Thursday, April 10, 2014

Fukuyama Masaharu WE'RE BROS. TOUR 2014 HUMAN (Tokyo Dome, 6 de Abril de 2014)



No último dia de sua apresentação que faz todo final de ano, o "Fuyu no Daikanshasai", no Pacifico Yokohama, Masaharu Fukuyama anunciou para o público presente (e no dia seguinte nos noticiários) sua turnê nacional, sendo que seria a primeira vez que faria nos cinco Domes (o famoso "Five Dome Tour"), mais três shows no Saitama Arena, repeteco no Kyocera Dome e... a primeira vez que fará show no exterior (Taiwan e Hong Kong).

Isso porque ele já estava com material pronto pra lançar um álbum novo, depois de cinco anos sem lançar álbum de estúdio (em 2010 ele lançou a coletânea "The Best Bang!", com material antigo e algumas novas) e, aproveitando o momento, já marcou de antemão a turnê nacional em plena primavera, antes que começasse a temporada de baseball (pra quem não sabe, os Domes foram construídos para campeonatos nacionais. Evento, quando tem alguma vaga sobrando).

Logo que a turnê foi anunciada, os ingressos já foram postos à venda. Quem é do fã clube oficial (o BROS.), já garante mais rápido. E o lugar "SS" (Special Seat) foi restrito somente para os associados e era o lugar mais caro da turnê. Nos pontos de venda oficiais (como o eplus, Lawson Ticket, Ticket Pia), tinha que se cadastrar e rezar, porque era sorteio. Se conseguisse, ganhava uma senha e pagava no local de venda que era enviado por e-mail.

Eu sou muito suspeita pra falar do Masaharu Fukuyama pois comecei a acompanhar a carreira dele desde 1998, quando cheguei aqui. Por causa da música "PEACH!!", tema de uma novela que eu assistia. O resto, nem preciso contar a história. Mas consegui o ingresso para dois lugares - Tokyo Dome, dia 6 de abril e Saitama Arena, dia 18 de maio. Mas como minha situação só permitia escolher somente um, acabei escolhendo o de Tóquio (porque provavelmente vai abrir de novo as vendas dos ingressos nos outros lugares, mas ainda bem que escolhi o de Tóquio, explico depois o porquê).


Ingresso pago, vamos ao show.

Fui no segundo dia da turnê, no Tokyo Dome. E nublado. Mas ainda bem que o lugar é coberto. O show começava às cinco da tarde, entrei uma hora e meia antes. Lugar numerado - só que no ingresso, estava somente o portão que você teria que entrar e um código. Não tinha o lugar certo. Quando você apresenta o ingresso na entrada, eles usam uma leitora de código de barras e te entregam o recibo... contendo onde fica seu lugar pra sentar!!!

(Acredito que a Amuse deve ter feito desta forma pra evitar de que pessoas vendam seu ingresso em sites a preços exorbitantes, especialmente quando o lugar fica perto do palco.)

O palco visto de onde eu estava... no terceiro andar!!! No meio, era o lugar SS, somente para membros do fã clube que conseguiram ter a sorte de ter o ingresso (foi mediante sorteio)

Ao entrar, os organizadores entregam folhetos contendo os produtos do show, um cartão postal de Fukuyama divulgando Taiwan (claro, ele vai fazer show lá, então...) e um penlight. Calma, ninguém errou de show. 

Antes de começar, os telões laterais do palco mostravam comerciais da Asahi Beer (que patrocinava o show), da Dunlop, turismo em Taiwan, como se portar em um show (um vídeo bem humorado interpretado por Ogawa Hideo, que parodia o Fukuyama) e vídeos da BROS TV, feito especialmente pra sócios do fã clube e agora colocaram a venda, que eram short comedies, entrevistas, o lado privado de Fukuyama, com muito humor. Sem falar sobre os produtos a venda no site da agência...

Cinco horas e as luzes se apagam. Sinal que o show vai começar.

Assim que a parte instrumental termina, lá está o protagonista da turnê no meio do palco, com uma roupa branca e iniciando o show com "Beautiful Life". O palco secundário (o circulo) se ilumina de várias cores, assim como o penlight, que muda de cor conforme a sincronia da música e iluminação do palco.

Boa parte das músicas do setlist foram do último álbum (algo normal de se fazer - a maioria dos shows que eu fui, os artistas procuram divulgar mais músicas do álbum mais recente e interpretar as antigas mais conhecidas), embora muita gente já tivesse ouvido as músicas anteriormente devido aos singles, comerciais, programa Music Station e nos dois programas de rádio que Fukuyama comanda aos sábados e aos domingos.

Como foram três horas e meia de show e vinte e cinco músicas, vou tentar descrever as que se destacaram (se bem que todas elas, né...)

- "HUMAN", a faixa-título do álbum e da turnê, é a música mais recente que muitos ouviram devido ao comercial da Asahi Super Dry. 

- "Sakurazaka", essa nunca pode faltar nos shows (do tipo: se ele não cantar, não termina o show), ainda mais que estamos na primavera, época da floração das cerejeiras... No teto do Tokyo Dome, efeitos de luz desenham as flores da cerejeira.

