do personagem. Se não desligar logo, posso correr o risco de um dia encontrá-lo em pedacinhos...

Prevenida? Quando vim ao Japão, meu cabelo era curto, eu parecia um menino, porque, bem, contaram-me que o corte de cabelo aqui o pessoal enfiava a faca e torcia o cabo de tão caro que era e eu tinha o hábito de cortar "dois dedos" do comprimento todo santo mês. Depois que soube que não era tanto assim, passei a deixar meu cabelo crescer até um pouco abaixo dos ombros. Mas volta e meia (pra não dizer sempre), eu tenho que prendê-lo, senão incomoda para tudo, inclusive no trabalho.

Teve um belo dia que eu esqueci o elástico em casa e nem pra ter na bolsa. Fui lembrar quando já estava no trabalho, fazia um calor dos infernos, e quem tem cabelo comprido sabe o drama que passa.

Depois desse apuro, passei a carregar alguns elásticos (simples) dentro da bolsa e inclusive no pulso, pra prevenir. No atual serviço, como uso boné, fica difícil usar rabo de cavalo, então acabo  fazendo duas "maria chiquinha". Acho que o pessoal deve me conhecer como "a nikkei que usa dois rabos de cavalo com elásticos coloridos". Triste, eu sei, mas seria a melhor forma de prender o meu cabelo (que passou dos ombros). Mas no dia a dia, uso somente um rabo de cavalo, só no trabalho eu faço de outra forma e ninguém me venha pedir foto que nem que fosse a última coisa do mundo eu faria.!!!

Modelito novo. Eu havia comentado que tinha trocado de aparelho celular, certo? Sim, esperei penosos dois anos para trocar pelo modelo e marca que sempre fui fiel desde que cheguei ao Japão, e finalmente consegui, numa promoção e troca de pontos, o modelo NEC Medias NC-06, da operadora DoCoMo. O modelo, seria um smartphone com câmera, TV e tudo o mais, inclusive fazer e receber ligações. Embora ainda não sei todas as funções do aparelho, ao menos está sendo melhor que o anterior que eu tive, que me deixou na mão várias vezes. Os poréns seriam que dentro do metrô a conexão não seja boa (bem, acho que qualquer celular) e a bateria está descarregando muito rápido, apesar de não usar quase nada o dia todo. Acho que devem ser os aplicativos que andei fazendo download e nem estou usando.

O aparelho é extremamente fino, de espessura. Levinho. E para não riscar o aparelho (que originalmente é preto), comprei uma capa protetora de bateria que vinha um filme plástico na tela, sem interferir no manuseio, já que a tela é touch screen, ou seja, responde tudo ao toque na tela. Ah, sim. A capa protetora traseira é vermelha (a cor do meu signo, ou como queiram interpretar, vai). E pra não perder o hábito, vai lá eu colocar um penduricalho pra enfeitar. Tá, eu sei que eu preciso recolocar os outros que tenho... (Na foto: a tela parece embaçada, mas é por causa do filme protetor de tela, o wallpaper é a foto que peguei no tumblr, a pose "vejam meus músculos" por conta de Sho Sakurai e Kazunari Ninomiya Mal dá pra ver, mas a capa protetora de bateria é vermelha metalizada. E meu strap comprei no Kokuritsu no ano passado...)

Leitura para relembrar... Falando que eu levo cerca de uma hora para chegar no meu atual trabalho e como dentro do metrô a conexão é uma maravilha, eu aproveito para ler. Dentro da minha bolsa eu carrego pelo menos um livro, mas como recentemente comprei a coleção completa (cinco volumes) de "My Girl", então vou aproveitando o tempo para ler e reaprender a língua japonesa pelo menos na leitura, já que esse mangá tem muito pouco furigana e quando tem, seriam nas palavras mais difíceis ou que raramente aparecem nos diálogos.

Pra resumir esse mangá, ilustrado por Mizu Sahara, é a história de um rapaz que cria sozinho a filha, fruto de um relacionamento com uma colega de escola que partiu para o exterior e acabou morrendo. A história virou dorama no ano retrasado, que vou ter que fazer a resenha logo assim que eu assistir de novo, porque tem muitos detalhes que eu preciso anotar e muita coisa é diferente do mangá e do dorama.

E esta semana preciso voltar a estudar a língua japonesa, já que prometi a mim mesma que este semestre vou prestar o JLPT pra ontem....

Testando a qualidade da câmera... Ainda preciso descobrir como tem gente que consegue fotografar a si mesma e sair legal, porque eu tento e nunca dá certo. Até onde sei, o iPhone tem câmera na frente do aparelho, dando para ver a si mesmo na tela, o que não acontece no meu aparelho, cuja câmera fica na parte de trás e consigo tal proeza olhando no espelho. Sim. Essa foto consegui tirando no espelho. E ainda acho que não ficou boa (estou toda torta, cara lavada e precisando urgente acertar as sobrancelhas...)

São raras as fotos que eu tenho usando óculos. Quando vão tirar minha foto, a primeira coisa que eu tiro são os óculos, porque não tenho foto que eu fique bem com eles. E olha que eu gosto de usar óculos (exceto no verão, por causa do sol, meu rosto fica marcado por mais que eu use protetor solar fator 50!). E, bem, nesse teste eu estava com óculos...

O próximo teste, auto retrato com maquiagem e seja lá que Deus quiser, porque eu pra me maquiar sou um zero à esquerda e no meu atual trabalho, fica difícil usar, mesmo porque as poucas mulheres que trabalham lá, nem um batonzinho básico... Se ficar boa, eu tentarei tirar alguma foto...

3 comments:

  1. Kiyomi-chan como está linda na foto!!
    Também sou uma em que tento fotografar a mim mesma e... as fotos não saem boa a maioria... Então estou começando a treinar quem sabe um dia ficam boas...
    Tb amo café!!! É tudo de bom!!

    キス

    ReplyDelete
  2. Meu Deus! Estou atrás desse Norakuro! Eu tinha um e dei. Pensei que ia esquecer e... não, não tem como esquecer. É lindo demais! Você comprou recentemente

    ReplyDelete
    Replies
    1. Nossa, nunca pensei que alguém fosse lembrar desta foto!
      Ana, na verdade eu comprei esse despertador Norakuro há mais de dez anos (uns treze, pra ser mais exata), numa relojoaria bem antiga em Hadano (Kanagawa).
      Hoje o dito cujo é objeto raro, nem sei se no Rakuten encontra.
      E quem tem, nao da, nao vende, e esconde. Namorido tinha um, mas nosso sobrinho quis ver com a mão e...

      Delete