- Medley: "Miss Cast"/"Toribi"/"246", do álbum novo. Antes da música "Toribi" (abreviação de "Toriaesu Beer"), um trechinho de "PEACH!!" (confesso que eu estava esperando essa música inteira, pois era um dos pontos altos dos shows). "246" nada mais é a rodovia que vai de Toquio (mais exatamente, Shibuya) até a cidade de Gotemba (província de Shizuoka).

- "Maboroshi" e "BLUE SMOKY" eram do primeiro álbum de Fukuyama - "Dengon" (1990). Antes de interpretá-las, ele comentou que tinha 19 anos quando saiu de Nagasaki pra tentar a vida em Tóquio. E, em 1990, depois de ter lançado o single "Tsuyoku Ame no Naka", veio o álbum. São duas músicas que dificilmente ele interpreta nos shows. "BLUE SMOKY" é um rock, como nos primeiros álbuns.

- "Kusunoki", música que abre o álbum, é completamente acústica. O telão do fundo do palco vira um wide screen, com uma enorme árvore. E antes de iniciar a música, um filme, mostrando um relógio antigo que para de funcionar quando dá 11:02 (nota: hora em que a bomba caiu na cidade de Nagasaki).

- "Showa Yattane", inicia com o álbum de fotos de Fukuyama, dos tempos de colegial, retrocendendo até a foto em que ele tinha um ano de idade. Showa era a época em que o Imperador Hiroito estava no trono. Quem nasceu entre os anos de 1926 a 1989, é considerado "nascido na era Showa". Imagens da cidade de Nagasaki fazem parte da música.

- "Koi no Maryoku", tema de encerramento do dorama que protagonizou - "Galileo 2" -, foi interpretado primeiro por Koh Shibasaki. Tornou-se o ponto alto do show.

- "GAME", que foi música tema das Olimpíadas em Londres, transmitida pela TV Asahi, em 2012, Fukuyama capricha nos solos de guitarra, e na apresentação, faz uso de efeitos pirotécnicos, dando mais emoção no show (andou vendo muito os shows do McCartney, que, em "Live and Let Die", só falta por fogo no palco....)

- "Cherry", segundo ele no show, é o nome/cor de uma de suas guitarras (no caso era uma Gibson vermelha, não lembro qual o modelo). E Fukuyama mandando ver no solo.

- "REDXBLUE" e "fighting pose", foram as músicas que Fukuyama cantou e tocou guitarra em cima do "catering car", passando perto das arquibancadas do Dome (foi a hora que eu consegui ver melhor e, não, como eu disse, ninguém errou de show). 

- "Maboroshi" encerra (a primeira parte). Pra quem já foi nos shows anteriores de Fukuyama, sabe que, chamando ele, vai ter encore.

Encore 1: Fukuyama e todos os membros da banda que o acompanha voltam ao palco, vestindo a camiseta do show (alguns de branco outros de preto) e cantam mais duas músicas - "Ikiteru Ikiteku" (faltou aparecer o Doraemon, como aconteceu na turnê anterior) e "MELODY" (por sinal, a música que ele interpretou quando participou pela primeira vez no Kouhaku Utagassen). Depois de apresentar um por um os membros da banda, que saem do palco, deixando Fukuyama sozinho. Hora do segundo encore.

Encore 2: "Kazoku ni narou yo", é interpretada somente com voz e violão. Depois de muito agradecer por ter voltado a fazer show no Tokyo Dome depois de... TREZE ANOS (!!!), aí não teve mais jeito, o show no Tokyo Dome terminou, mas todos voltaram pra casa felizes (embora tivesse durado três horas e meia).

Notas:

- Como eu disse anteriormente, o ingresso não tinha o número do assento, somente o portão e bloco. Para saber o seu lugar, na hora de apresentar o ingresso, os staffs pegavam o mesmo e usavam o leitor de codigo de barras e entregavam o papel que, sim, estava o seu assento!!!

- Logo que entra no Dome, os organizadores do show entregam um penlight, que, antes de começar o show, pede-se pra ligar até o final do mesmo. A luz vai mudando de cor conforme a música, graças aos sensores que tinham no local.

- Quem era do fã clube oficial, tinha o direito de comprar o ingresso SS, como eu mencionei. Mas também era sujeito a sorteio devido a quantidade de lugares disponíveis. Quem era sorteado, ganhava uma lembrancinha (até agora não sei qual foi). No início do show, essa parte do palco, formam-se as frases "WE'RE BROS. TOUR 2014 - HUMAN".

- Ultimamente penlight e cartering car não são mais exclusivos de artistas da JE.

- Quando Masaharu dava uma pausa pra conversar com o público, ele não deixava de mencionar que fazia treze anos que não fazia shows no Tokyo Dome. A última vez foi em 2011 quando ele fez o show "Tamago-teki Dai-kekkisyukai ~ mada mada IKUyaro!!! Tokyo Dome/ mada mada IKUyaro!! Osaka Dome". Por isso que estava muito emocionado - ainda mais que este ano vai fazer show nos cinco Dome (e encerra a turnê japonesa no Kyocera Osaka Dome) e três shows no exterior. 

Sim, em breve nos encontraremos de novo...
Fotos: da autora mesmo.


No comments:

Post a Comment